FECHAR <-----

  • Postagens com o marcador "Pecado":
  • Lição 11: O Homem do Pecado

    Lições Bíblicas do 1° trimestre de 2020 - CPAD | Classe: Adultos 

    Texto Áureo
    E, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda." (2 Ts 2.8)
    Verdade Prática
    O Homem do Pecado, a encarnação máxima da maldade, será destruído por Jesus Cristo - o Homem Perfeito.
    Leitura diária
    Segunda - Ez 28.1-15: O chefe do Anticristo
    Terça - 2 Ts 2.1-12: A natureza do Anticristo
    Quarta - Ap 13.1-10: A ascensão do Anticristo
    Quinta - 2 Ts 2.4: O auge do Anticristo
    Sexta - Dn 9.27: O Anticristo e Israel
    Sábado - Ap 19.20: A destruição do Anticristo

    LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
    2 Tessalonicenses 2.1-15
    1- Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e pela nossa reunião com ele,
    2- que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espirito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o Dia de Cristo estivesse já perto.
    3- Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,
    4- o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus.
    5- Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?
    6- E, agora, vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado.
    7- Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que, agora, resiste até que do meio seja tirado;
    8- e, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;
    9- a esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais, e prodígios de mentira,
    10- e com todo engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem.
    11- E, por isso, Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira,
    12- para que sejam julgados todos os que não creram a verdade; antes, tiveram prazer na iniquidade.
    13- Mas devemos sempre dar graças a Deus, por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espirito e fé da verdade,
    14- para o que, pelo nosso evangelho, vos chamou, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo.
    15 - Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa.

    HINOS SUGERIDOS: 20, 234, 495

    OBJETIVO GERAL
    Esclarecer que o Homem do Pecado é a encarnação máxima da maldade.

    OBJETIVOS ESPECÍFICOS
    Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

    I - Apresentar o homem do pecado;
    II - Revelar a missão do homem do pecado;
    III - Apontar a destruição do homem do pecado.

    • INTERAGINDO COM O PROFESSOR


    A Bíblia fala de um indivíduo que será agente de Satanás para fazer o mal nos últimos dias. Sua identidade, natureza e missão opõem-se frontalmente a identidade, natureza e missão do Filho de Deus, Jesus. É verdade que o Anticristo há de se revelar plenamente num momento histórico de nossa era; entretanto, segundo a Palavra de Deus, também é verdade que seu "espírito "já opera no mundo. Os planos diabólicos do Anticristo já se encontram na Terra. É possível ver lampejos de suas influências no sistema religioso, sociocultural, político e econômico que dominam o mundo. Nossa postura, como cristão, é a de compreender essas coisas e aguardar com fé o arrebatamento da Igreja e a vinda gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

    CENTRAL
    O Homem do Pecado é a encarnação máxima da maldade.

    INTRODUÇÃO
    Nesta lição, trataremos de como nos últimos dias, um homem será usado por Satanás para afrontar a Deus e perseguir Israel - o Anticristo. Conhecido também como o Homem do Pecado, esse personagem maligno aparece, na Bíblia Sagrada, como o representante mais autorizado de Satanás. Não podemos ignorá-lo; temos de conhecer o seu caráter, missão e destino final.

    Que este estudo nos ajude a precaver-nos contra o espírito do Anticristo, que já opera no mundo (1 Jo 4.1-3). Estejamos alertas. Mas não percamos o ânimo, pois o que está conosco, e em nós, é infinitamente mais poderoso. Aleluia!

    I - O HOMEM DO PECADO
    Neste tópico, enfocaremos a origem, os títulos e a natureza do Homem do Pecado.


    1. Origem do Homem do Pecado.
    Caim e Lameque, prefigurando o Anticristo, opuseram-se sistematicamente a Deus (Gn 4.1-10, 23,24). Ambos agiram como o Homem do Pecado, que há de aparecer tão logo a Igreja seja arrebatada (2 Ts 2.6,7). Nesse mesmo grupo, nomearemos o Faraó do Êxodo, o perverso Amã e o sanguinário Herodes (Êx 1.8-16; Et 3.1-6; Mt 2.13).

