Mostrando postagens com marcador Pentecostalismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pentecostalismo. Mostrar todas as postagens

Grandes Avivamentos na História Cristã


Ao longo da história, Deus visitou o seu povo, irrompendo com grande poder e trazendo à igreja tempos de refrigério, através do derramamento do seu Espírito.
Foi assim entre os valdenses, na França, no século XII.

Li√ß√Ķes Betel: Li√ß√£o 7 Os dons de Elocu√ß√£o (Classe Adultos)

Li√ß√Ķes B√≠blicas BETEL: 4° Trimestre de 2022 | T√≠tulo: A IGREJA E O ESPIRITO SANTO – A necessidade do avivamento promovido pelo Esp√≠rito Santo para os dias atuais

TEXTO √ĀUREO

“Mas o que profetiza fala aos homens para edifica√ß√£o, exorta√ß√£o e consola√ß√£o.” 1 Cor√≠ntios 14.3

ūüĎá VEJA TAMB√ČM Li√ß√Ķes CPAD ūüĎá

ūüĎČ Novas li√ß√Ķes da classe dos ADULTOS- Aqui

ūüĎČ Novas li√ß√Ķes da classe dos JOVENSAqui

Li√ß√Ķes Betel: Li√ß√£o 3 A A√ß√£o do Espirito Santo antes do Pentecostes (Classe Adultos)

Li√ß√Ķes B√≠blicas BETEL: 4° Trimestre de 2022 | T√≠tulo: A IGREJA E O ESPIRITO SANTO – A necessidade do avivamento promovido pelo Esp√≠rito Santo para os dias atuais.

Li√ß√Ķes Betel: Li√ß√£o 1 As Ra√≠zes do Pentecostalismo no Brasil (Classe Adultos)

Li√ß√Ķes B√≠blicas BETEL: 4° Trimestre de 2022 | T√≠tulo: A IGREJA E O ESPIRITO SANTO – A necessidade do avivamento promovido pelo Esp√≠rito Santo para os dias atuais

TEXTO √ĀUREO

“Portanto, ide, ensinai todas as na√ß√Ķes, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Esp√≠rito Santo.” Mateus 28.19

Ev. Jair Alves | Lição 8: A Sutileza do Enfraquecimento da Identidade Pentecostal [Subsídios EBD]

 

Subs√≠dios B√≠blicos para a Li√ß√£o dos Adultos (CPAD).  3° Trimestre de 2022

Subsídio: Ev. Jair Alves

O que é o pentecostalismo? O que é ser pentecostal? O que é o batismo no Espírito Santo? Os dons do Espírito Santo são para os nossos dias? Essas e outras perguntas podem ser respondidas através de nosso estudo, aqui tratado.

LIÇÃO 8 A Sutileza do Enfraquecimento da Identidade Pentecostal

ūüĒ• Classe Dominical: Li√ß√Ķes B√≠blicas Adultos

Trimestre: 3° de 2022

ūüďö Editora: CPAD

Comentarista: José Gonçalves

ūüďĚ Assunto da Revista: OS ATAQUES CONTRA A IGREJA DE CRISTO:  As Sutilezas de Satan√°s nestes Dias que Antecedem a Volta de Jesus Cristo

ūüďö  TEXTO √ĀUREO

“E todos foram cheios do Esp√≠rito Santo e come√ßaram a falar em outras l√≠nguas, conforme o Esp√≠rito Santo lhes concedia que falassem.” (At 2.4)

E-book grátis: HERMENÊUTICA PENTECOSTAL DA ASSEMBLEIA DE DEUS

Baixe de graça o e-book com o posicionamento das Igrejas Assembleias de Deus sobre a Hermenêutica Pentecostal.

Obs. Este é um oferecimento do site: Subsídios Dominical.

