Lição 11 Missões e a Igreja Perseguida - Subsídios Dominical

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad


=

Lição 11 Missões e a Igreja Perseguida

Lições Bíblicas do 4° Trimestre de 2023, Adultos CPAD

Revista: Até os Confins da Terra: pregando o Evangelho a todos os povos até a Volta de Cristo

ComentaristaWAGNER GABY

Data da Aula:

TEXTO ÁUREO

“E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições.” (2 Tm 3.12)


VERDADE PRÁTICA

Precisamos aprender com os cristãos perseguidos aspectos da fé cristã que só eles conhecem devido à natureza da opressão que eles experimentam.


LEITURA DIÁRIA

Segunda - 1 Co 4.11-13

A marca do sofrimento de um cristão perseguido

Terça - At 22.25-29

Fazendo o uso sábio da Lei num contexto de perseguição

Quarta - Hb 13.3

É preciso se sensibilizar pela igreja perseguida

Quinta - Tg 5.16

A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos

Sexta - Ef 6.19,20

Tendo coragem e não desanimando com a perseguição

Sábado - 2 Co 11.22-28

Perseverança e resiliência num contexto de perseguição


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Atos 6.8,9,13,14; 8.1-4

Atos 6

8 - E Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo.

9 - E levantaram-se alguns que eram da sinagoga chamada dos Libertos, e dos cireneus, e dos alexandrinos, e dos que eram da Cilícia e da Ásia, e disputavam com Estêvão.

13 - Apresentaram falsas testemunhas, que diziam: Este homem não cessa de proferir palavras blasfemas contra este santo lugar e a lei;

14 - porque nós lhe ouvimos dizer que esse Jesus Nazareno há de destruir este lugar e mudar os costumes que Moisés nos deu.

Atos 8

1 - E também Saulo consentiu na morte dele. E fez-se, naquele dia, uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judeia e da Samaria, exceto os apóstolos.

2 - E uns varões piedosos foram enterrar Estêvão e fizeram sobre ele grande pranto.

3 - E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão.

4 - Mas os que andavam dispersos iam por toda parte anunciando a palavra.

 

Hinos Sugeridos: 334, 357, 422 da Harpa Cristã

PLANO DE AULA

1. INTRODUÇÃO

Fontes especializadas atestam que aproximadamente 360 milhões de cristãos sofrem algum tipo de perseguição e, em muitas delas, a obra missionária é realizada nesse contexto hostil. Por isso, a presente lição parte de um estudo bíblico em Atos dos Apóstolos para mostrar que a perseguição religiosa se repete em muitos países na atualidade.


2. APRESENTAÇÃO DA LIÇÃO

A) Objetivos da Lição:

I) Explicar o contexto de perseguição na igreja primitiva;

II) Apresentar a perseguição cristã na atualidade; 

III) Mostrar como podemos ajudar a igreja perseguida.

 

B) Motivação: Precisamos tomar conhecimento de casos em que irmãos nossos, por crerem nas mesmas coisas que cremos, padecem prisões e proibições em diversos lugares do mundo. Sim, isso ocorre em pleno século XXI.

 

C) Sugestão de Método: Seleciones vídeos em canais de instituições especializadas e comprometidas com a causa dos cristãos perseguidos e passe para a classe após a exposição da lição. Faça um fechamento, mostrando que o assunto tratado nesta semana é real e que a causa da igreja perseguida é concreta.

 

3. CONCLUSÃO DA LIÇÃO

A) Aplicação: Estimule aos alunos a orarem pela causa da igreja perseguida, a tomarem conhecimento a partir de informações especializadas e a se envolverem com a causa da igreja perseguida no mundo.

 

4. SUBSÍDIO AO PROFESSOR

A) Revista Ensinador Cristão. Vale a pena conhecer essa revista que traz reportagens, artigos, entrevistas e subsídios de apoio à Lições Bíblicas Adultos. Na edição 95, p.41, você encontrará um subsídio especial para esta lição.

B) Auxílio Especial:

1) O texto "Martírio de Estevão" ao final do primeiro tópico, amplia a reflexão a respeito da verdadeira Batalha Espiritual.

INTRODUÇÃO

A perseguição contra cristãos é uma realidade. Aproximadamente mais de 360 milhões de cristãos no mundo sofrem algum tipo de perseguição por expressar a sua fé em Jesus. Muitas vezes, a obra missionária é realizada num contexto de perseguição religiosa, política e cultural. Por isso, o tema desta semana é muito importante.


Veremos como a igreja do Novo Testamento lidou com esse desafio, faremos um panorama da perseguição na atualidade e refletiremos a respeito do que podemos fazer para ajudar os cristãos e os missionários perseguidos que labutam na causa do Evangelho.