    Desde os tempos bíblicos, muitos fizeram-se anticristos e dispuseram-se a perseguir a Israel e a Igreja do Cordeiro. Destes, citaremos apenas alguns - Nero, Hitler e Stalin - pois a lista é longa e enojadiça.

    2. Títulos do Homem do Pecado.
    O título principal deste personagem é "Anticristo" (1 Jo 2.18). O apóstolo João, sempre atento aos sinais dos tempos, soube como desmascarar os antecessores do Homem do Pecado; em seus dias, já não eram poucos.

    No Apocalipse, o Homem do Pecado é descrito como a besta que sobe da terra (Ap 13.1). Se retroagirmos a Daniel, constataremos que o Anticristo é apresentado como o príncipe que há de vir (Dn 9.26). 0 Senhor Jesus, por sua vez, mostra-o como aquele que, desprezando o Pai e o Filho, aparece mentindo e enganando os incautos (Jo 5.43).

    3. A natureza do Homem do Pecado. 
    O Homem do Pecado será de tal forma usado por Satanás, que chegará a ser confundido com este (2 Ts 2.9). Ele aparecerá como uma espécie de "ungido" do Diabo. E, na força do Maligno, realizará grandes sinais e prodígios, induzindo a humanidade a recepcioná-lo como se fosse o próprio Deus (2 Ts 2.4). Os que não tomarem parte no arrebatamento da Igreja serão obrigados a prestar-lhe honras e adoração (Ap 13.4). Nele, a possessão satânica será plena.

    SÍNTESE DO TÓPICO I
    O principal título do homem do pecado é "anticristo", ele aparecerá como "ungido" do Diabo.

    SUBSÍDIO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO
    Inicie a aula desta semana desafiando os alunos a identificarem a origem do Anticristo, os títulos que a Bíblia lhe dá e sua natureza. Esse momento é importante para verificar a perspectiva dos alunos quanto a este personagem tão enigmático da Bíblia. Após observar as reações deles quanto a identificação do Anticristo, exponha integralmente este tópico, alertando-os de que não cabe a nós cunhar a identidade do Anticristo em pessoas históricas. Infelizmente, crentes sinceros já cometeram equívocos em identificarem o Anticristo com líderes políticos e religiosos do passado e do presente. Fazer esses tipos de acusações depõe contra a seriedade do assunto bíblico. O Anticristo será um ser histórico, e literal, mas a nós não cabe o anseio de identificá-lo. Afinal de contas, a nossa esperança é não vê-lo, mas ver a Cristo por ocasião do arrebatamento da Igreja.

    II - A MISSÃO DO HOMEM DO PECADO
    A missão do Homem do Pecado será quádrupla: opor-se metodicamente a Deus, a Israel, a Cristo e à Igreja.


    1. Opor-se a Deus.
    Satanás não ignora este fato: jamais logrará derrotar a Deus (Jó 42.2). Por essa razão, volta-se contra todas as obras divinas. Ele tenta impedir, prioritariamente, o Evangelho de Cristo de alcançar os confins do mundo, para que o Reino dos Céus jamais se instale na Terra. Ferozmente, opõe-se a Deus, aos santos anjos, à Igreja, a Israel e aos redimidos do Cordeiro (Dn 10.13-21; 1 Ts 2.18; Ap 12.10,11,13-17).

    Mantenhamo-nos vigilantes. Oremos e Vigiemos. De nosso Deus temos a promessa: "E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém!" (Rm 16.20).

    2. Opor-se a Israel.
    Através de seus anticristos, o Diabo vem reunindo todos os esforços para destruir Israel quer física quer espiritualmente (Êx 1.8-22; Ap 2.14). O que dizer da destruição em massa dos judeus durante a Segunda Guerra Mundial? Nesse período, mais de seis milhões de pessoas foram brutal e covardemente assassinadas.

    Na Grande Tribulação, o Homem do Pecado perseguirá implacavelmente os judeus, para aniquilá-los de uma vez por todas (Ap 12.17). Mas, quando Jesus Cristo retornar em glória, todo o Israel será salvo (Rm 11.26).

