FECHAR<===

Aos setenta discípulos comissionados, o Senhor Jesus  ordenou que partissem de dois em dois a todas as cidades e lugares. Ao chegarem a uma casa, eles deveriam dizer: "Paz seja nesta casa". Se ali estivesse um filho da paz, sobre este a paz repousaria; caso contrário, a paz voltaria aos discípulos (Lc 10.1-6; Mt 10.12,13).

"Paz seja convosco" foram as palavras de saudação de Jesus aos seus discípulos em seu primeiro encontro após a ressurreição (Jo 20.19).

"Graça e Paz" são as palavras de saudação usadas pelo apóstolo Paulo em suas epístolas direcionadas às igrejas, bem como nas cartas endereçadas a pessoas específicas (1Co 1.3; Fm v3).

No entanto, Tiago, em sua carta universal, cita apenas a palavra "saúde"   como   saudação   (Tg 1.1). A mesma usada em Atos 15.23, sendo esta provavelmente a saudação popular romana (At 23.26).
Entre os cristãos primitivos, era costume as palavras  de saudação   serem acompanhadas pelo ósculo santo (beijo na face) (Rm 16.16).
A Igreja Primitiva tinha uma saudação especial que os crentes só usavam entre si, conforme registrado em 1Coríntios 16.22: a palavra "Maranata!".
 
LEIA TAMBÉM:

 
Essa palavra é constituída de três termos aramaicos: "Mar", ("Senhor"),    "Ana"   ("nosso"), e "Tha" ("vem"), significando, assim, "Vem, nosso Senhor!", o que ressalta a bendita esperança da Volta do Senhor Jesus.
Entre os judeus, a principal palavra  usada  para  saudação é "Shalom" ("Paz"). Desejar "Shalom" a alguém implicava uma bênção (2Sm 15.27).

"A Paz do Senhor!"
A expressão "A Paz do Senhor!" é a mais popular de todas as saudações evangélicas no Brasil.
Essa conhecida saudação cristã assembleiana é uma característica marcante da denominação.

Saudar com a "A Paz do Senhor" durante a realização do culto, no início de cada ato litúrgico (cantar, fazer uma oração, ministrar a Palavra) ou simplesmente ao fazer um anúncio no final do culto, é sinal de comunhão, cordialidade e respeito com os presentes.

Porém, a saudação não se limita apenas ao ambiente do culto. Em qualquer lugar onde os crentes assembleianos se encontram, não hesitam em se cumprimentarem-se com "À Paz do Senhor", Por outro lado, não se pode dizer que essa saudação é uma exclusividade da Assembleia de Deus. Por ser uma saudação bíblica, outras denominações evangélicas também a usam.

O costume do crente assembleiano de saudar um ao outro dizendo "A Paz do Senhor" foi discutido na Convenção Geral de 1943, realizada na Assembleia de Deus em São Cristóvão, Rio de Janeiro (RJ). Os convencionais debateram que tipo de saudação os crentes das Assembleias de Deus deveriam usar em todo o território nacional.

A Convenção Geral não estabeleceu que a expressão preferida pelos obreiros se tornasse única e obrigatória entre os crentes as-sembieianos, mas, seja como for, fato é que a maioria preferiu a forma "A Paz do Senhor", que se tornou uma marca assembleiana e até mesmo uma expressão identificadora dos evangélicos em todo o Brasil.

Hoje, eventualmente, quando um descrente se refere aos evangélicos, usa (mesmo que na maioria das vezes jocosamente) a expressão 'A Paz do Senhor, irmão!".
Outras denominações preferem "A Paz do Senhor Jesus!", "A Paz de Deus", "Graça e Paz", "A Paz!" ou só os tradicionais "Bom dia!", "Boa tarde!" e "Boa noite!". Porém, como já foi dito, a Assembleia de Deus tem como uma das suas identidades marcantes a saudação "A Paz do Senhor!", que de tão popular é a mais conhecida saudação evangélica entre os brasileiros.
 
Mesmo sem sabermos em que época e região do Brasil essa maravilhosa forma de saudação começou a ser praticada, a convicção que temos é que é muito boa pois a mesma deriva de passagens bíblicas, tais quais as que citamos no início do presente artigo.

Em 1933, o jornalista assembleiano Emílio Conde fez uma defesa contundente por meio de sua coluna "Actualidades", no jornal Mensageiro da Paz, frente a uma crítica feita pela Aliança Evangélica num jornal evangélico referente ao uso da saudação "A Paz do Senhor". Escreveu Conde:

"Se a nossa maneira de saudação é objeto de perguntas e respostas no citado jornal, e para que não digam tolices quando alguém lhes perguntar alguma coisa a esse respeito, então nos lhes dizemos que "A Paz do Senhor!" é a saudação que Jesus e os apóstolos usavam. Pode haver melhor modo de nos saudarmos?
Que responda a consciência de cada um. Se quiserem adotar, podem fazê-lo; não nos precisam pedir permissão, porque as coisas de Deus são para todos", declarou Conde à época. (Fonte: "Dicionário do Movimento Pentecostal", CPAD, Israel Araújo).

Por: PR. Daniel dos Santos Paixão
Fonte: Jornal Mensageiro da Paz, janeiro de 2011

Reverberação: Subsídios EBD

 
Top