Lição 7 - O amor é doador {Adolescentes} - Subsídios Dominical

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

Novos Subsídios Bíblicos para as lições  O corpo de Cristo, 1° trimestre de 2024


Lição 7 - O amor é doador {Adolescentes}

Lições Bíblicas Adolescentes - Professor: 4º Trimestre 2023 Revista: Amor na Vida Cristã – CPAD 

Comentarista: Daniele Soares


LEITURA BÍBLICA Filipenses 4.14-20


A MENSAGEM

Que cada um dê a sua oferta conforme resolveu no seu coração, não com tristeza nem por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria. 2 Coríntios 9.7

Devocional

Segunda » Gn 28.18-22

Terça » Pv 11.24

Quarta » Ml 3.10

Quinta » At 20.35

Sexta » Lc 6.38

Sábado » Rm 15.25-29


Objetivos

EXPLICAR o significado da oferta.

ESCLARECER a finalidade do dízimo e da oferta à luz da Bíblia.

RESSALTAR a sinceridade do ato de dizimar e ofertar.

Ei Professor!

Sabemos que Deus está à procura de verdadeiros adoradores, pessoas que desejam servi-lo com o coração sincero. Assim acontece também em relação à entrega do dízimo e das ofertas. Não se trata apenas de entregar um dinheiro à igreja, e sim de reconhecer que tudo o que temos, o que somos e o que seremos é fruto da ação do Espírito de Deus em nossas vidas.


Nesta lição, veremos que o amor é doador. Ele não se preocupa em doar porque não lhe falta. Assim deve ser a nossa gratidão a Deus. Devemos entregar para Ele não aquilo que nos falta ou sobra, e sim o que é prioridade porque Deus deve estar em primeiro lugar nas nossas vidas. Reflita sobre esse tema com seus alunos.


Ponto de Partida

Professor (a), o grande desafio de muitas pessoas é lidar com o dinheiro. Quanto mais tem, mais apegadas estão aos recursos materiais. Inicie a aula perguntando aos alunos como eles fazem para entregar o dízimo e as ofertas. Eles retiram o valor do que sobra ou separam com antecedência quando o dinheiro chega em suas mãos? Mostre-lhes como era o modelo do Antigo Testamento e o exemplo da Igreja Primitiva nos dias dos apóstolos. Deus não deixava faltar nada porque o coração do povo era inteiro para com Ele.


Ressalte que o Senhor é recompensa- dor daqueles que são fiéis à sua Palavra e dedicam suas riquezas para que o Reino de Deus cresça em toda a Terra.


Vamos Descobrir

A paz do Senhor, amigo (a) adolescente! Qual é a primeira coisa que vem à sua mente quando ouve as palavras “oferta” e "dízimo"? Geralmente, é um assunto que envolve muito desconhecimento em razão das críticas que são feitas a essas práticas adotadas pela igreja. E importante entender o sentido de contribuir com a igreja por meio de valores, alimento ou outros bens. Não se trata de apenas doar quantias financeiras. Tanto as ofertas quanto o dízimo fazem parte do compromisso cristão com a manutenção da Obra de Deus, que precisa de recursos para continuar atuando neste mundo.


Hora de Aprender

Nesta lição, veremos o sentido de ofertar e de entregar o dízimo como um reflexo do amor e gratidão que expressamos a Deus pela forma graciosa pela qual Ele tem suprido todas as nossas necessidades. Trata-se de um tema que está presente em toda a Bíblia e, mais do que um compromisso financeiro com a igreja, representa um ato de adoração. Por essa razão é tão importante entendermos o seu significado.

I - O QUE É OFERTAR

Ofertar é o ato de oferecer algo a Deus em agradecimento. É uma prática ' presente tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. Quando olhamos a história antiga, a oferta não era algo exclusivo do povo de Israel. Trata-se de uma atividade que diversos povos executavam para suas divindades nos serviços ou cultos religiosos. E quais eram os presentes mais comuns? Sacrifícios de animais, cereais, grãos e dinheiro.


1.1. A oferta é um ato religioso.

Se não é algo só do povo de Deus, mas de outros povos também, o que aprendemos com isso? Primeiro, há um lado religioso dentro de cada pessoa; e, segundo, desde a antiguidade o ser humano tem uma inclinação para dar presentes à divindade como forma de gratidão. Se para aqueles que eram ignorantes quanto à fé a prática da oferta era levada à sério, quanto mais àqueles que servem e adoram ao “Deus Vivo”, o “Rei dos reis” e “Senhor dos senhores". O Senhor é digno da nossa gratidão e adoração (1 Rs 18.22-39).


1.2. É um ato de adoração a Deus.

O ser humano foi formado do pó da terra e se tornou ser vivo porque Deus concedeu a respiração a Adão com o seu sopro no nariz (Gn 2.7). Há, portanto, uma ligação natural entre o ser humano e Deus, ou seja, a vontade de estar perto do Criador e a dependência dEle está dentro de cada pessoa. Se, então, buscar a Deus e agradá-lo com ofertas é algo que se faz naturalmente, de que maneira vemos isso hoje em dia? Na antiguidade, os sacrifícios de animais faziam parte da oferta seguida nos cerimoniais judaicos (Lv 23.9-14; 26-28). Nos dias atuais, a oferta à Casa de Deus é feita por meio de suprimentos e contribuições financeiras para a manutenção da Obra de Deus.