BAIXAR AQUI


As Verdades Pentecostais

INTRODUÇÃO

As verdades pentecostais s√£o fatos incontest√°veis revelados na B√≠blia Sagrada. Elas foram prometidas e cumpridas integralmente na vida dos que creram, os quais experimentaram manifesta√ß√Ķes poderosas de Deus em suas vidas, que os levaram a falar e a realizar proezas em nome de Jesus, resultando na salva√ß√£o de almas e na expans√£o do Reino de Deus.

* Como os Pentecostais Interpretam a bíblia

*A Escola Dominical como promotora da Identidade Pentecostal

*A explos√£o do Movimento Pentecostal

*O que é o Movimento Pentecostal

*Pentecostalismo, sua doutrina e relev√Ęncia para o Cristianismo

Li√ß√£o 11 Lucas-Atos: O Modelo Pentecostal para hoje esperan√ßa [1° Trimestre de 2022]

Li√ß√Ķes B√≠blicas Adultos, 1° trimestre de 2022 – CPAD

Assunto: A Supremacia das Escrituras: a Inspiração, Inerrante e Infalível Palavra de Deus

COMENTARISTA: Douglas Baptista

ūüďö  TEXTO √ĀUREO

“E todos foram cheios do Esp√≠rito Santo e come√ßaram a falar em outras l√≠nguas, conforme o Esp√≠rito Santo lhes concedia que falassem.”  (At 2.4)

ūüí°  VERDADE PR√ĀTICA

A atividade do Esp√≠rito Santo e suas implica√ß√Ķes na vida crist√£ s√£o o padr√£o b√≠blico adotado pelo crente pentecostal.

 LEITURA DI√ĀRIA

Segunda - Lc 3.16

O poder de Cristo em batizar no Espírito Santo e com fogo

Terça - Lc 3.21,22

O Espírito Santo em forma de pomba e uma voz do céu identificam o Messias

Quarta - At 1.8

A virtude do Espírito capacita o crente para a obra de evangelização

Quinta - At 2.2,3

Sinais sobrenaturais marcaram o advento do Espírito Santo

Sexta - At 2.4; 10.46; 19.6

O "falar em línguas" é a evidência física inicial do Batismo no Espírito Santo

S√°bado - At 2.17-20

O derramamento do Espírito Santo permanecerá até o Dia do Senhor

LEITURAS PARA APROFUNDAR – Clique:

ūüĎć Lucas-Atos: O Modelo Pentecostal para hoje

ūüĎć As Ep√≠stolas instruem e formam os crist√£os

ūüĎć A Leitura da B√≠blia e a educa√ß√£o crist√£

ūüĎć Como ler as Escrituras

ūüĎć A B√≠blia como um Guia para a Vida

LEITURA B√ćBLICA EM CLASSE

Lucas 1.21,22; Atos 2.1-4

Lucas 1

21 - E o povo estava esperando a Zacarias e maravilhava-se de que tanto se demorasse no templo.

22 - E, saindo ele, n√£o lhes podia falar; e entenderam que tivera alguma vis√£o no templo. E falava por acenos e ficou mudo.


Atos 2

1 - Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;

2 - E, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.

3 - E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.

4 - E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

 

Hinos Sugeridos: 5, 85, 290 da Harpa Crist√£


PLANO DE AULA

1. INTRODUÇÃO

Nesta lição, temos como propósito destacar que a ação do Espírito Santo na vida de Jesus em Lucas e da igreja em Atos com a finalidade de capacitá-la para a proclamação do Evangelho em continuidade ao ministério de Jesus.

Veremos que esse modo de viver serve de modelo para a igreja dos dias atuais. Assim como no in√≠cio da igreja, os crentes atuais precisam buscar o Batismo no Esp√≠rito Santo como revestimento de poder do Alto para realizar a obra de Deus e alcan√ßar uma vida crist√£ vitoriosa. 

2. APRESENTAÇÃO DA LIÇÃO

A) Objetivos da Lição:

I) Enfatizar a ação do Espírito Santo na vida e ministério de Jesus em Lucas;

II) Ressaltar que a manifestação do Espírito Santo no ministério da igreja em Atos é cumprimento da promessa de Deus revelada por intermédio do profeta Joel;

III) Apontar que o Batismo no Espírito Santo é uma promessa atual e deve ser buscado por todos os crentes como capacitação para o serviço cristão.

