Lição 12 - A Liderança de Paulo

📝 Tema: Liderança na Igreja de Cristo - Escolhidos por Deus para Servir | 4° Trimestre de 2022 – CPAD

🎓 Classe: Jovens – Revista do professor

Comentarista: Elias Torralbo

TEXTO PRINCIPAL

“Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido para levar o meu nome diante dos gentios […].” (At 9.15)


RESUMO DA LIÇÃO

Paulo foi um dos líderes mais importantes da Igreja do primeiro século. Ele é um modelo de uma liderança bem-sucedida.

👇 VEJA TAMBÉM Lições 👇

👉 Novas lições da classe dos ADULTOS- Aqui

👉 Novas lições da classe dos JOVENSAqui

👉 Novas lições BETEL da classe dos ADULTOS - Aqui

LEITURA SEMANAL

SEGUNDA РAt 9.1-18 A converṣo de Paulo

TERÇA – Rm 13.1-7 Submissão à autoridade

QUARTA – 1 Tm 3.2 O líder deve ser irrepreensível

QUINTA – 1 Co 4.1-5 Ministros e despenseiros

SEXTA – JO 15.3 Limpos pela Palavra

SÁBADO – Hb 4.12 A relevância da Palavra de Deus na liderança

OBJETIVOS

• APRESENTAR o caráter ministerial de Paulo;

• COMPREENDER os principais aspectos da liderança de Paulo;

• EXPLICAR os aspectos práticos da liderança de Paulo.


INTERAÇÃO

Professor (a), na lição deste domingo estudaremos a respeito da liderança de Paulo. Veremos que as autoridades religiosas de Jerusalém outorgaram a Saulo cartas que lhe garantiram o direito de prender os cristãos. Todavia, diante do Senhor, no caminho de Damasco, Saulo tem um encontro com Jesus. O encontro mudou sua vida de modo radical e diante do Rei dos reis, Saulo se prostrou. As convicções religiosas de Saulo também são lançadas ao chão naquele momento e embora cego, ele saiu daquele encontro transformado. Esse novo homem ficou três dias sem comer ou beber nada, certamente pensando em tudo que havia ocorrido na estrada para Damasco.


ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor (a), reproduza os tópicos abaixo no quadro. Utilize-os para introduzir o primeiro tópico da lição. Enfatize o fato de que Paulo era um homem extremamente religioso, conhecedor da Lei, porém sedento espiritualmente. A religiosidade não implica em relacionamento com Deus. Todavia, Paulo teve um encontro com Cristo, confessou seus pecados, entregou-se inteiramente a Jesus e passou a ter uma nova vida, que implica em um relacionamento íntimo e pessoal com Jesus.


RESUMO DA VIDA DE PAULO:

Nascido em Tarso – Capital da Cilícia (22.3):

Fariseu – (23.6):

Cidaḍo romano Р(22 25-28):

Fazedor de tendas – (18.3):

Aluno de Gamaliel – (22.3):

Guardava a Lei – (26.5):

Um encontro com Jesus mudou sua vida – (9):

Foi batizado – (9.18):

Suas ̼ltimas palavras Р(2 Tm 4.6-8)


TEXTO BÍBLICO

ATOS 20.18-24

18 E, logo que chegaram junto dele. disse­-lhes: Vós bem sabeis. desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de v6s.

19 Servindo ao Senhor com toda a humil­dade e com muitas lágrimas e tentações que, pelas ciladas dos judeus me sobrevieram.

20 Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar e ensinar publicamente e pelas casas.

21 Testificando tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo.

22 E, agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer.

23 Senão o que o Espírito Santo, de cidade em cidade, me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações.

24 Mas em nada tenho a minha vida por pre­ciosa. contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho de evangelho da graça de Deus.


INTRODUÇÃO

Depois de Jesus, o apóstolo Paulo é considerado como o maior líder do Novo Testamento. Mas o que fez deste apóstolo alguém tão importante? Veremos nesta lição, o modelo de liderança, as qualidades e a prática deste grande exemplo. É importante ressaltar que o apóstolo declarou que ele foi um imitador de Cristo (1 Co 11.1).


