Li√ß√Ķes Betel: Li√ß√£o 3 A A√ß√£o do Espirito Santo antes do Pentecostes (Classe Adultos)

Li√ß√Ķes B√≠blicas BETEL: 4° Trimestre de 2022 | T√≠tulo: A IGREJA E O ESPIRITO SANTO – A necessidade do avivamento promovido pelo Esp√≠rito Santo para os dias atuais.

TEXTO √ĀUREO

“Envias o teu Esp√≠rito, e s√£o criados, e assim renovas a face da terra.” Salmos 104.30

VERDADE APLICADA

O mesmo Esp√≠rito de Deus que est√° atuante desde a cria√ß√£o e ungiu Jesus Cristo, est√° conosco para nos ajudar em todo o tempo. 

OBJETIVOS DA LIÇÃO

Apresentar a participação do Espírito Santo

Falar que o Espírito sempre agiu no Antigo Testamento

Expor a presença do Espírito no ministério de Jesus.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

GÊNESIS 1

2- E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.


ÊXODO 31

3- E o enchi do Espírito de Deus, e de sabedoria, e de entendimento, e de ciência em todo artifício.


EZEQUIEL 2

2- Ent√£o entrou em mim o Esp√≠rito, quando falava comigo, e me p√īs em p√©, e ouvi o que me falava.


MATEUS 4

1- Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.

LEITURAS COMPLEMENTARES

SEGUNDA – Gn 41.38-39

O Espírito Santo na era patriarcal.

TERÇA РJz 3.10

O Espírito Santo no tempo dos juízes

QUARTA – Mt 28.19

O Espírito Santo é Deus.

QUINTA – At 10.38

Jesus Cristo foi cheio do Espírito Santo.

SEXTA – Rm 8.14

O Espírito Santo é o nosso guia.

S√ĀBADO – 2Pe 1.2

O Espírito Santo falou por meio dos profetas.

Hinos Sugeridos: 432, 437, 441 

MOTIVOS DE ORAÇÃO

Ore para que tenhamos uma vida repleta do Espírito Santo.

ESBOÇO DA LIÇÃO

Introdução

1РO Espírito Santo na Cria ao

2– √Č o Esp√≠rito quem capacita o homem

3РO Espírito Santo nos Evangelhos

Conclus√£o


CURSOS B√ćBLICOS PARA VOC√ä:

1) CURSO B√ĀSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO M√ČDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Forma√ß√£o de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
5) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui


Matricule-se j√° ! 

INTRODUÇÃO

O Esp√≠rito Santo, antes do evento no dia de Pentecostes, j√° estava presente na cria√ß√£o, na capacita√ß√£o de ju√≠zes, reis e profetas, bem como preparando a chegada de Jesus Cristo ao mundo, ungindo-O e dirigindo-O ao longo de todo o Seu minist√©rio terreno, mesmo na Sua morte e ressurrei√ß√£o [Rm 8.11; Hb 9.14]. √Č o mesmo Esp√≠rito que est√° conosco!

PONTO DE PARTIDA

O Espírito Santo atua na vida do homem.


1- O ESP√ćRITO SANTO NA CRIA√á√ÉO

Precisamos ter em mente que a atuação do Espírito Santo na Terra ocorre muito antes do dia de Pentecostes relatado em Atos dos Apóstolos, capítulo 2. Conforme observado, no livro de Gênesis, presenciais a palavra Espírito sendo mencionada pela primeira vez [Gn 1.2]. Desse modo, evidenciado que o Espírito Santo, juntamente com o Pai e Filho, participou em toda a obra da Criação.


1.1. A ação do Espírito Santo na Criação.

Por Seu incomensur√°vel dom√≠nio sobre todas as coisas, Deus fez o mundo passar a existir [Hb 11.3]. Entretanto, n√£o podemos perder de vista que quando Deus trouxe a Terra a exist√™ncia, ela n√£o estava pronta para ser habitada. Conectando o texto de Hebreus 11.3 com G√™nesis 1.2, verifica­-se ent√£o a obra do Esp√≠rito de Deus tamb√©m na cria√ß√£o do universo: “Ele se movia sobre a face das √°guas”: N√£o √© poss√≠vel negar a a√ß√£o do Esp√≠rito Santo na Cria√ß√£o.


