Mostrando postagens com marcador Apologética. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Apologética. Mostrar todas as postagens

SUBS√ćDIOS EBD - Li√ß√£o 5 A Sutileza do Materialismo e do Ate√≠smo (Classe dos Adultos)

ASSISTA AQUI


CURSOS B√ćBLICOS PARA VOC√ä:

1) CURSO B√ĀSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO M√ČDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Forma√ß√£o de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
5) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui


Matricule-se j√° ! 

Maria m√£e de Jesus n√£o Tinha Pecado?

Essa doutrina foi criada pelo Papa Pio IX em 1854. √Č a ideia de que Maria m√£e de Jesus foi concebida sem pecado original. Ser√° que este dogma cat√≥lico tem base b√≠blica?

VEJAūüĎá

DICAS DE CURSOSūüĎá B√ćBLICOS








A sucessão papal é um engano

“Foi Pedro o l√≠der da Igreja Primitiva como ensina o catolicismo romano? Teria sido Pedro uma esp√©cie de ‘papa’, como ensinam os seguidores do romanismo?”


Na votação final do dogma da infalibilidade papal durante o Concílio Vaticano I, somente dois votos foram contra, quinhentos e trinta e três favoráveis e cento e seis se ausentaram, não tendo coragem de ir contra esse erro por medo do anátema, mas não querendo se macular nele votando.

ūüĎá VEJA TAMB√ČM ūüĎá

ūüĎČ PEDRO √Č DE FATO O FUNDAMENTO DA IGREJA?

ūüĎČ OS CRIMES DA IGREJA CAT√ďLICA NA INQUISI√á√ÉO

ūüĎČ HIST√ďRIA DE UMA IGREJA DESVIADA – A IGREJA CAT√ďLICA

No discurso pronunciado pelo douto Strossmayer, bispo de Diakovar, na Croácia, durante os debates que antecederam essa votação, ele disse:


“Eu me dispus a estudar com a mais dedicada aten√ß√£o o Velho e o Novo Testamentos, e perguntei a estes vener√°veis monumentos da verdade que me revelassem se o santo pont√≠fice, que aqui preside, √© o verdadeiro sucessor de S√£o Pedro, vig√°rio de Cristo e o infal√≠vel doutor da igreja. Descobri que no per√≠odo apost√≥lico n√£o havia um papa, sucessor de S√£o Pedro, o vig√°rio de Jesus Cristo. Agora, tenho lido todo o Novo Testamento. Eu declaro diante de Deus, com a minha m√£o levantada diante daquele grande crucifixo, que n√£o encontrei nenhum tra√ßo de papado como o que existe atualmente”.


E na conclus√£o de seu discurso, acrescentou:

“Eu cheguei √† conclus√£o:

1) Que Jesus deu aos Seus apóstolos o mesmo poder que Ele deu a São Pedro.


2) Que os apóstolos nunca reconheceram São Pedro como o vigário de Jesus Cristo.


3) Que os concílios dos primeiros séculos, embora reconhecessem a elevada posição que o bispo de Roma ocupava por causa de Roma, apenas lhe concediam a preeminência da honra, nunca do poder ou jurisdição.

4) Que os santos pais, na famosa passagem, “Tu √©s Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja”, nunca entenderam que a Igreja fosse edificada sobre Pedro (super Petrum), mas sobre a rocha (super petram). Isto √©, na confiss√£o de f√© do ap√≥stolo.


Eu concluo vitoriosamente, com a hist√≥ria, com a raz√£o, com a l√≥gica, com o bom senso e com a consci√™ncia crist√£, que Jesus Cristo n√£o conferiu nenhuma supremacia a S√£o Pedro, e que os bispos de Roma n√£o se tornaram os soberanos da igreja a n√£o ser confiscando um a um todos os direitos do episcopado” (Boettner, pp. 197, 198).


Apesar de realmente Pedro ter sido um dos l√≠deres principais da Igreja Crist√£, as pretens√Ķes da Igreja Romana baseadas em Mateus 18.18-19, Lucas 22.32-33 e Jo√£o 21.15 n√£o possuem uma sustenta√ß√£o quando confrontadas com outras passagens.