I- O CARÁTER MINISTERIAL DE PAULO

1. O início de tudo.

A conversão de Paulo ocorreu de forma sobrenatural no caminho de Damasco (At 9.1-18). Ali ele teve uma experiência pessoal com Jesus. Depois de sua conversão, não saiu pelas cidades pregando, ensinando e plantando igrejas. Ele agiu com muita sabedoria e dedicou um tempo, três anos, na Arábia para aprender a respeito da fé cristã. Depois foi para Jerusalém para ver Pedro e certa Em Atos 9.20-22, vemos Paulo pregando aos judeus e deixando todos confundidos.


O versículo 22 diz que ele se esforçava muito, ou seja, se dedicava ao seu ministério de pregação e ensino. Paulo não recebeu um treinamento formal como os demais apóstolos. Escrevendo aos Gálatas ele declara que aquilo que pregava a respeito de Cristo não havia recebido de homem algum, mas do próprio Jesus Cristo (Gl 1.11.12). A liderança de Paulo começou com um contato direto com o Senhor Jesus, que lhe fez compreender as revelações das Escrituras Sagradas.


2. O treinamento.

Depois de sua conversão e do entendimento que teve a respeito de Jesus como o Filho de Deus, o apóstolo Paulo esteve alguns dias com os discípulos em Damasco (At 9.19). E, logo, passou a pregar a respeito de Jesus nas sinagogas e todos que o ouviam ficavam confusos e diziam: “Não é este o que em Jerusalém perseguia os crentes” (At 9.21)?


A pregação de Paulo estava deixando as pessoas atônitas e os judeus decidiram matá-lo, mas o plano deles foi descoberto e o apóstolo seguiu para Jerusalém (At 9.24-26). Chegando a cidade, Paulo tentou se ajuntar aos discípulos, mas todos tinham medo dele. Então. Barnabé o levou até os apóstolos (At 9.27), com quem Paulo se juntou e falava ousadamente no nome de Jesus (At 9.29).


Paulo, depois de sua conversão, não saiu imediatamente pregando. Ele passou por um” treinamento”. O apóstolo era totalmente guiado pelo Senhor e aprendemos com seu exemplo que o líder para ser bem-sucedido deve ser conduzido segundo a orientação divina. Paulo, após a sua conversão, ficou um período no anonimato. O líder, antes de experimentar a aceitação e o reconhecimento do seu trabalho, e provado, forjado pelo anonimato, sofre a solidão e até a rejeição.


3. O princípio de autoridade.

Outro aspecto importante que aprendemos pelo exemplo de Paulo é o respeito pelas autoridades, pois “não há quem possa liderar sem que esteja submisso a uma liderança”. Antes de se tornar um líder, Paulo precisou aprender a ser liderado. Antes de exercer autoridade, ele teve de se submeter a uma autoridade.


Em um tempo de crescimento e avanço do Evangelho na cidade de Antioquia, enquanto a igreja orava e jejuava, o Espírito Santo ordenou que Barnabé e Paulo fossem separados para a obra missionária (At 13.1-3). É necessário observar que havia profetas e doutores que serviam na igreja em Antioquia, o primeiro desta lista foi Barnabé e o segundo Paulo, indicando que Deus escolheu tanto o primeiro quanto o último.


O texto diz: “Apartai-me a Barnabé e Saulo” (At 13-2), ou seja, Barnabé seria o líder da expedição missionária, e não Paulo. Este investiu em seu ministério buscando aprender e tal investimento fez dele um líder de sucesso. invista no seu chamado, estude, prepare-se, faça a sua parte e Deus fará a dEle.


SUBSÍDIO 1

Professor (a). explique que ‘Saulo (posteriormente chamado de Paulo, o equivalente grego do nome ‘Saulo’), que é mencionado pela primeira vez como tendo participado do apedrejamento de Estevão era tão zeloso das suas crenças religiosas que iniciou uma campanha de perseguição contra todos os que acreditavam em Cristo. todos que eram do caminho’ (versão RA) (veja o testemunho de Paulo em Filipenses 3.6).


