A influência da Escola Dominical na vida do adolescente

Imagine o cenário atual em que vivem os adolescentes: eles estão em um período de grandes mudanças físicas, emocionais, intelectuais, morais e sociais. Muitas vezes, vivem em famílias desajustadas, e estão em uma sociedade relativista. E para completar, recebendo uma educação materialista.

Que situação terrível enfrentam essas vidas, que são jóias preciosas aos olhos de Deus! Como são terríveis os gigantes que elas têm enfrentado a cada momento de suas vidas. Pais, líderes e professores conhecem de fato a realidade desse campo de batalha, no qual vivem nossos adolescentes?
Nessa guerra, estão vivenciando com eles suas dores?
Seus conflitos internos?
Suas angústias?
Muitas outras perguntas poderiam ser feitas, mas estas já são de grande valia para nossa reflexão.
Nunca na história da humanidade a família esteve tão ameaçada como nos dias hodiernos. E isso tem causado muitos reflexos negativos, pois a educação familiar é base fundamental para a formação da personalidade e do caráter do ser humano.
Muitos pais transferem grande parte de sua responsabilidade a terceiros, diminuindo assim o diálogo familiar, o tempo com os filhos, a instrução contínua do ensino da Palavra de Deus. Esquecem de Deuteronômio 6. 6-9. E lamentável, mas é no seio dessas famílias que os nossos adolescentes estão passando essa fase tão complexa de suas vidas. Muitos pais, por não compreenderem esse período marcado por transformações e reações diversas, vivem em extremos, ora rígidos demais, ora - no afã de agra- dá-los - concedendo a eles permissividade excessiva.
O que dizer da sociedade onde estão inseridos, onde o relativismo predomina, afirmando que nada na vida é absoluto, inclusive o certo e o errado? E a mídia faz apelos persuasivos à prostituição. Como afirma Lin Joshnson, "os adolescentes vivem em uma sociedade em que a mídia usa o sexo para vender tudo e exalta o sexo fora do casamento. [...] Os mesmos são pajeados, entretidos e hipnotizados pala televisão. [...] No entanto, a maioria das coisas que assistem divergem e escarnecem dos preceitos e valores bíblicos. O mesmo cardápio se difunde na indústria dos filmes, livros e revistas" (2003, p. 19). E não podemos deixar de citar as redes sociais, onde muitos, por falta de maturidade, têm se tornado presas fáceis, devido à exposição excessiva e, como resultado, vivem com suas mentes confusas.
Diante da realidade exposta sobre os adolescentes, como a Escola Dominical pode influenciá-los positivamente?
O que fazer para que os mesmos tenham forças para renunciar a tantos apelos deste mundo e seguir a Cristo?
Se a família tem falhado, a educação secular e a sociedade têm tomado rumos diferentes, a Igreja, por sua vez, não pode abrir mão destas vidas. É inadmissível que isso aconteça. É bem verdade que nosso objetivo não é colocar nos ombros da ED toda a responsabilidade, mas enfatizar que a mesma é uma agência transformadora que, através do ensino da Palavra e do Espírito Santo, pode ajudar os adolescentes a resplandecerem como astros no meio de uma geração corrompida e perversa (Fp 2. 15).
Humanamente falando, é muito difícil, grandes são as dificuldades, as barreiras parecem intransponíveis, mas servimos ao Deus Todo-Poderoso, que trabalha para aquele que nEle espera (Is 64.4), e sabemos que para Ele, nada é impossível (Lc 1.37). Precisamos acreditar que o Senhor peleja por nós!
Vale ressaltar que a Escola Dominical deve ser prioridade, tendo em mente que não é uma ED rotineira, um simples encontro de uma hora e meia na manhã de domingo que fará diferença na vida do adolescente.

Precisamos nos esforçar e termos bom ânimo. Para influenciarmos positivamente nossos alunos, a ED precisa tomar algumas atitudes indispensáveis, dentre elas:

1) Precisa ser uma Escola receptiva, atraente, criativa, que procure de forma sábia alcançar o aluno de forma integral.
2) Conhecer e amar o adolescente.
Por estar numa fase de transição, o humor do adolescente oscila muito: ora estão alegres demais, ora ficam tristes com facilidade, e muitos terminam extravasando suas dores através de suas atitudes, enquanto outros trazem consigo um silêncio aflitivo. Daí a grande necessidade de conhecer e amar esse público-alvo, a fim de que eles se sintam aceitos e compreendidos. Mesmo quando agem da forma que não gostaríamos, não podemos desistir de ajudá-los. Não adianta qualquer sacrifício de nossa parte se não tivermos amor (1Co 13.1-3).

3) Levá-los a ter uma experiência com Deus.
Quem faz a obra é o Espírito Santo, mas o professor da ED é o instrumento que pode incentivar op adolescente. Essa é uma tarefa imprescindível, pois ainda temos um número considerável de adolescentes
que frequentam nossas Escolas Dominicais e que ainda não tiveram uma verdadeira experiência com Deus. E não estou aqui subestimando a espiritualidade dos que já desfrutam de uma comunhão com Deus.

4) Amar a Bíblia.
Salmos 119. 9,11 nos diz: "Como purificará o jovem o seu caminho? Observando- -o conforme a Sua Palavra"; "Escondi a Tua palavra no meu coração, para não pecar contra Ti". A Palavra de Deus é de vital importância. Ela não é apenas um livro em que há textos complexos, mas um livro que traz respostas a todas as suas questões. Nossos alunos precisam ser incentivados a tê-la como alimento diário e fundamental, agindo assim terão os princípios e a verdade cristã internalizados.
5) Necessitamos de professores que:
a) Sejam vocacionados;
b) Tenham graça e unção;
c) Preparem aulas criativas - Aulas monótonas, sem novidades, jamais impactarão adolescentes, pois eles amam realizar tarefas interessantes, que estejam dentro de sua faixa etária. Esses alunos não suportam o excesso de aulas expositivas, daí a necessidade de variarmos os métodos de ensino; d) Tenham um ensino de qualidade - Para isso, o professor precisa ter bíblica e argumentos convincentes, pois esses alunos não aceitam respostas vagas, querem um ensino que vá direto às suas necessidades e não simplesmente historias bíblicas; querem respostas concretas e reais para seus dilemas. Agindo assim, os alunos terão uma aprendizagem significativa;
e) Saibam ouvi-lo, tenham um ombro amigo e sejam conselheiros confiáveis.

6) A ED deve fazer parcerias com outros departamentos da igreja, a fim de envolvê-los em diversas atividades na igreja, canalizando, assim, a força e a energia dos adolescentes na obra de Deus.

7) Promover encontros com os pais para estudos sobre adolescência - Esses encontros também são uma oportunidade para o professor conhecer mais sobre cada aluno através dos seus pais.

Em suma, a Escola Dominical que vive de acordo com os itens citados é, sem dúvida, uma Escola que conquistará seus adolescentes, pois a mesma será um ponto de apoio e também uma base de treinamento espiritual, onde nossos alunos serão fortalecidos na fé.

Compartilhar:

CURSOS BÍBLICOS PARA VOCÊ:

1) CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO MÉDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Formação de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
5) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui


Matricule-se já !