Subsídios Bíblicos para a Escola Dominical 👇👇

Mostrando postagens com marcador Seitas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Seitas. Mostrar todas as postagens

Charles Taze Russell – Síntese da história

Charles Taze Russell (1852 -1916)
Nascido em 1852, em Pittsburgo, EUA, filho de presbiterianos de linhagem escocês-irlandesa. Russell foi da Igreja Congregacional e por fim adventista. As crenças adventis­tas influenciaram grandemen­te o fundador das Testemunhas de Jeová. Ainda hoje negam a doutrina do inferno de fogo ar­dente e dão muita ênfase aos cálculos proféticos, coisas do adventismo. Russell fundou o movimento das Testemunhas de Jeová em 1872, época que ele apareceu com um evangelho estranho ao Novo Testamento, e com uma profecia propriamente sua. Veja Gálatas 1.8.

As Falsas Profecias das Testemunhas de Jeová

Nenhum movimento da atualidade profetizou falsamente tanto quanto a organização das Testemunhas de Jeová. Essa marca está presente ao longo de sua história. A Bíblia diz: "Quando tal profe­ta falar em nome do SENHOR, e tal palavra se não cumprir, nem suceder assim, esta é palavra que o SENHOR não falou; com so­berba a falou o tal profeta; não tenhas temor dele" (Dt 18.22).
Veja também:
·          Heresia e SeitaAqui
·          Alerta Contra os Falsos Mestre e suas Heresias - Aqui
·          Charles Taze Russell – Síntese da história - Aqui
·          Joseph Franklyn Rutherford - Aqui

A Literatura das Testemunhas de Jeová

A literatura é a arma mais poderosa das Testemunhas de Jeová usada para o trabalho de proselitismo.
1. A Sentinela

Inicialmente se chamou Zion's Watch Tower (Torre de Vigia de Sião), quando foi lançado em 1879.

Em 1931 Rutherford mudou o nome de The Watch Tower and Herald of Christ's Presence (Torre de Vigia e Arauto da Presença de Cristo) para The Watchtower and Herald of Christ's Presence (Torre de Vigia e Arauto da Presença de Cristo).

Em 1/01/1939 mudou para The Watchtower and Herald of Christ's Kingdom (Torre de Vigia e Arauto do Reino de Cristo), e em março do mesmo ano para o nome que permanece até à atualidade The Watchtower Announcing Jehovah's Kingdom, em português adota­ram o nome A Sentinela Anunciando o Reino de Jeová.

Em 1919, a organização publicou em 7 volumes todos os artigos publicados na Watchtower dos últimos 40 anos num total 6.622 páginas.

Joseph Franklyn Rutherford

Joseph F. Rutherford
Russell faleceu em 1916, assumindo a presidência Joseph F. Rutherford. Foi eleito pela organização em 06/01/ 1917. Ele reorganizou a STV, levantando-a das cinzas. A transição de Russell para Rutherford foi de grande anarquia na organização das Testemunhas de Jeová. A publicação da suposta obra póstuma de Russell, intitulada The Finished Mystery (O Mistério Consumado), o sétimo volume de Estudos das Escrituras, publicado por Russell, serviu como meio de consolidar em torno de si o domínio e o controle da organização.
§  Lições Dominical da para a Classe dos Adultos, Aqui
§  Lições Bíblica para os Jovens, Aqui
§  Subsídios Bíblicos para as Lições, Aqui

Como abordar os adeptos das seitas?

O cristão deve estar pronto a defender sua fé (1Pe 3.15,16, Judas 3,4) em qualquer circunstância, com firmeza e lealdade Para tanto, deverá revestir-se da couraça da justiça, tomar o escudo da fé, colocar o capacete da salvação, empunhar a espada do Espírito, calçar os pós no preparo do evangelho, cingir-se da verdade e orar em todo tempo.
Depois desse preparo, cada cristão poderá manter um diálogo com algum adepto das diversas seitas. No diálogo, não pode haver apenas uma atitude de crítica às seitas, porém, ao mesmo tempo, deve haver a disposição de ouvir criticas que os sectários fazem aos grupos ortodoxos e às igrejas em geral.

Doutrinas Peculiares do Adventismo

Além da guarda do sábado, o Adventismo do Sétimo Dia di­verge dos evangélicos em outros três assuntos de capital impor­tância. São eles: o estado da alma após a morte, o destino final dos ímpios e de Satanás, e a obra da expiação.

