Lição 4 A alienação humana a partir da Queda (Lições Betel) - Subsídios Dominical

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

Novos Subsídios Bíblicos para as lições  O corpo de Cristo, 1° trimestre de 2024


Lição 4 A alienação humana a partir da Queda (Lições Betel)

Lições Bíblicas BETEL: 2° Trimestre de 2023 | REVISTA: GÊNESIS – A segurança de viver pela fé nas promessas de Deus

Classe: Adultos

TEXTO ÁUREO

"E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, a escondi-me." Genesis 3.10

VERDADE APLICADA

O pecado, ao nos alienar de Deus, provoca danos em todas as nossas relações.

OBJETIVOS DA LIÇÃO

Citar os efeitos do pecado em relação a si mesmo.

Mostrar o efeito do pecado em relação ao próximo.

Falar acerca dos efeitos do pecado em relação a Deus.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

GENESIS 3

8- E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim.

9- E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?

10- E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me.

11- E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore que te ordenei que não comesses?

12- Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi.

LEITURAS COMPLEMENTARES

SEGUNDA | Gn 3.16-19

Os efeitos do pecado em relação a si mesmo.

TERÇA | Sl 103.8-18

Misericordioso e piedoso é o Senhor.

QUARTA | Ec 2.20-24

Os prazeres e as riquezas não dão felicidade.

QUINTA | Ef 5.22-28

O relacionamento entre Cristo e a Igreja.

SEXTA | 1Pe 3.1-6

Os deveres das mulheres e maridos cristãos.

SÁBADO | Ap 22.1

O rio da água da vida.

HINOS SUGERIDOS: 89, 92, 96


MOTIVOS DE ORAÇÃO

Ore para que Deus cure nossos relacionamentos.


ESBOÇO DA LIÇÃO

Introdução

1– Alienação em relação a si mesmo

2– Alienação em relação ao próximo

3– Alienação em relação a Deus

Conclusão


INTRODUÇÃO

Na lição anterior, estudamos sobre o maravilhoso relacionamento de Deus com o homem antes da queda. Nesta veremos as consequências do pecado nas relações.


PONTO DE PARTIDA – O pecado afeta as relações.

 

1. ALIENAÇÃO EM RELAÇÃO A SI MESMO

Quando o homem no Éden buscou mais plenitude de vida ignorando a Deus, acabou tendo não só menos de Deus e menos da vida, mas também menos de si mesmo.

 

1.1. Vergonha de si mesmo.

A primeira alienação vivida pelo homem como consequência do pecado foi em relação a si mesmo. Satanás lhe promete mais liberdade. Eles acabam experimentando menos liberdade vivendo pela primeira a experiência da vergonha [Gn 3.7]. Sentir vergonha é sensação de não poder ser você mesmo, por não poder ser aceito no estado em que se encontra. No capítulo 2.25 diz que “ambos estavam nus, o homem e a sua mulher, e não se envergonhavam”. Depois disso a vergonha nunca mais deixou de fazer parte da nossa vida.

 

Ter vergonha de nós mesmos é uma experiência horrível. Não podermos ser quem somos é frustrante. A desaprovação da própria consciência mostra como estamos, por causa do pecado, alienados em nossa relação intrapessoal. E não poder estar bem consigo mesmo pode ser a causa de não estarmos bem com os outros.

 

1.2. Culpa.

O homem antes da queda vivia a maravilhosa liberdade de nunca haver sentido culpa. Todas as coisas que fazia no jardim eram livres deste sentimento tão angustiante e limitador. E a primeira filha da culpa é a desculpa. Quando Deus pergunta a Adão “comeste tu da árvore que te ordenei que não comesses?” [Gn 3.11], Adão não diz simplesmente: “Eu comi”. Ele cria uma justificativa própria. Uma desculpa: “A mulher que me deste por companheira…” [Gn 3.12]. Aqui está outro aspecto da alienação em relação a si mesmo: não assumir os erros que a própria consciência aponta.

 

Comentário Bíblico Moody – Gênesis 3: “Abriram-se…os olhos (peikah)…percebendo. A palavra peikah descreve um súbito milagre. A promessa do tentador cumpriu-se imediatamente; receberam percepção instantânea. Viram e perceberam. Mas o que viram foi muito diferente do quadro colorido pintado pela serpente. Houve um rude despertar da consciência. Viram a sua nudez, espiritual e física. Nasceu a vergonha e o medo. Quando Adão e Eva perceberam que tinham perdido o contato com Deus, uma terrível solidão apossou-se deles.”