Stanley Horton:

“A B√≠blia nos apresenta, quase imediatamente, o Esp√≠rito de Deus. “No princ√≠pio, criou Deus os c√©us e a terra. E a terra era sem forma e vazia [desabitada]; e havia trevas sobre a face do abismo [oceano primitivo]; e o Esp√≠rito de Deus se movia sobre a face das √°guas” [Gn 1.1- 2]. Assim, o Esp√≠rito de Deus est√° associado a atividade cria­dora de Deus. Na realidade, a B√≠blia atribui todas as obras de Deus, num sentido absoluto, a cada membro da Trindade, tanto individualmente como coletivamente. Cada uma das Pessoas Divinas t√™m sua fun√ß√£o espec√≠fica. Todas elas, no entanto, operam em perfeita harmonia e coopera√ß√£o em todo tempo”.


1.2. O Espírito se movia sobre a face das águas.

O primeiro cap√≠tulo de G√™nesis apresenta que a Terra era sem forma e vazia, nos fazendo entender que a Cria­√ß√£o ainda estava inacabada e desordenada. J√° os vers√≠culos subsequentes nos fazem saber que, mesmo diante deste caos, “o Esp√≠rito de Deus se movia sobre a face das √°guas” [Gn 1.2]. Neste texto a express√£o hebraica ruach est√° pau­tada a vento ou ar que √©, no texto em quest√£o, usada para referir-se ao Esp√≠rito de Deus. Desse modo, no primeiro momento da Cria√ß√£o, quando a Terra se encontrava ainda informe, o Esp√≠rito de Deus agiu de maneira sobrenatural, em conjunto com a Palavra de Deus.


Bíblia de Estudo Pentecostal

“O Espirito Santo desempenhou um papel ativo na obra da cria√ß√£o. Ele √© descrito como “pairando” (se movia) sobre a cria√ß√£o, preservando-a e preparando-a para as atividades criadoras adicionais de Deus. A palavra hebraica traduzida por “Esp√≠rito” (ruach) tamb√©m pode ser traduzida por “vento” e “f√īlego”. Por isso, o salmista testifica do papel do Esp√≠rito, ao declarar: “Pela palavra do Senhor foram feitos os c√©us; e todo o ex√©rcito deles, pelo esp√≠rito (ruach) da sua boca” [Sl 33.6]. Al√©m disso, o Esp√≠rito Santo continua a manter e sustentar a cria√ß√£o [J√≥ 33.4; Sl 104.30] “.


1.3. O Espírito e o Seu poder criador e sustentador.

No Antigo Testamento n√£o encontramos com assiduidade o termo “Esp√≠rito Santo”, diferentemente do que ocorre no Novo Testamento. Muito embora, Ele j√° permanecesse presente e operacional em toda a hist√≥ria b√≠blica, para ser mais preciso, desde a cria√ß√£o. A certeza dessa atua­√ß√£o do Esp√≠rito no Antigo Testamento tamb√©m √© atestada ao lermos o Salmo 104.30, que indica que o ato da cria­√ß√£o foi poss√≠vel pelo desempenho direto do Esp√≠rito Santo durante esse processo. Sobre esse assunto podemos citar alguns textos que endossam o papel ativo do Esp√≠rito Santo na cria­√ß√£o [J√≥ 26.13; 33.4;Sl 33.6; 104.29-30). O ap√≥stolo Pedro faz men√ß√£o a Ele como Deus [At 5.3-4), j√° o autor da carta aos Hebreus chama-o de Esp√≠rito eterno [Hb 9.14].


