Subsídios Bíblicos para a Escola Dominical 👇👇

Mostrando postagens com marcador Tentação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Tentação. Mostrar todas as postagens

A Fidelidade de José diante da Tentação

A história de José já é por si só um grande exemplo para os nossos dias. Sua trajetória, bem como as intempéries que vivenciou ao longo de sua vida são a prova cabal de que todos nós estamos sujeitos a passar por momentos difíceis, mas também, se permanecermos fiéis a Deus, desfrutaremos de um relaciona mento saudável com o Criador.

Saiba mais: Deus, nosso Celestial nos Induz à Tentação?

Deus, nosso Celestial nos Induz à Tentação?


Como conjugar a oração do Pai Nosso, no trecho que diz: “não nos induzas à tentação”, com a experiência de Jesus no deserto quando foi tentado pelo Mal?

Podemos ver em Tiago 1.13 que Deus não nos tenta a pecar. Se Deus nos tentasse a pecar, estaria agindo contrário à Sua natureza santa, contra o desejo de sermos santos como Ele é santo (1 Pedro 1.16) e contra todos os outros mandamentos nas Escrituras que nos dizem para evitar o pecado e fugir da tentação.

Na oração modelo do Senhor (Mateus 6.9-13), Jesus diz: “Não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal” (v.13). A inclusão de um pedido para que Deus não nos leve à tentação nos ensina que evitar a tentação deve ser uma das principais preocupações da vida cristã.

Veja também:
·          Jesus ao se tornar Humano perdeu a sua divindade? Clique Aqui
·          Lições Bíblicas Professor, 1° Trimestre de 2020Clique Aqui
·          Foi Deus quem criou o mal? Clique Aqui

Lição 7 - Tentação - A Batalha por nossas Escolhas e Atitudes

Lições Bíblicas do 1° trimestre de 2019 - CPAD | Classe: Adultos | Data da Aula: 17 de Fevereiro de 2019
TEXTO ÁUREO
Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. (1 Jo 2.16)
VERDADE PRÁTICA
A tentação no sentido religioso é a atração ou sedução para praticar o mal tendo por recompensa prazeres ou lucros ilícitos.
LEITURA DIÁRIA
SEG. Gn 22.1: A tentação, às vezes, significa teste, provação
TER. Lc 22.28: A tentação de Jesus foi contínua e não se restringiu à tentação no deserto
QUA. 1 Co 7.5: Satanás procura o ponto fraco do crente para tentá-lo nessa área
QUI. 1 Ts 3.5: Satanás é a principal fonte externa da tentação
SEX. Hb 4.15: Não é pecado ser tentado, mas, sim, ceder ao pecado
SÁB. Tg 1.14: A tentação tem também a sua fonte interna
CURSOS BÍBLICOS PARA VOCÊ
1) Curso de Formação de Missionários Clique Aqui
2) Curso de Qualificação MinisterialClique Aqui
3) Curso Básico em Teologia - Clique Aqui
4) Curso de Secretariado para Igrejas Clique Aqui

5) Capacitação de Professores da Escola Dominical Clique Aqui

Poderia a segunda pessoa da Trindade ser tentada?

“Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo” (Leia Mateus 4. 1 -11). Nessa narrativa, dois agentes invisíveis preparam-se para um grande confronto.
Enquanto o Espírito Santo transporta Jesus ao lugar da tentação, encontra-se já o adversário preparado para o tentar.

A tentação estava nos propósitos de Deus. O Senhor muitas vezes permite sejamos tentados para que o seu nome seja enaltecido, e Satanás, derrotado. Para o nosso próprio bem somos submetidos à tentação, embora pareça- nos contraditório. Não foi, por acaso, o que aconteceu a Jó?

I. PODERIA A SEGUNDA PESSOA DA TRINDADE SER TENTADA?

Como Filho do homem, Jesus possuía alma passível de tentação e corpo sujeito a fome e canseira. Afinal, assumira ele a forma humana; revestira-se de carne para enfrentar batalhas, não para viver de forma contemplativa. Nessa condição, o Senhor Jesus “como nós, em tudo foi tentado” (Hb 4.15).