B) Motiva√ß√£o: O Esp√≠rito Santo √© a fonte inspiradora e capacitadora da igreja. Os crentes s√£o intrinsecamente dependentes do Esp√≠rito Santo tanto no que diz respeito ao servi√ßo prestado na obra de Deus quanto a uma vida √≠ntegra e testemunhante das verdades b√≠blicas. √Č preciso buscar continuamente o revestimento do Esp√≠rito.  

C) Sugest√£o de M√©todo: Com a ajuda de seus alunos, realize um mapa conceitual. Anote no centro do quadro a palavra "Esp√≠rito Santo", e com a ajuda dos alunos, relacione em torno desta palavra quais as manifesta√ß√Ķes do Esp√≠rito Santo encontradas no livro de Atos dos Ap√≥stolos que confirmam o cumprimento da promessa de Deus anunciada pelo profeta Joel (cf. Jl 2.28-31).

3. CONCLUSÃO DA LIÇÃO

A) Aplicação: Converse com seus alunos sobre a experiência do Batismo no Espírito Santo. Reforce que o Espírito Santo habita o crente quando este aceita Jesus como Salvador. No entanto, o crente deve buscar o revestimento de poder para realizar a obra de Deus com afinco. Aproveite para ouvir as experiências daqueles que foram batizados no Espírito Santo.

4. SUBS√ćDIO AO PROFESSOR

A) Revista Ensinador Crist√£o: Vale a pena conhecer essa revista que traz reportagens, artigos, entrevistas e subs√≠dios √†s Li√ß√Ķes B√≠blicas. Na edi√ß√£o 88, p. 41, voc√™ encontrar√° um subs√≠dio especial para esta li√ß√£o.

B) Auxílios Especiais: Ao final do tópico, você encontrará um auxílio que dará suporte na preparação de sua aula:

1) O texto "O Propósito do Batismo no Espírito Santo", ao final do primeiro tópico, ressalta que o Batismo no Espírito Santo é a porta de entrada para vários dons do Espírito;

2) O texto "Línguas como evidência do Batismo no Espírito Santo", localizado no final do terceiro tópico, aprofunda a questão das línguas como evidência física e inicial do Batismo no Espírito Santo.

COMENT√ĀRIO

INTRODUÇÃO

Lucas-Atos são dois volumes de autoria do médico amado (Cl 4.14). Os relatos são escritos a partir de premissas históricas e teológicas. Registram que a unção do Espírito que repousava em Jesus, também foi concedida à Igreja (At 2.33). Desde o Pentecostes, o derramar do Espírito Santo permanece como modelo para a Igreja de Cristo.

PALAVRA-CHAVE

Espírito

I – O EVANGELHO DE LUCAS: O ESP√ćRITO SANTO NO MINIST√ČRIO DE CRISTO

1. O Espírito Santo no Evangelho.

Lucas registra os fatos acerca da vida e obra de Cristo (Lc 1.1-3). 

O evangelista enfatiza o papel do Espírito no advento do Messias. A ação do Espírito é percebida na vida do precursor de Cristo, João Batista (Lc 1.13,15); na vida de Isabel e Zacarias Рseus pais (Lc 1.13,67); na concepção virginal de Maria (Lc 1.35); e na vida de Simeão ao conhecer o Messias antes de morrer (Lc 2.25-32). O Evangelho ainda ressalta o poder de Cristo em batizar no Espírito Santo e com fogo (Lc 3.16).

