As Verdades Pentecostais

INTRODUÇÃO

As verdades pentecostais são fatos incontestáveis revelados na Bíblia Sagrada. Elas foram prometidas e cumpridas integralmente na vida dos que creram, os quais experimentaram manifestações poderosas de Deus em suas vidas, que os levaram a falar e a realizar proezas em nome de Jesus, resultando na salvação de almas e na expansão do Reino de Deus.

* Como os Pentecostais Interpretam a bíblia

*A Escola Dominical como promotora da Identidade Pentecostal

*A explosão do Movimento Pentecostal

*O que é o Movimento Pentecostal

*Pentecostalismo, sua doutrina e relevância para o Cristianismo

I. AS VERDADES PENTECOSTAIS


1. No Antigo Testamento.

Poderemos vê-las das seguintes formas:

a) Nas profecias.

As quais falavam da vinda do Espírito e de sua obra entre os homens, através de Isaías (Is 28.11, 12; 44.3, 4), Salomão (Pv 1.23), Joel (Jl 2.28, 29), Zacarias (Zc 12.10) etc.

 

b) Nos símbolos do Espírito Santo.

Os quais revelam, de modo específico, suas diversas manifestações na vida dos que creem, como: chuva, para frutificação (Os 6.3; SI 72.6); óleo, para unção do poder (Ec 9.8; SI 133.2, 3; At 10.38); orvalho, para revigoramento (Os 14.5-7); vento, para a vida abundante (Ez 37.9, 10) e impetuosidade (At 2.2, 3); fogo, para manifestação da glória divina (Lv 9.23,24; 2 Cr 7.1); rio, para dessedentar (Is 44.3,4; Jo 7.37- 39) etc.

 

c) Na prefiguração do poder manifestado nas vidas de: Gideão (Jz 6.34), para liderar; Sansão (Jz 14.6), para grandes proezas; Bezaliel (Ex 31.1-6), para edificação; Josué (Dt 34.9), para substituição; Davi (1 Sm 16.13), para vitórias etc.

 

2. No Novo Testamento.

Encontramos as verdades pentecostais nas promessas de Deus através de João Batista (Mt 3.11), e principalmente de Jesus (At 1.4, 5, 8), que, ao subir ao céu, rogou ao Pai que enviasse o Espírito Santo à igreja (Jo 14.12-18; 16.5-15), deixando bem claro que este poder capacitaria seus discípulos a fazer obras maiores que as dEle (Jo 14.12). Essas verdades também estão bem claras no batismo no Espírito Santo, como veremos adiante.


II. CARACTERÍSTICAS DAS VERDADES PENTECOSTAIS

1. Bíblicas.

Quando o poder do Espírito foi derramado na Igreja, Pedro reconheceu imediatamente esse fato como o cumprimento da promessa feita através do profeta Joel (At 2.16-19; Jl 2.28,29) e, principalmente, a que fora feita pelo Senhor Jesus (At 2.33; Jo 14.26; 15.26; 16.7, 13; At 1.4). Posteriormente, ele e Paulo reconheceram como sendo também a promessa feita através de João Batista (At 11.16; 19.1-4; Mt 3.11, 12).

 

2. Atuais.

Essas verdades são também para os nossos dias (At 2.39), pois vivemos na dispensação do Espírito (2 Co 3.8). O Espírito Santo foi enviado para ficar conosco (Jo 14.26), para batizar-nos. E Ele não mudou (1 Co 12.4-6; Tg 1.17). Ainda hoje, todo aquele que pedir esse poder o receberá, desde que o peça com perseverança (Lc 11.9-13), obediência (At 5.32) e fé (Jo 7.37- 39).

 

3. Experimentais.

Milhões de crentes têm experimentado a manifestação desse poder através do batismo com o Espírito Santo e dos dons espirituais da mesma maneira como ocorria na Igreja Primitiva (At 2.1 -4; 11.15). Naquela Igreja, o derramamento do poder ocorria de três formas: “de repente”, como no dia de Pentecostes (At 2.1-4); pela imposição de mãos, como ocorreu em Samaria (At 8.15-18); e, pelo poder da palavra, como ocorreu em Cesaréia (At 10.44-46), e na vida de Paulo (At 9.17, 18; 1 Co 14.18).

