FECHAR <----
 

Seja bem-vindo (a) ao subsídio bíblico para a classe de Adultos.
Lição: 3
Revista do 1° trimestre de 2019 – CPAD
Veja a continuação deste estudo em Nosso “E-book Subsídios EBD”. Vol. 15 – Clique Aqui.
INTRODUÇÃO
Satanás, na sua fúria egoísta para assumir um lugar que não lhe cabia, persuadiu um expressivo número de anjos que se tomaram vítimas do seu desatino, os quais perderam o brilho da glória de Deus e foram lançados nas mesmas trevas densas que ele. Uma parte deles já se encontra no inferno (2 Pe 2.4; Jd 6) e a outra, infernizando a vida na Terra (Ef 2.2; 1 Jo 5.19), tentando fazer com que os seres criados à imagem e à semelhança de Deus se dobrem ao senhorio de seu chefe e se tomem tão miseráveis quanto eles, fazendo-se dignos do mesmo castigo (Mt 25.41).
                                                
I – QUEM SÃO OS DEMÔNIOS
Quando Satanás se rebelou contra Deus, uma porção dos anjos participou em sua rebelião. Deus os expulsou do céu junto com Satanás. Eles não foram mais seres espirituais do bem (anjos). Eles se tornaram seres espirituais do mal [demônios] (Ap 12.7-9)

Os demônios são seres espirituais com personalidade e inteligência. Como súditos de Satanás, inimigos de Deus e dos seres humanos (Mt 12.43-45), são malignos, destrutivos e estão sob a autoridade de Satanás (Mt 4.10).

1. Espíritos Decaídos
Os demônios são parte [outra parte estão em prisão] (1 Pe 2.4; Jd 6) dos anjos decaídos, os quais se rebelaram contra Deus (2 Pe 2.4; Jd 6) Eles foram criados por Deus e eram originalmente bons e, assim como o ser humano, dotados de livre-arbítrio; porém, sob a direção de Satanás, eles pecaram e rebelaram-se contra Deus, tornando-se maus (Ap 12.9). São identificados como "espíritos imundos” (At 8.7), "espíritos malignos" (At 19.12), "demônios" (Lc 9.1). Eles são espíritos maus desprovidos de corpos, capazes de possuir corpos humanos (L 11.24-26) e de animais (Mc 5.12,13): Satanás, o maioral deles (Lc 10.18).

2. Duas classes de Anjos decaídos
Segundo alguns estudiosos, os demônios não pertencem à mesma classe dos anjos decaídos. Trata-se de outra categoria de espíritos maus e arruaceiros que atuam no mundo, causando problemas à vida em geral.

A principal razão dessa distinção decorre dos textos que dizem que os anjos decaídos foram postos em prisão no inferno (1 Pe 2.4; Jd). Nesse caso, os demônios não poderiam fazer parte daqueles, uma vez que estão soltos.

Tanto no texto de 2 Pedro 2.4 quanto no de Judas 6 lê-se “aos anjos” e não, simplesmente “os anjos”. “Aos” é menos específico do que “os”. “Aos” quer dizer “aqueles”. Portanto, “quanto àqueles anjos...”; fica claro que não foram todos postos em prisão.

Satanás não poderia apoderar-se deste mundo se estivesse sozinho. Ele não é onisciente, nem onipresente. Como conseguiu tanto? Se não lhe sobrassem anjos aliciados por ele, no passado, como atingiria de forma tão potente os seus intentos?

Há, seguramente, duas classes de anjos decaídos: a dos que estão presos e a dos que estão soltos. Existem demônios confinados e demônios ativos. O líder de ambos os grupos é Satanás, quem é chamado de o Príncipe dos demônios (Mateus 12.24). O inferno está preparado para o diabo e seus anjos. Será seu destino final (Mateus 25.41).

Qual seria a razão dessa distinção?
Provavelmente, devido ao seu nível de “ferocidade”, os anjos decaídos que estão confinados no inferno (isto é, no tártaro) causariam maiores danos a Terra, se estivessem soltos.
 
Originalmente, no texto de Pedro, foram aprisionados no tártaro[1], de onde nunca mais sairão, embora estejam aguardando ainda juízo. A razão desse juízo não prevê caminho de esperança para eles, mas o agravamento de pena (2 Pe 2.4; Jd 6). Não há um detalhamento bíblico quanto a isso, mas pode-se chegar facilmente a tal conclusão pela revelação que a Bíblia faz daqueles que estão em prisões e dos que estão nas regiões celestes nos ares (Ef 6.12).

Os anjos decaídos que se encontram soltos não podem ser considerados bons e inofensivos. Eles são terríveis e estão a serviço do seu mentor e chefe, Satanás, mas eles também estão sob os limites traçados por Deus.