Bispo Primaz Manoel Ferreira:

“O Esp√≠rito Santo participou e participa ativamente da Cria√ß√£o. A sua a√ß√£o, al√©m de ininterrupta, √© descrita pelo verbo “merahefel” como a√ß√£o “vivi­ficadora”. Como uma ave se assenta sobre os ovos para os incubar e dar vida, assim o Esp√≠rito de Deus, no Seu ato de vivificar o caos, movia-se sobre ele [Gn 1.2]. Coube ao Esp√≠rito Santo toda a ornamenta√ß√£o do Universo [Jo 26.13] e a Ele √© atribu√≠da e reconhecida a fun√ß√£o de dar vida tanto espiritual como natural (Sl 33.6; Ts 42.5] (…). A atua√ß√£o do Esp√≠rito √© constante desde a obra da cria√ß√£o [Sl 104.30], promovendo a “gera√ß√£o’ de cada ser humano e renovando a face da terra; preserva o homem e as coisas criadas [SI 104.29; Is 40.6-7; 28-31; 59.19)”


EU ENSINEI QUE:

O Espírito produziu forma ao Universo e tornou a Terra adequada para abrigar a vida.


2- √Č O ESP√ćRITO QUEM CAPACITA O HOMEM

No Antigo Testamento uma das incumbências que visualizamos sobre a Pessoa do Espírito Santo era a capacidade de habilitar pessoas a realizar certas atividades como reis, artífices, sacerdotes, profetas e juízes. Essa capacitação individual fruto da obra da ação do Espírito oferecia ao homem uma aptidão para o seu serviço [Jz 3.10; 6.34; 11.29-33; 13.25; 1 Sm 11.6; Ez 2.2].


2.1. A ação do Espírito na vida dos artesãos.

Quando do rascunho do projeto divino na construção do Tabernáculo, o Senhor, por mediação do Seu Espírito, inspirou dois homens, Bezaleel e Aoliabe, para realizarem a confecção de todos os utensílios do santuário nos dias de Moisés [Êx 31.2-11]. Bezaleel era da tribo de Judá [Ex31.2]; Aoliabe, da tribo de Dã [Êx 31.6]. Deus os encheu com Espírito Santo para que tivessem a sabedoria necessária para trabalhar em todos os utensílios para poderem confeccionar objetos de ouro, prata, cobre e madeira [Êx 35.30-33]. O Espírito também os capacitou para poderem realizar toda obra de mestre ensinando aos outros as suas habilidades [Êx 35.34].


Stanley Horton:

“Todos podiam participar. Aqueles que tinham maiores recursos traziam ouro ou prata; outros ofereciam o bronze (cobre) (…) Mas em todas as situa√ß√Ķes, sempre h√° pessoas que nada possuem e nada sabem fazer. Estes apresentavam para ser ensinados. Deus prometeu que encheria do Esp√≠rito Santo dois homens, Bezaleel e Aoliabe, para aprimorar as suas habilidades, e para tamb√©m capacit√°-los a ensinar os outros [√äx 31.2-3, 6; 35.30-31,34].


2.2. A ação do Espírito Santo na vida dos profetas.

Conv√©m destacar que um profeta um “porta-voz”: pois transmitia a mensagem que recebia de Deus para o povo. Era um “embaixador” de Deus na Terra. N√£o √© dif√≠cil perceber que, no Antigo Testamento, Deus, atrav√©s do Seu Esp√≠rito, usou homens para falar com o Seu povo [Am 3.7]. Assim quando um profeta fala pelo Esp√≠rito √© como se Deus estivesse falando [Dt 18.22]. Pedro diz que os profetas foram inspirados pelo Esp√≠rito Santo para falarem em nome do Senhor [2Pe 1.21].


