FECHAR <-----

Minhas aulas são monótonas. O que faço?

Acredito que este seja um tema que frequentemente permeia os pensamentos dos professores, especialmente dos iniciantes. E isso é bom, muito bom! Para que nossas aulas não se tornem enfadonhas, é importante considerar as múltiplas possibilidades de melhorá-las, tendo como objetivo principal a absorção do conteúdo por parte de nos sós ouvintes, despertando neles o desejo de serem praticantes da Palavra (Tg 1.22). Isso é essencial!

O primeiro ponto a ser levado em conta é a dedicação no estudo, em conjunto com a humildade (Rm 12.7). Um professor bem preparado, conhecedor da causa a ser tratada tem grandes chances de atrair não apenas os olhares, mas a mente dos alunos. Porém, um professor arrogante tem grandes chances de perder não só a atenção naquela aula, mas até mesmo alguns alunos (Pv 16.18). O conhecimento deve ser partilhado para somar, nunca para diminuir.


Outro ponto importante é o ânimo do professor. Alguns alunos podem até estar desinteressados, desanimados, talvez alguém esteja ali contra a própria vontade. Mas o professor deve estar sempre animado, pois sua missão é nobre e seu ânimo pode mudar drasticamente a aula. Uma aula que começou com desinteresse de alguns poderá terminar com um clima agradável e os objetivos alcançados. Sabemos que há dias difíceis, mas o professor precisa ser também, um dominador das suas emoções.

Converse com seus alunos. Olhe-os nos olhos. Permita que exponham suas opiniões. Ouça o que eles dizem com atenção. Faça perguntas que instiguem sua curiosidade e inteligência. Tudo isso torna o ambiente mais agradável, melhora o clima da aula e deixa o aluno mais à vontade para participar. Ele precisa saber que sua presença ali é importante e que todos podem contribuir contando suas experiências ou compartilhando algum saber.

Dicas são legais. Muitas lições trazem como tema assuntos que foram abordados em trabalhos diferentes. Sugira filmes, hinos, livros, artigos. Cada aluno se interessa por algo com mais entusiasmo, em cada aula alguém sairá com desejo de aprofundar seus conhecimentos a respeito do que foi tratado. Suas dicas irão ajudá-los.

As dinâmicas são excelentes quando apropriadas. Pense no tema da sua aula e busque uma dinâmica compatível, que enriqueça o assunto, que desperte a atenção. Ou talvez uma dinâmica para quebrar o gelo, para fazê-los interagir, para que se movimentem e se alegrem. A dinâmica desperta e facilita a participação dos alunos, não precisa se tornar parte integrante das suas aulas, mas vez ou outra pode fazer grande diferença.

Independente de qual seja a sua estratégia para o dia, é muito importante que ela tenha sido pensada e trabalhada. Mas, antes de tudo, você deve buscar a orientação do Espírito Santo. Ore, fale com Deus sobre o tema da aula, peça Sua orientação. A melhor estratégia será revelada por Ele a cada professor. Afinal, é nosso querido Deus que nos capacita e que conhece o coração e os anseios de cada um dos nossos alunos.
Fonte: Ensinador Cristão. Ano 18. N° 71| Artigo: Tatiane Soal