Mostrando postagens com marcador Pastores. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pastores. Mostrar todas as postagens

O Governo de Cuba Prende Pastor e √© o 37¬ļ pa√≠s onde √© mais dif√≠cil viver como crist√£o

O pastor cubano Lorenzo Rosales Fajardo est√° detido desde julho de 2021, quando participou de forma pac√≠fica dos protestos que aconteceram em Cuba. O pastor est√° detido na Pris√£o de Seguran√ßa M√°xima de Boniato sob acusa√ß√Ķes de desrespeito, agress√£o, incita√ß√£o ao crime e desordem p√ļblica.

Lição 10 РJesus o Bom Pastor

Classe: Jovens | 1° Trimestre de 2022 | Escola Dominical CPAD

TEXTO PRINCIPAL

“Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor d√° a sua vida pelas ovelhas. “ (Jo 10.11)

RESUMO DA LIÇÃO

Como Pastor, o Senhor Jesus Cristo n√£o apenas protege o rebanho, mas d√° sua vida por ele.

LEITURA SEMANAL

SEGUNDA – Jo 10.1 O verdadeiro pastor

TERÇA РJo 10.4 As ovelhas conhecem a voz do pastor

QUARTA – Jo 10.7 Jesus, a porta das ovelhas

QUINTA РJo 10.9 O pastor e a porta da salvação

SEXTA – Jo 10.10 O ladr√£o de ovelhas

S√ĀBADO – Jo 10.12,13 O mercen√°rio

 ūüĎá VEJA TAMB√ČM ūüĎá

ūüĎČ Novas li√ß√Ķes da classe dos ADULTOS- Aqui

ūüĎČ Novas li√ß√Ķes da classe dos JOVENSAqui

ūüĎČ Novas li√ß√Ķes da classe dos ADOLESCENTESAqui

OBJETIVOS

I. APRESENTAR o aprisco de Deus;

II. EXPLICAR que Jesus deu a sua vida por nós de forma voluntária;

III. ESCLARECER que existe um só rebanho.

 

INTERAÇÃO

Prezado (a) professor (a), na li√ß√£o de hoje estudaremos um riqu√≠ssimo serm√£o messi√Ęnico pregado por Jesus, estando ainda em Jerusal√©m. “O cap√≠tulo 10 de Jo√£o come√ßa com uma extensa figura de linguagem ou ilustra√ß√£o (Jo 10.6), semelhante a uma par√°bola, sobre pastores e ovelhas. Jo√£o fornece dois aspectos da ilustra√ß√£o: ‘a porta’ (10.3-5) e o ‘pastor’ (10,3-5), e cada um tem a sua pr√≥pria interpreta√ß√£o — a ‘porta’ √© interpretada em 10.7-10, e o ‘pastor’ em 10.11-18. A passagem inteira lembra a imagem de Ezequiel 34, onde o profeta castigou os falsos pastores (os l√≠deres maus de Israel) e predisse que o verdadeiro Pastor (O Messias) viria e daria ao povo de Deus (as ovelhas) cuidado e lideran√ßa aut√™nticos. Em compara√ß√£o com os fariseus — que eram maus l√≠deres do povo de Deus — Jesus era o verdadeiro Pastor de todo o povo de Deus. O homem curado que creu em Jesus representava todos os crentes que sa√≠ram do juda√≠smo para seguir Jesus, como ovelhas que seguem o seu pastor” (Coment√°rio do Novo Testamento. Aplica√ß√£o Pessoal. Vol. 1. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p.548).

 

ORIENTA√á√ÉO PEDAG√ďGICA

Professor(a), reproduza o quadro abaixo e utilize-o para mostrar aos alunos alguns nomes de Jesus que designavam sua função. Explique que em João 10, Jesus se apresenta como o Bom Pastor.

