Lição 13 A Amizade de Jesus com uma Família de Betânia - Subsídios Dominical

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

Novos Subsídios Bíblicos para as lições  O corpo de Cristo, 1° trimestre de 2024


Lição 13 A Amizade de Jesus com uma Família de Betânia

🕛 Data: 25 de junho de 2023

Revista: Do professor - CPAD

Trimestre: 2° de 2023

🎓 Título: Relacionamentos em Família: Superando Desafios e Problemas com Exemplos da Palavra de Deus

✍Comentarista: Elienai Cabral

📚  TEXTO ÁUREO

“Ora, Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro.” (Jo 11.5)

💡  VERDADE PRÁTICA

Dentro da família, a amizade com Cristo evoca comunhão, conselho, simpatia e reciprocidade nos relacionamentos.

 LEITURA DIÁRIA

Segunda – Êx 33.11

Deus falava com Moisés como a um amigo

Terça – 2 Cr 20.7; Tg 2.23

Abraão, o amigo de Deus

Quarta – Lc 7.34

Jesus se fez amigo de publicanos e pecadores para alcançá-los

Quinta – Jo 15.15

Jesus trata seus discípulos como amigos

Sexta – Jo 11.11

Jesus trata a Lázaro como amigo

Sábado – Jo 11.3-5

O amor de Jesus por Marta, Maria e Lázaro

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Lucas 10.38-42; João 11.5,11

Lucas 10

38 – E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa.

39 – E tinha esta uma irmã, chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra.

40 – Marta, porém, andava distraída em muitos serviços e, aproximando-se, disse: Senhor, não te importas que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe, pois, que me ajude.

41 – E, respondendo Jesus disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas,

42 – mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.

João 11

5 – Ora, Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro.

11 – Assim falou e, depois, disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono.

 

Hinos Sugeridos:  8, 200, 344 da Harpa Cristã

Objetivos da Lição:

I) Explicar a vida social de Jesus;

II) Elencar os frutos da amizade com Jesus;

III) Ensinar lições que podemos aprender a respeito da amizade de Jesus com a família de Betânia.

 

INTRODUÇÃO

A amizade é um dos bens mais preciosos da vida. Nesta lição, estudaremos a relação de amizade de Jesus com a família de Marta, Maria e Lázaro. Veremos que essa família hospedou nosso Senhor em sua casa e, por isso, desfrutou de influências abençoadoras na vida cotidiana. De fato, é uma história especial que nos ensina preciosas lições de como desfrutar de um relacionamento de santa amizade com o Senhor Jesus. 

PALAVRA-CHAVE: Amizade

 

I – A VIDA SOCIAL DE JESUS

1. Jesus foi um ser social.

Criado na casa de seus pais, na cidade Nazaré, Jesus desenvolveu relações pessoais como qualquer pessoa. Como filho mais velho e obediente aos pais, Ele acompanhou José e aprendeu a profissão de carpintaria. No relacionamento social, Jesus convivia com pessoas, tanto as de dentro da família quanto as de fora, e estabelecia amizades. Depois de deixar a casa de sua mãe, Ele se dispôs a seguir o projeto do Pai Celestial.

 

Nesse tempo, peregrinou por toda a terra da Palestina, pregando o Evangelho, realizando prodígios e sinais como confirmação do seu ministério, e estabelecendo grandes amizades. Não por acaso, nosso Senhor admitiu aos seus discípulos: “Já não vos chamarei servos, [...] mas tenho-vos chamado amigos” (Jo 15.15).

 

2. Uma casa hospedeira.

Havia uma família em Betânia que desfrutava de uma bonita amizade com o Senhor Jesus: a família de Marta, Maria e Lázaro (Jo 12.1,2). Toda vez que ia à Jerusalém, Jesus procurava visitar essa família que se tornou especial em suas relações interpessoais. Era uma amizade sincera em que a família hospedava nosso Senhor de maneira acolhedora.

 

3. Jesus foi recebido por essa família.

Se entre os próprios irmãos havia os que não compreendiam a sua missão, Jesus encontrou em Marta, Maria e Lázaro acolhimento especial para a seu chamado. O episódio que marca essa amizade, após a missão dos setenta, é quando o nosso Senhor foi, com seus discípulos, para aldeia de Betânia. Nesse caso, Marta foi quem o recebeu e sua irmã, Maria, assentou-se aos pés dEle para ouvi-lo (Lc 10.38,39). Certamente, Jesus aproveitava essas caminhadas em missão para visitar os amigos.

 

SINÓPSE I

A família em Betânia recebeu Jesus em sua casa.