As mesmas chaves do Reino são dadas ao colégio apostólico todo em Mateus 18.18.


Em Atos 15, fica evidente que Tiago, e não Pedro, é o líder da Igreja em Jerusalém. Além disso, é importante lembrar que, em Gálatas 2.11, Paulo repreendeu a Pedro.


Quanto à literatura do período anteniceno, nela revela-se uma exiguidade de referências a essa autoridade petrina e à sua transmissão aos bispos romanos posteriores. Realmente, somente no final do século II e início do III é que começa a surgir algo nesse sentido.

 

Quanto ao texto de Mateus, Tertuliano, o primeiro a tratar da rela√ß√£o entre essa promessa e a S√© de Roma, admite que o bispo de Roma reivindica ser “a pedra” com direito de “ligar e desligar”, mas rejeita esta reivindica√ß√£o de supremacia e jurisdi√ß√£o (Sobre mod√©stia, 1 e 21). Cipriano, cujo testemunho √© o mais forte da igreja antenicena, insiste que todos os ap√≥stolos receberam “os mesmos poderes de Pedro”.

Artigo: Pr. Esequias Soares

ūüĒćVEJA TAMB√ČMūüĎá

ūüéĮ Li√ß√Ķes classe Adolescentes:

Lição 1 - Criados à imagem de DeusClique Aqui

Lição 2 - Errando o alvo - Clique Aqui

Lição 3 - Pecado: a maior pandemia da história - Clique Aqui

ūüéĮ Li√ß√Ķes classe Jovens:

Lição 01 РConhecendo o Evangelho de João - Clique Aqui

Lição 02 РJoão Batista preparando o caminho - Clique Aqui

Lição 03 РO primeiro sinal: A água em vinho - Clique Aqui

ūüéĮ Li√ß√Ķes classe Adultos:

LI√á√ÉO 1 A AUTORIDADE DA B√ćBLIA, Clique Aqui

LI√á√ÉO 2 A INSPIRA√á√ÉO DIVINA DA B√ćBLIA, Clique Aqui

LI√á√ÉO 3 A INERR√āNCIA DA B√ćBLIA, Clique Aqui


Os erros da Cabala à luz da Bíblia

“Fala-se sobre a Cabala no meio secular. O que ela significa e quais os seus males √† luz das Sagradas Escrituras?”

A etimologia da palavra Cabala √© formada do prefixo “Kab”, que em l√≠ngua semital significa “osso de calcanhar”, e do sufixo “Ala”, que significa “Deus” (A Ma√ßonaria e o Livro Sagrado, p√°g. 93). O significado √© “a estrutura √≥ssea”, a “carca√ßa do conhecimento divino”.

Os cabalistas explicam a origem da cabala dizendo que Enoque (Gn 5.21-24) ensinou ao patriarca Abra√£o uma doutrina oculta, que este transmitiu oralmente aos seus filhos e netos.

VEJA TAMB√ČM:

O que Constitui uma Seita?

Heresia e Seita

Ecumenismo: Uma Armadilha do Diabo

FANTASMAS não existem. Mas existe algo muito pior que é real!

Se você acredita em fantasmas, odeio estourar sua bolha, mas eles não existem. E por fantasma, estou usando a definição tradicional de uma pessoa que morreu e está se manifestando de alguma forma para os vivos, seu espírito estando preso entre esta vida e a próxima.

VEJA TAMB√ČM: Pastor revela o pacto que fez com Mulher misteriosa para ter Fama e dinheiro – Acesse Aqui

O Crente pode fazer Jogo de Azar?

TEXTOS B√ćBLICOS INDICADOS:

Sl 28.2; Pv 10.22; 13.11;28.20b; 1Co 6.12b; 10.23,31; 1Ts 5.22

Salmo 28.2; "comer√°s do trabalho das tuas m√£os, feliz ser√°s, e te ir√° bem”.

Há cristãos que por desconhece-a doutrina do Senhor, a ética cristã e a moral evangélica, deixam-se iludir pelos acenos e sutilezas do jogo de azar e praticam-no de alguma forma.