 

2. O Espírito Santo e o batismo de Cristo.

Ao descrever o batismo de Jesus no Jord√£o, Lucas informa que estando o Senhor orando, o c√©u se abriu (Lc 3.21), o Esp√≠rito Santo desceu sobre Ele em forma de pomba (Lc 3.22a); e uma voz do c√©u dizia: “Tu √©s o meu Filho amado” (Lc 3.22). O evento da descida do Esp√≠rito e a voz que o identificava como Filho de Deus tinham como prop√≥sito marcar o in√≠cio do minist√©rio p√ļblico de Jesus (Lc 4.1,14,18). Tamb√©m serviram como sinal para Jo√£o Batista confirmar que Jesus era o Cristo (Jo 1.32,33).

 

3. O Espírito Santo e a tentação de Cristo.

Após o batismo nas águas, e cheio do Espírito Santo (Lc 4.1a), Jesus foi impelido pelo Espírito ao deserto, e lá foi tentado pelo Diabo durante quarenta dias (Lc 4.1b; 4.2a). Nesse período, manteve a comunhão com o Pai, e se fortaleceu por meio da oração e do jejum (Lc 4.2b). A vitória do Senhor sobre a tentação demonstra que Ele estava capacitado para cumprir o seu ministério. Cristo venceu o Diabo pelo poder do Espírito e da Palavra de Deus (Lc 4.4,8,12,13).

 

4. O Espírito Santo e a missão de Cristo.

Vencida a tenta√ß√£o no deserto, Jesus voltou √† Galileia, conduzido pelo Esp√≠rito (Lc 4.14). Ap√≥s ministrar em alguns lugares, dirigiu-se para Nazar√© (Lc 4.15,16). Na sinagoga, ao abrir o rolo de Isa√≠as, leu a passagem que dizia: “O Esp√≠rito do Senhor √© sobre mim” (Lc 4.18; cf. Is 61.1,2). Ao terminar a leitura, o Senhor afirmou: “hoje se cumpriu esta Escritura” (Lc 4.21). Aqui, o Senhor declara que a un√ß√£o do Esp√≠rito qualifica seu minist√©rio para evangelizar, curar, libertar e restaurar os pecadores (Lc 4.18,19).


SIN√ďPSE I

A unção do Espírito Santo esteve presente na vida e ministério do Senhor Jesus, capacitando-o a cumprir a missão para a qual Deus Pai o havia enviado.

AUX√ćLIO TEOL√ďGICO

“O Prop√≥sito do Batismo no Esp√≠rito Santo

Em adi√ß√£o ao poder para servir, atrav√©s do qual o indiv√≠duo se torna canal de testemunho para o mundo, o batismo no Esp√≠rito transforma-se na entrada para um tipo de adora√ß√£o que aben√ßoa os santos reunidos de Deus. O batismo √© a porta de entrada dos v√°rios minist√©rios espirituais, chamados dons do Esp√≠rito. Visto que tais dons visam a edifica√ß√£o da igreja local [...]. Os que se converteram foram batizados em √°guas e no Esp√≠rito Santo, no dia de Pentecostes. Mostraram novas evid√™ncias da obra do Esp√≠rito em suas vidas, conforme Atos 2.42, 46, 47: ‘E perseveravam na doutrina dos ap√≥stolos, e na comunh√£o, e no partir do p√£o e nas ora√ß√Ķes. E, perseverando un√Ęnimes todos os dias no templo e partindo o p√£o em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de cora√ß√£o, louvando a Deus e caindo na gra√ßa de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor aqueles que se haviam de salvar’. Temos aqui a descri√ß√£o de uma obra cont√≠nua do Esp√≠rito, que aprofundou a experi√™ncia dos crentes e seu amor a Deus e √† sua Palavra, uns pelos outros e pelos perdidos. [...] Assim tamb√©m o batismo no Esp√≠rito Santo √© apenas uma porta para uma rela√ß√£o crescente entre Ele mesmo e os crentes. Essa rela√ß√£o leva a uma vida de servi√ßo, onde os dons do Esp√≠rito proveem poder e sabedoria para divulga√ß√£o do evangelho e o crescimento da Igreja, como evidenciado pela sua r√°pida propaga√ß√£o em muitas √°reas do mundo atual” (HORTON, Stanley M; MENZIES, Willian W. Doutrinas B√≠blicas: Os Fundamentos da F√© Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, pp.105,106).