REFERÊNCIA

NOME

JO√ÉO 6.27 

FILHO DO HOMEM

JOÃO 6.35

PÃO DA VIDA

JOÃO 8.12

LUZ DO MUNDO

JOÃO 10.7

PORTA DAS OVELHAS

JOÃO 10.11

BOM PASTOR

JOÃO 11.25

A RESSURREIÇÃO E A VIDA

JOÃO 14.6

O CAMINHO A VERDADE E A VIDA

JOÃO 15.1,5

A VIDEIRA VERDADEIRA

 

TEXTO B√ćBLICO

Jo√£o 10.11-18

11 Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor d√° a sua vida pelas ovelhas.

12 Mas o mercenário, que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o Lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa.

13 Ora. o mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado das ovelhas.

14 Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas ovelhas sou conhecido.

15 Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai e dou a minha vida pelas ovelhas.

16 Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar a estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor.

17 Por isso, o Pai me ama, porque dou a minha vida para torna a torn√°-la.

18 Ninguém a tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar e poder para tornar a tomá-la, Esse mandamento recebi de meu Pai.

INTRODUÇÃO

Na li√ß√£o deste domingo, estudaremos mais um riqu√≠ssimo serm√£o messi√Ęnico pregado por Jesus, estando ainda em Jerusal√©m, H√°, nesse texto, profundas revela√ß√Ķes do plano eterno de Deus para a humanidade, envolvendo a todos: judeus e gentios. H√°, tamb√©m, fortes declara√ß√Ķes de Jesus a respeito de sua miss√£o redentora; o car√°ter de sua entrega pessoal, que nos leva a glorific√°-lo ainda mais. O cuidado de Jesus com suas ovelhas √© retratado nesse texto, onde, como Pastor, n√£o apenas protege o rebanho, mas d√° sua vida por ele. H√°, finalmente, a promessa de uma reuni√£o eterna, com a forma√ß√£o de um s√≥ rebanho e um s√≥ Pastor, o que d√° um profundo car√°ter escatol√≥gico para a mensagem, Apesar de toda essa riqueza espiritual, o serm√£o provocou forte rea√ß√£o negativa em parte dos judeus (Jo 10.20,21).

 

I – O APRISCO DE DEUS

1- A abrangência da mensagem.

A par√°bola contada por Jesus tinha um valor representativo especial em seu tempo, quando a cria√ß√£o de ovelhas era muito mais comum. √Äs pessoas que conheciam bem a realidade campestre, Jesus fala, em linguagem figurada, sobre o curral das ovelhas. Nele, o mesmo Jesus que √© o bom Pastor √© tamb√©m a porta para o aprisco, o aprisco de Deus (Jo 10.7,16). Naquele momento, a mensagem tinha como endere√ßo a comunidade judaica, dentro do contexto de uma na√ß√£o espoliada por seus l√≠deres. Jesus denuncia os ladr√Ķes, salteadores e mercen√°rios (Jo 10.8,12), que n√£o cuidam das ovelhas, mas buscam somente explor√°-las. Mas essa grande mensagem n√£o √© dirigida apenas a Israel, mas a toda a humanidade, apresentando Cristo como o Pastor que tem um cuidado especial por todos aqueles que ouvem sua voz e o seguem. Fala de seu amor e ternura, com absoluta abnega√ß√£o e entrega.

 

2- O fracasso dos pastores de Israel.

O quadro caótico dos líderes da nação judaica não dizia respeito apenas à liderança espiritual de Israel daqueles dias, cujo comportamento hostil com o povo é bem retratado no Evangelho de João. Quando se refere a todos quantos vieram antes dEle (Jo 10.8), Jesus está denunciando os maus líderes de Israel de todos os tempos, especialmente do período da monarquia, quando a nação teve condutores insensatos e cruéis, incluindo reis, sacerdotes e profetas (Is 56.8-12; Ez 22.24-30). Com o fracasso total dos líderes de Israel, o próprio Deus viria, pessoalmente, em busca de suas ovelhas, para reuni-las novamente em seu aprisco (Ez 34.11-23). Jesus agora se apresenta como esse Pastor, o bom e eterno Pastor, que não apenas cuida das ovelhas, mas dá sua vida por elas (Jo 10.11)

 

3- O comportamento das ovelhas.