    3. Opor-se a Jesus Cristo.
    No que concerne ao Filho de Deus, a missão do Homem do Pecado é dupla: opor-se a Cristo, e colocar-se no lugar de Cristo, como se ele (o Anticristo) fosse o verdadeiro messias e salvador do mundo (Mt 24.5,23,24). Leia com atenção Ap 13.

    No início, tentou matar fisicamente o Filho de Deus (Mt 2.13). Depois, procurou enredá-lo na tentação do deserto (Mt 4.1). E, finalmente, reuniu todos os seus recursos "teológicos" para destruir a genuína cristologia - o estudo da vida e da obra de Cristo (1 Jo 4.2,3).

    O Homem do Pecado nega tanto a humanidade como a divindade de Nosso Senhor. Quanto a nós, professaremos audaciosamente que Jesus Cristo é Verdadeiro Homem e Verdadeiro Deus. Aleluia!

    4. Opor-se à Igreja.
    O Homem do Pecado opõe-se impiedosamente aos discípulos de Jesus Cristo (Jo 15.18,19). Ele sabe como usar o sistema mundano contra a Igreja. Mas, consolemo-nos, pois o que está em nós é mais poderoso que o Maligno (1 Jo 4.4). Não temamos, pois, o que nos pode matar o corpo, mas nada pode fazer quanto à nossa alma (Mt 10.28).

    SÍNTESE DO TÓPICO II
    A missão do homem do pecado passa pela oposição a Deus, a Israel, a Jesus Cristo, à Igreja.

    SUBSÍDIO TEOLÓGICO
    "O apóstolo Paulo tinha de lidar com falsos mestres que diziam que o Dia do Senhor já tinha chegado (2 Ts 2.2 - NVI). Os tessalonicenses tornaram-se inquietos e alarmados porque esses mestres, segundo parece, negavam a volta literal do Senhor e 'nossa reunião com ele’ no arrebatamento (2.1). Obviamente, já não se encorajavam uns aos outros de maneira que Paulo lhe ordenara (1 Ts 4.18; 5.11). Por isso, Paulo explicou que aquele dia não viria 'sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição’ (2 Ts 2.3). Isto é: essa apostasia e a revelação do Anticristo seriam as primeiras coisas a acontecerem no Dia do Senhor. Assim não aconteceria enquanto 'o mistério da injustiça' estivesse refreado (2 Ts 2.7). Posto que tais coisas ainda não era chegado, e ainda podiam eles encorajar-se uns aos outros com a esperança certa de serem arrebatados para encontrar-se com o Senhor nos ares” (HORTON, Stanley (Ed.). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p.636).
     
    Ill - A DESTRUIÇÃO DO HOMEM DO PECADO
    Vejamos, agora, a ascensão, o auge e a ruína do Homem do Pecado. Ao contrário do Reino de Jesus Cristo, o império de Satanás não é eterno, mas temporal e efêmero.

    1. A ascensão de seu império.
    Tão logo a Igreja seja arrebatada. Deus permitirá que Satanás, através de seus dois escolhidos - a Besta e o Falso Profeta -, reine absolutamente por três anos e meio (Ap 13.5). O primeiro será um agente político, e o segundo um delegado religioso.

    2. O auge de seu império.
    O Homem do Pecado, no auge de seu poder, dominará tanto a economia quanto a religiosidade humana, agrupando todas as coisas sob o seu comando (Ap 13.7,8,16-18). O seu governo, a princípio, será aceito por todos sem qualquer contestação (Ap 13.4).

    3. A ruína de seu império.
    Passados os três primeiros anos e meio de seu governo, o Anticristo começará a experimentar a ira do Cordeiro de Deus. Sua ruína ocorrerá no auge de sua administração (1 Ts 5.3). E, depois que todas as pragas se abaterem sobre o seu reino, será ele, juntamente com o Falso Profeta, lançado no lago de fogo, para onde será jogado também, após o Milênio, o arqui-inimigo de Deus - Satanás (Ap 19.20; 20.10).

    SÍNTESE DO TÓPICO III
    O império do anticristo fará com ele domine a economia e a religiosidade humana, mas será destruído pela ira do Cordeiro de Deus.

