Escola Dominical, Classe: Adolescentes – 3° trimestre de 2023 – CPAD

Título: Grandes Cartas para Nós

Revista: do Professor

Comentarista: Rafael Luz

LEITURA BÍBLICA

Tiago 1.17-22; 2.1-8

MENSAGEM

Não se enganem; não sejam apenas ouvintes dessa mensagem, mas a ponham em prática. Tiago 1.22

DEVOCIONAL

Segunda »Pv 18.13

Terça » Pv 29.20

Quarta » Sl 141.3

Quinta » At 10.34

Sexta »1 Sm 16.7

Sábado » Gl 3.26-29

 

OBJETIVOS:

MOSTRAR uma visão panorâmica da Carta;

APONTAR a necessidade de ouvir atentamente as pessoas;

REFLETIR sobre a importância de não desprezar os irmãos em Cristo.

Ei Professor!

Querido (a) professor(a), a autora Flavianne Vaz, em seu livro Liderando Adolescentes", publicado pela CPAD, revela-nos uma dificuldade da adolescência para a qual precisamos nos preparar: a inexperiência da comunicação olho-no-olho. Segundo ela, ‘‘infelizmente, essa geração tem crescido de maneira solitária (entregue à Internet), sem receber a atenção devida, seja porque os pais são ausentes ou porque mesmo presentes, têm seu tempo consumido pelo trabalho. De modo que muitos adolescentes são especialistas em contatos virtuais e inexperientes no contato pessoal direto".

 

Invista em uma comunicação direta e acolhedora com seus alunos, pois eles precisam de você!

 

Vamos Descobrir

A Carta de Tiago é considerada a mais prática de todas as epístolas do Novo Testamento e, por isso, tem sido corretamente chamada de "guia prático para a vida e a conduta cristãs” por alguns estudiosos. Nela, o irmão de Jesus defende que não basta para o cristão crer numa doutrina correta, mas que é preciso desenvolver uma prática coerente com a fé em Cristo. Nesta lição, aprenderemos algumas boas práticas e hábitos saudáveis para nossa vida.

 

Hora de Aprender


I-ABRINDO A CARTA DE TIAGO

1. Você sabe quem escreveu essa Carta?

O escritor da Carta se identifica como “Tiago” (Tg 1.1). No Novo Testamento temos pelo menos cinco personagens com esse nome:

(1) Tiago, o filho de Zebedeu (Mt 10.2);

(2) Tiago, o filho de Alfeu (Mt 10.3);

(3) Tiago, o menor (Mc 15.40);

(4) Tiago, pai de Judas (At 1.13); e

(5) Tiago, meio irmão do Senhor (Mt 13.55, Mc 6.3).

 

Os estudiosos concordam que o autor da Carta seja o irmão de Jesus, àquele que era incrédulo (Jo 7.5). Porém, em algum momento entre o ministério, a morte e a ressurreição do Senhor, Tiago tornou-se um discípulo aplicado e testemunha ocular da ressurreição de Cristo (1 Co 15.7). Ele se tornou um apóstolo e foi um influente líder na igreja em Jerusalém (At 12.17; Gl 2.9), tendo inclusive uma participação decisiva no Concilio (At 15.6,13). Apesar de fazer parte da família terrena de Jesus, Tiago escolheu o caminho da humildade e do serviço. Ele se se apresenta aos seus destinatários como “servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo”. Seu exemplo deve ser seguido por todos os discípulos de Jesus espalhados entre as nações.

 

2 .Para quem a Carta foi escrita?

O texto tem como público-alvo "todo o povo de Deus espalhado pelo mundo inteiro” (Tg 1.1); esses eram, provavelmente, judeus cristãos que haviam sido dispersos por causa da perseguição ocorrida em Jerusalém (At 8.1). Entretanto, isso não exclui a possibilidade de gentios convertidos a Jesus Cristo serem considerados e edificados pelo conteúdo dessa Carta.

 

O conteúdo da Carta aponta para o fato de que os destinatários estavam passando por diversas provações (Tg 1.2-7); e, aparentemente, eram, em sua maioria pobres, a julgar pelas denúncias de discriminação contra os necessitados.

 

3. Afinal de contas, por que a Carta foi escrita?

Tiago escreve essa Carta possivelmente depois de se tornar líder da igreja de Jerusalém, entre 44 d.C. e 62 d.C., quando faleceu. É muito provável que ela tenha sido o primeiro escrito do Novo Testamento a ser produzido. Sua finalidade é confortar, fortalecer e orientar seus leitores nas diversas áreas da vida que careciam de cuidado pastoral.