3. Os demônios estão organizados militarmente
A Bíblia descreve os anjos em categorias hierárquicas, afirmando que eles foram criados por Deus: “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele” (Cl 1.16). Essas categorias angelicais tanto dizem respeito aos anjos bons quanto aos decaídos. Paulo diz que a nossa luta é “contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” (Ef 6.12).

a) Os príncipes da terra
Alguns demônios são chefes de grandes regiões, ou de países, e por isso são chamados como tendo autoridade sobre esses lugares. Em Daniel 10.13,21, chamam-se “o príncipe da Pérsia” e “o príncipe da Grécia”. Certamente o Diabo tem encarregado demônios graduados para liderar as forças malignas em cada país ou região.

b) As hostes da maldade
Os demônios estão organizados em hostes espirituais da maldade
(Ef 6.12) e em legiões de demônios (Me 5.9,15). Essas formações têm como seus chefes os “príncipes das trevas” (Ef 6.10-12). Continuaremos sobre este assunto na Lição 10 - Poder do Alto contra as Hostes da Maldade.

4. Atividades dos demônios
Em geral:
1) Os demônios afligem os homens com problemas físicos e mentais (Mt 9.33; Mc 1.21). Nem todas as enfermidades têm uma origem demoníaca.   Jesus ordenou a seus discípulos "curai os enfermos... expulsai os demônios..." (Mt 10.8), fazendo uma distinção entre ambas as coisas.
2) Eles podem     possuir os homens, controlando-os completamente (Mt 4.24; 5.1-21).
3) Inspiram doutrinas distorcidas para confundir até os próprios cristãos, se for possível. Mostram-se ativos até nos sistemas de governo mundial (Ef 6.21).
4) São os agentes que trabalham incentivando a idolatria, a imoralidade e todos os tipos de iniquidade e perversão, usando adolescentes, jovens, homens e mulheres, levando a sociedade para um estado de corrupção sem limites (1 Co 10.20,21; Ap 9.20,21).
5) São capazes de prender as pessoas em situações desagradáveis e de longa duração (Lc 13.11).
6) Podem falar usando a boca dos homens (Mt 8).
7) Trazem brigas e dissensões no seio da família, levando casais até a separação ou a desatinos.
8) Tentam opor-se à obra de Deus (Ap 16.13-16 e Daniel 10.11-14).
9) Estendem a autoridade de Satanás (Ef 6.11,12).
10) Podem possuir animais (Mc 5.13).
11) Espalham falsa doutrina (1 Tm 4.1).
12) Opõem-se ao crescimento espiritual dos filhos de Deus (Ef 6.12.
13) Podem fazer que as pessoas sejam mudas (Mt 9.32), cegas (Mt. 12.22) e paralíticas (Lc 13.11).
14) Podem atormentar as pessoas (Mt 15.22), e inclusive as conduzir ao suicídio (Mt 17.14).


5. O poder de Jesus sobre os demônios
Jesus veio à terra a fim de destruir as obras de Satanás (1 Jo 3.8), de estabelecer o reino de Deus e de livrar o homem do domínio de Satanás (12.28; Lc 4.19; 13.16; At 26.18).

Nos seus milagres, Jesus frequentemente ataca o poder de Satanás e o demonismo (Mc 1.25,26, 34, 39; 3.10,11; 5.1-20; 9.17-29; Lc 13.11,12,16). Um dos seus propósitos ao vir à terra foi subjugar Satanás e libertar seus escravos (Mt 12.29; Mc 1.27; Lc 4.18).

Jesus derrotou Satanás, em parte pela expulsão de demônios e, de modo pleno, através da sua morte e ressurreição (Jo 12.31; 16.17; Cl 2.15; Hb 2.14). Deste modo, Ele aniquilou o domínio de Satanás e restaurou o poder do reino de Deus.

II – SATANÁS, O MAIORAL DOS DEMÔNIOS
Satanás é o nome do chefe dos demônios. (Jó 1.6; Zc 3.1; Mt 4.10; Lc 10.18). Cristo reconheceu e ensinou a existência de Satanás (Mt 13.39; Lc 10.18 e 11.18).

O império do mal sobre o qual Satanás reina (Mt 12.26) é altamente organizado e exerce autoridade sobre  as regiões do mundo inferior, os anjos caídos (Mt 25.41; Ap 12.7), os homens perdidos (Mt 4. 8,9; Jo 12.31; Ef 2.2) e o mundo em geral (Lc 4.5,6; 2 Co 4.4; ver 1 Jo 5.19).