Jesus afirma que suas ovelhas o conhecem e conhecem sua voz. Não ouvem a estranhos, nem os seguem (Jo 10.4,5,14). Esse relacionamento íntimo entre Pastor e ovelha é baseado na dedicação, afeto e cuidado que Ele dedica, chamando a si as que se agradam de ouvi-lo e segui-lo. Esse é o tipo de relacionamento que Jesus quer ter com todos nós. Sua entrega pessoal já foi feita. Cabe a nós nos deleitar nEle, nos submetendo integralmente ao seu pastoreio.

SUBS√ćDIO 1

Professor (a), explique aos alunos que “a porta √© a entrada principal. Jesus explicou que qualquer pessoa que tentasse entrar de qualquer outro modo que n√£o fosse pela porta seria um ladr√£o — esta pessoa teria m√°s inten√ß√Ķes. √Č muito prov√°vel que esta “porta” representasse a posi√ß√£o do Messias, porque Jesus prosseguiu dizendo: ‘Aquele que entra pela porta √© o pastor das ovelhas’. Somente o pastor tem o direito de entrar no aprisco das ovelhas e chamar as suas pr√≥prias ovelhas para fora para que o sigam. Jesus repreendeu aqueles que reivindicariam liderar o povo de Deus sem considerar o Messias (que est√° em seu meio, mas n√£o √© reconhecido por eles). Tais l√≠deres t√™m falsas ambi√ß√Ķes, desejos ego√≠stas e m√°s inten√ß√Ķes. Quando o pastor chegava, ele chamava as suas pr√≥prias ovelhas pelo nome. Pelo fato de as ovelhas reconhecerem a voz de seu pastor, elas v√™m e o seguem, e saem para pastar.”

 

II – “DOU A MINHA VIDA”

1- A abnegação de Cristo.

Um dos aspectos mais extraordin√°rios da obra de Cristo √© sua entrega volunt√°ria. O Filho de Deus n√£o foi sacrificado √† for√ßa, como se obrigado fosse. Muito pelo contr√°rio! Foi um gesto de profundo e verdadeiro amor, fruto de sua ren√ļncia pessoal. Por isso, disse Jesus: “[…] o Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tom√°-la. Ningu√©m a tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou” (Jo 10.17,18). No mesmo cap√≠tulo 10 de Jo√£o, estando Jesus ainda em Jerusal√©m, vemos uma prova dessa sua condi√ß√£o pessoal de entrega. Quando voltou a ser interceptado pelos judeus e declarou-se igual ao Pai, quiseram apedrej√°-lo (Jo 10.30,31) e procuravam “prend√™-lo outra vez, mas ele escapou de suas m√£os e retirou-se outra vez […]” (Jo 10.39,40). O que isso significa? Que Jesus n√£o foi preso antes que chegasse a hora da qual vinha falando desde o come√ßo. Na noite da pris√£o se entregou voluntariamente, aceitando completamente a vontade do Pai (Jo 18.4; Mt 26.39.45.51- 54).

 

2- Esvaziou-se a si mesmo.

Talvez a mais bela descri√ß√£o dessa gloriosa obra de entrega sacrificial de Cristo pela humanidade seja a que Paulo fez aos filipenses. O ap√≥stolo fala de Cristo como Deus, esvaziando-se de sua gl√≥ria para cumprir a miss√£o redentora (Fp 2.7). Como enfatiza o te√≥logo pentecostal Donald Stamps, “o texto grego […] diz literalmente, que ele ‘se esvaziou’, i.e., deixou de lado sua gl√≥ria celestial (Jo 17.4), posi√ß√£o (Jo 5.30; Hb 5.8), riquezas (2 Co 8.9), direitos (Lc 22.27; Mt 20.28) e o uso de prerrogativas divinas (Jo 5.19; 8.28; 14.10)”.