II – ATOS DOS AP√ďSTOLOS: O ESP√ćRITO SANTO NO MINIST√ČRIO DA IGREJA

1. O Espírito Santo em Atos.

Ao concluir o Evangelho, Lucas anota que Jesus instruiu os disc√≠pulos a esperarem o revestimento de poder do alto (Lc 24.49). Ap√≥s o Senhor ter sido elevado aos c√©us, o livro de Atos d√° prosseguimento a essa narrativa (At 1.1-4). 

O autor ratifica que o derramamento do Esp√≠rito era a capacita√ß√£o necess√°ria para a evangeliza√ß√£o dos povos (At 1.8). Relata que cerca de 120 disc√≠pulos voltaram a Jerusal√©m e, em ora√ß√£o, aguardaram o revestimento  de poder (At 1.12-15). Portanto, Atos registra a a√ß√£o do Esp√≠rito na inaugura√ß√£o hist√≥rica da Igreja como ag√™ncia de Cristo. Trata-se da continua√ß√£o da obra de Jesus por meio dos disc√≠pulos capacitados pelo Esp√≠rito Santo (At 2.38).

2. A promessa cumprida no Pentecostes.

O batismo no Esp√≠rito Santo remonta a profecia de Joel (Jl 2.28). Cristo a ratificou como sendo “a promessa do Pai” (At 1.4). O cumprimento se deu no dia de Pentecostes (At 2.1). Os disc√≠pulos foram cheios do Esp√≠rito Santo e falaram em outras l√≠nguas (At 2.4). Sinais sobrenaturais marcaram o advento do Esp√≠rito Santo: o “som como de um vento” (At 2.2); as “l√≠nguas como que de fogo” (At 2.3). Desses fen√īmenos, somente o falar em l√≠nguas se repetiria nos demais registros de Atos. Desse modo, a partir do Pentecostes, os disc√≠pulos come√ßaram a pregar pelo poder do Esp√≠rito. Muitas maravilhas e sinais eram operados, e as almas eram alcan√ßadas (At 2.43,47).

 

3. A expans√£o da Igreja Primitiva.

O poder do Espírito capacitou os crentes para o serviço cristão. Já no primeiro sermão, Pedro anunciou Cristo com intrepidez, e quase 3.000 almas se converteram (At 2.36,38,41). Após a cura do coxo à porta do Templo, e a ministração da Palavra, quase 5.000 se renderam ao Senhor (At 3.8,19; 4.4). Felipe, na virtude do Espírito, pregou em Samaria, e vidas foram salvas (At 8.5-13). Cornélio e sua casa receberam o Evangelho pelo mover do Espírito (At 10.24-29). Paulo, cheio do Espírito, alvoroçou o mundo, e milhares de almas foram salvas e curadas pela pregação do Evangelho (At 9.15,17; 17.6; 19.10; 24.5). Esses relatos demonstram a ação do Espírito Santo na propagação do Reino de Deus.

 

SIN√ďPSE II

A manifestação do Espírito Santo em Atos dos Apóstolos revela a inauguração da história da Igreja como agência de Cristo.

 

III – UM MODELO PENTECOSTAL PARA A IGREJA DE NOSSOS DIAS

1. O revestimento de poder do alto.

Pedro ensina que essa promessa está em vigor para todos os salvos, em todas as épocas (At 2.38,39). A experiência pode ocorrer junto ou após à regeneração (At 8.15-17; 10.44-46). Ressalta-se que, no Pentecostes, os discípulos já tinham o Espírito Santo (Jo 20.22). Todo salvo em Jesus recebe o Espírito Santo na conversão (Gl 3.2). Porém, o batismo no Espírito Santo é algo distinto do Novo Nascimento; significa o recebimento de poder espiritual para realizar a obra da expansão do Evangelho (At 1.8), para uma vida cristã vitoriosa (At 6.8-10) e adoração mais profunda (1 Co 14.26). Em vista disso, a exemplo dos primeiros cristãos, a igreja hodierna deve buscar o revestimento de poder (Lc 11.13).