Existe um grupo de pessoas no Antigo Testamento que Deus os encheu com o Seu Esp√≠rito para serem respons√°veis em comunicar os Seus or√°culos ao povo, aos reis e as na√ß√Ķes; estamos falando dos profetas. O autor da carta aos Hebreus corrobora com esse pen­samento quando diz que outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas [Hb 1.1-2]. Em Ezequiel 2.2 vemos o profeta recebendo o Esp√≠rito de Deus. Daniel e outro profeta que mesmo morando na Babil√īnia tinha o Esp√≠rito de Deus [Dn 4.8-9, 18; 5.11]. Entre outros profetas que Deus chamou no passado podemos destacar Isa√≠as [Is 6.1-9]; Jeremias [Jr 1.4-5] Os√©ias [Os 1.2); Am√≥s [An17.14-15]


2.3. A ação do Espírito na vida dos reis de Israel.

A B√≠blia constr√≥i uma abordagem motivadora sobre a ai; ao do Esp√≠rito na vida dos dois primeiros reis de Israel. Em 1 Samuel 10.6 somos informados que o Esp√≠rito de Deus se apoderou de Saul, fazendo dele um novo homem. Infelizmente Saul n√£o deu a devida import√Ęncia a esta un√ß√£o, vindo a perder anos mais tarde [1 Sm 16.14]. Outro rei na hist√≥ria que teve a companhia do Esp√≠rito Santo foi Davi, que, diferentemente de Saul, soube valorizar esta un√ß√£o a ponto de pedir a Deus que n√£o o lan√ßasse fora da Sua presen√ßa e n√£o retirasse dele o Esp√≠rito Santo [Sl 51.11]. Fazendo-nos ver que a gra√ßa est√° dispon√≠vel e ao alcance de todos. Conforme dito por Paulo:”[…] onde o pecado abundou, superabundou a gra√ßa” [Rm 5.20].


Pastor Cesar Roza de Melo:

“O outro rei de Israel que teve a sua vida mudada pelo Esp√≠rito de Deus foi Davi. Atrav√©s da uni√£o recebida, Davi tocava harpa e o esp√≠rito ruim deixava Saul; derrotou o gigante Golias e enfrentou grandes batalhas em sua vida. A B√≠blia diz que o Esp√≠rito do Senhor se apoderou de Davi [1Sm 16.13]. Enquanto Davi vivia sob dom√≠nio do Esp√≠rito Santo, ele conseguiu tomar as decis√Ķes certas para o fortalecimento de sua vida, fam√≠lia e reinado:”


O EU ENSINEI QUE:

Deus, através dos tempos, capacita com o Seu Espirito pessoas para serem usadas nas mais diversas áreas da vida.


3- O ESP√ćRITO SANTO NOS EVANGELHOS

O tempo anterior a descida do Esp√≠rito Santo no dia de Pentecostes √© caracterizado por um amplo es­friamento espiritual, principalmente entre aqueles que estavam mais envolvidos com a leitura e o estudo das Escrituras e com o servi√ßo no Templo – escribas, fariseus e sacerdotes. Podemos ver isso nos Evangelhos, quando em Seus discursos, Jesus falava sobre o estado de desvio espiritual em que viviam os l√≠deres religiosos [Mt 23]. Assim √© poss√≠vel perceber que neste tempo o povo passava por um tempo de desvio espiritual por n√£o haver condutores espirituais comprometidos com as verdades sagradas [Mc 8.15].


3.1. Israel antes da efusão do Espírito.

Na B√≠blia vemos que Jesus, ao assumir Sua natureza humana, encontrou aqui um triste estado espiritual do mundo. √Č triste observar que Ele se deparou com a resist√™ncia dos l√≠deres religiosos, que faziam de Jerusal√©m, um ambiente marcado por desordens e agita√ß√Ķes em n√≠veis religiosos e pol√≠ticos. Fazendo uma leitura com mais vagar na B√≠blia, assistimos que as refer√™ncias sobre os l√≠deres de Israel s√£o as piores poss√≠veis. Estes homens viviam mergulhados em uma frieza espiritual que os fazia viver afastados totalmente do Criador.