 

II – FRUTOS DA AMIZADE COM JESUS

1. Presença real do Filho de Deus.

Quando Marta, Maria e Lázaro descobriram em Jesus a resposta para todas as suas indagações, entenderam que essa relação com o Salvador era mais que mera relação social. Era a presença real do Filho de Deus dentro de sua casa (Mt 10.40). Isso significa submeter-se voluntariamente aos seus ensinos e mandamentos, desfrutar um relacionamento especial em família com o Rei dos reis e Senhor dos senhores (Ap 19.16).

 

2. Desenvolvimento espiritual.

A amizade de uma família com Jesus converge em adoração, contrição e quebrantamento espiritual. Por três vezes, os autores dos Evangelhos citam atitudes distintas de Maria, irmã de Marta, em relação ao Senhor Jesus. Primeiro, em sua própria casa, quando Jesus visitou a família, Maria assentou-se aos pés de Jesus para ouvi-lo (Lc 10.39). Segundo, na ocasião de tristeza pela morte de seu irmão, Lázaro, ela lançou-se aos pés dEle e chorou suas tristezas (Jo 11.32). E, por último, em casa, Maria adorou Jesus derramando sobre Ele um recipiente de unguento de nardo puro, ungindo seus pés e enxugando-os com os seus cabelos (Jo 12.3). Aqui, a lição é clara: a família que recebe Jesus em sua casa desenvolve um relacionamento profundamente espiritual com Ele.

 

3. Serviço concreto.

Se com Maria aprendemos uma espiritualidade profunda, com Marta aprendemos a importância do serviço em família. As preocupações de Marta com os trabalhos do lar indicam a intenção de agradar a Cristo, oferecendo-Lhe uma hospitalidade especial. Era um modo de Marta agradá-Lo por meio de obras (Jo 12.2).

 

Há os que condenam a atitude mais ativa de Marta com relação a Jesus. É bem verdade que ela foi admoestada pelo Senhor quanto ao serviço desproporcional e a não esquecer do necessário (Lc 10.40). Entretanto, também é verdade que ela adequou esse serviço na perspectiva ensinada pelo Senhor Jesus (Jo 12.2). Quando a família estabelece uma relação de amizade a partir de Jesus, deve-se levar em conta o serviço mútuo para a manutenção do lar. Em Jesus, cada membro da família deve ser ativo nas tarefas domésticas sem, contudo, esquecer-se do necessário: a prioridade espiritual (Lc 10.40-42).

 

SINÓPSE II

A família que cultiva a amizade com Jesus pode colher muitos frutos.

 

Auxílio Vida cristã

SERVIÇO E DEVOÇÃO A DEUS

“Você está tão ocupado fazendo algo para Jesus, que deixa de passar momentos de comunhão com Ele? Não deixe que seu serviço se transforme em algo que vise a seu próprio interesse. Jesus não culpou Marta por estar preocupada com as tarefas domésticas. Ele só pediu que ela estabelecesse corretamente as prioridades. É possível um serviço perder a essência, tornando-se um mero trabalho cheio de tarefas, totalmente desprovido da devoção a Deus” (Bíblia de Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, pp. 1374-75).

 

III – LIÇÕES QUE APRENDEMOS COM A AMIZADE DE JESUS

1. Uma história de amor.

A história da amizade de Jesus com essa família nos leva a conhecer uma história de amor. Marta, Maria e Lázaro eram fiéis discípulos de Jesus. Ambos os irmãos criam em tudo o que o Mestre ensinava e, por isso, o reverenciavam de maneira honrosa e hospitaleira. Eles amavam Jesus e eram amados por Ele (Jo 11.5). Aqui, aprendemos que o amor é o sentimento que deve nortear a relação da família cristã. Num lar em que se estabeleceu a amizade com Jesus não deve faltar o amor de Deus (1 Jo 3.18). 

 

2. Compreender o outro.

Vimos que Marta e Maria tinham perfis distintos. Uma agia mais com o “coração” e outra mais com as “mãos”. Uma tinha uma emoção mais intensa, falava de maneira mais direta e franca; a outra, mais sossegada, tranquila, contemplativa e silenciosa. Entretanto, ambas recebiam Jesus com alegria e honra. Em nossa família também é assim, na mesma casa habitam pessoas com personalidades diferentes uma das outras. É preciso ter a disposição para conhecer, compreender e administrar de maneira sábia e respeitosa a personalidade de cada membro da família. Talvez esse seja o maior desafio do amor em casa (cf. 1 Co 13.4-7).