1. O Estado da Alma Após a Morte
O Adventismo ensina que após a morte do corpo a alma é reduzida ao estado de silêncio, de inatividade e de inteira in-consciência, isto é, entre a morte e a ressurreição, os mortos dor­mem.
Este ensino contradiz vários textos das Escrituras, dentre os quais destacam-se Lucas 16.22-30 e Apocalipse 6.9,10.
 APROFUNDE SEU CONHECIMENTO - LEIA TAMBÉM:
O primeiro texto registra a história do rico e Lázaro logo após a morte, e mostra que o rico, estando no inferno,
a. levantou os olhos e viu Lázaro no seio de Abraão (v.23);
b. clamou por misericórdia (v.24);
c. teve sede (v.24);
d.  sentiu-se atormentado (v.24);
e. rogou em favor dos seus irmãos (v.27);
f. ainda tinha seus irmãos em lembrança (v.28);
g. persistiu em rogar a favor dos seus entes queridos (v.30).


Já o texto de Apocalipse 6.9,10 trata da abertura do quinto selo, quando João viu debaixo do altar "as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam".

Segundo o registro de João, elas
a. clamavam com grande voz (v.10);
b. inquiriram o Senhor (v.10);
c. reconheceram a soberania do Senhor (v.10);
d. lembravam-se de acontecimentos da Terra (v.10);
e. clamavam por vingança divina contra os ímpios (v. 10).

As expressões dormir ou sono usadas na Bíblia para tipificar a morte falam da indiferença dos mortos para com os acontecimen­tos normais da Terra e nunca para com aquilo que faz parte do ambiente onde estão as almas desencarnadas. Assim como o sub­consciente continua ativo enquanto o corpo dorme, a alma do homem não cessa sua atividade quando o corpo morre.
A palavra de Cristo na cruz ao ladrão arrependido: "Em ver­dade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso" (Lc 23.43), é uma prova da consciência da alma imediatamente após a morte.
No momento da transfiguração de Cristo, Moisés não estava inconsciente e silencioso enquanto falava com Cristo sobre a sua morte iminente (Mt 17.1-6).

2. O Destino Final dos Ímpios e Satanás

Spicer, um dos mais lidos escritores adventistas, escreve: "O ensino positivo da Sagrada Escritura é que o pecado e os pecado­res serão exterminados para não mais existirem. Haverá de novo um Universo limpo, quando estiver terminada a grande controvér­sia entre Cristo e Satanás". É evidente que este ensino entra em contradição com as seguintes passagens: Daniel 12.2; Mateus 25.46; João 5.29 e Apocalipse 20.10.

Daniel 12.2 e Mateus 25.46 estão de acordo ao afirmar que:
a. Os justos ressuscitarão para a vida e gozo eternos;
b. Os ímpios ressuscitarão para vergonha e horror igualmente eternos.
Aqui, "vergonha e horror eterno" não significa destruição ou aniquilamento. Estas palavras falam do estado de separação entre Deus e o ímpio após a sua morte. Se for certo que o ímpio será destruído, por que então terá ele de ressuscitar e depois ser lança­do no Lago de Fogo? (Mt 25.41). Apocalipse 14.10,11 diz que os adoradores do Anticristo serão atormentados "e a fumaça de seu tormento sobe pelos séculos dos séculos". Isto não é aniquilamen­to. Quanto à pessoa de Satanás, Apocalipse 20.10 diz que ele, o Anticristo e o Falso Profeta, "serão atormentados no Lago de Fogo pelos séculos dos séculos", para sempre. Isto não é aniquilamento.


3. A Doutrina da Expiação

Segundo o Adventismo do Sétimo Dia, a doutrina da expiação é explicada partindo do seguinte raciocínio:

a.  Em 1844, Cristo começou a purificação do santuário celestial.

b. O céu é a réplica do santuário típico sobre a Terra, com dois compartimentos: o lugar santo e o santo dos santos.

c. No primeiro compartimento do santuário celestial, Cristo intercedeu durante dezoito séculos (do ano 33 ao ano 1844), em prol dos pecadores penitentes, "entretanto seus pecados permane­ciam ainda no livro de registros".

d. A expiação de Cristo permanecera inacabada, pois havia ainda uma tarefa a ser realizada, a saber: a remoção de pecados do santuário no céu.

e. A doutrina do santuário levou o Adventismo do Sétimo Dia finalmente a declarar: "Nós discordamos da opinião de que a ex­piação foi efetuada na cruz, conforme geralmente se admite".
Este ensino não pode manter-se de pé, primeiramente porque foi concebido por uma pessoa (a senhora White) de exagerado fanatismo e de muitas visões da carne; e segundo, porque é incoe­rente com o tratamento do assunto nas Escrituras.