1. A queda do Satanás
Quando o pecado entrou no coração de Lúcifer e ele foi lançado fora do céu, experimentou uma total transformação. Após ter sido um querubim perfeito, tomou-se a personalidade mais perversa e caída que se possa imaginar, autor de todo o pecado e a fonte de todo o mal.
Como castigo por sua maldade, Satanás foi lançado fora do céu, juntamente com um grupo de anjos que ele havia alistado em sua rebelião. (Mt 25.41; Ap 12.7; Ef 2.2; Mt 12.24.) Ele procurou ganhar Eva como sua aliada; porém, Deus frustrou o plano e disse: "Porei inimizade entre ti e a mulher" (Gn 3.15).
Deus criou Lúcifer perfeito; no entanto, dentro desse ser perfeito foi criado o mal: “Naquele tempo eras perfeito e irrepreensível em teus sentimentos e atitudes, desde o dia em que foste criado, até oque se observou malignidade em ti” (Ez 28.15 - KJA).

Outra versão bíblica diz que o mal foi achado nele. A palavra “achar” usada neste texto (Ez 28.15), é matsa, que significa descobrir, inventar. Assim, ele inventou o mal. O mal não estava originalmente nele, porque ele saiu do próprio Deus que é absolutamente perfeito.

No texto de Ezequiel 28.11-19 temos a descrição do estado original de Lúcifer, e o motivo da sua queda em Isaías 14.11-16.
A queda de Satanás de sua posição angelical ocorreu por causa do orgulho e a rebelião demonstrada em cinco atitudes equivocadas. Satanás disse:

SUBIREI ao céu: deseja ocupar a morada de Deus, o céu, esperando um reconhecimento semelhante.

LEVANTAREI meu trono acima das estrelas (anjos) de Deus: Não somente deseja ocupar a morada de Deus, se não que também seu governo sobre as hostes angelicais.

ME ASSENTAREI no monte da congregação: conforme a Isaías 2.2 e o Salmo 48.2, este é o centro do governo terreno de Deus. Satanás deseja governar a terra igual aos anjos.

SUBIREI acima das altas nuvens: as nuvens nos falam da glória de Deus. Satanás queria a glória de Deus para si mesmo (os seguintes versículos documentam as nuvens em relação com a glória de Deus. Êxodo 13.21; 40.28-34; Jó 37.15-16; Mateus 26.64; Apocalipse 14.14-16).

SEREI semelhante ao Altíssimo: Deus tem muitos nomes pelos quais Ele é chamado. Por que Satanás escolheu este nome em particular? Selecionou este título porque reflete a Deus como “possuidor do céu e da terra”.

2. Seu castigo
O apóstolo João teve uma visão prospectiva (futura) e, ao mesmo tempo, retrospectiva (passada) no céu. O Senhor voltou com ele no tempo, para mostrar-lhe o clima criado por ocasião da grande rebelião (Ap 12.7-9). Satanás foi expulso do céu com a velocidade e a explosão de um raio (Lc 10.18; Is 14.12). Aquele que na sua altivez queria estar acima do próprio Deus foi condenado ao mais profundo abismo (Is 14.15).

Ø  EXPULSÃO DO CÉU:
Por causa de sua rebelião, Satanás foi atirado do céu Deus:
“... pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus... lancei-te por terra” (Ezequiel 28.16-17).

Ao contrário dos anjos que já estão presos no tártaro (2 Pe 2.4), Satanás ocupa, simultaneamente, tanto as regiões abissais (profundezas do abismo) — onde parece ter o seu trono (Ap 9.11) —, quanto as regiões terrenas e celestiais (Ap 12.9; Jó 1.6; Ef 6.12).

Ø  CORRUPÇÃO DE CARÁTER:
Lúcifer, uma vez criado para a glória de Deus, se tornou em Satanás com um caráter que se opunha a tudo o que Deus é e faz.

Ø  PERVERSÃO DE PODER:
O poder de Satanás foi uma vez usado para a glória de Deus. Agora ele tem se inclinado a propósitos desorganizados e destrutivos. De acordo com Isaías 14, ele debilita as nações (versículo 12), provoca que a terra e os governos também (versículo 16), e aqueles tomados como prisioneiros não possuem alívio (versículo 17).

Ø  DESTINADO AO LAGO DE FOGO:
Satanás foi destinado ao lago de fogo (Isaías 14.15; Ap 20.10 ).

Ø  AFETOU A OUTROS ANJOS DE DEUS:
Quando Satanás caiu do céu não caiu sozinho. Levou consigo uma porção dos anjos do céu que participaram em sua rebelião contra Deus. Este grupo de anjos é parte agora de uma força do mal, os demônios.

3. Sua personalidade [é uma pessoa]
a) Tem intelecto (Mt 4; 2Co 11:3) - cita as Escrituras.
b) Tem emoções (Ap 12) - ira.

Traços da personalidade:
ü  É um assassino (João 8.44a).
ü  É um mentiroso (João 8.44b).
ü  É um pecador inveterado (1 Jo 3.8).
ü  É um acusador (Apo 12.10).
ü  É um adversário (1 Pe 5:8).