    SUBSÍDIO TEOLÓGICO
    "Esse número é identificado como 666 [o nome da besta, ou o número do seu nome], número este que tem dado origem a muitos tipos de especulação, mas 'é número de homem [de um ser humano]', de modo que, dalguma maneira, é identificado com o fato de que o Anticristo alega ser Deus mas é realmente mero homem. Por esses meios, ele conseguirá o controle econômico e se tornará ditador do mundo inteiro. Mas não conseguirá impedir a queda do sistema mundial babilônico e o total colapso econômico do mundo (Ap 18.1-24). E depois, no fim da Grande Tribulação, comandará exércitos de muitas nações arregimentados por Satanás, em Armagedom. É então que Jesus o 'desfará pelo assopro de sua boca e o aniquilará pelo esplendor de sua vinda' (2 Ts 2.8). Esse acontecimento é retratado poderosamente em Daniel 2.34,35.44,45 e Apocalipse 19.11-21. Seu destino final será ‘no ardente lago de fogo e de enxofre' (Ap 19.20)" (HORTON, Stanley (Ed.). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p.637).

    CONCLUSÃO
    O Homem do Pecado será o ser humano mais iníquo, mau e blasfemo de todos os tempos. Em termos de maldade, quer essencial, quer formal, será ele superado apenas por Satanás. Aparelhado pelo Diabo, há de se levantar contra a criação e contra o próprio Criador.

    No entanto, ele não irá adiante, pois o Senhor Jesus Cristo o destruirá com o sopro de sua boca (2 Ts 2.8). Ninguém pode resistir ao Cordeiro de Deus, porque Ele é o Leão da Tribo de Judá - o Rei dos reis e Senhor dos Senhores. Glória a Jesus!


    PARA REFLETIR
    A respeito de "O Homem do Pecado", responda:

    • Quem é o Homem do Pecado?
    O Anticristo.

    • Que nomes o Homem do Pecado recebe?
    A besta que sobe da terra (Ap 13.1), o príncipe que há de vir (Dn 9.26) e aquele aparece mentindo e enganando os incautos (Jo 5.43)

    • Por que o Homem do Pecado é chamado de Anticristo?
    Porque o Anticristo opõe-se a Cristo, como se ele (o Anticristo) fosse o verdadeiro messias e salvador do mundo (Mt 24.5,23,24).

    • Qual é a missão do Homem do Pecado?
    Porque o Anticristo opõe-se a Cristo, como se ele (o Anticristo) fosse o verdadeiro messias e salvador do mundo (Mt 24.5,23,24).

    • Qual é o destino final do Homem do Pecado?
    Ser lançado no lago de fogo.

    Lição 7: A Queda do Ser Humano

    Lições Bíblicas do 1° trimestre de 2020 - CPAD | Classe: Adultos 

    Texto Áureo
    "Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram." (Rm 5.12)
    Verdade Prática
    Ao pecar contra Deus, o homem perdeu o completo domínio sobre a criação e tornou-se vulnerável à morte; em Cristo, porém, temos o Reino e a vida eterna.

    Lição 11: As Consequências do Pecado de Davi


    Lições Bíblicas do 4° trimestre de 2019 - CPAD | Classe: Adultos | Data da Aula: 15 de Dezembro de 2019

    Áudio Lição Aqui | Subsídios Bíblicos aqui | Auxílio - Professores Aqui
    TEXTO ÁUREO
    “Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para que te seja por mulher.” (2 Sm 12.10)

    VERDADE PRÁTICA
    O pecado é destruidor. O seu alvo é sempre desviar o homem da comunhão com Deus, levando-o a um estado de depravação espiritual e moral.



