Lição 12 - POSSO VIVER PARA A SUA GLÓRIA (Classe: Juvenis)

Lições Bíblicas Juvenis 2º Trimestre 2023 – CPAD

Revista: O que Cristo fez por nós e o que podemos fazer pelo Reino de Deus

 

LEITURA DIÁRIA

SEG. Pv 9.10 Sabedoria para viver para Deus

★TER.  Pv 10.1  Um filho sábio glorifica a Deus

QUA. Sl 1.3 O sábio é bem-sucedido

QUI. Dt 5. 29 Um coração obediente

SEX. Jo 14.15 Quem ama a Jesus obedece

SÁB. Hb 5.8,9 Jesus aprendeu o caminho da obediência e submissão

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Lucas 2.39-52

39 E, quando acabaram de cumprir tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para a sua cidade de Nazaré.

40 E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.

41 Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa;

42 E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.

43 E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.

44 Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos;

45 E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.

46 E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.

47 E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.

48 E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos.

49 E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?

50 E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia.

51 E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no seu coração todas estas coisas.

52 E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.

CONECTADO COM DEUS

Vivemos em uma sociedade que não conhece os princípios de Jesus Cristo, o Salvador. Mas graças a Deus conhecemos a Jesus e queremos viver para a sua glória. Então, se queremos viver de modo a glorificar o nome dEle, não podemos viver segundo os padrões deste mundo. A nossa maneira de falar, nossas atitudes, nosso jeito de se vestir e nossos pensamentos devem estar de acordo com os ensinos de Jesus.

A Igreja do Senhor ainda permanece neste mundo para que o nome dEle seja exaltado e vidas venham se render a Cristo. Que as pessoas, ao olharem para você, elas possam ver a Jesus Cristo. Viver para a glória de Deus não é uma tarefa fácil, mas é possível com a ajuda do Espírito Santo.

 

OBJETIVOS

1. COMPREENDER que a obediência glorifica a Deus;

2. EXPLICAR que é preciso viver a liberdade cristã com sabedoria;

3. AFIRMAR que precisamos usar palavras que glorifiquem a Deus.

 

1. A OBEDIÊNCIA QUE GLORIFICA A DEUS

1.1. Um filho obediente

Os pais de Jesus iam todos os anos à Jerusalém para comemorar a festa da Páscoa (Lc 2.39-52). Maria e José eram obedientes às Leis de Deus. Quando Jesus era um adolescente, com doze Anos.

Ele acompanhou seus pais até Jerusalém para a festa. Depois de terminada a celebração, as famílias retornavam para suas casas. Todos viajavam juntos e os pais de Jesus pensaram que Ele estivesse com os amigos ou familiares. Porém, quando perceberam que Jesus não estava junto dos viajantes, eles retornaram a Jerusalém e começaram a procurá-lo por toda a parte, até que Ele foi encontrado no Templo junto com os doutores onde todos ficaram admirados com a sabedoria de Jesus.

 

1.2. Como homem, Jesus viveu de forma sábia e inteligente

O Filho de Deus voltou para casa, em Nazaré, com seus pais e foi obediente a eles até que se tornou um adulto independente. Já aprendemos que o Salvador tinha duas naturezas: humana e divina. Como homem Ele viveu uma vida normal, foi à festa (Jo 2.1-12) e teve amigos (Jo 11,1-3), porém Jesus viveu de forma sábia, inteligente, Ele obedeceu ao seus pais: “E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito" (Lc 2.51).

 

Também cumpriu em tudo a vontade de Deus: “Porque desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou” (Jo 6.38). Tal verdade nos mostra que, sem obediência a Deus, aos pais e às autoridades não têm como glorificar o nome do Senhor. Viver com sabedoria é temer a Deus e obedecer aos seus mandamentos. O temor ao Senhor é o princípio da sabedoria (Pv  9.10) e da vida feliz (Sl 1). Quem respeita a Deus vive todas as fases da vida de modo a agradá-lo e glorificar o seu nome.

 

2. VIVENDO A LIBERDADE CRISTÃ COM SABEDORIA

O apóstolo Paulo, escrevendo aos coríntios, ensinou uma importante lição: quer no comer, quer no beber, e em tudo o que fizermos, nosso alvo deve ser a glória de Deus. Como crentes, nosso propósito neste mundo é agradar ao Pai Celeste e glorificar seu nome.

 

O Senhor Jesus Cristo nos libertou do jugo do pecado, nos deu uma nova vida e hoje somos livres. Contudo, nossa liberdade não é para fazer o que bem entendemos. Também não podemos usar da nossa liberdade para ofender a ninguém: “nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus (1 Co 10.32).

 

A Palavra de Deus nos ensina que “todas as coisas nos são lícitas (válidas), mas nem todas convém.”

 

Você é livre, menos para pecar. É preciso pensar antes de agir e falar para não entristecer o próximo. Se amamos a Jesus precisamos demonstrar este amor em nossa maneira de falar e agir. O amor necessita ser visto em nossas atitudes.