III. A REALIDADE DAS VERDADES PENTECOSTAIS

1. No Pentecostes, entre os judeus convertidos.

Todos foram batizados no Espírito Santo (Al 2.1 - 4), que passou a operar entre eles com o dom de sabedoria e ciência (At 2.22, 36), discernimento (At 5.4, 5), curas (At 5.11) etc. Também pregavam com coragem e autoridade (At 4.13, 20, 31, 33). As manifestações de poder eram tão grandes entre eles que os descrentes ficavam “pasmados”, “maravilhados”, “assombrados” e “atônitos (At 2.7, 12; 3.10, 11; 4.13), levando-os a se compungirem em seus corações (At 2.37), para receberem a salvação por meio de Jesus (At 2.41, 47; 4.4; 5.14, 18).

 

2. Em Cesaréia entre os gentios convertidos.

Quando Pedro pregava na casa de Cornélio, enfatizou ele a obra redentora de Jesus (At 10.43). Resultado: os ouvintes creram e tiveram “os seus corações purificados pela fé” (At 15.9). Como testemunho, o Senhor batizou-os no Espírito Santo (At 15.8), pois “caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a Palavra” (At 10.44), e, como consequência: “falavam línguas” - a evidência clara do batismo, fato este que Pedro identificou, pois “falavam línguas” da mesma maneira que ele e outros haviam falado no Pentecostes (At 10.47; 11.15-17). “Magnificavam a Deus”, certamente isso era ouvido através de profecias, ou o por meio do dom de variedade de línguas junto com as interpretações destas.

IV. A ATUALIDADE DAS VERDADES PENTECOSTAIS

1. A experiência da rua Azuza.

Em 9 de abril de 1906, em Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos, o pastor Willian J. Seymour e mais sete irmãos de sua igreja foram batizados no Espírito Santo, depois de uma busca incessante da promessa. A manifestação do poder de Deus foi tão grande em sua igreja, que precisou de um espaço maior para acomodar o povo que para lá afluía. Descobriu então uma igreja Metodista Episcopal, que estava abandonada na Rua Azuza, 312, onde fundou a missão Evangélica da Fé Apostólica.

 

As manifestações do poder de Deus foram aí tão extraordinárias, que até os jornais seculares as publicavam. O ambiente estava saturado pelo poder de Deus. O desejo de santidade, as orações e os cânticos espirituais eram uma realidade. Muitos eram batizados no Espírito Santo e falavam línguas; os dons espirituais manifestavam- se de maneira copiosa.

 

2. A experiência de Daniel Berg e Gunnar Vingren.

Ambos de origem sueca, haviam emigrado ainda jovens para a América, em épocas diferentes. Ai, tomaram conhecimento do avivamento pentecostal, e ao buscarem-no, receberam-no de forma gloriosa. Assim Vingren descreve sua experiência: “O Senhor Jesus me batizou com o Espírito Santo e fogo. Quando recebi... falei línguas como está escrito que aconteceu com os discípulos no dia de Pentecostes”. De igual modo gloriosa, foi a experiência de Daniel Berg. Posteriormente, já amigos e buscando juntos ao Senhor, receberam dele a revelação de virem para o Brasil - onde, em 18/06/1911, em Belém do Pará, fundaram as Assembleias de Deus.

 

CONCLUSÃO

A experiência pentecostal hoje é uma realidade. Milhões de crentes, em todo o mundo, a tem vivenciado. Jesus continua a salvar, a curar os enfermos, a batizar no Espírito Santo e a distribuir dons espirituais. São as “armas” espirituais com as quais a Igreja tem triunfado (2 Co 10.4-6; Zc 4.6), “pisando” assim as forças inimigas (Lc 10.19), e ganhando as almas para os céus (At 1.8). Se estivermos dispostos a pagar o preço do avivamento (2 Cr 7.14; 2 Sm 24.24), Deus fará coisas ainda maiores (Jo 1.51; 14,12) entre nós.

 

Fonte: Verdades Pentecostais: O Evangelho de Cristo anunciado com poder. 1° Trimestre de 1998 – CPAD.

VEJA TAMBÉM:

💡 Lições Bíblicas – Aqui

💡 Estudos Bíblicos – Aqui

💡 Artigos para Professores EBD – Aqui

💡 Notícias do Brasil e do Mundo – Aqui

📚 Veja nossos E-books - Aqui

Auxílios para a Escola Dominical
Receba Lições, Artigos e Subsídios! É Grátis. Digite seu E-mail e em seguida abra o seu e-mail e clique em nosso link de confirmação:


Imagens de tema por gaffera. Tecnologia do Blogger.