    LEITURA DIÁRIA
    Segunda – Rm 6.23
    O pecado gera morte
    Terça – Hc 1.13
    Deus não tolera o pecado
    Quarta – 1 Jo 1.7
    O pecado só pode ser apagado pelo sangue de Jesus
    Quinta – 1Tm 6.10
    O pecado é a transgressão da lei divina
    Sexta – 1 Jo 5.18.19
    O pecado ofende a Deus
    Sábado – Ez 33.12
    Quem peca pagará pelos seus pecados
    LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
    2 Samuel 12.1-15

    1 - E o SENHOR enviou Natã a Davi; e, entrando ele a Davi, disse-lhe: Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre.
    2 - O rico tinha muitíssimas ovelhas e vacas;
    3 - mas o pobre não tinha coisa nenhuma, senão uma pequena cordeira que
    comprara e criara; e ela havia crescido com ele e com seus filhos igualmente; do seu bocado comia, e do seu copo bebia, e dormia em seu regaço, e a tinha como filha.
    4 - E, vindo um viajante ao homem rico, deixou este de tomar das suas ovelhas e das suas vacas para guisar para o viajante que viera a ele; e tomou a cordeira do homem pobre e a preparou para o homem que viera a ele.
    5 - Então, o furor de Davi se acendeu em grande maneira contra aquele homem, e disse a Natã: Vive o SENHOR, que digno de morte é o homem que fez isso.
    6 - E pela cordeira tornará a dar o quadruplicado, porque fez tal coisa e porque não se compadeceu.
    7 - Então, disse Natã a Davi: Tu és este homem. Assim diz o SENHOR, Deus de Israel: Eu te ungi rei sobre Israel e eu te livrei das mãos de Saul;
    8 - e te dei a casa de teu senhor e as mulheres de teu senhor em teu seio e também te dei a casa de Israel e de Judá; e, se isto é pouco, mais te acrescentaria tais e tais coisas.
    9 - Por que, pois, desprezaste a palavra do SENHOR, fazendo o mal diante de seus olhos? A Urias, o heteu, feriste à espada, e a sua mulher tomaste por tua mulher; e a ele mataste com a espada dos filhos de Amom.
    10 - Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para que te seja por mulher.
    11 - Assim diz o SENHOR: Eis que suscitarei da tua mesma casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres perante os teus olhos, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com tuas mulheres perante este sol.
    12 - Porque tu o fizeste em oculto, mas eu farei este negócio perante todo o Israel e perante o sol.
    13 - Então, disse Davi a Natã: Pequei contra o SENHOR. E disse Natã a Davi: Também o SENHOR traspassou o teu pecado; não morrerás.
    14 - Todavia, porquanto com este feito deste lugar sobremaneira a que os inimigos do SENHOR blasfemem, também o filho que te nasceu certamente morrerá.
    15 - Então, Natã foi para sua casa. E o SENHOR feriu a criança que a mulher de Urias dera a Davi; e a criança adoeceu gravemente.

    OBJETIVO GERAL

    Esclarecer que o pecado tem o alvo de desviar o homem da comunhão com Deus e levá-lo a um estado de depravação espiritual e moral.

    HINOS SUGERIDOS: 73, 373, 443 da Harpa Cristã

    Veja o Subsídio Bíblico no vídeo

    OBJETIVOS ESPECÍFICOS
    Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

    Conceituar o pecado no Antigo e no Novo Testamento;
    Mostrar a repreensão do profeta Natã ao rei Davi;
    Elencar as consequências do pecado de Davi.

    INTERAGINDO COM O PROFESSOR

    O pecado é uma violação à lei de Deus. Sua consequência imediata na vida da pessoa que o pratica é culpa, bem como o castigo quanto a consequência direta do ato iníquo. A doutrina bíblica do pecado é muito bem vinda num contexto de relativismo moral que predomina no mundo atual. É importante trazermos o ensino bíblico acerca da gravidade e das consequências do pecado, mas ao mesmo tempo, ressaltar a misericórdia e a iniciativa de Deus em perdoar ao pecador que se arrepende e deixa a prática pecaminosa. Só em Cristo podemos vencer o poder do pecado!

    INTRODUÇÃO

    O assunto desta lição mostrará o alto preço que Davi pagou e as consequências que sofreu por causa dos pecados cometidos. A história de Davi nos ensina a não brincar com o pecado. Não podemos arriscar ou desafiar o pecado, pois ele é destruidor e seus resultados são trágicos. Por isso, o mais importante é viver em santidade e confiar no sacrifício perfeito de Cristo, lembrando permanentemente que Deus não tolera o pecado de quem quer que seja (Hc 1.13).