A Bíblia afirma que quando Jesus veio a este mundo, deixou de lado o poder e os privilégios da divindade. De forma consciente, limitou-se a viver aqui como mero homem. Até mesmo os milagres que realizou foram atribuídos por ele ao poder do Espírito (Mc 3.22-30). O esvaziamento descrito por Paulo é um processo progressivo de humilhação.

Jesus esvaziou-se;
nasceu em semelhança de homem;
foi obediente, mesmo quando isso significou a morte;
aceitou a morte vergonhosa reservada aos criminosos mais vis!

1. POR QUE FOI TENTADO?

Em primeiro lugar, para iniciar seu ministério com um forte golpe contra Satanás, cujas obras viera destruir (1 Jo 3.8).

Sua missão era finalmente expulsar o adversário da terra, assim como Deus o expulsara do Céu. Aqui, o Espírito mostra-se sábio estrategista.
Uma vitória retumbante sobre o chefe das hostes inimigas, logo de início, desmoralizaria todas as forças do mal. Tal vitória seria mais que decisiva para o conflito que iria se desenrolar e cujo final já podemos pressentir. Cada demônio que, naquela época, vivesse a atormentar a humanidade, ficaria sabendo que o império do mal estava prestes a desmoronar-se.

Afugentado o maioral dos demônios, pôs-se Jesus imediatamente a expulsar as castas inferiores das trevas.
O Senhor Jesus foi ungido pelo Espírito Santo para exercer um ministério espiritual que acabaria por quebrar o poder que tem Satanás sobre os homens. Sua obra era “amarrar o homem valente” e “saquear-lhe a casa” (Mt 12.29). Satanás assustou-se ao ver o seu reino ameaçado.
Se pudesse, persuadiria Cristo a transferir seu ministério do plano espiritual para o natural. Era seu intento induzir o Senhor a substituir o programa espiritual por uma plataforma política.

Lição 8 - A Resistência contra a Tentação


Lição Bíblica de Adolescentes
Trimestre: 3° de 2017
Editora: CPAD
Revista do Professor
Reverberação: Subsídios EBD
Outras Lições: Acesse Aqui
TEXTO BÍBLICO
Mateus 4.1-11
Destaque
"Pensem no sofrimento dele e como suportou com paciência o ódio dos pecadores. Assim, vocês, não desanimem, nem desistam. Porque na luta contra o pecado vocês ainda não tiveram de combater até à morte" (Hb 12.3,4).
LEITURA DEVOCIONAL
SEG...................................................................Tg1.14,15
TER.....................................................................Mt 15.9,10
QUA....................................................................Pv 1.10 QUI.....................................................................Mt 26.41
SEX.....................................................................Rm 12.2
SÁB.....................................................................1Co 10.13
DOM....................................................................Lc 11.4
Objetivos
- Apontarem que áreas da vida, Cristo tentado no deserto;
- Explicar que somos atraídos pelos nossos maus desejos;
- Conscientizar que não devemos ceder às tentações.

MATERIAL DIDÁTICO
Cartolina; caneta hidrocor; mural.

QUEBRANDO A ROTINA
Caro professor, diariamente seus alunos são tentados a praticar coisas que não são do agrado de Deus. Nesta fase, eles sofrem uma severa pressão do mundo para andarem em conformidade com os prazeres da carne e se afastarem de Deus. A fim de que estejam mais esclarecidos a respeito de como lidar com esta situação/proponha uma roda de diálogo com seus alunos.
Divida á turma em dois grupos. Peça que sentem em círculo e debatam sobre o seguinte tema: Quais as áreas da vida de um adolescente que ele se acha mais tentado a pecar, e o que pode ser feito para resistir à tentação?

Deixe-os dialogar durante 10 minutos. Ao final, os alunos devem formar um único círculo e cada grupo deve expor as conclusões que chegaram sobre o assunto.
 
Clique e acesse
O compartilhar experiências entre os adolescentes é importante, pois fazendo assim, estão sendo edificados com o testemunho daqueles que passam pela mesma situação e estão vencendo em Cristo. Por fim, leia com a classe 1Pedro. 5.5-9.
ESTUDANDO A BÍBLIA
Professor, conversar com seus alunos a respeito de tentações é algo bem delicado. Por esta razão, tenha muita cautela em abordar o assunto.