 

O Filho n√£o deixou de ser Deus, pois manteve completa natureza divina, mas assumiu uma natureza humana igualmente completa. Assim, o que temos √© que segundo a B√≠blia de Estudo Pentecostal “esse ‘esvaziar-se’ importava n√£o somente em restri√ß√£o volunt√°ria dos seus atributos e privil√©gios divinos, mas tamb√©m na aceita√ß√£o do sofrimento, da incompreens√£o, dos maus-tratos, do √≥dio e, finalmente, da morte de maldi√ß√£o na cruz (vv. 7,8).” Paulo nos estimula a que tenhamos esse mesmo sentimento (Fp 2.5). Ali√°s, precisamos refletir o quanto temos da humildade de Cristo em n√≥s, e o quanto ainda somos dominados por nossas mediocridades, vivendo segundo nossos pr√≥prios interesses. Devemos nos preocupar mais em servir e considerar os outros superiores a n√≥s mesmos (Fp 2.3,4).

 

3- A glória de Cristo.

Enquanto L√ļcifer quis usurpar a gl√≥ria de Deus (Is 14.12-14), Cristo esvaziou-se de sua pr√≥pria gl√≥ria. Essa profunda humilha√ß√£o o credenciou a receber todo o poder e gl√≥ria, n√£o somente no c√©u, mas tamb√©m na terra e debaixo da terra (Fp 2.10). Ao submeter-se inteiramente ao Pai em completa obedi√™ncia e sem pecado, Jesus destronou por completo os poderes das trevas, triunfando sobre o inferno e a morte (Cl 2.15). Por isso, todo joelho se dobrar√° e toda l√≠ngua confessar√° que Jesus Cristo √© o Senhor, para gl√≥ria de Deus Pai (Fp 2.10,11). Chegar√° o tempo em que todo o mundo, todas as na√ß√Ķes da terra, ter√£o de reconhecer que Jesus, o descendente de Davi, √© o Cristo, o Messias. Ser√° a implanta√ß√£o do seu Reino eterno, que jamais ter√° fim (Is 9.6,7).

 

SUBS√ćDIO 2

Professor (a), leia com os alunos Jo√£o 10.17,18 e explique que “a morte e a Devemos nos preocupar mais em servir e considerar os outros superiores a n√≥s mesmos (Fp 2,3,4). ressurrei√ß√£o de Jesus, como parte do plano de Deus para a salva√ß√£o do mundo, estavam sob pleno controle de Deus. Ningu√©m poderia matar Jesus sem seu consentimento. Se Jesus tivesse sido, meramente, um homem, suas declara√ß√Ķes de ser Deus teriam provado que Ele era louco. Mas seus milagres provaram que suas palavras eram verdadeiras — Ele era, verdadeiramente Deus. Os l√≠deres judeus estavam perplexos. Mas n√£o conseguiam ver al√©m de seus pr√≥prios preconceitos, e por isso, consideravam Jesus somente de seu ponto de vista humano e limitado.”

 

III – UM S√ď REBANHO

1- O cumprimento escatológico.

H√° todo um pren√ļncio de gl√≥ria para o reino do Messias, como vaticinaram os profetas veterotestament√°rios, anunciando esse tempo de que falou Jesus, quando haver√° um rebanho e um Pastor (Jo 10.16). Ezequiel profetizou dizendo: “E levantarei sobre elas [as ovelhas] um s√≥ pastor, e ele as apascentar√°; o meu servo Davi √© que as h√° de apascentar; ele lhes servir√° de pastor” (Ez 34 23). O an√ļncio messi√Ęnico √© claro, apontando para um cumprimento escatol√≥gico. O mesmo profeta diz: “E meu servo Davi reinar√° sobre eles, e todos eles ter√£o um pastor; e andar√£o nos meus ju√≠zos, e guardar√£o os meus estatutos, e os observar√£o” (Ez 3724)- Outros textos que identificam expressamente o Messias como esse Pastor s√£o Isa√≠as 40.11 e Zacarias 13.7

 

2- Judeus e gentios.