O Cristão em Relação à Eutanásia

A eutan√°sia √© o procedimento em que de modo ativo ou passivo uma pessoa pode antecipar ou acelerar o processo de morte. Por vezes √© chamada de “morte assistida” ou “suic√≠dio assistido”. 

No Brasil, a eutanásia é ilegal e desaprovada pelo código de medicina.


A import√Ęncia o Preparo Intelectual e B√≠blico para o exerc√≠cio da Apolog√©tica

H√° trinta e oito anos, o pensador norte-americano Charles Malik proferiu um discurso no Billy Graham Center, que pertence ao campus do Wheaton College, nos Estados Unidos da Am√©rica. As palavras de Malik estavam carregadas de um forte tom prof√©tico, pois mesmo tendo-se passado tr√™s d√©cadas, continuam ecoando em nossa gera√ß√£o. Malik advertiu em seu discurso sobre os perigos que o cristianismo enfrentava ao procurar cuidar somente da alma e esquecer totalmente a mente. Mas, as palavras de Malik n√£o eram apenas prof√©ticas, eram tamb√©m apolog√©ticas. Na sua fala, destacou que o cristianismo tem perdido relev√Ęncia na cultura ocidental porque n√£o tem conseguido de forma satisfat√≥ria dar respostas intelectualmente aceit√°veis √†queles que o questionam. Citemos uma parte do seu discurso:

Jesus teve Irm√£os ou eram Apenas Primos?

Bíblia é a nossa fonte de revelação e sabedoria e não podemos ir além do que está escrito, qualquer que seja o assunto a ser discutido (lCo 4.6). Os irmãos de Jesus são citados nove vezes nos evangelhos (Mt 12.46; 13.55; Mc 3.31; 6.3; Lc 8.19; Jo 2.12; 7.3,5,10) e uma vez nos Atos dos Apóstolos (At 1.14) e duas vezes são também mencionadas suas irmãs (Mt 13.56; Mc 6.3).

A Ciência Prova que a Ideologia de Gênero é uma grande Mentira

Parab√©ns! √Č um menino!
Ou: “Parab√©ns! √Č uma menina”!

Em 20 anos como pediatra, foi assim quer começou a relação com vários dos meus pacientes. Nossos corpos revelam o nosso sexo. Sexo biológico não é escolhido. Ele é determinado na concepção, pelo nosso DNA e isso é marcado em todas as células do nosso corpo.
A sexualidade humana √© bin√°ria: ou voc√™ tem um cromossomo “Y” normal e se desenvolve em um homem, ou voc√™ n√£o o tem, e se desenvolve em uma mulher.

H√°, pelo menos, 6.500 diferen√ßas gen√©ticas entre homens e mulheres. Horm√īnios e cirurgias n√£o podem e nem ir√£o mudar isso.


Veja, “identidade” n√£o √© biol√≥gica; √© psicol√≥gica. Identidade tem a ver com pensar e sentir. Pensamentos e sentimentos n√£o s√£o geneticamente determinados. Podem estar certos de fato, ou errado de fato.  Por exemplo: se eu entrar no consult√≥rio do meu m√©dico e disser: “Ol√°! Eu sou Margareth Thatchar”, meu m√©dico me dir√° que estou delirando, e me receitar√° um antipsic√≥tico. Entretanto, se eu lhe dissesse: “ Eu sou um homem”, ele diria: “Parab√©ns, voc√™ √© transg√™nero”. Se eu disser: “Doutor, quero me matar. Sou um deficiente preso em um corpo normal. Por favor, remova a minha perna”, eu seria diagnosticada com transtorno de identidade de integridade do corpo.  Mas se eu disser ao mesmo m√©dico: “Eu sou um homem. Agende uma mastectomia dupla”, ele ir√° faz√™-lo.

De acordo com a maioria das principais organiza√ß√Ķes m√©dicas, se voc√™ quiser cortar um bra√ßo ou uma perna saud√°vel, voc√™ possui uma doen√ßa mental.  Mas se voc√™ quiser cortar seios saud√°veis, ou um p√™nis, voc√™ √© transg√™nero. Vamos ser claros: Ningu√©m nasce transg√™nero.  