A maneira mais fácil de quebrar as barreiras para abordar o assunto é se colocar no lagar de seus alunos e explicar que você também já foi um adolescente e enfrentou as mesmas dificuldades. Apresente exemplos de personagens da Bíblia que também enfrentam tentações difíceis de suportar, mas porque valorizaram a comunhão e confiança com Deus, venceram o que parecia impossível. Professor, é importante que você esteja mais informado sobre os problemas que ocorrem nesta fase da adolescência. Esta é uma fase de ansiedade e, por conta disso, muitos de seus alunos sentem a insegurança de resistir pecado. Saiba que a sua compreensão e disposição em ouvi-los, aumentará a confiança de seus alunos em contar com o seu conselho para enfrentar as situações difíceis desta etapa da vida.

Após ser batizado por João Batista no rio Jordão, Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto (Mt 4). Depois de quarenta dias e noites sem comer, o Filho de Deus ficou com fome. Satanás aproveitou essa ocasião para tentá-lo. O objetivo do Diabo foi investir contra o Mestre de Nazaré a fim de que Ele desviasse do caminho de obediência à vontade do Pai. Mas em cada situação que Jesus foi tentado, Ele se submeteu à autoridade do Pai, ao invés de se entregar aos caprichos de Satanás.

1. ENFRENTANDO A TENTAÇÃO
O texto bíblico relata ao menos três situações de tentação de Jesus no deserto. A primeira tentação relata que o nosso Senhor foi tentado a partir de uma necessidade física. Após o longo período de jejum, Satanás apareceu a Ele e o indagou: "Se você é o Filho de Deus, mande que estas pedras virem pão" (v.3). Mós de pronto, Jesus lhe respondeu:

"As Escrituras Sagradas afirmam: 'O ser humano não vive só de pão, mas de tudo o que Deus diz'" (v.4). Ali, embora a necessidade física de Jesus "gritasse", Ele não satisfez a vontade da carne.

A segunda tentação foi acerca da confiança no Pai. O Diabo o levou ao monte do Templo de Jerusalém e disparou: "Se você é o Filho de Deus, jogue-se daqui, pois as Escrituras Sagradas afirmam: 'Deus mandará que os seus anjos cuidem de você. Eles vão segurá-lo com as suas mãos, para que nem mesmo os seus pés sejam feridos nas pedras"' (v. 6). Mais uma vez Jesus respondeu de forma certeira: "Mas as Escrituras Sagradas também dizem: 'Não ponha à prova o Senhor, seu Deus'" (v.7). O Mestre sabia quem era e não precisava se auto afirmar nem colocar o cuidado do Pai à prova, pois Ele sabia do amor e do prazer que o Pai Celestial tinha consigo.

Por último, o Diabo levou Jesus a um monte alto e mostrou-lhe os reinos do mundo e suas grandezas, dizendo: "Eu lhe darei tudo isso se você se ajoelhar e me adorar". Mas Jesus respondeu: "Vá embora, Satanás! As Escrituras Sagradas afirmam: 'Adore o Senhor, seu Deus, e sirva somente a ele"1 (vv. 9,10). Jesus conhecia o Pai e sabia que não há outro Deus Criador a quem devemos honrar e adorar.

AUXÍLIO DIDÁTICO
Como se passasse por um teste final de preparação, Jesus foi tentado por Satanás no deserto. Três partes específicas da tentação são listadas por Mateus. Elas nos são familiares, porque as enfrentamos. Como mostra o quadro, as tentações frequentemente são combinações entre uma necessidade real e uma dúvida, que criam um desejo impróprio. Jesus demonstrou tanto a importância como a eficácia de se conhecer e aplicar as Escrituras para combater a tentação.

2. SOMOS ATRAÍDOS PELOS MAUS DESEJOS
Todos os dias, o cristão enfrenta uma batalha interna que pode refletir no seu corpo. O apóstolo Paulo explicou isso em sua Carta aos Romanos: "Pois eu sei que aquilo que é bom não vive em mim, isto é, na minha natureza humana. Porque, mesmo tendo dentro de mim a vontade de fazer o bem, eu não consigo fazê-Io. Pois não faço o bem que quero, mas justamente o mal que não quero fazer é que eu f aço" (7.18,19). Ele ensinou que a nossa má natureza nos impele a agir de forma contrária ò vontade de Deus que é boa, perfeita e agradável (Rm 12.2).