Quando Jesus disse aos judeus que lhe convinha agregar “outras ovelhas” que ainda n√£o estavam no aprisco, e que quando isso ocorresse, haveria a unidade do rebanho sob seu pastoreio, n√£o alcan√ßou compreens√£o alguma de seu audit√≥rio. Nem mesmo os judeus que o reconheceram como o Filho de Deus conseguiram compreender essa mensagem. Isso seria uma realidade mesmo ap√≥s a descida do Esp√≠rito Santo. Os ap√≥stolos permaneceram reticentes √† hip√≥tese de se pregar o Evangelho aos gentios, Pedro, que viveu a experi√™ncia da casa de Corn√©lio (At 10.34-48), precisou dar explica√ß√Ķes em Jerusal√©m, sobre o motivo de ter batizado os gentios (At 11.1-18).

 

Mesmo o Conc√≠lio de Jerusal√©m (At 15) n√£o resultou em uma unifica√ß√£o do rebanho, mas apenas na defini√ß√£o de alvos distintos na obra de evangeliza√ß√£o e algumas recomenda√ß√Ķes espec√≠ficas para o mundo gent√≠lico (At 15.28,29). Paulo enfrentaria muita oposi√ß√£o dos judeus por toda a parte, passando, ent√£o, a dedicar-se mais √† prega√ß√£o aos gentios, com seu ingresso na Maced√īnia (At 16.9; 17,18,19,20). Em sua volta a Jerusal√©m, contudo, foi aconselhado por Tiago e outros anci√£os a que se submetesse aos ritos judaicos de purifica√ß√£o e entrou ao templo para satisfazer aos judeus crist√£os que eram “zelosos da lei” (At 21.17-26). A revolta se instalou entre a multid√£o judaica e ele foi preso (At 21.27-35).

 

3- O cumprimento futuro.

As oposi√ß√Ķes n√£o findariam logo e ainda n√£o findaram. At√© nos dias presentes, como na√ß√£o, os judeus n√£o reconhecem Jesus como o Messias, o Cristo Salvador, H√° judeus crist√£os, mas ainda assim muitos deles permanecem sob ritos da Lei. S√£o comunidades israelitas que existem em v√°rias partes do mundo. Outro movimento que se v√™ √© a inser√ß√£o de cren√ßas e pr√°ticas judaicas em denomina√ß√Ķes crist√£s evang√©licas, que se tornam judaizantes. Somente com a convers√£o nacional dos judeus, no final da Grande Tribula√ß√£o, ser√° poss√≠vel a Jesus ter unificado o seu rebanho e exercer para sempre seu pleno pastoreio (Zc 12.10; Sl 22.23- 28; Ez 37.9-14). Primeiro, o Mil√™nio (Ap 20.1-4); depois, o Novo C√©u e a Nova Terra (Ap 21.1-4)

 

SUBS√ćDIO 3

“Jo√£o 10.16 – Jesus havia falado de conduzir as suas ovelhas para fora do aprisco do juda√≠smo. Todos os seus disc√≠pulos sa√≠ram deste aprisco, assim como todos aqueles judeus vieram a crer nEle como o seu Messias. Jesus sabia, por√©m, que Ele tinha outras ovelhas que n√£o eram do juda√≠smo. Estes s√£o os crentes gentios. Jesus veio para salvar tanto os gentios quanto os judeus. Esta √© uma perspectiva de sua miss√£o mundial — morrer pelas pessoas pecadoras em todo o mundo. O Bom Pastor veio para agregar o povo de Deus em um rebanho (Ez 34.11-14.23). Os novos crentes gentios e os crentes judeus que deixaram o juda√≠smo formariam um √ļnico rebanho que estariam totalmente fora do juda√≠smo. O rebanho teria um pastor, Al√©m disso, Jesus orou pela unidade de todos aqueles que cressem nEle atrav√©s da mensagem dos disc√≠pulos.”