 

I – AUXÍLIO DEVOCIONAL

Vejamos uma explicação sobre a forma como o autor da Carta senta em Tiago 1.1: “A palavra grega doulos (escravo, servo) refere-se a uma posição de obediência completa, total humildade, e lealdade inabalável. Muitos dos primeiros seguidores de Cristo eram, na verdade, escravos. Mas, entre os cristãos, a ideia de ser um servo de Cristo não se tornava uma posição de humilhação, mas um lugar de honra. Não pode haver maior dádiva para um crente do que ser conhecido como um servo obediente, humilde e leal de Deus. Os três nomes, Senhor Jesus Cristo, referem-se ao caráter exclusivo de Jesus. Ele é o Senhor celestial exaltado, que um dia retornará em glória a este mundo. Ele é Jesus, Deus vindo à terra como um ser humano. Ele é Cristo, o Ungido que cumpriu os objetivos de Deus ao morrer por nós" (Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal Volume 2. Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p. 661).

 

II - OUÇA MAIS E FALE MENOS, POR FAVOR

Por que será que a maioria de nós é tão apressada em dar opiniões e resistente em receber conselhos? Será que perdemos o interesse pelo ouvir? Ou estamos sendo treinados apenas na arte do falar? Uma boa comunicação depende, necessariamente, da maneira como administramos o que ouvimos e o que falamos. Relacionamentos saudáveis e duradouros dependem dessa interação, razão pela qual os conselhos do irmão Tiago são indispensáveis a todos nós.

 

Vejamos o quanto a mensagem do apóstolo tem a nos ensinar em apenas um versículo: “Lembrem disto, meus queridos irmãos: cada um esteja pronto para ouvir, mas demore para falar e ficar com raiva” (Tg 1.19).

 

1. Esteja pronto para ouvir

A palavra "pronto”, do grego “tachys" traz a ideia de “rápido, veloz, ligeiro". Logo, Tiago está dizendo que devemos ser rápidos para prestar atenção ao que está sendo dito. Ou seja, precisamos aprender a ouvir atentamente a Deus e ao nosso próximo, a fim de não cometermos injustiças. O fato de termos dois ouvidos e uma boca são pedagógicos, pois é um sinal de que devemos ouvir o dobro do que falamos.

 

A Bíblia diz que devemos ouvir as instruções dos nossos pais (Pv 1.8; 4.1; 23.22). Você tem feito isso? Os pais e/ou os responsáveis são pessoas a quem devemos respeito. Deus colocou sobre eles autoridade para cuidarem e instruírem seus filhos. Por isso, todo adolescente deve ouvir e obedecer a seus pais (Ef 6.2). Às vezes você pode ser tentado a esconder alguma verdade da sua família, mas não faça isso. A sua família precisa saber sobre as dificuldades e os desafios que você enfrenta para poder orientar e proteger você.

 

2. Demore para falar

Essa expressão vem do grego “bradys", cujo significado é “lento". Tiago está nos dizendo que não devemos ser precipitados nas palavras; refletir antes de falar é a lição a ser aprendida. Afinal de contas, quando falamos antes de pensar, de ouvir ou de orar, normalmente, nos arrependemos e, na maioria das vezes, as consequências são desagradáveis. Como servos de Deus somos chamados a usar nossa fala buscando a edificação do nosso próximo (Ef 4.29), sem nos esquecer que aquele que "toma cuidado com o que diz está protegendo a sua própria vida, mas que fala demais destrói a si mesmo’’ (Pv 13.3).

Vivemos em uma sociedade onde todos tem pressa de emitir uma opinião ou posicionamento. Mas falar sem pensar pode nos conduzir a uma postura injusta com nossos amigos e com a nossa família. Nossas palavras, quando mal escolhidas, podem machucar outras pessoas. E nós temos a responsabilidade diante de Deus por tudo o que dizemos e pela forma como falamos. Por isso, precisamos dar atenção ao conselho do apóstolo para aprender a pensar um pouco mais antes de falar (Pv 18.13). Além disso, sempre que precisarmos nos expressar devemos procurar por uma abordagem respeitosa.

 

3. Demore para ficar com raiva

A palavra “raiva” vem do grego “orgê" e significa “ira, indignação, raiva exibida em punição”. O interesse do irmão de Jesus é nos ensinar que não devemos hospedar a ira em nossos corações, pois, normalmente, ela é desgovernada, pecaminosa e destruidora. A ira é obra da carne (Gl 5.19-21) e pode provocar reações terríveis àqueles que por ela são dominados. Não é por acaso que ele diz que “a raiva humana não produz o que Deus aprova” (Tg 1.20).

 

II – AUXÍLIO DEVOCIONAL

"A expressão 'seja pronto para ouvir’ é uma bela maneira de traduzir a ideia de uma audição ativa. Não devemos simplesmente deixar de falar; devemos estar prontos e dispostos para ouvir. Este ouvir com 'prontidão1 obviamente é feito com discernimento. Devemos examinar o que ouvimos com a Palavra de Deus. Se não ouvirmos, tanto atentamente quanto prontamente, podemos ser levados a todos os tipos de falsos ensinos e enganos.