 

2. As línguas como evidência inicial.

A palavra “glossolalia”, de origem grega, indica que as “l√≠nguas” concedidas pelo Esp√≠rito podem ser humanas ou celestiais (1 Co 13.1). No Pentecostes, os disc√≠pulos falaram “l√≠nguas” (At 2.4). Em Cesareia, o centuri√£o e a fam√≠lia falaram “l√≠nguas” (At 10.46). Os irm√£os em √Čfeso falaram “l√≠nguas” (At 19.6). Em Samaria, e na vida de Paulo, as “l√≠nguas” est√£o impl√≠citas (At 8.17,18; 9.17). Assim sendo, o “falar em l√≠nguas” √© a evid√™ncia inicial do Batismo no Esp√≠rito Santo. As l√≠nguas s√≥ cessar√£o quando Cristo voltar (1 Co 13.8-10). Por isso, a instru√ß√£o b√≠blica diz: “procurai, com zelo, profetizar e n√£o proibais falar l√≠nguas” (1 Co 14.39).

 

3. A plenitude do Espírito Santo.

A experi√™ncia pentecostal n√£o ficou restrita ao tempo dos Ap√≥stolos (At 2.39). A express√£o “do meu Esp√≠rito derramarei” (At 2.17) aponta para o in√≠cio da dispensa√ß√£o do Esp√≠rito, e mostra que a efus√£o ser√° cont√≠nua at√© “o grande e glorioso dia do Senhor” (At 2.20). A plenitude abrange o “fruto do Esp√≠rito” (Gl 5.22) e as manifesta√ß√Ķes espirituais, tais como: as profecias, sonhos, vis√Ķes, prod√≠gios e sinais (At 2.17,19). Assim, o Esp√≠rito permanece em a√ß√£o na vida da Igreja. Ele √© que capacita e conduz o povo de Deus (Jo 16.13,14). Em raz√£o disso, a B√≠blia ensina “Enchei-vos do Esp√≠rito” (Ef 5.18).

 

SIN√ďPSE III

O A experiência pentecostal permanece atual na igreja, mostrando-se evidente na manifestação dos dons espirituais.

 

AUX√ćLIO TEOL√ďGICO

[Línguas como evidência do Batismo no Espírito Santo]

“Dos quatro casos no livro de Atos em que Lucas descreve a vinda inicial do Esp√≠rito, tr√™s citam explicitamente a glossolalia como resultado imediato (At 2.4; 10.46; 19.6) e outro (8.14-19) a deixa impl√≠cita. [...] Lucas considerava as l√≠nguas como sinal do recebimento do dom pentecostal. Lucas apresenta as l√≠nguas como evid√™ncia da vinda do Esp√≠rito. No dia de Pentecostes, Pedro declara que as l√≠nguas dos disc√≠pulos serviram de sinal. As l√≠nguas estabeleceram o fato de que eles, os disc√≠pulos de Jesus, eram profetas do fim dos tempos, sobre os quais Joel profetizou. As l√≠nguas tamb√©m marcaram a chegada dos √ļltimos dias (At 2.17-21) e serviram para estabelecer o fato de que Jesus ressuscitara e √© o Senhor (At 2.33-36). Em Atos 10.44-48, ‘falar em l√≠nguas’ √© mais uma vez ‘retratado como evid√™ncia positiva e suficiente para convencer os companheiros de Pedro’ de que o Esp√≠rito fora derramado sobre os gentios. Em Atos 19.6, l√≠nguas e profecia s√£o citadas como resultados imediatos da vinda do Esp√≠rito, a evid√™ncia incontest√°vel da resposta afirmativa √† pergunta de Paulo feita no in√≠cio da narrativa: ‘Recebestes v√≥s j√° o Esp√≠rito Santo quando crestes?’