 

PROFESSOR (A) “Jesus declara que Ele √© O bom Pastor prometido nas profecias. Esta met√°fora de Jesus como O Bom Pastor ilustra o cuidado terno e devotado que Ele tem por seu povo. √Č como se Ele dissesse: ‘Eu sou, para todos aqueles que creem em mim, o que um pastor √© para as suas ovelhas: cuidadoso, vigilante e amoroso. A caracter√≠stica de Cristo como Bom Pastor √© que Ele morreu por suas ovelhas. √Č isso que, de modo √≠mpar, ressalta a Cristo como Pastor, √Č a morte de Cristo na cruz que salva suas ovelhas. Cristo √© aqui chamado o ‘Bom Pastor’: em Hebreus 13.20 √© chamado o ‘grande Pastor’; e em 1 Pedro 5.4,0 ‘Sumo Pastor”’ (B√≠blia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 1592).

 

CONCLUSÃO

Ao estudar os sinais (milagres) e mensagens de Jesus, nos impressionamos com a dificuldade que os judeus tiveram em crer nEle e entender seus prop√≥sitos, pela incredulidade e dureza de seus cora√ß√Ķes. Que isso nos estimule a agradecer mais a Deus por se revelar a n√≥s por sua Palavra, e a vigiar sempre, para que nossa f√© e esperan√ßa permane√ßam vivas em Cristo, nosso grande Pastor (Hb 13.20).

HORA DA REVISÃO

1- Como João apresenta Jesus no início do capítulo 10?

R: Como o Bom Pastor que d√° sua vida pelas ovelhas (Jo 10.11).

2- A mensagem do Bom Pastor era endereçada a quem?

R: A toda a humanidade.

3- O que Jesus denuncia na par√°bola do Bom Pastor?

R: Ele denuncia os maus líderes de Israel de todos os tempos, especialmente do período da monarquia, os reis, sacerdotes e profetas

4- Em que deve ser baseado o relacionamento do Pastor com a ovelha?

R: Esse relacionamento deve ser baseado na dedicação, afeto e cuidado que Ele dedica.

5- Qual o aspecto mais extraordin√°rio da obra de Cristo?

R: A sua entrega volunt√°ria.

Escola Dominical Adolescentes - CPAD | 1° Trimestre de 2022 | T√≠tulo: JESUS O FILHO DE DEUS – os Sinais e Ensinos de Cristo no Evangelho de Jo√£o | Li√ß√£o 10: Jesus o Bom Pastor | Subs√≠dios Dominical

DICAS DE CURSOS B√ćBLICOS








Pastor Evangélico Morre com um tiro na cabeça

Marcel da Silva Hespanhol

Por EBD NEWS | Atualização: 22-12-2021

Marcel da Silva Hespanhol, de 36 anos, foi encontrado morto, na noite da segunda-feira (20/12/2021). Marcel da Silva levou um tiro na cabeça e com uma pistola prateada ao seu lado. Ele estava caído no quarto em que dormia. Segundo a Polícia Militar, a mãe do religioso relatou que teria ouvido um tiro por volta da 1h de segunda-feira, vindo da residência do filho.

Cantor Evang√©lico deixou de ser PASTOR por causa de uma doen√ßa cr√īnica

William Lee (Trip Lee)

O pastor William Lee Barefield (conhecido como Trip Lee), de 33 anos √© marido e pai de tr√™s filhos. Ele revelou recentemente que  “se afastou” do pastorado devido a uma doen√ßa incur√°vel.

O pastor de uma Grande Igreja coagiu meninas e mulheres a fazerem sexo com ele

Pastor Apollo Quiboloy

Alegando que sexo com ele era um "privil√©gio" e "vontade de Deus", o pol√™mico pastor da mega-igreja e fundador da Igreja do Reino de Jesus Cristo nas Filipinas , Apollo Quiboloy, e dois de seus principais administradores foram acusados ​​de traficar mulheres e meninas nos EUA, que foram coagidos a fazer sexo com ele sob amea√ßas de "condena√ß√£o eterna".