I – AUXÍLIO TEOLÓGICO

“No Novo Testamento, vemos também a confirmação da obrigação de se entregar o dízimo na Casa do Senhor. Em Mateus 23.23, Jesus disse aos fariseus que eles deveriam cumprir o ‘mais importante da lei’ que eram 'o juízo, a misericórdia e a fé’, sem deixar de pagar 'o dízimo da hortelã, do endro e do cominho’. Com isso, o Senhor quis ensinar que não adianta ser dizimista sem levar em conta os valores espirituais da Lei. Hoje, da mesma forma, o cristão deve pagar o dízimo, não como quem está fazendo um favor à igreja, nem mostrando que ganha bem, mas como forma de gratidão a Deus pelas bênçãos recebidas, como o fez Abraão diante de Melquisedeque.


A obediência a essa determinação bíblica redunda em bênçãos abundantes da parte de Deus (Ml 3.10,11). Em segundo lugar, o crente fiel deve contribuir com ofertas alçadas (levantadas), de modo voluntário, como prova de sua gratidão a Deus pelas bênçãos recebidas. Com esses recursos (dízimos e ofertas), a igreja mantém a evangelização, as missões, o sustento de obreiros, o socorro aos necessitados (viúvas, órfãos, carentes etc.), bem como o patrimônio físico da obra do Senhor, e outras necessidades que podem surgir’’ (LIMA, Elinaldo R. Ética Cristã: confrontando as questões morais do nosso tempo. Rio de Janeiro: CPAD, 2002, pp. 170,171).


II - OFERTAS E DÍZIMOS NA BÍBLIA

No Antigo Testamento, vemos que Abel e Caim ofertaram com sacrifício de animal e cereais (Gn 4.2-4). Abraão deu dízimo a Melquisedeque como agradecimento pela vitória contra os reis que haviam sequestrado seu sobrinho Ló (Gn 14). E o que é dízimo? É a oferta de 10% de tudo o que recebemos. Abraão dizimou e o povo de Israel também o fazia (Ml 3.10).


2.1. O sacrifício de animais no judaísmo.

Os animais para sacrifício e as outras ofertas levadas ao Tabernáculo e, por conseguinte, ao Templo serviam não só como adoração, remissão dos pecados e agradecimento, mas, também, como manutenção da estrutura religiosa (Nm 15.1-21). A Bíblia fala que as ofertas sobem a Deus como cheiro agradável (Êx 29.18; Nm 15.3). Era o método determinado por Deus para que o seu povo mantivesse viva a fé e a comunhão com Ele.


2.2. A oferta no Novo Testamento.

No Novo Testamento, o apóstolo Paulo escreve aos filipenses sobre as ofertas que os irmãos e as irmãs lhes enviaram (Fp 4.15). Nos momentos difíceis do seu ministério, essa igreja lhe socorreu e Paulo estava agradecido por esse gesto de amor. O apóstolo diz que as ofertas “são como um perfume suave oferecido a Deus, um sacrifício que ele aceita e que lhe agrada" (Fp 4.18).


Embora a estrutura religiosa da época de Paulo fosse diferente dos rituais do Templo, o gesto de ofertar algo a Deus em agradecimento tinha o mesmo significado. Hoje, as condições também são outras, mas a necessidade de manter a administração das igrejas continua. São diversas atividades de uma igreja e, por isso, devemos contribuir com ofertas e dízimos.

II - AUXÍLIO TEOLÓGICO

"Dízimo. A palavra hebraica 'asar, ‘dizimar’ é derivada da palavra que significa 'dez' e que também significa ‘ser rico'. O princípio básico do dízimo é o reconhecimento de que tudo pertence por direito a Deus, inclusive, as propriedades dos homens, das quais eles são apenas os guardiões. O dízimo corresponde a um testemunho oferecido em honra a Deus, e em reconhecimento de que tudo pertence a Ele.

O costume de pagar o dízimo era muito comum entre os povos semíticos, e era anterior à lei de Moisés. Abraão deu a Melquisedeque um décimo de todo o despojo conquistado de Que-dorlaomer (Gn 14.20; cf. Hb 7.4-10). A forma como este fato foi mencionado parece indicar que se tratava de um costume estabelecido. O voto de Jacó (Gn 28.22) acrescenta ainda mais peso a esta opinião.


O dízimo de Israel consistia de um décimo de toda a produção anual de alimentos e dos crescimentos dos rebanhos de ovelhas e gado. Era um costume considerado sagrado de Jeová, da mesma forma que o aluguel ou imposto feudal dedicado a Ele, que era realmente o dono da terra. Certas Escrituras sugerem que esses dízimos consistiam de um décimo de tudo que restava das ‘primícias de todos os frutos da terra’, depois que a oferta sacerdotal havia sido separada (Êx 23.19; Dt 26.1). Como a lei não estabelecia a quantidade a ser oferecida como uma oferta das primícias, alguns consideram as regras do dízimo como a definição do que deveria ser pago.