Palavra-Chave: Perseguição

I – A IGREJA NASCEU EM UM CONTEXTO DE PERSEGUIÇÃO

1. A perseguição contra Estevão, o primeiro mártir.

Estevão foi um servo de Deus que se comportou com muita sabedoria diante de um levante contra ele na sinagoga chamada dos Libertos (At 6.9). O texto de Atos 6 nos mostra que ele passou a ser vítima de mentiras, subornos e de falsas testemunhas, fazendo com que Estevão disputasse com eles a respeito das Escrituras (At 7.1-53).

 

O discurso de Estêvão foi tão assertivo que os judeus se enfureceram ao ponto de o expulsarem da cidade e o apedrejarem. Assim, esse discípulo de Jesus foi feito o primeiro mártir da Igreja (At 7.59,60).

 

2. A igreja foi dispersada.

Como consequência do episódio ocorrido com Estêvão, uma grande perseguição aconteceu em Jerusalém e resultou na dispersão dos primeiros cristãos para a Judeia e Samaria (At 8.1).

 

Todavia, à medida que os cristãos dispersos iam por todos os lugares, eles anunciavam a Palavra de Deus (At 8.4). Podemos notar, portanto, que a perseguição se mistura com a origem da Igreja de Cristo. Os primeiros cristãos viveram uma realidade que não é distante de muitos outros em pleno século XXI.

 

3. A perseguição cristã é uma realidade.

De forma geral, podemos conceituar a perseguição como o ato de assediar, oprimir, dificultar ou negar os direitos fundamentais de ir e vir, torturar e/ou executar pessoas com bases em diferenças étnicas, políticas e religiosas. De acordo com os dados do portal Missão Portas Abertas, a perseguição aos cristãos está aumentando em muitas esferas do mundo. São aproximadamente mais de 360 milhões de cristãos no mundo que enfrentam algum tipo de oposição por expressar a sua fé em Jesus Cristo. Isso significa que os cristãos são discriminados em alguns lugares, presos em outros e, até mesmo, torturados e mortos em alguns países.

 

SINÓPSE I

A narrativa de Atos dos Apóstolos, a partir do martírio de Estevão, mostra que a perseguição aos cristãos é uma realidade.

 

AUXÍLIO VIDA CRISTÃ

MARTÍRIO DE ESTEVÃO

“As palavras de Estêvão diante do Sinédrio (isto é, o conselho religioso e do governo dos judeus) é uma defesa da mensagem e da fé, pregada por Cristo, pelos seus primeiros discípulos, e pelos líderes da igreja primitiva. Estêvão é um antepassado e um exemplo de todos os que defendem a verdadeira fé bíblica daqueles que se opõem ao seu ensinamento ou o distorcem.

Ele também é reconhecido como o primeiro a morrer por essa razão. Jesus confirma as ações de Estêvão e prova que este servo fiel estava certo por se levantar em sua honra, diante de seu Pai no céu (v. 55, nota).

O amor de Estêvão pela verdade e a sua disposição em dar a sua vida para proteger e defender essa verdade estão em vívido contraste com aqueles que mostram pouco interesse em “batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos” (Jd 3)” (Bíblia de Estudo Pentecostal Edição Global. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2022, p.1944).

II – A PERSEGUIÇÃO CRISTÃ NA ATUALIDADE

1. Em muitos lugares ser cristão é perigoso.

Para muitas pessoas no mundo atual, se converter e proclamar a fé em Jesus significa receber uma oposição sistemática, serem obrigados a abandonar a família, perder o emprego, perder os bens, bem como os direitos básicos. Infelizmente, em muitos lugares, o exílio, a prisão, a tortura, a mutilação e a morte fazem parte do contexto de vida de muitos cristãos e missionários.


Por isso, deveríamos ser gratos a Deus pela liberdade que desfrutamos ainda em nosso país e, ao mesmo tempo, estar vigilantes com algumas ideologias e movimentos políticos que buscam sorrateiramente enfraquecer a influência da igreja em nome de um verniz de neutralidade religiosa. É importante deixarmos claro que a Constituição Brasileira ainda garante o seguinte: “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias” (artigo 5º, inciso VI da Constituição Federal de 1988). Como o apóstolo Paulo, não devemos nos furtar de fazer uso da lei quando necessário (At 22.25-29).


2. Coreia do Norte: a nação mais fechada ao Evangelho.

Segundo a classificação do portal Missão Portas Abertas, em primeiro lugar em perseguição mundial, a Coreia do Norte é apontada como a nação mais fechada para o Evangelho desde o início deste século. Nestes últimos anos, o país norte-coreano teve três milhões de pessoas mortas pela fome.