Se a identidade de g√™nero fosse definida ainda no √ļtero, g√™meos id√™nticos teriam a mesma identidade de g√™nero, em 100% dos casos. Isto n√£o acontece!

Tive um paciente que era um garoto. Vamos chama-lo de Andy. Entre os tr√™s e cinco anos de idade, ele brincava cada vez mais com meninas e com brinquedos t√≠picos de meninas e come√ßou a dizer que era uma menina. Eu indiquei um terapeuta para Andry e seus pais.  √Äs vezes, a doen√ßa mental de um pai ou abuso infantil s√£o fatores, mas √© mais comum que a crian√ßa esteja percebendo mal a din√Ęmica familiar e internalize uma fala cren√ßa.

No meio de uma sess√£o, Andy largou o caminh√£ozinho e agarrou uma Barbie.  Ele disse: “A mam√£e e o papai n√£o me amam quando sou um menino”.  A terapeuta descobriu que, quando Andy tinha tr√™s anos, sua irm√£ deficiente nasceu. Ela exigia muito mais do carinho e da aten√ß√£o dos pais.  Andy interpretou isso mal como: “A mam√£e e o papai amam meninas. Se eu quiser que eles me amem de novo, terei que virar uma menina”.

Com a terapia familiar, Andy melhorou. Hoje, os pais do Andy escutariam algo bem diferente. Eles escutariam: “Esse √© o Andy de verdade’. Voc√™s devem mudar o nome dele, e pedir para tratarem ele como menina, sen√£o ele ir√° cometer suic√≠dio”.

Aten√ß√£o: se uma menina, que insiste que √© um homem, receber testosterona todo dia, por um ano, ela precisar√° remover os seis aos 16 anos. Veja s√≥: a Academia Americana de Pediatria publicou um relat√≥rio, pedindo que pediatras alertem os jovens sobre fazer tatuagens, pois elas s√£o permanentes e podem deixar cicatrizes. Mas a mesma associa√ß√£o apoia totalmente que meninas de 16 anos removam ambos os seios, mesmo sem autoriza√ß√£o dos pais, desde que ela insista ser um homem e tome diariamente testosterona  por um ano.

Sejamos claros: doutrinar as crianças, a partir da pré-escola, com a mentira de que elas podem estar presas no corpo errado, destrói os fundamentos do teste da realidade de uma criança. Se uma criança não pode confiar na realidade do seu corpo físico, no que elas poderão confiar?

Ideologia transg√™nero em escolas √© abuso psicol√≥gico e frequentemente resulta √† castra√ß√£o qu√≠mica, esteriliza√ß√£o e mutila√ß√£o cir√ļrgica.  Se isto n√£o √© abuso infantil, senhores e senhoras, ent√£o o que √©?

Verdades que desmentem a Ideologia de Gênero
O Sexo biológico não é escolhido
O Sexo é determinado na concepção
Nossos corpos revelam o nosso sexo
Ninguém nasce transgênero
Ideologia transgênero em escolas é abuso psicológico

Artigo: Dr. Michelle Cretella
Presidente, American College of Pediatricians
Fonte: V√≠deo “Pediatria americana refuta a Ideologia de G√™nero”.

Lição 10: Provai se os Espíritos São de Deus

ūüďö Aten√ß√£o! O subs√≠dio B√≠blico para esta li√ß√£o est√° em nossa revista Digital Crist√£o Alerta. Acesse Aqui
Clique e Veja: ūüďí Revista Crist√£o Alerta | Estudos B√≠blicos 

Li√ß√£o 10 em √ĀudioūüĒä

Texto √Āureo
“Amados, n√£o creiais em todo esp√≠rito, mas provai se os esp√≠ritos s√£o de Deus, porque j√° muitos falsos profetas se t√™m levantado no mundo.” (1 Jo 4.1)

O Espiritismo é Abominável diante do Santo Deus da Bíblia

A m√≠dia, principalmente a televisada, tem dado grande destaque aos fen√īmenos esp√≠ritas, especialmente em novelas e filmes, contribuindo para a difus√£o da doutrina de Alan Kardec, que √© um dos maiores equ√≠vocos em rela√ß√£o √† vida ap√≥s a morte e suas repercuss√Ķes no mundo dos vivos.