Por certo você sabe o quanto é difícil renunciar a vontade da carne e resistir às tentações. Mas caro adolescente, saiba que para Jesus a tentação também não foi fácil, Não era porque Ele é o Filho de Deus que foi fácil ser provado por todos os ataques de Satanás sem, entretanto, pecar contra o Pai, permanecendo santo. Jesus venceu! Não há melhor exemplo do que esse para lhe dizer com clareza: você também pode vencer a tentação e rejeitar as propostas do Diabo.

AUXILIO BIBLIOLOGICO
"A tentação vem de nossos maus desejos interiores, não de Deus. Começa com um pensamento mau, e se torna pecado quando nos demoramos neste pensamento e permitimos que ele se torne uma ação. Como uma bola de neve rolando montanha abaixo, o pecado cresce e se torna cada vez mais destrutivo à medida que permitimos que ele prossiga. O melhor momento para deter uma tentação é antes que esta esteja demasiadamente forte ou se mova rápido demais para ser controlada" (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p.1753).
 
Clique e acesse
3. QUAL O CAMINHO DA TENTAÇÃO?
Tiago, o irmão do Senhor, explica em sua epístola o caminho da tentação em nossa vida, quando somos tentados: "As pessoas são tentadas quando são atraídas e enganadas pelos seus próprios maus desejos. Então esses desejos fazem com que o pecado nasça, e o pecado, quando já está maduro, produz a morte" (Tg 1.14,15). Fica claro que a tentação, geralmente, parte dos nossos pensamentos e sentimentos. Aqueles pensamentos e desejos que você tem bem oculto, mas ninguém sabe. Então, se esse pensamento ou sentimento não for confrontado imediatamente, pronto: o pecado amadurece e produz morte espiritual e, em muitos casos, como consequência da prática do pecado, a morte física literal.

4. NÃO CEDA!
O que levou Jesus a recusar as ofertas de Satanás? A resposta é clara: para Jesus, o seu Reino não é deste mundo. Ele recusou para si um reino terreno, constituído de artifícios humanos e políticos de onde receberia a glória e a honra deste mundo, a fim de receber um Reino que é espiritual, que opera no coração daqueles que o temem e o reconhecem como Senhor e Rei (Jo 18.36).

A este Reino que você é chamado a fazer parte, caro adolescente. Não ceda às ofertas do mundo. Seja forte, lute com as armas espirituais que o Senhor colocou à sua disposição (£f 6.10-20). E quando o grande Rei voltar você receberá a coroa da vida que está preparada aos fiéis da Terra.

AUXÍLIO DIDÁTICO
[...] A mensagem bíblica é dará: o corpo humano não é um pecado em si mesmo; são os desejos da carne - como fornicação, ciúmes e embriaguez — que são pecaminosos e devem ser colocados sob controle. Por este motivo é tão importante entender toda a mensagem da visão bíblica de mundo. O reconhecimento cristão quanto a excelência da criação nos leva a valorizar essa criação, inclusive o corpo: temos o dever de cuidar do corpo, evitando violar a sua ordem moral. As proibições do cristianismo contra o sexo antes do casamento, a homossexualidade e outras formas de licenciosidade sexual não representam regras repressivas com o propósito de nos negar o prazer. Elas estão presentes para promover o respeito à dignidade humana e permitir que tenhamos uma liberdade cristã para desfrutarmos os legítimos prazeres criados por Deus (COLSON, Charles. Respostas às Dúvidas de seus Adolescentes, 1ed. Rio Janeiro: CPAD, 2004, pp.146-47).

Professor, enfatize aos seus alunos que a fase que estão passando é marcada por profundas mudanças no corpo, inclusive a sexualidade começa a se revelar de forma mais intensa. Explique-os que não devem se assustar como se algo de errado estivesse acontecendo com eles. Não é pecado sentir os impulsos, pelo contrário, todas essas mudanças fazem parte do desenvolvimento natural do corpo humano. Entretanto, devem pedir a Deus que os conceda o domínio próprio para que submetam essas vontades à orientação da Palavra de Deus.

Conclusão
O nosso desejo é que você guarde a preciosa Palavra de Deus em seu coração. Por mais desanimas que as tentações possam lhe trazer, não desanime! Sai baque é um privilégio passar por elas, pois quando você for aprovado, Deus o concederá um prémio da vida reservado a todos aqueles que amam o Senhor (Tg 1.12).