É um quadro desastroso. E, ao mesmo tempo, a perseguição religiosa é extrema. Infelizmente, a Coreia do Norte é uma vítima de uma tirania que arruinou a nação, tendo os cristãos sob intensa e horrorosa tortura. Por esse, e muitos outros motivos, a igreja mundial deve orar e se interessar pela Coreia do Norte. Imagine o que é fazer a obra missionária num país como a Coreia do Norte? Há muitos missionários que se arriscam para levar o Evangelho para os norte-coreanos.


SINÓPSE II

Em muitos lugares ser cristão é perigoso, como na Coreia do Norte, a nação mais fechada ao Evangelho.

III – COMO AJUDAR A IGREJA PERSEGUIDA

1. Conhecer a gravidade da situação.

Infelizmente, não é tão fácil ter acesso a informações de qualidade em relação ao contexto de perseguição cristã no mundo. Lamentavelmente, parece que há má vontade das mídias internacionais em divulgar esse quadro de violação aos direitos fundamentais do ser humano. Por isso, precisamos tomar consciência do terror religioso que a perseguição cristã nos revela.


Nesse sentido, devemos ter acesso a dados e informações sérias e objetivas. Por exemplo, sites como SENAMI, Missão Portas Abertas e Voz dos Mártires prestam um excelente serviço de informação e apoio aos cristãos perseguidos. Portanto, procure conhecer a dimensão do problema e se sensibilize com ele (Hb 13.3).


2. Ore pela igreja perseguida.

Devemos orar pelos cristãos perseguidos e pelos missionários desse contexto. Ora, a Bíblia nos ensina que a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos (Tg 5.16). Por isso, ore para que os cristãos perseguidos e os missionários que atuam nesse contexto tenham coragem e não desanimem diante das perseguições (Ef 6.19,20).


Ore por proteção de suas vidas, de suas famílias e suas comunidades. Ore também pelos perseguidores, pois eles também precisam de Jesus. Ore para que se arrependam e se convertam ao Evangelho, como ocorreu com o apóstolo Paulo.


3. Se envolva com a causa da igreja perseguida. Quando nos dispomos a orar pelos cristãos perseguidos já começamos a nos envolver com a causa da igreja perseguida. Naturalmente, ficamos mais sensíveis a obedecer à voz do Espírito Santo. Pode ser que Ele nos chame a atuar de maneira mais efetiva e diretiva com a causa dos crentes perseguidos.


Sem dúvida, o contato com os testemunhos de cristãos que resistem em fé diante de um governo opressor é muito poderoso para nos tirar da zona de conforto e nos desafiar a viver um Evangelho de maneira mais empenhada e compromissada. As histórias dos cristãos perseguidos revelam uma dimensão da fé que muitos cristãos atuais, principalmente no Ocidente, desconhecem (2 Co 11.22-28).


SINÓPSE III

Podemos ajudar a igreja perseguida, conhecendo a situação, orando pela igreja e se envolvendo com a sua causa.


CONCLUSÃO

Infelizmente, há lugares em que cristãos são mortos por causa de sua fé em Jesus. Isso mesmo, em pleno século XXI, pessoas são mortas por causa de Jesus em nome de ideologias satânicas que se sentem ameaçadas com os fundamentos da fé cristã. Oremos pelos nossos irmãos perseguidos!


Que Deus nos conceda a graça de ser uma igreja que se alegra em estar na presença dEle, intercedendo dia após dia pela obra missionária, principalmente, pela igreja perseguida!


REVISANDO O CONTEÚDO

1. Quem foi o primeiro mártir da Igreja?

Estêvão foi feito o primeiro mártir da Igreja (At 7.59,60).


2. Como podemos conceituar a perseguição?

De forma geral, podemos conceituar a perseguição como o ato de assediar, oprimir, dificultar ou negar os direitos fundamentos de ir e vir, torturar e/ou executar pessoas com bases em diferenças étnicas, políticas e religiosas.


3. O que a Constituição Federal nos garante sobre a liberdade de culto?

A Constituição Brasileira ainda garante o seguinte: “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias” (artigo 5º, inciso VI da Constituição Federal de 1988).

4. Qual é o país mais fechado para o Evangelho?

Coreia do Norte.

5. Cite pelo menos uma forma de ajudar a igreja perseguida.

Conhecer a gravidade da situação.

DICAS DE LEITURAS

INFORMAÇÕES AQUI


***

INFORMAÇÕES AQUI


***

INFORMAÇÕES AQUI


***

INFORMAÇÕES AQUI

***

INFORMAÇÕES AQUI

***

INFORMAÇÕES AQUI

***

INFORMAÇÕES AQUI


Post Bottom Ad