4. Sua natureza
a) Um ser criado (Ez 28.14,15) - Portanto tem que responder perante seu criador.
b) Um ser espiritual (Ef 6.11, 12).
c) Foi um Querubim (Ez 28.14).
d) O ser angelical mais elevado (Ez 28.12).
e) Um ser cruel.
A crueldade de Satanás pode ser vista nos seguintes nomes: “leão”
(1 Pe 5.8), “dragão” (Is 27.1), “Abadom” (Hebraico) ou “Apoliom” (grego), que significa “destruidor” (Ap 9.11), “homicida” (Jó 8.44), “antiga serpente” (Ap 20.2).

5. Seus principais nomes e títulos
6. Limitações de Satanás
7. Sua obra maligna
8. Satanás em relação aos ímpios
9. Todo o mundo está no maligno
1O. Defesas do crente contra Satanás
11. Qual é a maior fraqueza e a maior força de Satanás contra o crente?
Veja a continuação deste estudo em Nosso “E-book Subsídios EBD”. Vol. 15 – Clique Aqui.


III – AS BATALHAS DE MIGUEL COM O DIABO

1. A batalha por causa da oração de Daniel
A primeira derrota imposta aos poderes de Satanás pelo arcanjo Miguel. A primeira derrota de Satanás frente ao arcanjo Miguel e seus anjos encontra-se em Daniel (Dn 10.13,21). O povo desse confronto foram as orações do profeta Daniel em favor dos judeus. A resposta de Deus estava sendo impedida pelos anjos malignos, mas o anjo do Senhor venceu a barreira, e levou a Daniel a revelação divina quanto aos últimos dias. Satanás odeia Israel por causa do pacto divino com esse povo. As promessas feitas por Deus a Abraão e seus descendentes ainda estão em vigor.

2. A batalha por causa do corpo de Moisés
“Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o Diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda" (Jd v.9).

a) A luta
Judas limita-se a revelar que a peleja entre Miguel e o Diabo deu-se por causa do corpo de Moisés. O que buscava o maligno, afinal, com os restos mortais do profeta e legislador dos hebreus?

Inferimos dos textos sagrados, ter sido o arcanjo enviado para sepultar o defunto. No entanto, o Diabo se lhe opôs, pois intentava suscitar, dos despojos do homem de Deus, um objeto de culto, a fim de levar Israel à apostasia à semelhança do que aconteceu com a serpente de bronze (Nm 21.9; 2Rs 18.4).

b) A autoridade do nome de Deus
O arcanjo usou a autoridade do nome de Deus para repreender o adversário. Fortalecido pela autoridade que em Deus possuía, combateu o Diabo: “O Senhor te repreenda” (Jd v.9). Há poder no nome de Deus! Grande é o nome do Senhor Jesus Cristo! (Jr 10.6; Mc 16.17).

3. A terceira Batalha de Miguel com o Diabo
A derrota imposta aos poderes de Satanás pelo arcanjo Miguel acontecerá na Grande Tributação. Satanás será arrojado dos Céus (Ap 12.7-12).

Quando de sua rebelião contra o Senhor, o diabo perdeu o direito de habitar na mesma dimensão de Deus e dos santos anjos. Ele foi expulso da presença do Altíssimo (Ezequiel 28.16-17), estabelecendo sua habitação “nas regiões celestiais” (Ef 2.2; 6.11,12).
 

IV – EXPULSAR DEMÔNIOS NÃO É ESPETÁCULO

1. O preparo espiritual
2. O espírito de reverência
3. Uso de linguagem sã
4. O uso indevido da força física
5. A manutenção do culto
Veja a continuação deste estudo em Nosso “E-book Subsídios EBD”. Vol. 15 – Clique Aqui.

 CONCLUSÃO
Quando Jesus vier em glória (Ap 19.11-16), Satanás será preso e amarrado por mil anos (Ap 20.1-3). Depois será solto por um pouco de tempo e logo continuará aquilo que é próprio dele, isto é, enganar os homens que, em grande número, o seguirão e se ajuntarão na batalha contra Deus (Ap 20.7,8). Deus, porém, não esperará mais e mandará o fogo do céu devorar Satanás e as suas hostes.

Então, Satanás será lançado no inferno para todo o sempre (Ap 20.9,10), ficando totalmente esmagado debaixo dos pés do seu vencedor (Rm 16.20). Todos os demônios serão julgados e lançados no lago de fogo, que foi feito para o Diabo e os seus anjos (Mt 25.41).

VEJA A CONTINUAÇÃO DESTE ESTUDO AQUI


[1] O Tártaro é uma palavra grega, que só aparece uma vez no Novo Testamento: "Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservado para o juízo" (2 Pe 2.4). O inferno mencionado aqui é o Tártaro, [tartaroo], em grego, parece indicar o lugar de suplício para os anjos rebeldes, até o dia do julgamento deles.

 
Top