Lição 1 CONHECENDO OS PROFETAS MAIORES (Lições Bíblicas Juvenis)

Lições Bíblicas Juvenis 2° trimestre 2024 – CPAD

Lições Bíblicas Juvenis 2° trimestre 2024 – CPAD

ASSUNTO  DO TRIMESTRE: Conhecendo dos Livros dos Profetas

Comentarista: Thiago Santos

| Subsídios Dominical |Lição 1 CONHECENDO OS PROFETAS MAIORES

VERSÍCULO-CHAVE:

Ouvi-me, ó Judá e vós, moradores de Jerusalém: Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros: crede nos seus profetas e prosperareis ” (2 Crônicas 20.20)

LEITURA DIÁRIA

SEG. Is 6.1 Eu vi o Senhor

TER. Jr 1.11,12 O Senhor vela pela sua palavra para a cumprir

QUA. Ez 2.3 Uma mensagem para as nações rebeldes

QUI. Mt 4.14-16 O cumprimento da profecia de Isaías

SEX. Dn 10.1 Uma palavra foi revelada ao profeta Daniel

SÁB. Jo 12.38 Quem creu na nossa pregação?


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: 2 Reis 17.13-19, 23

13 E o SENHOR protestou a Israel e a Judá, pelo ministério de todos os profetas e de todos os videntes, dizendo: Convertei-vos de vossos maus caminhos e guardai os meus mandamentos e os meus estatutos, conforme toda a Lei que ordenei a vossos pais e que eu vos enviei pelo ministério de meus servos, os profetas.

14 Porém não deram ouvidos: antes, endureceram a sua cerviz, como a cerviz de seus pais, que não creram no SENHOR, seu Deus.

15 E rejeitaram os estatutos e o concerto que fizera com seus pais, como também os testemunhos com que protestara contra eles: e andaram após a vaidade e ficaram vãos, como também após as nações que estavam em roda deles, das quais o SENHOR lhes tinha dito que não fizessem como elas.

16 E deixaram todos os mandamentos do SENHOR, seu Deus, e fizeram

imagens de fundição, dois bezerros: e fizeram um ídolo do bosque, e se prostraram perante todo o exército do céu, e serviram a Baal.

17 Também fizeram passar pelo fogo a seus filhos e suas filhas, e deram-se a adivinhações, e criam em agouros: e venderam-se para fazer o que era mal aos olhos do SENHOR, para o provocarem à ira.

18 Pelo que o SENHOR muito se indignou contra Israel e os tirou de diante da sua face: nada mais ficou, senão a tribo de Judá.

19 Até Judá não guardou os mandamentos do SENHOR, seu Deus: antes, andaram nos estatutos que Israel fizera.

23 Até que o SENHOR tirou a Israel de diante da sua presença, como falara pelo ministério de todos os seus servos, os profetas: assim, foi Israel transportado da sua terra à Assíria, onde permanece até ao dia de hoje.


CONECTADO COM DEUS

Ao longo da história bíblica, vimos que o ministério profético surgiu como uma forma de oferecer ao povo de Deus orientação acerca da vontade divina, bem como adverti-lo contra as práticas que contrariavam a sua Lei. Nesse sentido, o chamado profético, a natureza da mensagem e o caráter desses homens são visivelmente encontrados em seus escritos. A partir deles, os crentes dos dias atuais podem extrair preciosas lições no que diz respeito ao relacionamento com Deus, bem como à fidelidade no exercício ministerial e administração dos dons espirituais.


l. A IMPORTÂNCIA DOS PROFETAS MAIORES

1.1. A profecia era indispensável.

Deus Levantou profetas em momentos de suma importância, haja vista o cenário de degradação moral e espiritual em que se encontravam tanto a nação de Israel, o Reino do Norte, quanto Judá, o Reino do Sul. Após a cisão entre as tribos, os governantes que sucederam os tronos de ambos os reinos não cuidaram de guardar a Lei de Deus e o compromisso com a religião mosaica. Com o passar dos anos, a maldade, a idolatria e as injustiças sociais tomaram o coração e o governo dos reis, levando ao desvio do povo.

 

1.2. Quem eram os profetas?

Diante de circunstâncias morais caóticas, Deus escolhe, separa e inspira homens para trazerem uma mensagem de advertência aos governantes e a toda a nação. Eles receberam a missão de conscientizar o povo a respeito da necessidade de arrependimento.