 

Ser pronto para ouvir e tardio para falar podem ser interpretados em conjunto, como dois lados da mesma moeda. A lentidão em falar significa falar com humildade e paciência, não com palavras ásperas nem tagarelando sem parar. O falar constante impede que a pessoa seja capaz de ouvir. A sabedoria nem sempre é ter algo a dizer; ela envolve o ouvir cuidadosamente, e refletir piedosamente, e o falar mansamente. Quando falamos demais e ouvimos pouco, mostramos aos outros que pensamos que as nossas ideias são muito mais importantes do que as deles. Tiago nos adverte sabiamente para revertermos este processo.” (Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal. Volume 2. Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p. 667).

 

III - JAMAIS DESPREZE ALGUÉM

O texto de Tiago 2.1-13 é uma das declarações mais contundentes sobre o combate à discriminação social na Bíblia. Nele, o pastor de Jerusalém é categórico ao dizer que quem crê em Jesus Cristo não pode tratar as pessoas de modo diferente por causa da aparência física ou da condição financeira (Tg 2.1,9).

 

A fim de revelar tamanha incoerência e gravidade, Tiago dá vida ao seu argumento utilizando como exemplo uma visita de dois homens à reunião da congregação: um rico (com anéis de ouro e bem-vestido) e um pobre (vestindo roupas velhas), os quais, ao serem abordados, são tratados de maneira diferente. O homem rico é favorecido e recebe um tratamento honroso e o pobre é desprezado (Tg 2.1-4). Tal prática não é aceitável entre os cristãos. De acordo com o autor, quem pratica a acepção de pessoas não vive de fato uma vida de piedade, mas uma farsa religiosa (Tg 2.8,9).

 

Desprezar e discriminar alguém por sua cor, nacionalidade, condição econômica, estado de saúde ou idade é errado. Isso é pecado. Agir com favoritismo ou acepção de pessoas são atitudes incompatíveis com a fé em Cristo. O Mestre nunca julgou pessoas por causa da cor de pele, posição social ou aparência física (Mt 22.16). Pelo contrário, Ele nos ensinou que devemos tratar os outros como gostaríamos de ser tratados (Mt 7.12) e amá-los como a nós mesmos (Mt 22.39; Tg 2.8).

 

III – AUXÍLIO TEOLÓGICO

“O mundo, na época de Tiago, era caracterizado por profundas divisões sociais que eram aceitas normalmente pela maioria esmagadora da sociedade. Naquela época, agir com humildade era manifestação de fraqueza, não de virtude; e fazer distinção de pessoas por aparência ou por condições físicas ou socioeconômicas era visto como algo absolutamente natural. Logo, a mensagem cristã, ao ser proclamada, teria um impacto enorme na sociedade de então, porque ela batia fortemente de frente com toda essa cultura, ao pregar a humildade, o perdão, a misericórdia, a igualdade entre os seres humanos etc.

 

O Cristianismo nivela todas as pessoas, e o faz inicialmente com a afirmação de que ‘todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus' (Rm 3.23). Além disso, ele também ordena que amemos o nosso próximo incondicionalmente, independentemente de sua condição social, econômica, física etc (Lv 19.18; Mt 22.39). Aliás, se hoje há menos discriminação do que houve no passado, isso se deve à influência do Cristianismo na história.” (DANIEL, Silas & COELHO, Alexandre. Fé e Obras: ensinos de Tiago para uma vida cristã autêntica. Rio de Janeiro: CPAD, 2014, p. 72).

 

CONCLUSÃO

Como cristãos devemos aprender a ouvir atentamente e falar respeitosamente com os nossos semelhantes; é nosso papel amá-los como a nós mesmos. Nosso comportamento precisa confirmar nossa fé em Cristo. A forma como falamos e como tratamos o próximo deve reafirmar o nosso testemunho.

 

Pense Nisso

Aprender a ouvir e a falar respeitosamente é um exercício que todos os cristãos devem praticar, pois somente assim seremos capazes de usar nossas palavras com sabedoria para edificar as pessoas. Pense: você precisa melhorar seu jeito de falar? Se sim, como você pode fazer isso?


LOJA ONLINE: 📚 E-books e Apostilas

👍Bem-vindo (a) à nossa página de vendas de E-books e Apostilas Evangélicos, apresentando uma seleção exclusiva tanto de materiais produzidos por nós, "SUBSÍDIOS DOMINICAL", quanto de nossos parceiros!

🔍Aqui, você encontrará uma biblioteca diversificada e enriquecedora para nutrir sua fé e aprofundar seus conhecimentos bíblicos.

Informações Aqui
***

Informações Aqui
***

Informações Aqui
***

Informações Aqui
***

Informações Aqui

***

Informações Aqui

***

Informações Aqui

***

Informações Aqui

***

Informações Aqui

***

Informações Aqui
***

Informações Aqui
***
***
***

Informações Aqui


Informações Aqui

***

Informações Aqui
***