 

3. Ponderar quanto aos cuidados da vida.

Desejando agradar a Cristo, Marta trabalhava para dar o melhor da sua casa para Jesus. Por isso, acabou se distraindo com muitos serviços, esquecendo-se de priorizar também a parte espiritual de sua vida. Foi isso que nosso Senhor mostrou à Marta quando disse que ela andava distraída com muitos serviços (Lc 10.40). Naturalmente, aqui, Jesus não ensina a ficarmos descansados com as nossas responsabilidades.

 

Na verdade, sua Palavra é para quem está sobrecarregado com muitas atividades externas, como era o caso de Marta. Nosso Senhor ensina que a vida não é só trabalho, pois “nem só de pão viverá o homem” (Mt 4.4). A vida também tem a ver com o equilíbrio da alma e do espírito, pois o ser humano viverá de “toda a palavra que sai da boca de Deus” (Mt 4.4). Portanto, ter uma vida social agitada sem uma vida espiritual de raízes profundas é viver no vazio. Assim, em pouco tempo não teremos mais o fervor espiritual. A nossa família deve ser o ambiente em que a nossa vida com Deus seja potencializada a fim de que nossa vida social seja produtiva e abençoada. 

 

SINÓPSE III

A amizade de Jesus com a família de Betânia é uma história de amor e cuidado.

 


CURSOS BÍBLICOS PARA VOCÊ:

1) CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO MÉDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Formação de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
5) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui


Matricule-se já ! 

AUXÍLIO DEVOCIONAL

UMA HISTÓRIA DE AMOR

“Jesus tinha um relacionamento longo e próximo com Maria, Marta e seu irmão Lázaro. Os versículos 1 e 2 desse capítulo [...] foram escritos por João para nos lembrar de quão próximo Jesus era da pequena família de Betânia. E para nos ajudar a perceber que, quando Maria recorreu a Jesus, ela o fez com absoluta confiança de que Jesus responderia imediatamente. Afinal, Lázaro era ‘aquele que tu amas’, um amigo próximo e precioso. Os versículos 1 e 2 também são dirigidos a nós, para aqueles momentos em que oramos por alguma necessidade desesperada e importante. Uma mãe ou pai cujo filho sofra de uma doença fatal. O desemprego que de repente nos ameaça com a perda de nosso lar. Em tais ocasiões, lembramo-nos do amor de Jesus e dirigimos ao céu orações desesperadas e confiantes. Certamente o Senhor nos aliviará. Como poderia ser diferente a sua vontade amorosa?” (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Devocional da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p.688).

 

CONCLUSÃO

A nossa amizade com Jesus implica ter comunhão com Ele em todo o tempo de nossas vidas. Ele é o Amigo sem igual que nos conforta quando precisamos; consola quando choramos. A família que cultiva a amizade com Jesus vive na dimensão do amor, procura compreender os outros membros da família e pondera os cuidados dessa vida. A família cristã com Jesus tem o privilégio de desfrutar de sua presença real no cotidiano. Portanto, não podemos viver sem a amizade do Senhor Jesus.

Confira a lista de lições e subsídios para a Escola Bíblica Dominical, terceiro trimestre de 2023.

Lições Bíblicas classe dos Adultos, Acesse Aqui


Lições Bíblicas classe  dos JOVENS, Acesse Aqui


Lições Bíblicas classe  dos Adolescentes, Acesse Aqui

 

Lições Bíblicas classe  dos Juvenis, Acesse Aqui


Lições Bíblicas classe  dos ADULTOS BETEL, Acesse Aqui

🔊Lições em Áudio Acesse Aqui

VIDEOAULAS ADULTOS Acesse Aqui

VIDEOAULAS JOVENS Acesse Aqui

Curso de Capacitação de Professores da Escola Dominical - Aqui

 🎯 Revista Digital com Subsídios Completos, Aqui

REVISANDO O CONTEÚDO

1. Como era formada a família em Betânia, amiga de Jesus?

Por Marta, Maria e Lázaro (Jo 12.1,2).

 

2. Segundo a lição, o que Marta, Maria e Lázaro descobriram e entenderam em Jesus?

Entenderam que essa relação com o Salvador era mais que mera relação social. Era a presença real do Filho de Deus dentro de sua casa (Mt 10.40).

 

3. Em que converge a amizade de uma família com Jesus?

A amizade de uma família com Jesus converge em adoração, contrição e quebrantamento espiritual.

 

4. À luz da história de amizade e amor com a família de Betânia, o que aprendemos sobre o amor em nossa família?

Aprendemos que o amor é o sentimento que deve nortear a relação da família cristã.

 

5. Que tipo de ambiente deve ser o da nossa família?

A nossa família deve ser o ambiente em que a nossa vida com Deus seja potencializada a fim de que nossa vida social seja produtiva e abençoada.

Post Bottom Ad