A expressão ‘o Caminho’ se referia ao ‘caminho do Senhor’ ou ‘o caminho da salvação’ Por que os judeus em Jerusalém queriam perseguir os cristãos a uma distância tão grande como Damasco? Há várias possibilidades:

(1) para prender os cris­tãos que tinham fugido:

(2) para evitar a chegada do cristianismo a outras cidades importantes: e

(3) para impedir que os cristãos causassem qualquer problema com Roma.


As cartas solicitadas por Saulo não somente serviam de apresentação para ele, mas também lhe conferiram a autorização do sumo sacerdote para prender os seguidores de Cristo e trazê-los de volta a Jerusalém. A maioria das sinagogas da Síria provavelmente reconhecia este direito de extradição. Saulo não estava somente indo para persegui-los, ele estava indo para encontrar homens e mulheres e trazê-los de volta presos.


Damasco era uma cidade comercial importante, situada cerca de 280 quilômetros a nordeste de Jerusalém, na província romana da Síria. Várias rotas de comércio conectam Damasco com outras cidades por todo o mundo romano. Damasco era uma das dez cidades conhecidas como Decápolis (veja Mc 5.20: 7.31). Saulo pode ter pensado que ao eliminar o cristianismo em Damasco, ele poderia impedir a sua disseminação a outras regiões.”

(Comentário do Novo Testamento: Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, pp.262-263).


II- A LIDERANÇA DE PAULO

1. Uma liderança íntegra.

O que significa ser íntegro? Significa ser inteiro, completo e irrepreensível conduta. A integridade é uma qualidade indispensável para aqueles que almejam uma liderança eficaz. Paulo se manteve íntegro mesmo enfrentando a oposição de muitos que não aceitavam o seu apostolado (2 Co 10). Em sua segunda Carta a igreja de Corinto, Paulo faz a defesa do seu apostolado e mostra os sofrimentos por ele enfrentados por amor do Evangelho (2 Co 11.16-33).


2. Uma liderança conduzida por Deus.

Paulo aprendeu a trabalhar debaixo da direção do Senhor. O texto de Atos 16.6 afirma que ele foi impedido pelo Espírito Santo de anunciar a Palavra na Ásia. Certa vez, também intentou ir para Bitínia. “Mas o Espírito de Jesus não lhe permitiu” (At 16.7).


Ainda no capítulo 16 do livro de Atos, vemos que durante uma noite ele teve uma visão de que um homem da Macedônia rogava por ajuda (At 16.9) e logo partiu para lá, pois concluiu que o Senhor o estava conduzindo aquele lugar para anunciar o Evangelho (v. 10). O líder, como Paulo, precisa ser conduzido pelo Senhor em todas as suas ações para que obtenha sucesso.


3. Uma liderança confiável.

Para que haja um relacionamento saudável entre o líder e seus liderados é preciso que haja confiança. O líder deve ser alguém em quem as pessoas confiem. Dentre as muitas qualidades, o apóstolo Paulo foi um líder confiável tendo alcançado o respeito das igrejas, dos irmãos e dos apóstolos. No primeiro dia de sua viagem a Roma como prisioneiro, o responsável pela embarcação, o centurião Júlio, autorizou o apóstolo Paulo a desembarcar para receber alguns cuidados especiais de seus amigos (At 273).


Não se trata de um gesto comum de um centurião para com um preso, ainda mais no primeiro dia de viagem. Mesmo em um ambiente hostil, de impossibilidades e de reclusão, o apóstolo Paulo conquis­tou a confiança dos que o cercavam. A confiança que Paulo conquistou se deu pela sua integridade e o interesse que demonstrou pelo bem daqueles que com ele estavam.


SUBSÍDIO 2

Professor (a), explique “que o sucesso do segredo da liderança de Paulo, não estava em comportamentos específicos do apóstolo, nem em seu caráter superior e tampouco, em técnicas especiais. A eficiência de Paulo era algo divino. Deus se movia em seu ministério. Quando Paulo se apresentou. Deus escolheu mostrar-se por meio da presença poderosa do Espírito Santo. Paulo estava totalmente consciente do segredo de seu sucesso (Rm 15.18.19). Paulo tinha muita clareza da razão pela qual sua liderança era eficiente.


