FECHAR <-----

O conceito de Aprendizagem e o Papel do Professor na EB

O conceito de aprendizagem mudou ao longo da História. Novos paradigmas surgiram em busca de definir o melhor caminho para que realmente ocorresse a aprendizagem. Essa busca sempre teve como objetivo investigar como as pessoas aprendem e quais as condições externas e internas que influenciam o processo de aprendizagem.

Tal processo é vivo e constante no cotidiano humano desde o seu nascimento. A capacidade de explorar os sentidos, de aprender a manipular objetos e lidar com as pessoas ao redor constituem o aprendizado. Sem contar as questões de grande complexidade do ambiente profissional, do lar e das múltiplas experiências da vida.
Veja também:

Próximas Lições de Adultos

Próximas Lições de Jovens

Como já é de praxe saber, o conhecimento pode ser encontrado em vários espaços frequentados pelo indivíduo além da escola como, por exemplo, no seio familiar, em casa, na igreja, entre os amigos, etc. Em destaque, o saber encontrado na educação cristã constitui um espaço importante na formação humana e, por esse motivo, deve acompanhar as mudanças que ocorrem nos espaços escolares seculares, assim como explorar novos conhecimentos pedagógicos que possibilitem a melhoria na qualidade do ensino.

Nessa conformidade, podemos dizer que o aprendizado não acontece somente de modo sistêmico, isto é, nas escolas, mas também na aquisição de novos conhecimentos que estão disponíveis ao longo da vida. Para o professor da Escola Dominical, sujeito da educação cristã sistêmica, é importante conhecer como se dá esse processo nos vários contextos onde ela acontece.
Veja também:

O CONCEITO DE APRENDIZAGEM E OS FATORES QUE A INFLUENCIAM
A aprendizagem define a forma como o aluno se apropria dos conhecimentos que lhe são apresentados e o modo como tais informações são aplicadas em sua prática de vida. Para que os conhecimentos sejam abstraídos é necessário que estejam ordenados de forma sistêmica e sigam um planejamento de curso a fim de que o aluno encontre as condições necessárias para, gradativamente, processar, refletir, criticar e, por fim, acomodar o novo saber. A medida que este processo se concretiza, então, podemos perceber que, de fato, ocorreu a aprendizagem.

Acontece que alguns fatores contribuem para que os alunos não estejam motivados a aprender, dentre eles estão: a falta de organização dos conteúdos a ser ensinados; a falta de vontade e empenho de professores; e os fatores sociais e de ordem familiar que influenciam o emocional e aumentam a dificuldade de aprender e a capacidade de concentração.

Os fatores que influenciam a aprendizagem podem ser de ordem interna, isto é, a partir da percepção de mundo que o aluno possui, ou mesmo de ordem externa, ou seja, causados por algum aspecto ou situação externos resultante da relação do indivíduo com o meio social onde vive. E, como não poderia deixar de ser, a ausência de estrutura material e recursos didáticos apropriados para o ensino fazem com que muitas escolas (em nosso caso, a Escola Dominical) apresentem um nível de qualidade do ensino bem abaixo do esperado.

APRENDIZAGEM CASUAL E APRENDIZAGEM ORGANIZADA.
O processo de abstração dos conhecimentos que resultam por fim na aprendizagem são derivados do universo que envolve o indivíduo em suas relações interpessoais. Neste caso, além do ambiente escolar as experiências vivenciadas em contato com outras pessoas em diferentes situações e lugares possibilitam novos conhecimentos que influenciarão de forma direta a formação do caráter dos indivíduos. Libâneo (1990, p. 82) faz a seguinte abordagem acerca da aprendizagem:

Podemos distinguir a aprendizagem casual e a aprendizagem organizada. A aprendizagem casual é quase sempre espontânea, surge naturalmente da interação entre pessoas com o ambiente em que vivemos. Ou seja, pela convivência social, pela observação de objetos e acontecimentos, pelo contato com os meios de comunicação, leituras, conversas e etc. As pessoas vão acumulando experiências, adquirindo conhecimentos, formando atitudes e convicções.

A aprendizagem organizada é aquela que tem por finalidade específica aprender determinados conhecimentos, habilidades, normas de convivência social. Embora isso possa ocorrer em vários lugares, é na escola que são organizadas as condições específicas para a transmissão e assimilação de conhecimentos e habilidades. Esta organização intencional, planejada e sistemática das finalidades e condições da aprendizagem escolar é tarefa específica do ensino.

Seja de forma casual ou mesmo organizada, a aprendizagem é um mundo de possibilidades que se abre a alunos e professores. É compreendendo esse fato que o ambiente da sala de aula, assim como as reflexões sobre os conteúdos que são ministrados precisam estar lado a lado na construção dos saberes. Em outras palavras, é imprescindível que o professor da Escola Dominical compreenda como se dá a relação existente entre os saberes do conteúdo bíblico com o contexto social onde seus alunos estão inseridos.
Isso significa dizer que os valores da Palavra de Deus são imutáveis e inegociáveis, porém a roupagem didática se faz necessária para que o conteúdo abordado tenha proximidade com os aspectos sociais da realidade de nossos educandos. Um exemplo clássico nos evangelhos é o método de ensino aplicado por Jesus. Na maioria de seus discursos, o Mestre por excelência fazia uso de "parábolas", isto é, histórias que continham ensinamentos maravilhosos a respeito do Reino de Deus, recheadas de elementos reais do contexto social e cultural do povo judeu, público alvo das mensagens do evangelho naquela ocasião.
Clique e acesse
Sendo assim, os métodos e dinâmicas utilizadas em sala de aula precisam carregar em sua aplicabilidade certa carga de relação com os aspectos que envolvem a vida dos alunos da comunidade escolar cristã para que possam atingir os objetivos esperados para a aprendizagem.

Considerações finais
As reflexões a respeito da forma como é possível ocorrer a aprendizagem sempre fizeram parte da busca de pedagogos e pensadores da área da educação. É possível perceber que a aprendizagem sofreu e sofre até os dias atuais a influência de uma série de fatores que comprometem o seu processo.

No caso da educação cristã o ensino não está limitado ao aspecto da motivação, afinal de contas, não são poucos os professores que mesmo desprovidos dos conhecimentos pedagógicos necessários, esforçam-se para ensinar com comprometimento o máximo que podem às suas classes de ensino aos domingos pela manhã.

Importa, no entanto, que tais professores estejam abertos a novas oportunidades de capacitação e aquisição de material pedagógico de qualidade para que possam apresentar em nível elevado as bem-aventuranças do evangelho e o seu poder de transformação do ser humano. Se educar é formar pessoas para um determinado propósito, vale à pena repensar sobre a qualidade do ensino nas classes de Escola Dominical na intenção de ensinar os crentes a serem servos melhores e relevantes em uma sociedade carente de referenciais justos.
Reverberação: www.subsidiosebd.com | Fonte: Ensinador Cristão, N° 76 | Artigo: Thiago Santos