O Crist√£o Pode Praticar o Yoga?

ūüö® O Yoga n√£o √© Apenas um Exerc√≠cio F√≠sico

O yoga √© "completamente incompat√≠vel" com a f√© crist√£, pois tem mais a ver com a religi√£o hindu do que com exerc√≠cios f√≠sicos. "O yoga √© um cap√≠tulo fundamental da religi√£o hindu ... n√£o √© um 'tipo de exerc√≠cio f√≠sico".

ūüéĮ Veja tamb√©m: Ioga n√£o √© mero exerc√≠cio f√≠sico, mas uma pr√°tica com base em princ√≠pios anti-b√≠blicos

Qual √© a Doutrina Ma√ß√īnica sobre Satan√°s?

1. Doutrina Ma√ß√īnica

Satan√°s, como inimigo de Deus e do seu Reino, como um poder maligno que procura tentar, enganar e destruir, n√£o existe. A humanidade simplesmente “sup√Ķe” isso. A percep√ß√£o crist√£ usual √©, meramente, uma distor√ß√£o da verdade a respeito de L√ļcifer, o “Portador da Luz”, que, na verdade, √© bom e √© o instrumento de liberdade, mas que, de modo geral, √© mal interpretado e difamado.

(1) “O verdadeiro nome de Satan√°s, dizem os cabalistas, √© o de Yahveh invertido, pois Satan√°s n√£o √© um deus negro... para os iniciados, n√£o √© uma Pessoa, mas, sim, uma For√ßa criada para o bem, mas que tamb√©m pode servir para o mal. √Č o instrumento de Liberdade ou de Livre-Arb√≠trio” (Albert Pike, Morals and Dogma, Mestre Ma√ßom /3° Grau, p√°g. 102).

(2) “L√ļcifer, o Portador da Luz! Nome estranho e misterioso para dar ao esp√≠rito das Trevas! L√ļcifer, o Filho da Manh√£! √Č ele que traz a Luz e, com todo o seu esplendor intoler√°vel, cega as almas d√©beis, sensuais ou ego√≠stas? N√£o duvideis!” (Albert Pike, Morals and Dogma, 19° Grau, p√°g. 321).


O crist√£o e o uso de tatuagens

A Autenticidade de Marcos 16.9-20

Muita coisa j√° foi dita acerca da passagem b√≠blica do Evangelho de Marcos 16.9-20. As observa√ß√Ķes mais frequentes acerca desse texto que encontramos, s√£o que esse texto: “N√£o consta nos melhores manuscritos gregos” ou “N√£o consta no texto grego adotado”.

Os filhos dos crentes e o Halloween

O Halloween é celebrado no mundo todo no dia 31 de outubro. O Halloween, também conhecido como o Dia das Bruxas ou o Dia de Todos-os-Santos, tem suas origens em um festival celta chamado Samhain.

Não à Descriminalização do Aborto

Deus não precisa do sacrifício de uma vida para criar e abençoar outra vida. Deus é soberano. Aqueles que conhecem as Escrituras Sagradas sabem que Deus criou o homem, com todas as suas peças, órgãos, células e estruturas musculares. Tanto que, para reabilitar a mão do homem da mão mirrada (Mc 3.5), Deus não precisou usar a clonagem terapêutica e retirar daquele homem células tronco.

A tricotomia humana РEspírito, Alma e Corpo

Segundo G√™n. 2:7, o homem se comp√Ķe de duas subst√Ęncias — a subst√Ęncia material, chamada corpo, e a subst√Ęncia imaterial, chamada alma. A alma √© a vida do corpo e quando a alma se retira o corpo morre. Mas, segundo 1 Tess. 5:23 e Heb. 4:12, o homem se comp√Ķe de tr√™s subst√Ęncias — esp√≠rito, alma e corpo; alguns estudantes da b√≠blia defendem essa opini√£o de tr√™s partes da constitui√ß√£o humana versus doutrina de duas partes apenas, adotada por outros. Ambas as opini√Ķes s√£o corretas quando bem compreendidas.