Featured

 


FECHAR<===


O movimento religioso que nos deu a Escola Dominical como a temos hoje, começou em 20-7-1780, na cidade de Gloucester, no sul da Inglaterra.
APROFUNDE SEU CONHECIMENTO
1) A organização e administração da Escola Dominical - Aqui
2) O superintendente da Escola DominicalAqui
3) A História da Escola DominicalAqui

1. O Fundador
O fundador foi o jornalista evangélico (episcopal) Robert Raikes, de 44 anos, redator do Gloucester Journal. Raikes foi inspirado a fundar a Escola Dominical ao sentir compaixão pelas crianças de sua cidade, perambulando pelas ruas, entregues à delinquência, pilhagem, ociosidade e ao vício, sem qualquer orientação espiritual. Ele, que já há quinze anos trabalhava entre os detentos das prisões da cidade, pensou no futuro daquelas crianças e decidiu fazer algo em seu favor, a fim de que mais tarde elas também não fossem para a cadeia. Procurava as crianças em plena rua e em casa dos pais e as conduzia ao local da reunião, fazendo-lhes apelos para que todos os domingos estivessem ali reunidas. O início do trabalho não foi fácil.


Nessa fase experimental (1780-1783), Raikes fundou 7 Escolas Dominicais somente em Gloucester, tendo cada uma 30 alunos em média. Os abençoados frutos do trabalho logo surgiram entre as crianças, refletindo isso profundamente nos próprios pais. Estava dando certo a experiência com a Palavra de Deus! O que pode fazer a fé em Deus e o amor a Ele e ao próximo!

Foi no dia 3 de novembro de 1783 em que Raikes triunfalmente publicou em seu jornal a transformação ocorrida na vida de suas crianças. Até hoje, 3-11-1783 é considerado como o dia natalício da Escola Dominical.

2. O Ensinamento.
De acordo com as diretrizes de Raikes, nas reuniões dominicais, além do ensino das Escrituras, eram também ministradas as crianças rudimentos de linguagem, aritmética e instrução moral e cívica. O ensino das Escrituras consistia quase sempre de leitura e recitação. Em seguida, teve inicio a pratica de comentar os versículos lidos. Muito depois e que surgiu a revista da Escola Dominical, com lições seguidas e apropriadas.

3. A oposição.
As igrejas da época encararam o surgimento da Escola Dominical como uma inovação e coisa desnecessária. Os mais zelosos acusavam Raikes de “profanador do domingo” (Anders). Diziam os seus oponentes que reuniões de crianças mal comportadas, no templo, era uma profanação. Raikes não tomava conhecimento disso e a obra tomava vulto. O jornal do qual ele era redator foi uma coluna forte na defesa e apoio da nova instituição, publicando extensa série de artigos sob o título A Escola Dominical, reproduzidos nos jornais londrinos.

Os benditos e abundantes resultados causaram tal impacto no modo de vida da sociedade, que um ano após (1784), Raikes era o homem mais popular da Inglaterra. No ano seguinte (1785) ele organizou a primeira União de Escolas Dominicais, em Gloucester.

Agora, as igrejas passaram a dar apoio ao trabalho de Raikes. A Escola Dominical passou das casas particulares para os templos, os quais passaram a encher-se de crianças.

4. A Escola Dominical no Brasil.
A Escola Dominical teve seu início entre nós em 19 de agosto de 1855 na cidade de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro.

O fundador foi o missionário Robert Kalley e sua esposa, Sarah Poulton Kalley, da Igreja Congregacional. Eram escoceses. Ele fora um médico ateu. Depois foi salvo sob circunstâncias especiais e, chamado por Deus, entregou-se à obra missionária.

Na primeira reunião da Escola Dominical no Brasil, que teve lugar em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, na data acima, a frequência foi de cinco crianças... Essa mesma Escola Dominical deu origem à Igreja Congregacional no Brasil. Desde então, o crescimento da Escola Dominical no Brasil tem sido maravilhoso.

Hoje, no Brasil, a Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD) é a principal propagadora e criadora dos melhores materiais para a Escola Bíblica Dominical, publica lições bíblicas para todas as idades.

 
Fonte: Manual da Escola Dominical – Pr. Antonio Gilberto | Adaptação Subsídios EBD

 
Top