FECHAR <----
 

Os espaços de aprendizagem geralmente possuem certa configuração, cuja intenção é proporcionar ao educando as condições adequadas para que ocorra perfeitamente o processo de aprendizagem. Do mesmo modo as ações pedagógicas realizadas neste espaço precisam estar bem definidas a fim de que os objetivos educacionais sejam alcançados. Para tanto é preciso traçar o melhor caminho, considerar as implicações que envolvem este processo, pensar cuidadosamente a melhor estratégia e o tempo  adequado para execução do trabalho. 

A este procedimento chamamos de planejamento. Não é possível realizar qualquer coisa no campo educacional se não houver um planejamento seguro, consistente e que considere as implicações que a realidade escolar remete aos educandos. Semelhantemente o processo de ensino recorrente nas classes de escolas dominicais, muitas vezes, passa pelo mesmo crivo do  planejamento. Mas antes de adentrarmos nesta questão que é o nosso objeto de estudo, torna-se necessário significar o que é planejamento.

a. Conceito de planejamento
Há muitas argumentações a respeito do conceito de planejamento. Dentre elas, chama atenção a concepção de LUCKESI (1992, p. 115), conforme citado por RIBEIRO (2010, p. 2):

O ato de planejar, como todos os outros atos humanos, implica escolha e, por isso, está assentado numa opção axiológica. É uma “atividade-meio”, que subsidia o ser humano no encaminhamento de suas ações e na obtenção de resultados desejados, e, portanto, orientada por um fim. O ato de planejar se assenta em opções filosófico-políticas; são elas que estabelecem os fins de uma determinada ação. E esses fins podem ocupar um lugar tanto no nível macro como no nível micro da sociedade. Situe-se onde se situar, ele é um ato axiologicamente comprometido.

Em suma o ato de planejar constitui a organização e disciplina da ação que apresentam características específicas na intenção de alcançar objetivos a curto, médio ou longo prazo. Para tanto, o planejamento deve ser elaborado de modo flexível, tendo em vista que na fase de execução, a proposta educacional encontra várias circunstâncias que forçam a alterações significativas no projeto original.


Com o passar dos anos, identificou-se com maior clareza que o ato de ensinar não se constitui apenas pela delimitação de conteúdos a serem vencidos e comunicados à classe discente. Nesse contexto a ação de planejamento é constituída de ações pensadas e repensadas periodicamente ao longo do curso, mas sem necessariamente perder a consistência e a finalidade a que se propõe.

b) Finalidades do planejamento no contexto educacional da Escola Dominical

O planejamento é um ato indispensável no contexto educacional da Escola Dominical, tendo em vista que o aprendizado dos alunos pode ser comprometido se a escola não assumir o compromisso em proporcionar uma educação organizada e fundamentada no ensino bíblico. O planejamento de ensino, quando bem elaborado, resulta em avanços significativos no desenvolvimento de altos níveis de aprendizagem e a elevação da capacidade de compreensão dos conteúdos. Quanto mais dinâmico e construtivista for o planejamento, mais os alunos terão a facilidade de desenvolver o aprendizado nas atividades escolares. É importante enfatizar que o planejamento de ensino tem também como proposta que os alunos sejam participantes ativos nos processos de ensino. Não se trata de implementar apenas uma organização dos conteúdos a serem ministrados, mas também de proporcionar aos professores a capacidade de articular conhecimentos pedagógicos com atividades que proporcionem aos alunos experimentarem a verdade bíblica em circunstâncias reais. Isso ocorre quando o aluno é de fato o centro da atenção do processo educativo. As atividades pedagógicas propostas no planejamento devem justamente proporcionar ao aluno o “protagonismo” do processo de ensino.

c) Etapas do planejamento de ensino.


Assim como o planejamento possui finalidades que devem estar ligadas especificamente às necessidades do ensino. Os objetivos que constituem o planejamento de ensino também mantêm o foco nos aspectos comportamentais e expressivos dos alunos. Esse processo ocorre de maneira progressiva e por etapas. É papel do gestor: estabelecer os materiais que serão utilizados durante o trimestre e também proporcionar as condições viáveis para a execução do trabalho docente. Vejamos as etapas que constituem o planejamento de ensino:
De acordo com  LUKESI (2010), o planejamento observa as seguintes etapas:

Ementa: Resumo das finalidades da disciplina alinhado às propostas pedagógicas do curso;

 Objetivos: De acordo com a proposta da disciplina explicita a operação de pensamento que se pretende desenvolver conforme o conteúdo da disciplina; os objetivos são redigidos iniciando-se os verbos no infinitivo;
Objetivos gerais: São aqueles mais amplos e complexos, que poderão ser alcançados com a conclusão do curso;
Objetivos específicos: Referem- se a aspectos mais simples, mais concretos, alcançáveis em menor tempo; explicam desempenhos observáveis.
Características: realismo, viabilidade especificidade, perspectiva com relação ao futuro.
Conteúdos programáticos: Trata-se de um conjunto de temas ou assuntos que são estudados durante o curso em cada disciplina de acordo com os objetivos;
Metodologia: Identifica a forma como o conhecimento vai ser trabalhado. Indica os movimentos didático-pedagógicos presentes no desenvolvimento das atividades.
Avaliação: Este tópico informa quais são os instrumentos de avaliação e os critérios utilizados. Consideram níveis de complexidade com os objetivos e com os critérios estabelecidos previamente sobre a construção do conhecimento. O papel do professor é mediar a compreensão dos alunos sobre os conteúdos da disciplina de modo que as ações pedagógicas pensadas de acordo com os conteúdos possam proporcionar aos alunos as condições adequadas para que ocorra de fato a aprendizagem.
 
Considerações finais
As observações consideradas neste artigo remetem à necessidade da organização sistemática das ações que se pretendem aplicar. Não se pode pensar que o aprendizado, seja nas escolas gerais ou mesmo na Escola Dominical, se tornará realidade apenas considerando a necessidade de acesso ao conhecimento. A exposição dos fundamentos teóricos de uma disciplina não constitui o fim em si mesmo. Apenas servem como iniciação ao processo científico. Os conhecimentos apresentados somente poderão contribuir para o crescimento e aperfeiçoamento se de fato proporcionarem aprendizagem significativa aos alunos e isso exige pensar os detalhes estabelecidos no planejamento.

Autor:  Thiago Santos - Extraído da Revista Ensinador Cristão.

 
Top