 

Para que o desvio das Leis de Deus não levasse à destruição de toda a nação, a verdadeira religião deveria ser restaurada, a santidade restabelecida, e a aliança com Deus renovada. No entanto, não poucas vezes, mesmo o Senhor enviando os seus profetas para protestarem contra o pecado, mais distante o seu povo se colocava, chegando ao ponto de perseguirem e até matarem os mensageiros de Deus.

 

A corrupção se mostrou tão intensa que, em algumas ocasiões, até mesmo os próprios filhos eram oferecidos a Moloque, uma divindade que recebia sacrifício de crianças. Deus se indignou de tal maneira com as práticas pecaminosas do seu povo que não restou alternativa a não ser enviar nações mais poderosas do que Israel e Judá para dominá-los e subjugá-los em cativeiro (2 Rs 17; 24—25).

 

1.3. O Julgamento de Deus.

No ano 722 a.C., Israel foi invadido pela Assíria, que os dominou por completo, desfazendo para sempre a nação, capturando suas terras e trazendo outros povos para ocupá-las, de modo que o Reino do Norte perdeu a sua pureza étnica e, sobretudo, o título de nação separada por Deus (2 Rs 17.6, 24; 18.11). Semelhantemente, Judá, embora tenha sido preservada como a lâmpada de Davi que permaneceu acesa pela mão de Deus, também sofreu o castigo por sua rebelião (2 Rs 25.1-11).

 

Após o Senhor enviar seus servos, os profetas, para adverti-Los por permanecerem em iniquidade, Deus usou os babilônios, liderados pelo rei Nabucodonosor, que devastou a terra de Judá, colocou seu trono em Jerusalém e Levou os judeus para o cativeiro na Babilônia (605-586 a.C.) (2 Rs 24.8-17; 2 Cr 36.5-10).

 

Mesmo assim, o Senhor continuou a levantar seus servos, os profetas, agora com a promessa de restauração espiritual e territorial, à medida que o povo remanescente se arrependesse e decidisse renovar sua aliança com Deus (Jr 25.11; 29.10-19).

2. INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS PROFETAS MAIORES

2.1. O exercício do ministério profético.

Na Bíblia, o exercício do ministério profético ocorreu ao menos de duas maneiras. Em primeiro Lugar, os profetas que exerceram seus ministérios quando foram chamados exclusivamente por Deus para protestarem contra as desobediências e maldades praticadas pelos reis. Dentre esses, podemos citar Elias e Eliseu. Há também aqueles que exerceram o seu ministério registrando os eventos que ocorreram, assim como as mensagens proclamadas em suas respectivas épocas, os quais recebem o nome de "profetas Literários ou escritores".

 

Na organização do cânon bíblico, os Livros dos profetas foram ordenados levando-se em conta o período e o estilo Literário apresentado por seus escritos. O título “profetas maiores", por exemplo, nada tem a ver com a relevância ministerial em relação aos demais profetas, e sim pelo fato de seus escritos comportarem maior quantidade de textos (capítulos e versículos). Essa seção da Bíblia é composta por 5 Livros que levam o nome dos seus respectivos escritores, a saber: Isaías, Jeremias, Lamentações, Ezequiel e Daniel.

 

2.2. O período do ministério profético em Israel e Judá.

O período de atuação dos profetas ocorreu em dois cenários demarcados por um evento que mudou completamente a realidade da nação. Estamos falando do cativeiro babilônico, que durou 70 anos, conforme a profecia de Daniel, e teve seu término após o retorno dos judeus para Jerusalém. Nesse sentido, encontramos na história bíblica os profetas pré-exílio babilônicos e os profetas pós-exílio babilônico.

 

No caso dos profetas maiores, o exercício de seus ministérios se deu no período pré-exílio ou mesmo durante o cativeiro como é o caso de Ezequiel e Daniel. Ambos foram transportados para o cativeiro na Babilônia. (Ez 1.1-3; Dn 1.1-6).