 

√Č interessante observar que Lucas n√£o toma parte na ang√ļstia de muitos crist√£os hoje em dia sobre a possibilidade de falsas l√≠nguas. Lucas n√£o oferece orienta√ß√Ķes para discernir se as l√≠nguas s√£o verdadeiras ou falsas, de Deus ou de outra fonte. Pelo contr√°rio, Lucas presume que a comunidade crist√£ conhecer√° e experimentar√° o que for necess√°rio e bom” (MENZIES, Robert P. Pentecostes: Essa Hist√≥ria √© a Nossa Hist√≥ria. Rio de Janeiro: CPAD, 2017, pp.74-75).   

 

CONCLUSÃO

Lucas descreve a capacitação do Espírito Santo no ministério de Jesus, e no ministério da Igreja. Esse revestimento de poder na vida do crente não é apresentado como dom para salvação, mas como a unção dos salvos para o testemunho e o serviço cristão. Esse é o padrão bíblico adotado pelo pentecostal submisso ao ensino das Escrituras Sagradas.

 

VOCABUL√ĀRIO

- Advento: aparecimento, chegada. Aquilo que começa ou se institui.

- Intrepidez: qualidade de intrépido; arrojo, bravura, coragem, intrepideza. Que ou aquele que não receia o perigo, que não tem medo; arrojado, corajoso.

- Hodierna: que existe ou ocorre atualmente; atual, moderno, dos dias de hoje.

- Efusão: manifestação expansiva de sentimentos amistosos, de afeto, de alegria (sentido figurado).

 

REVISANDO O CONTE√öDO

1. O que Lucas enfatiza em seu Evangelho a respeito do Espírito Santo?

Lucas registra os fatos acerca da vida e obra de Cristo (Lc 1.1-3). O evangelista enfatiza o papel do Espírito no advento do Messias.

2. O que a vitória do Senhor sobre a tentação demonstra?

A vitória do Senhor sobre a tentação demonstra que Ele estava capacitado para cumprir o seu ministério.

3. O que o livro de Atos dos Apóstolos registra?

Atos registra a ação do Espírito na inauguração histórica da igreja como agência de Cristo.

4. O que Pedro ensina a respeito do revestimento do alto?

Pedro ensina que essa promessa está em vigor para todos os salvos em todas as épocas (At 2.38, 39).

5. O que aponta a express√£o “do meu Esp√≠rito derramarei” (At 2.17)?

A express√£o “do meu Esp√≠rito derramarei” (At 2.17) aponta para o in√≠cio da dispensa√ß√£o do Esp√≠rito, e mostra que a efus√£o ser√° cont√≠nua at√© “o grande e glorioso dia do Senhor” (At 2.20).

VEJA TAMB√ČM:

ūüí° Li√ß√Ķes B√≠blicas – Aqui

ūüí° Estudos B√≠blicos – Aqui

ūüí° Artigos para Professores EBD – Aqui

ūüí° Not√≠cias do Brasil e do Mundo – Aqui

ūüďö Veja nossos E-books - Aqui

Auxílios para a Escola Dominical
Receba Li√ß√Ķes, Artigos e Subs√≠dios! √Č Gr√°tis. Digite seu E-mail e em seguida abra o seu e-mail e clique em nosso link de confirma√ß√£o:

DICAS DE CURSOS B√ćBLICOS








ANCESTRAIS DO PENTECOSTALISMO NORTE-AMERICANO

A teologia pentecostal n√£o surgiu do nada. Suas ra√≠zes v√™m de pelo menos tr√™s movimentos, segundo Vinson Synan: o movimento de Edward Irving, a Igreja Apost√≥lica Cat√≥lica; o Movimento de Santidade, metodista, de John Wesley; e o Movimento Vida Superior, de Keswick. 

O que aconteceu com os dons espirituais?

O cessacionismo √© um pensamento segundo o qual os milagres e demais dons do Esp√≠rito Santo, como falar em l√≠nguas, profecias, curas divinas, cessaram com a morte do √ļltimo ap√≥stolo do Novo Testamento.