 

1.3. Medo.

Adão sempre sentia amor e segurança ao ouvir a voz de Deus. Mas, após pecar, pela primeira vez ele sentiu medo [Gn 3.10]. Antes de Deus provar para Adão que ele estava errado por não confiar nele, o próprio Adão descobriu isso por causa da vergonha e culpa que sentiu imediatamente após comer do fruto. Ele sentiu medo por se certificar que o “morrerás” realmente era verdade. O medo entrou na experiência humana e nunca mais saiu. Desenvolvemos cada vez mais fobias que terapeutas não têm dado conta. Alienados consigo mesmo temos medo do que está dentro.

 

Comentários Bíblicos – Gênesis – João Calvino: “Embora essa pareça ser a confissão de um homem abatido e humilhado, logo se mostrará que ele ainda não estava devidamente humilhado nem arrependido. Ele imputa seu temor à voz de Deus, bem como à sua nudez, como se nunca ouvira antes a Deus falando sem se sentir alarmado, nem fora ainda animado com dulçor por sua fala. Sua excessiva estupidez se mostra nisto: que em seu pecado ele falha em reconhecer a causa da vergonha que ora sente; ele, pois, mostra que ainda não sente tanto sua punição, a ponto de confessar sua culpa.”

 

EU ENSINEI QUE:

Embora a primeira e principal pessoa ofendida com os nossos pecados seja Deus, a primeira pessoa a sofrer as consequências do nosso pecado somos nós mesmos.

 

2. ALIENAÇÃO EM RELAÇÃO AO PRÓXIMO

Além do pecado ter gerado uma alienação no homem consigo mesmo, gerou também uma alienação com o próximo, o que explica todos os nossos desajustes sociais.

 

2.1. Transferência de responsabilidade.

A culpa que Adão sentiu (alienação consigo mesmo) fez ele responsabilizar sua mulher por seu erro (alienação com o próximo) [Gn 3.12-13]. O mal se prolifera no mundo e corre livre na sociedade justamente pela indisposição do que erra de assumir sua responsabilidade. “O mal que faço é sempre por causa do outro”. Ou sempre por causa do meio, numa abordagem mais moderna. Com isso, nunca existe o outro, e o mal nunca é tratado. Numa tentativa de fazer de tudo para não se sentir mal com a culpa, as relações sociais são afetadas.

 

Comentário Bíblico Broadman – Gênesis: “Quando Eva foi induzida pela serpente a pensar que Deus, na verdade, não se interessava por ela, a alienação já tivera início. Quando ela comeu do fruto, a dita alienação foi consumada. “Deus é Deus e eu sou eu, e eu estou preparada para me virar sozinha.” O que Jesus ensina tão claramente, que a separação de Deus resulta na separação de nossos semelhantes, o Velho Testamento também dramatiza nesta passagem.”

 

2.2. A perda da pureza.

Após comerem do fruto, Adão e Eva não sentiram vergonha apenas em relação a si mesmos, mas também um em relação ao outro [Gn 2.25]. Foi esta primeira experiência com vergonha que os fez coserem aventais com folhas [Gn 3.7]. Podemos imaginar como a relação entre o homem e a mulher foi profunda e permanentemente afetada. A nudez do corpo, que até então era uma bênção de Deus, tornou-se a causa de muitos tipos de pecados que nascem na mente.

 

Novo Comentário Bíblico – Antigo Testamento: “Então, foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus. De repente, sem que qualquer outra pessoa estivesse por perto, Adão e Eva se sentiram envergonhados [Gn 2.25]. A ingenuidade deles havia sido substituída por desconfiança, medo e pensamentos ruins; então eles se cobriram com folhas de figueira (numa tentativa de livrar-se da vergonha que sentiam).”

 

2.3. Relações conflituosas.

Na teologia da salvação nós aprendemos que Deus já tinha determinado que Adão fosse o cabeça da humanidade e a representasse. Isso inclui Eva. Porém, a julgar pelo que Deus disse a Eva após o pecado: “E o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará” [Gn 3.16], esta relação original entre o homem e a mulher não chega nem perto do melhor quadro que possamos viver como casais hoje em dia. Relações conflituosas sobre submissão e insubmissão sempre marcarão os relacionamentos entre casais como consequência desta alienação social por causa do pecado.

 

Bíblia de Estudo BKJ: “O casamento também seria desvirtuado. Apesar do desejo da mulher passar a ser para seu marido, o pecado também desvirtuaria o plano de Deus para o casamento e criaria desigualdade e subjugação atormentadoras. Esta última é uma descrição do efeito devastador do pecado no relacionamento entre marido e esposa, e não uma prescrição para se abusar da esposa. O Novo Testamento ensina que o casamento deve refletir o relacionamento entre Cristo e a Igreja [Ef 5.24-25] e deve ser caracterizado pela compreensão e respeito de um marido por sua esposa [1Pe 3.7].”

 

EU ENSINEI QUE:

Os nossos problemas de relacionamentos com as pessoas não têm como causa personalidades divergentes, mas pobreza em nossa relação com Deus. O amor por Deus santifica nossas relações.