Ele jamais poderia fundar a ‘escola de Paulo sobre as sete leis da liderança’. Havia apenas princípios que os líderes precisam conhecer: Deus, ao reconciliar o universo e a humanidade consigo, está construindo seu Reino. Apenas Ele poderia fazer tal coisa. Os esforços humanos por si só, sem o poder de Deus, resultam em nada.” (DODD. Brian J Liderança de Poder na igreja. O Ministério no Espírito Segundo Paulo. Rio de Janeiro: CPAD. p. 22)


III - ASPECTOS PRÁTICOS DA LIDERANÇA DE PAULO

1. Paulo conhecia suas limitações.

Um dos fatores que fizeram dele um líder bem-sucedido foi a sua capacidade de reconhecer os seus próprios limites. Ele não escondeu a sua humanidade (Rm 7-24.25) e sabia que, por mais que tivesse avançado em sua missão, ainda tinha muito a fazer e a melhorar (Fp 3.13,14). Ao reconhecer suas limitações, também pode reconhecer o valor das pessoas. Paulo reconhecia suas incapacidades e por isso, sempre dependeu de Deus.


2. Paulo estava disposto a se sacrificar.

A semelhança de Cristo, o apóstolo Paulo fez alguns sacrifícios em favor de seus liderados. Ele não condenou a prática do obreiro receber pelo trabalho prestado em favor da igreja de Cristo (1Co 9.14: 1 Tm 5.18). mas decidiu não ser pesado as igrejas (2 Co 11.8), e trabalhou com as próprias mãos quando viu que era necessario (At 20.33-35).


3. Paulo tinha responsabilidade.

O que levou o apóstolo Paulo a declarar: “Eu, de muito boa vontade, gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas, ainda que, amando-vos cada vez mais, seja menos amado” (2 Co 12.15)? A resposta a esta pergunta é dada pelo próprio apóstolo, com as seguintes palavras: “Eu sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes”(Rm 1.14). Paulo se declara devedor e se propõe pagar sua dívida anunciando o Evangelho (Rm 1.15).


SUBSIDIO 3

Professor (a),inicie o tópico fazendo a seguinte pergunta: ‘Qual era o segredo da liderança de Paulo?’ Ouça os alunos com atenção e incentive a participação de todos. Em seguida, explique que “o segredo do sucesso de Paulo não está em seus atributos, mas no trabalho soberano do Espírito Santo (2 Co 12.12). O poder de Paulo vinha do alto. Ele era servo do Deus vivo que, por meio do Espírito Santo, o ungiu e lhe deu poder de forma extraordinária.” (DODD. Brian J Liderança de Poder na igreja.· O Ministério no Espírito Segundo Paulo. Rio de Janeiro. CPAD, p. 26).


CONCLUSÃO

Como um dos líderes mais influentes e extraordinários da história, depois de Jesus, o apóstolo Paulo é um modelo a ser seguido por aqueles que desejam servir a Deus com excelência. Que venhamos seguir o exemplo do apóstolo que sofreu toda a sorte de males, mas não renunciou ao seu chamado e nem à sua vocação.


HORA DA REVISÃO

1. Paulo, depois de sua conversão, passou imediatamente a pregar a Palavra de Deus?

Não. Ele passou por um “treinamento.

2. De quem Paulo recebeu os ensinos a respeito de Jesus Cristo?

Ele recebeu do próprio Jesus.

3. O que ocorre com o líder antes de experimentar a aceitação e o reconhecimento?

Ele é provado, forjado pelo anonimato, sofre a solidão e até a perseguição.

4. Quem seria o líder da missão segundo Atos 13.2?

Seria Barnabé

5. Cite 3 características da liderança de Paulo.

Uma liderança íntegra, conduzida por Deus e confiável.


CURSOS BÍBLICOS PARA VOCÊ:

1) CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO MÉDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Formação de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
5) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui


Matricule-se já !