Vocação e qualificação pastoral

Biblicamente as exigências para alguém ser Ministro da Palavra são de natureza:

1. Espiritual (vocacional) - "...se alguém aspira ao episcopado excelente obra almeja" (1 Tm 3.1);

2. Moral - "...é necessário que o bispo seja irrepreensível" (1 Tm 3.2);

3. Comportamental (psicol√≥gica) - "...seja temperante,  s√≥brio,  modesto..."(1 Tm 3.2);

4. Social - "...seja hospitaleiro..."(1 Tm 3.2);

5. Educacional (teológica) - "...seja apto para ensinar" (1 Tm 3.2).

 

Essa é a norma bíblica.

Exigir uma e negligenciar as outras incorre-se em erro. Por exemplo,  algu√©m pode ter um diploma e dessa forma apresentar-se teologicamente qualificado, contudo, n√£o ter qualifica√ß√£o moral alguma.  Algu√©m pode ser uma pessoa soci√°vel,  contudo,  ser d desequilibrado psicologicamente.  Por outro lado,  algu√©m pode ser extremamente qualificado teologicamente e n√£o  ter voca√ß√£o alguma.  As anomalias existem quando esses princ√≠pios n√£o s√£o observados. ([1])


Conclus√£o

1.Tem pessoas com o chamado mais sem preparo;

2. Tem pessoas com preparo, porém sem chamado;

3. Tem pessoas sem chamado e sem preparo;

4. O correto. A pessoas com chamado e preparo. ([2])

* Pastor, o homem escolhido por Deus para aperfeiçoar os santos

* O obreiro na Assembleia de Deus

* Princípios Gerais de Liderança Cristã

* Ferramentas para a Instrução de Pastores e Obreiros Evangélicos

* Seis Características Essenciais de um Grande Pastor

* Buscando a Excelência no Ministério Cristão

* Existe Respaldo Bíblico para a ordenação de pastoras?

* Como o pastor Apoia a Escola Dominical?



[1] Pr. José Gonçalves

[2] Vanessa R.

Escolha o seu E-BOOK e clique na capa para mais informa√ß√Ķes e solicitar o seu exemplar.

Informa√ß√Ķes Aqui

Informa√ß√Ķes Aqui
***
***
***

Informa√ß√Ķes Aqui

***

Informa√ß√Ķes Aqui

***

Informa√ß√Ķes Aqui

***

Informa√ß√Ķes Aqui

***

Informa√ß√Ķes Aqui

ūüďö ūüďö Veja tamb√©m

CURSOS B√ćBLICOS PARA VOC√ä:

1) CURSO B√ĀSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO M√ČDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Curso de Secretariado para Igrejas Clique Aqui
4) Forma√ß√£o de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
5) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui
Matricule-se j√° ! 



Pastor, o homem escolhido por Deus para aperfeiçoar os santos

PARA LER E REFLETIR:

Jo√£o 10.11,14; Tito 1.7-11; 1 Pedro 5.2-4

Como pastor, você está na linha de frente de uma grande batalha espiritual. Satanás, o inimigo, está constantemente tramando destruí-lo colocando minas terrenas de tentação pelo caminho que você passa. Fique alerta (1Pe 5.8).

SUBS√ćDIO LI√á√ÉO 9: O Minist√©rio de Pastor

Subs√≠dio B√≠blico para a Li√ß√£o dos Adultos (CPAD).  2° Trimestre de 2021

ūüĒ• Subs√≠dios B√≠blico Completos Aqui

ūüĒ• Li√ß√Ķes B√≠blicas Completas Aqui

Como pastor, você está na linha de frente de uma grande batalha espiritual. Satanás, o inimigo, está constantemente tramando destruí-lo colocando minas terrenas de tentação pelo caminho que você passa. Fique alerta (1Pe 5.8).

Veja a lição deste subsídio, Toque Aqui