 

3. PALAVRAS QUE GLORIFICAM ADEUS

3.1. Cuidado com a Língua

De todos os seres criados pelo Todo-Poderoso, o ser humano é o único que possuiu um aparelho fonador. Logo, podemos afirmar que a fala é um dom divino que nos distingue. É algo realmente especial que pode ser usado tanto para o bem quanto para o mal. Tiago compara a Língua a um fogo devastador (Tg 3.6), pois uma pequena fagulha pode queimar e destruir uma floresta inteira. Ele ainda afirma que “nenhum homem pode domara Língua” (Tg 3.8). Com a nossa Língua, podemos bendizer a Deus e maldizer o próximo. Ter o controle da língua não é fácil, mas não é impossível para os discípulos de Jesus. Quem consegue controlara língua, controla todo o seu ser e pode viver para a glória de Deus.

 

3.2. Nossa maneira de falar

A nossa maneira de falar revela o nosso verdadeiro “eu", pois a boca fala do que o coração está cheio (Mt 12.34). É do coração, ou seja, do íntimo do ser humano que procedem os males. Certa vez, Pedro foi identificado como alguém que esteve com Jesus somente pelo seu linguajar (Mt 26.73). Nossa maneira de falar deve ser saudável e irrepreensível: 'Use palavras certas, para que ninguém possa criticá-lo e para que os inimigos fiquem envergonhados por não terem nada de mau a dizer a nosso respeito' (Tt 2.8, NTLH).

 

3.3. Prudência no falar

Não podemos sair por aí falando o que nos vem à cabeça, pois nossas palavras afetam o nosso próximo de forma positiva ou negativa. Jesus ensinou que no Dia do Juízo, todos terão de dar conta diante de Deus por suas palavras (Mt 12.36). Então, pense bem antes de falar!

 

No livro de Provérbios encontramos ensinamentos preciosos a respeito do uso da língua. Um destes ensinos é a respeito do ser moderado no falar (Pv 21.23).

 

Você fala demais? Então tome cuidado! Quem fala em demasia prejudica o outro e a si próprio (Pv 13.3). Vários provérbios tratam a respeito da língua mentirosa e da calúnia (Pv 6.17). A difamação (desacreditar uma pessoa com mentiras), em especial nas redes sociais, tem feito muitas vítimas. A calúnia é devastadora e consegue separar até os amigos mais íntimos (Pv 16.28). O Diabo é o pai da mentira (Jo 8.44), toda mentira e engano procedem dele e Deus abomina a língua mentirosa (Pv 6.17).

 

SUBSÍDIO 1

“Com a idade de 12 anos, um menino judeu se torna “filho da lei'. Nesse momento, ele aceita os deveres e obrigações religiosas aos quais os pais o entregaram pelo rito da circuncisão. Para Jesus, isto acontece quando seus pais sobem a Jerusalém para celebrar a Páscoa.

 

O Antigo Testamento ordenava que pessoa do sexo masculino comparecesse em Jerusalém para três festas: a Páscoa, o Pentecostes e os Tabernáculos (Êx 23.14-17). A dispersão dos judeus pelo mundo tomou impossível que todos fizessem isto nos dias de José e Maria. Apesar da distância, os judeus devotos faziam a jornada pelo menos uma vez por ano para a Páscoa. Não era exigido que as mulheres comparecessem, contudo muitas iam” (Comentário Bíblico Pentecostal. Vol. 1, Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p. 331).

 

“A humanidade de Jesus. Teólogos têm se mostrado confusos quanto à precisão do relacionamento entre a humanidade de Jesus e sua divindade. Tudo o que podemos dizer com certeza, é que Jesus é tanto Deus quanto homem. Como ser humano, descendente de Adão, nasceu e viveu uma vida humana normal. Teve fome e exaustão física. Conheceu a rejeição e o sofrimento. Gostava das celebrações nupciais e das festas. Sentiu pena do desamparado, frustração da apatia de seus seguidores e ira pela indiferença dos líderes religiosos diante do sofrimento humano. Era um ser verdadeiramente humano no melhor e ideal sentido da palavra. Por tudo isso, é um exemplo para nós" (RICARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia, Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 653).

 

SUBSÍDIO 2

"Não convém que isto se faça assim' (Tg 3.7-12). Tiago não abordou a teologia da maneira como Paulo abordava nas suas cartas. Mas os comentários de Tiago refletem um profundo entendimento, tanto da teologia quanto do nosso dilema pessoal.

 

Tiago estava bastante ciente de que os cristãos têm corações divididos. Nós queremos agradar a Deus. Mas sempre há um prazer distorcido no pecado que se agita dentro de nós. A natureza dividida de nossos corações é exibida mais claramente no que dizemos, um momento expressando um pensamento devoto, e no momento seguinte, um sentimento pecaminoso.

 

Você e eu jamais conseguiremos o controle total sobre nossas línguas (v. 8). Mas devemos nos lembrar de que à nova vida que Deus nos deu é uma nascente pura, da qual fluem águas revigorantes. Devemos nos comprometer em revigorar os outros com tudo o que dissermos, e nos abster de proferir pensamentos mesquinhos e odiosos." (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Devocional da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p. 957)

 

HORA DA REVISÃO

1. Como discípulos de Jesus, qual deve ser o alvo da nossa vida?

2. A que Tiago compara a língua?

3. Transcreva a referência bíblica que mostra que nossa linguagem deve ser saudável e irrepreensível.

4. Quem é o pai da mentira?

5. O que acontece com quem fala muito?

Este E-book é uma verdadeira fonte informativa para os novos e os veteranos professores de Escola Bíblica.


Compartilhar:

CURSOS BÍBLICOS PARA VOCÊ:

1) CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO MÉDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Formação de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
5) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui


Matricule-se já !