Além disso, o Espírito Santo é o nosso companheiro de jornada. Ele conhece as nossas fraquezas, e intercede por nós todos os dias e estará ao seu lado sempre. Não enfrente essa batalha sozinho, você tem um amigo especial com quem pode contar. Se em algum momento você falhar, não pense que acabou, confesse a Deus as suas falhas, procure também ajuda do seu líder, uma pessoa idónea, responsável e amável e volte a andar pelo justo caminho. Persevere no Senhor! Não desista do Reino de Deus!

RECAPITULANDO
A Palavra de Deus afirmo que Jesus foi tentado em todas as coisas, mas sem cometer pecado (Hb 4.15). O Filho de Deus abriu mão de toda s as coisas que o mundo poderia lhe ofertar, afim de cumprir com integridade Q vontade do Pai. Do mesmo modo em que foi tentado, Ele compreende todas as fraquezas humanas e pode interceder por aqueles que desejam, pela fé, agradara Deus.

Talvez você ache quase impossível fazer a vontade de Deus. São tontas coisas que acontecem para distraí-lo e levá-lo para longe do Altíssima. Mas saiba que você não é o único que passa por isso. Todo aquele que deseja servira Deus e adorá-lo em espírito e em verdade encontrará adversidades e tentações pelo caminho até a chegada ao céu. Mas não se atemorize, Deus é fiel e não permitirá que você seja tentado além daquilo que pode suportar.

REFLETINDO
1. Você já se sentiu tentado?
R. Resposta pessoal
2. Qual tem sido a sua reação mediante as tentações:
R. Resposta pessoal.
3. Que propósito se pode encontrar na resistência de Jesus à tentação?
R. Resgatar e salvar do pecado  toda a humanidade, renunciando as proposta do Maligno.

Fonte: Lições Bíblicas de Adolescentes – 1° trimestre de 2018, CPAD – Reverberação: Subsídios EBD

Lição 4 - A Tentação de Jesus

Lições Bíblicas 1° Trimestre de 2018, Jovens Professor – CPAD
TÍTULO: Seu Reino não Terá Fim
Subtítulo: Vida e obra de Jesus seguindo o Evangelho de Mateus
Comentarista: Natalino das Neves
Classe: Jovens
Aula: 28/01/2018
TEXTO DO DIA
“Então, o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos e o serviram.” (Mt 4.11)
SÍNTESE
A narrativa da tentação de Jesus enaltece a importância do conhecimento e do uso da Palavra de Deus contra os ataques do Inimigo.
AGENDA DE LEITURA
SEGUNDA – Êx 16.3-8: Os hebreus tentaram a Deus no deserto com suas murmurações
TERÇA – Dt 8.3: Jesus rebate a primeira tentação do Diabo
QUARTA – Sl 91: Deus promete proteger o justo
QUINTA – Dt 6.16: Jesus rebate a segunda tentação do Diabo
SEXTA – Sl 24.1: Do Senhor é a terra
SÁBADO – Mt 4.10: Jesus rebate a terceira tentação do Diabo

OBJETIVOS
1. MOSTRAR a tentação dos hebreus no deserto;
2. EXPLICAR a tentação do uso do Templo para exploração;
3. CONSCIENTIZAR a respeito dos perigos do uso indevido do poder.
Leia também:
- Lições Bíblicas de Jovens – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Lições Bíblicas de Adultos – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Lições Bíblicas Juvenis - – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Estudos Auxílios para professores da EBD – Acesse Aqui
INTERAÇÃO
É importante que você faça, a cada aula, um planejamento. Todo planejamento deve ter os objetivos específicos e para que eles sejam elaborados é preciso que o professor conheça bem as características específicas de seus alunos.

O planejamento também deve ter três componentes essenciais do processo ensino-aprendizagem: o método, os recursos didáticos, a avaliação e o tempo que será utilizado para cada atividade. Caso você não saiba como elaborar um plano de aula, procure fazer uma pesquisa na internet a respeito desse tema ou consulte algumas obras a respeito de didática. Você vai encontrar um vasto material e diferentes modelos de plano de aula que vão auxiliá-lo.