 

3. ALIENAÇÃO EM RELAÇÃO A DEUS

A causa da alienação do homem consigo mesmo é o que explica sua alienação para com o próximo. E estes dois tipos de alienação, intrapessoal e interpessoal, têm como causa a alienação em relação a Deus.

 

3.1. Desconfiança sobre o amor.

É importante entender que o pecado de Eva (e Adão) surge nela antes dela comer do fruto. Tiago ensina sobre isso [Tg 1.14-15]. O pecado nasce no desejo, bem antes da prática. Quando Eva desejou o fruto proibido, e interiormente decidiu comer dele, já concebeu o pecado. Bastava-lhe a chance da consumação [Gn 3.6]. Mas para ele decidir isso dentro dela, teve primeiro que desconfiar do amor de Deus. Foi exatamente o que Satanás lhe sugeriu: “Se Deus realmente amasse vocês, não lhes privaria deste prazer e conhecimento” [Gn 3.4-5]. Eva e Adão rejeitaram a Deus para poder pecar.

 

Comentários Bíblicos – Gênesis – João Calvino: “Anteriormente, ela podia contemplar a árvore com tamanha sinceridade, que nenhum desejo de comer do seu fruto afetava sua mente; pois a fé que ela possuía na palavra de Deus era a melhor guardiã de seu coração, bem como de todos os seus sentidos. Agora, porém, depois que o coração decai da fé e da obediência à palavra, ela corrompeu tanto a si própria quanto a todos os seus sentidos, e a depravação se difundiu por todas as partes de sua alma e também por todo o seu corpo.”

 

3.2. Culpar Deus pelos erros.

Mesmo irrefutavelmente acusados pelas suas consciências, os homens ainda conseguem culpar a Deus por suas escolhas erradas. Adão tenta justificar seu erro culpando a Deus pela mulher que ele lhe deu. Algo do tipo: Quem mandou me dar mulher? [Gn 3.12]. Eva tenta justificar seu erro culpando a Deus pela serpente no jardim. Algo do tipo: Quem mandou criar serpente? [Gn 3.13]. Lá no jardim estavam as árvores que o Senhor Deus fez brotar [Gn 2.9]. O casal recebeu as ordens de Deus sobre como devia lidar com as árvores [Gn 2.16-17]. E tinha, também, a capacidade, como dom dado pelo Criador, para dizer “sim” e “não”. Ao primeiro casal faltou lealdade e obediência em submissão à vontade de Deus. E hoje, como estamos lidando com a vontade de Deus?

 

Bíblia de Estudo BKJ: “Adão é obrigado a reconhecer sua transgressão, mas ele faz isso de uma forma de mudar a culpa fora de si mesmo, e colocá-lo em cima de Deus e sobre a mulher! Quando a mulher é questionada, ela coloca a culpa em Deus e a serpente (…) Assim, descobrimos que, enquanto os olhos do seu corpo se abriram para ver o seu estado de degradação, os olhos de seu entendimento foram fechados, de modo que eles não podiam ver a malignidade do pecado, e ao mesmo tempo, seus corações foram endurecidos por meio de seu engano.”

 

3.3. As maldições não são o final.

O morrereis de Deus começa a acontecer com parto com dores, trabalho penoso e terra maldita e, finalmente, a morte [Gn 3.16-19]. A graça de Deus em Cristo, entretanto, pode dar às mulheres a alegria de gerar filhos para Deus mesmo com dor, ao homem de encontrar propósito mais excelente no trabalho mesmo que difícil, de manter esperança de uma nova terra na restauração de tudo e da vida e glória eterna ainda que o portal seja a morte [2Pe 3.12-13; Ap 21.1-4, 27].

 

Comentários Bíblicos – Gênesis – João Calvino: “Mas, para que a tristeza e o horror não nos esmaguem, o Senhor derrama por toda parte os sinais de sua bondade. Além disso, embora a bênção de Deus não seja mais vista pura e transparente como ela se manifestava ao homem em sua inocência, se o que permanece por detrás for considerado em si mesmo, Davi, verdadeira e apropriadamente, exclama: “A terra está cheia da mercê de Deus”.

 

EU ENSINEI QUE:

A falta de relacionamento com Deus nos leva a pecar e nos indispõe ao arrependimento. Precisamos abrir nossos olhos para as promessas de Deus a fim de que Ele, por Sua graça e misericórdia, nos traga de volta à Sua presença.

 

CONCLUSÃO

Para estarmos bem com a gente mesmo e com o próximo, precisamos estar bem com Deus. A nossa relação com Deus é que determina todas as demais relações [1Jo 4.19-20]. O próprio Deus enviou Seu Filho para proporcionar reconciliação entre o ser humano e Deus [2Co 5.19-10].

Veja mais lições Betel Aqui

Post Bottom Ad