O contexto social-pol√≠tico-religio­so nos tempos de Jesus revela a decad√™ncia espiritual em que se encontra­vam muitos que faziam parte de diversos grupos pol√≠tico-religiosos, como, por exemplo: saduceus, fariseus, herodianos. Foi um tempo marcado pela soberba, materialismo, interesses pol√≠ticos, hipocrisia, legalismo. Contudo, mesmo neste ambiente t√£o corrupto, os Evangelhos revelam que o Esp√≠rito Santo estava ativo na vida de muitos que n√£o se desviaram dos princ√≠pios das Escrituras Sagradas, mas permaneciam tementes a Deus, sinceros em suas pr√°ticas religiosas, aguardando a chegada do Messias, vivendo uma vida reta e justa: Joao Batista [Lc 1.15]; Ma­ria [Lc 1.35]; Isabel [Lc 1.41]; Zacarias [Lc 1.67]; Sime√£o [Lc 1.25].


3.2. O Espírito Santo estava sobre Cristo.

O profeta Isa√≠as havia profetizado que o Messias seria revestido do Esp√≠rito do Senhor e que este mesmo Esp√≠rito repousaria definitivamente sobre o “rebento do tronco de Jess√©” [Is 11.1-2]. Essa profecia se cumpriu no nascimento de Jesus, pois, de acordo com Mateus 1.18, Maria se achou gr√°vida por obra do Esp√≠rito Santo. Lucas nos mostra que Jesus crescia e se fortalecia em esp√≠rito e cheio de sabedoria [Lc 2.40). At√© mesmo na hora do Seu batismo em √°guas vemos a manifesta√ß√£o do Esp√≠rito em forma de pomba sobre Ele [Mt 3.16-17]. O Esp√≠rito levou Jesus para ser tentado no deserto [Lc 4.1] e esteve com Ele em todo o Seu minist√©rio p√ļblico.


Bispo Primaz Manoel Ferreira:

“O minist√©rio de Jesus Cristo foi re­alizado no poder do Esp√≠rito Santo [Is 61.1-2]: pregar as boas novas aos mansos; restaurar os contritos de cora√ß√£o; proclamar liberdade aos cativos; proclamar a abertura da pris√£o aos presos; consolar os tristes. Pelo Esp√≠rito Santo, Jesus ofereceu-se a Si mesmo pelos nossos pecados na cruz do Calv√°rio [Hb 9.14]”


3.3. O mesmo Espírito que estava sobre Jesus está na Sua igreja.

O livro de Atos dos Ap√≥stolos apresenta que aquelas 120 pessoas seguiram as orienta√ß√Ķes de Jesus e, quando estavam reunidas no cen√°culo, a promessa feita pelo Mestre foi literal­mente cumprida e o Esp√≠rito desceu sobre eles [At 2.1-4]. Que a mesma coisa venha acontecer com todos os crentes. Que sejamos cheios do Esp√≠rito Santo, como os crentes no Dia de Pentecostes.


Douglas Baptista:

“Lucas descreve a capacita√ß√£o do Esp√≠rito Santo no minist√©rio de Jesus e no minist√©rio da Igreja. A un√ß√£o do Esp√≠rito que repousava em Jesus tamb√©m foi concedida √† Igreja [At 2.33]. Esse revestimento de poder na vida do crente n√£o √© apresentado como dom para salva√ß√£o, mas como a un√ß√£o dos salvos para o testemunho e o servi√ßo crist√£o. Esse √© o padr√£o b√≠blico adotado pelo pentecostal submisso ao ensino das Escrituras Sagradas. Desde o Pentecostes, o derramar do Esp√≠rito Santo permanece como modelo para a Igreja de Cristo”.


EU ENSINEI QUE:

A atuação do Espírito Santo em Cristo aponta para uma união perfeita em todos os aspectos.


CONCLUSÃO

Na Bíblia podemos compilar todo um conjunto de elementos que demonstram que o Espírito Santo sempre esteve presente ao longo dos diversos momentos registrados na Bíblia, desde o livro de Gênesis [Gn 1.1-2] até o livro de Apocalipse [Ap 22.17]. O mesmo Espírito de Deus continua ativo hoje!

Veja mais li√ß√Ķes Betel Aqui