Lição 2 A grande jornada no deserto [ADOLESCENTES] - Subsídios Dominical

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

Novos Subsídios Bíblicos para as lições  O corpo de Cristo, 1° trimestre de 2024


Lição 2 A grande jornada no deserto [ADOLESCENTES]

Escola Dominical, Classe: Adolescentes – 2° trimestre de 2023 - CPAD

LEITURA BÍBLICA

Salmos 105.37-45

MENSAGEM

O SENHOR disse a Moisés: — Por que você está me pedindo ajuda? Diga ao povo que marche. Levante o bastão e o estenda sobre o mar [...]. Êxodo 14.15,16

DEVOCIONAL

Segunda » Êx 13.17-22

Terça » Êx 16.1-6

Quarta » Êx 33.1-5

Quinta » Êx 33.7-11

Sexta » Êx 33.18-23

Sábado » Dt 26.7-9

Vamos Descobrir

A jornada pelo deserto foi uma trajetória de milagres. Desde as 10 pragas do Egito, que serviram de libertação para os israelitas e humilhação do Egito, passando pelo mar Vermelho e a forma como todo o povo de Deus viveu e foi sustentado no deserto, foi uma história de milagres.

Na lição de hoje, veremos que Deus cuidou do povo em situações de fuga, peregrinação, culto, alimentação, vestimenta e guerras. Deus sempre esteve presente junto ao seu povo e jamais o abandonou.

Hora de Aprender

I - A PASSAGEM PELO MAR VERMELHO

1 - 0 primeiro desafio no deserto

Após a libertação, Deus guiou Israel pelo caminho do deserto, próximo ao mar Vermelho. Todavia, quando o povo já havia saído, Faraó mudou de ideia e decidiu persegui-los (Êx 14.5). Faraó organizou o seu exército, com carros, cavaleiros, incluindo os 600 melhores carros, comandados por seus oficiais, para tentar capturar os hebreus no deserto (Êx 14.6,7). Isso fez com que o povo temesse muito, achando até que fossem morrer ali mesmo.

 

2 - A ordem de Deus

Diante de situações adversas, precisamos confiarem Deus e ter fé que Ele cumprirá suas promessas em nossas vidas. Deus prometera ao povo que o tiraria do Egito. Diante do mar Vermelho e com o exército de Faraó enfurecido em sua direção, o povo temeu e clamou por socorro. E, nesse contexto, a ordem de Deus para Moisés foi para que povo marchasse (Êx 14.15).

 

3 - 0 milagre

Após instruir o povo, Moisés ergueu a mão sobre o mar e Deus enviou um vento muito forte. Durante toda a noite o vento soprou veementemente. Assim, as águas do mar Vermelho se dividiram e formou-se um caminho no meio do mar. Todo o povo de Israel atravessou, levando idosos, crianças, bagagens e rebanhos. Deus abriu o mar Vermelho de tal maneira que o povo passou caminhando em terra seca (Êx 14.22,29).

 

Os egípcios, com seus soldados e carros de guerra, seguiram o povo de Israel pelo caminho que era exclusivo para o povo de Deus. Então, o Senhor agiu fazendo com que as rodas de seus carros ficassem atoladas, de modo que quiseram fugir dos israelitas, por entenderem que Deus lutava pelos israelitas (Êx 14.23-25).

 

Quando todo o povo de Israel havia atravessado o mar, seguindo as orientações de Deus, Moisés ergueu a mão novamente e as águas do mar Vermelho se fecharam, exterminando, assim, o exército de Faraó.

 

O povo de Israel ficou livre para sempre daqueles que os escravizaram. Esse milagre foi tão grandioso e poderoso que se transformou em poesia para o povo (Sl 66.6).

 

II - A PEREGRINAÇÃO PELO DESERTO

1 - Colunas de nuvem e fogo

O milagre da travessia possui algumas peculiaridades e uma delas é a presença das colunas de fogo e de nuvem (Êx 14.24). A presença destas colunas era totalmente sobrenatural e foi uma providência divina para guiar o povo. Durante o dia, Deus lhes mostrava o caminho numa coluna de nuvem. À noite, Ele os guiava por uma coluna de fogo. A coluna de nuvem estava com eles durante o dia, e a coluna de fogo à noite, sinalizando o cuidado de Deus (Êx 13.21,22).

Portanto, já antes da travessia do mar Vermelho, a coluna de fogo e a de nuvem se faziam presentes entre o povo e permaneceram assim durante toda a peregrinação pelo deserto rumo à Canaã (Nm 9.16).

 

2 - Água, maná e carne

O povo de Israel começou uma jornada no deserto, que durou 40 anos. A peregrinação não foi fácil, pois se deu em um lugar com poucos recursos naturais.

 

Houve momentos nos quais o povo precisou de água e Deus providenciou (Êx 15.25). Outro exemplo do cuidado de Deus foi o envio do maná. Durante os 40 anos de peregrinação pelo deserto os israelitas tiveram maná para comer (Êx 16.35). Ele era enviado todos os dias, exceto aos sábados. Portanto, o povo foi sustentado durante toda sua jornada até a terra prometida.

 

III - CONHECENDO A TERRA

Por ordem divina, Moisés enviou 12 espias para conhecerem a terra de Canaã, local para onde os hebreus estavam se dirigindo. Eles tinham a missão de observar a terra que deveriam conquistar (Nm 13.1,2). Ao todo foram 12 espias. Eles eram chefes das tribos de Israel (Nm 13.3).

 

Após 40 dias investigando a terra, os espias obtiveram excelentes informações, a saber: que a terra era boa, rica e frutífera (Nm 13.27).

 

Todavia foi a segunda parte do relatório que tomou conta dos ânimos do povo. Os espias destacaram que os moradores da terra eram grandes e fortes, alguns descendentes de gigantes e que, além disso, as cidades eram fortificadas com muralhas (Nm 13.28). Este parecer foi o suficiente para fazer o povo desanimar (Nm 13.20).

 

Mas Josué e Calebe não aceitaram o desânimo dos 10 espias e nem o do povo e disseram para o povo não temer, pois Deus era com eles (Nm 14.6-9). Entretanto, o povo de Israel não seguiu as palavras de Josué e Calebe.

 

A incredulidade do povo despertou o juízo de Deus. Como consequência do desprezo que demonstraram a Deus, toda aquela geração (pessoas a partir de 20 anos) foi impedida de entrar na terra prometida (Nm 14.22,23). A única exceção foram Josué e Calebe, os espias que se mantiveram crendo em Deus (Nm 14.30). Assim, o povo precisou fazer uma jornada de 40 anos no deserto (Nm 14.34). Apenas a nova geração viveria a promessa de Deus (Nm 14.31).

 

CONCLUSÃO

Deus resgatou o povo de Israel do Egito. Durante 40 anos os hebreus peregrinaram no deserto e viram grandes milagres de Deus. A jornada no deserto formou uma geração forte, que conheceu a Deus verdadeiramente.

 

Pense Nisso

Um ponto que devemos observar é que sempre haverá pessoas, inclusive próximas a nós, que tentarão nos desanimar de alguma forma. Mas, assim como Josué e Calebe, que não duvidaram da promessa de Deus, devemos estar firmes e confiantes em Deus e não absorver palavras que venham a tentar destruir a nossa fé.

Este E-book é uma verdadeira fonte informativa para os novos e os veteranos professores de Escola Bíblica.


Post Bottom Ad