Outros consideram o dízimo um complemento destes primeiros frutos. Fontes judaicas indicam que essa segunda hipótese é verdadeira e que as 'primícias dos primeiros frutos’ geralmente representam uma quinta parte da produção” (Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 572).

 

III. O CORAÇÃO CRISTÃO E O ATO DE OFERTAR

A Palavra de Deus nos instrui quanto à maneira como utilizamos o nosso dinheiro. Economizar é necessário diante do consumismo que somos diariamente estimulados. Entretanto, torna-se um problema quando impede alguém de "gastar com generosidade” e indica falta de sabedoria (Pv 11.24).


3.1. Oferta e dízimo são coisas de adulto?

Você deve estar pensando que esse assunto de oferta e dízimo é coisa de adulto, mas não é, e sabe por quê? Você, mesmo sendo adolescente, tem motivos para agradecer a Deus por tudo o que Ele tem feito por você. Por isso, é importante você criar o hábito de ofertar e entregar o dízimo com os ganhos que você recebe. Se você ainda não contribui com a sua igreja, analise suas condições e ore para que o Espírito Santo lhe ajude a se organizar nesse sentido.


3.2. Ofertar e entregar o dízimo devem ser sinceros. Uma vez, Jesus mostrou aos discípulos que a oferta de duas moedinhas da viúva pobre era maior do que a grande quantidade de dinheiro dos ricos, porque ela deu de coração tudo o que tinha (Lc 21.1-4). Aprendemos que o importante não é a quantidade, mas a gratidão da oferta. O apóstolo Paulo interpretou que as contribuições devem ser dadas com alegria, porque representa, o amor a Deus. Assim, reclamar e falar mal da oferta e do dízimo não reflete o comportamento cristão.


Ao entregar o dízimo a Deus, estamos apenas devolvendo o que Ele nos deu. Não é um valor que vai fazer falta, porque "Deus pode dar muito mais do que vocês precisam para que vocês tenham sempre tudo o que necessitam e ainda mais do que o necessário para fazerem todo tipo de boas obras’’ (2 Co 9.8).


III - AUXÍLIO DEVOCIONAL

Já aprendi a contentar-me (Fp 4.10-20).

Paulo tinha recebido uma doação em dinheiro dos filipenses, que ele apreciou. Isto revelava o seu contínuo amor por ele., e isto era importante para Paulo. E como uma expressão do amor a Deus, as ofertas são um ‘cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível’.


Paulo também expressou a sua própria perspectiva sobre o dinheiro. Durante os seus 25 anos de ministério, Paulo tinha conhecido ocasiões em que o dinheiro era abundante, e ocasiões em que ele esteve ‘abatido’. E Paulo tinha aprendido que nenhuma das duas condições fazia alguma diferença real: Paulo tinha sido instruído 'tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter abundância como a padecer necessidade’ e a contentar-se com o que lhe acontecesse.


A sua independência das circunstâncias nascera da convicção de que o seu Deus satisfaz todas as nossas necessidades 'segundo as suas riquezas... em glória, por Cristo Jesus’ (v. 19), e da convicção de que 'posso todas as coisas naquele que me fortalece' (v. 13).


Este é um dos maiores dons que possuímos através do nosso relacionamento com Jesus. Nós temos um Deus cujos recursos intermináveis serão usados para satisfazer as nossas necessidades. E um Deus que nos dará forças para enfrentar cada desafio. Se nos lembrarmos constante mente de quem é o nosso Deus, também aprenderemos o segredo de estar contentes, quaisquer que sejam as nossas circunstâncias” (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Devocional da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 874).


CONCLUSÃO

O ato de contribuir com ofertas e dízimos na igreja é um gesto de amor e adoração a Deus. O dinheiro será empregado para o cuidado da Casa de Deus. Isso sobe como perfume agradável ao Senhor. Esse tema é importante para que, desde já, você, adolescente, aprenda que o cristão deve contribuir com alegria e agradecimento por tudo o que Deus tem feito na sua vida.


Pense Nisso

Dinheiro é assunto para adolescente também. Jesus nos ensina a guardar nossa riqueza no céu, porque onde estiver o nosso tesouro, ali estará o nosso coração (Mt 6.21). Ofertar é uma forma de adorar a Deus e demonstrar amor a Ele. Por isso é tão importante considerar o lugar que o dinheiro ocupa em nosso coração.


DICAS DE LEITURAS

INFORMAÇÕES AQUI


***

INFORMAÇÕES AQUI


***

INFORMAÇÕES AQUI


***

INFORMAÇÕES AQUI

***

INFORMAÇÕES AQUI

***

INFORMAÇÕES AQUI

***

INFORMAÇÕES AQUI


Post Bottom Ad