    PONTO CENTRAL
    O pecado tem o alvo de levar o homem ao estado de depravação espiritual e moral.

    I – O CONCEITO DE PECADO NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTO

    1. No Antigo Testamento.
    No Antigo Testamento, a palavra pecado tem diversos significados:
    a) errar o alvo, prática de imoralidade e idolatria (Êx 20.20; Jz 16.20; Pv 19.2);
    b) malignidade, perversidade (Gn 3.5; Jz 11.27);
    c) revolta, rebelião (2 Rs 3.5; Sl 51.13);
    d) iniquidade e culpa (Nm 15.30; 1 Sm 3.13);
    e) transgressão consciente (Lv 4.2);
    f) culpabilidade diante de Deus (Lv 4.13; 1 Jo 1.7);
    g) desviar-se do bom caminho (Nm 15.22; Sl 58.3).

    2. No Novo Testamento.
    Quem lê o Novo Testamento depara-se com diversos vocábulos usados pelos escritores para definir a palavra pecado, que pode ser descrito da seguinte forma: 
    a) mal moral (Mt 21.41; Rm 12.17; 1 Tm 6.10); 
    b) impiedade, incredulidade, herege ou apóstata (Rm 4.5; 1 Tm 1.9; 1 Pe 4.18); 
    c) culpa (Mt 5.21,22; Tg 2.10); 
    d) pecado propriamente dito, derivado da palavra grega hamartia (Rm 5.12; At 2.38; Jo 1.29; 1 Co 15.3); 
    e) conduta comprometedora (Rm 1.18; Rm 6.13); 
    f) vida sem lei, referindo-se aos transgressores (Mt 13.41; 1 Tm 1.9); 
    g) adoração falsa (At 17.23); 
    h) engano (1 Pe 2.25; Mt 24.5,6; Ap 12.9); 
    i) pecado deliberado (Rm 5.15,20); 
    j) induzir os outros errarem por meio de falsos ensinos (Gl 2.11,21; 1 Tm 4.2).

    Assim, podemos perceber que o pecado é sempre maléfico. Suas ações são destruidoras em todos os aspectos, principalmente em relação ao bom relacionamento com Deus. Por isso, ao homem é melhor procurar, em Cristo, o perdão de todos os seus pecados, a fim de estar sempre em comunhão com Deus.



    CURSOS BÍBLICOS PARA VOCÊ:



    1) CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui

    2) CURSO MÉDIO EM TEOLOGIAClique Aqui

    3) Curso de Secretariado para Igrejas Clique Aqui

    4) Formação de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
    7) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui
    Matricule-se já ! 

    SÍNTESE DO TÓPICO I
    Tanto o Antigo quanto o Novo Testamento demonstram que o pecado é a violação da Lei de Deus.

    SUBSÍDIO DIDÁTICO - PEDAGÓGICO

    Para reforçar o ensino a respeito do conceito do pecado nas Escrituras, ao introduzir o assunto em sua classe, leve em consideração a seguinte definição: “Talvez a melhor definição do pecado seja encontrada em 1 João 3.4: ‘O pecado é iniquidade’. Seja o que mais o pecado for, ele é, no seu âmago, uma violação da lei de Deus. E, já que ‘toda a iniquidade [gr. adikia, literalmente ‘injustiça’] é pecado’ (1 Jo 5.17), toda injustiça quebra a lei de Deus. Por isso, Davi confessa: ‘Contra ti, contra ti somente pequei’ (Sl 51.4; cf. Lc 15.18,21)” (HORTON; Stanley (Ed). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p.281).

    II – A REPREENSÃO DO PROFETA NATÃ AO REI DAVI

    1. Uma consciência morta.
    Tudo nos leva a crer que Davi não iria confessar seus pecados. Havia se passado um ano, e para ele todas as coisas estavam normais, mas Deus não o deixaria impune. Note o quanto a Bíblia é maravilhosa: ela não esconde o pecado de ninguém. Esse procedimento, além de revelar a justiça divina, mostra que o compromisso do Senhor é para com os que andam em sinceridade, não importando a posição que exerçam, pois se pecarem, pagarão pelos seus pecados (Ez 33.12).