 

Os profetas anunciaram a mensagem bíblica com o propósito de advertir, complementar o ensino, encorajar, consolar, denunciar a injustiça e anunciar o juízo. Como mencionamos anteriormente, a triste condição espiritual na qual se encontrava o povo de Deus exigiu de seus profetas a consistência necessária para anunciar com firmeza a mensagem divina. Por isso, não retrocediam, mesmo sofrendo prisões, agressões, traições e, por fim, até mesmo a morte por serem fiéis ao Senhor (Jr 254:444,5: Lc 13.34).

 

3. A ESTRUTURA DOS LIVROS

Na biblioteca dos profetas maiores, os três primeiros Livros constituem em si a maior porção dos escritos proféticos, inclusive, maior até mesmo do que todos os 12 Livros dos profetas menores, considerando a extensão dos textos juntos.

 

Vejamos como os profetas maiores estão estruturados:

Isaías — este é o primeiro Livro desta divisão bíblica. Trata-se de uma obra rica em profecias messiânicas. Seus escritos constituem a maior parcela de profecias que se cumprem ao Longo do ministério de Jesus e, por essa razão, Isaías é conhecido como o profeta messiânico.

 

O Livro traz também uma série de mensagens com advertências, conforto e esperança, assim como enfatiza o caráter de Deus e o seu propósito revelado no Antigo Testamento. Isaías é o mais Longo dos Livros proféticos e o mais citado no Novo Testamento. Sua Linguagem sugere uma profunda intimidade do profeta com Deus (Is 1.1, 2: 2.1-5: 6).

 

Jeremias — O profeta Jeremias profetizou durante os últimos quarenta anos da história de Judá, Reino do Sul, antes do Cativeiro Babilônico. Ele Lamentou com tristeza a condição em que se encontrava o Reino do Sul, mesmo após sucessivas admoestações. Este profeta advertiu a nação de Judá acerca do desastre iminente que viria do Norte (cativeiro babilônico), em razão do abandono à verdadeira religião e da negligência quanto às injustiças sociais dominantes. 0 tema central de seu Livro é obstinação, cativeiro e restauração dos judeus (Jr 1.1-3,13-19).

 

Lamentações — Este Livro consiste em uma série de clamores de Jeremias em favor dos judeus e uma descrição das aflições sofridas pelo povo nos tempos em que a cidade de Jerusalém foi invadida pelos babilônios. O Livro termina com um último clamor para que Deus possa se Lembrar do remanescente de Israel e restaurá-Lo (Lm 5.18-22).

 

Ezequiel — O Livro de Ezequiel é uma mensagem aos judeus que se encontravam no exílio babilônico, assim como ao remanescente que permaneceu em Jerusalém. Em seus escritos, o profeta denuncia o fracasso da vida moral e espiritual do povo eleito. Entretanto, anuncia também a sua restauração, personificada no vale de ossos secos. Da mesma maneira que os ossos reviveram, Deus prometeu restaurar espiritualmente a Casa de Israel (Ez 37.1-14).

 

Daniel — Neste Livro, o profeta que foi Levado ainda jovem para a Babilônia juntamente com seus conterrâneos Ananias, Misael e Azarias, é instituído como autoridade de alta patente no Império Babilônico e recebe da parte de Deus profundas revelações sobre o futuro de Israel e das nações (Dn 1; 2.46-49).

 

PARA CONCLUIR

De modo geral, a mensagem revelada aos profetas tinha como pretensão a restauração da comunhão com Deus. O povo que foi escolhido e separado para viver os propósitos divinos deveria permanecer na aliança abraâmica, guardando os ensinamentos da Lei Mosaica. Semelhantemente, nos dias atuais, Deus espera que os seus servos apresentem um estilo de vida que sirva à sociedade atual como modelo de relacionamento com Deus (Fp 2.14—16; 1 Pe 2.9,10).

 

HORA DA REVISÃO

1. Qual era a missão dos profetas no Antigo Testamento?

2. Qual foi o principal castigo enviado por Deus sobre os reinos de Israel e Judá?

3. A respeito do cânon bíblico dos Livros dos profetas, quais foram os critérios que definiram a forma como os Livros foram organizados?

4. Como o profeta Isaias é conhecido na Bíblia e por qual razão?

5. Qual o tema central do Livro de Jeremias?

CLIQUE E LEIA TAMBÉM 👇

Compartilhar:

CURSOS BÍBLICOS PARA VOCÊ:

1) CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO MÉDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Formação de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
5) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui


Matricule-se já !