A Bíblia ensina que:

a. A obra expiatória de Cristo é perfeita (Hb 7.27; 10.12,14).
b. A salvação do crente é perfeita e imediata (Jo 5.24; 8.36; Rm8.1; 1 Jo 1.7).

LEIA TAMBÉM:


Fonte: Seitas e Heresias| Autor: Raimundo F. de Oliveira| Reverberação: Subsídios EBD

Método Reiki: Prática Ocultista

1. O conceito
Reiki é um método de cura natural pelas mãos. Rei significa universal e Ki, a "força da energia vital que está presente, pois pertence ao que é cósmico". Ele é definido como sendo "a arte e a ciência da ativação, do direcionamento e da aplicação da Energia Vital Universal para promover o completo equilíbrio energético, para prevenção das disfunções e para possibilitar as condições necessárias a um completo bem-estar".
Segundo os seguidores do Reiki, esta "energia" de que falam é "a forma dos indivíduos em todas as etapas da vida, a porção de força vital (que é uma luz invisível que passa pelo cérebro, o sistema nervoso e as veias) que anima todos os corpos, fazendo com que uns sejam saudáveis, e outros, devido à sua falta, enfermos".

O surgimento do Adventismo do Sétimo dia

No princípio do século XIX, quando pouca ênfase era dada à segunda vinda de Cristo, Guilherme (William) Miller, pastor batista do Estado de Nova Iorque, nos Estados Unidos, dedicou-se ao estudo e a pregação deste assunto. Lendo Daniel 8.14, "Ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado", Miller passou a fazer deste versículo o tema duma grande controvérsia sobre os eventos futuros.

A teoria da reencarnação

A teoria da reencarnação se constitui no cerne de toda a discussão espiritista. Destruída esta teoria, o espiritismo não poderá subsistir.

Sobre o assunto, escreveu Allan Kardec: "A reencarnação fazia parte dos dogmas judaicos sob o nome de ressurreição... A reencarnação é a volta da alma, ou espírito, à vida corporal, mas em outro corpo novamente formado para ele que nada tem de comum com o antigo" (O Evangelho Segundo o Espiritismo, pp. 24,25).

As Subdivisões do Espiritismo – Diferentes formas

Embora consideremos o espiritismo igual em toda a sua maneira de ser, os próprios espíritas admitem haver diferentes formas de espiritismo, assim designadas:
1. ESPIRITISMO COMUM
Dentre as muitas práticas dessa classe de espiritismo, destacam-se as seguintes:
a.  Quiromancia - Adivinhação pelo exame das tinhas das mãos. O mesmo que "quiroscopia".

Resumo Histórico do Espiritismo

O espiritismo é, sem dúvida, uma das heresias que mais cresce no mundo hoje. O Brasil, particularmente, detém o triste recorde de ser o maior reduto espiritista do mundo. O seu crescimento se dá, em grande parte, devido ao fascínio que os seus ensinos exercem sobre as mentes das pessoas desprovidas do verdadeiro conhecimento, e alienadas de Deus.
VEJA TAMBÉM:

Heresia e Seita

Heresia deriva da palavra grega háiresis e significa: "escolha", "seleção", "preferência". Daí surgiu a palavra seita, por efeito de semântica.
Do ponto de vista cristão, heresia é o ato de um indivíduo ou de um grupo afastar-se do ensino da Palavra de Deus e adotar e divulgar suas próprias ideias, ou as ideias de outrem, em matéria de religião. Em resumo, é o abandono da verdade.

O profeta Joseph Smith

Como o caráter de qualquer movimento ou religião é, de certa forma, um segmento do caráter do seu fundador, torna-se evidente que quanto mais conhecermos a respeito de Joseph Smith, melhor conheceremos o mormonismo, também chamado "A Igreja de Je­sus Cristo dos Santos dos Últimos Dias".


Testemunhos contra o livro de mórmon

São muitíssimas as provas de que O Livro de Mórmon é obra de homem e não a Palavra de Deus. Dentre essas provas desta­cam-se as seguintes: 
• A opinião mais comum entre os estudiosos do mormonismo é que o conteúdo de o Livro de Mórmon, em grande parte, foi tomado de um romance de Salomão Spaulding, um