    A consciência do rei Davi estava morta. Foi necessária uma alegoria do profeta Natã, relatando a ação de um homem rico, que, pela força, se apropriara da cordeirinha única e amada de um pobre. O rico, apesar de possuir um grande rebanho, recusou-se a lançar mão de suas muitas ovelhas. Davi se mostrou irado com o procedimento do rico e, prontamente, queria condená-lo à morte.

    2. Mostrando a gravidade do seu pecado.
    À semelhança de Samuel e Elias, Natã age com energia e coragem para com Davi, denunciando-lhes os gravíssimos pecados. Aliás, o indicativo “Tu és este homem” foi como uma espada traspassando o coração do rei. Não poderia ser de outra forma, pois Davi, além do adultério, cometera o crime de homicídio, envolvendo outras vidas. Ele violou o Decálogo, que imperativamente diz para não adulterar e não matar (Êx 20.13,14).

    O adultério é um tipo de relação sexual ilícita; é um pecado contra a família; acontece primeiramente no coração (Mt 5.28), evidenciando a falta de pureza na vida. Toda relação sexual antes e fora do casamento é proibida terminantemente pela Bíblia. Não poderia haver suavidade para o pecado de Davi em relação ao adultério, pois ele atingira uma família; e, no tocante à morte de Urias, tirou injustamente a vida de um soldado honrado, leal e valente. Natã, portanto, anunciou a desaprovação de Deus e a sentença de juízo que viria sobre o rei.

    3. Traindo a generosidade divina. 
    Natã, como porta-voz de Deus, disse tudo quanto Ele havia feito com relação a Davi, citando cada benefício, um por um: 
    a) livramento das mãos de Saul; 
    b) o reinado sobre Judá e Israel; 
    c) dentre muitos outros privilégios (2 Sm 12.8). Mas Davi, o homem segundo o coração de Deus, desprezara a generosidade de Deus (2 Sm 12.9).

    Entretanto, Davi reconheceu sua transgressão; sabia que havia pecado contra o Senhor. Alguns de seus salmos revelam o sofrimento que ele passou por ter ocultado o seu pecado, entristecendo profundamente o Espírito de Deus (Sl 32.3-5; 51.12). Pela misericórdia divina, Davi foi perdoado, mas teve de arcar com as consequências de seus pecados.

    SÍNTESE DO TÓPICO II
    Diante de uma consciência morta do rei Davi, o profeta Natã mostrou-lhe a gravidade do seu pecado.

    SUBSÍDIO TEOLÓGICO
    “As Escrituras descrevem muitas categorias de pecados. Podem ser cometidos por incrédulos ou por crentes, sendo que estes dois grupos são lesados pelos pecados e precisam da graça. Os pecados podem ser cometidos contra Deus, contra o próximo, contra o próprio-eu ou contra alguma combinação destes. Em última análise, porém, todo o pecado é contra Deus (Sl 51.4; cf. Lc 15.18,21). O pecado pode ser confessado e perdoado. Não sendo perdoado, continuará exercendo o seu domínio sobre a pessoa. A Bíblia ensina que uma atitude pode ser tão pecaminosa quanto um ato. Por exemplo, a fúria contra alguém pode ser tão pecaminosa quanto o assassinato, e um olhar de concupiscência, tão pecaminoso quanto o adultério (Mt 5.21,22,27,28; Tg 3.14-16). A atitude pecaminosa inutiliza a oração (Sl 66.18). O pecado pode ser ativo ou passivo, ou seja, a prática do mal ou a negligência à prática do bem (Lc 10.30-37; Tg 4.17). Os pecados sexuais físicos são lastimáveis para os cristãos, porque abusam o corpo do Senhor na pessoa do crente e porque o corpo é o templo do Espírito Santo (1 Co 6.12-20)” (HORTON; Stanley (Ed). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, pp.289,90).

    Veja também:
    ·          Novas Lições da Escola Dominical, Adultos – Aqui
    ·          Novas Lições da Classe de JovensAqui
    ·          Auxílios para Professores da Escola DominicalAqui
    ·          Subsídios Bíblicos para AdultosAqui
    ·          Áudios Lições - Aqui

    III – AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO DE DAVI