FECHAR <----

Assunto: Grandes temas do apocalipse – Uma perspectiva profética impressionante dos últimos tempos
Lição: Jovens e Adultos
Trimestre: 1° de 2018
Comentarista: Pr. Joá Caitano
Editora: Central Gospel
TEXTO BÍBLICO BÁSICO
Apocalipse 7.2-4
2 - E vi outro anjo subir da banda do sol nascente, e que tinha o selo do Deus vivo; e clamou com grande voz aos quatro anjos, a quem fora dado o poder de danificar a terra e o mar,
3 - dizendo: Não danifiqueis a terra, nem o mar, nem as árvores, até que hajamos assinalado na testa os servos do nosso Deus.
4 - E ouvi o número dos assinalados, e eram cento e quarenta e quatro mil assinalados, de todas as tribos dos filhos de Israel.
Apocalipse 14.1-5
1 - E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em sua testa tinham escrito o nome dele e o de seu Pai.
2 - E ouvi uma voz do céu como a voz de muitas águas e como a voz de um grande trovão; e uma voz de harpistas, que tocavam com a sua harpa.
3 - E cantavam um como cântico novo diante do trono e diante dos quatro animais e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão
os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra.
4 - Estes são os que não estão contaminados com mulheres, porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vai.
Estes são os que dentre os homens foram comprados como primícias para Deus e para o Cordeiro.
5 - E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante do trono de Deus.
SUBSÍDIOS PARA O ESTUDO DIÁRIO
2ª feira – Atos 13.1-5: Servindo ao Senhor
3ª feira – 1 Coríntios 6.10-20: Comprados por bom preço
4ª feira – 2 Coríntios 7.1-10: Purifi quemo-nos de toda a imundícia
5ª feira – Efésios 1.3-14: Selados com o Espírito Santo
6ª feira – 1 Timóteo 3.1-7: Irrepreensível e exemplar
Sábado – Apocalipse 22.3-7: O nome de Deus escrito nas testas
TEXTO ÁUREO
E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em sua testa tinham escrito o nome dele e o de seu Pai (Apocalipse 14.1).
OBJETIVOS
Ao término do estudo bíblico, o aluno deverá:
- conhecer as principais características do grupo seleto dos 144 mil assinalados por Deus na Grande Tribulação;
- compreender que, em cada dispensação, Deus seleciona e sela um remanescente fiel para ser Seu agente na terra;
- aplicar as características espirituais do remanescente do Apocalipse em nossa vida cristã.

ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS
Caro professor,
É importante ressaltar que uma aula se dá antes, durante e depois do tempo estabelecido pela Escola Bíblica Dominical.

O professor deve chegar, no mínimo, uma hora antes do encontro para preparar o layout da classe, ou seja, para fazer o devido posicionamento das cadeiras — tenha em mente que as formas de “U” e “V” permitem o livre trânsito entre os alunos.

No momento da exposição do conteúdo, sugerimos que os alunos sejam organizados em pequenos grupos (de até seis pessoas).
Ao final da ministração, um representante de cada grupo deverá escrever (na lousa ou no quadro) as características morais e espirituais mais impactantes desta lição.

Ao orarem para finalizar a ministração, pergunte quem aceita o desafio de aplicar em sua vida o que aprendeu, durante a próxima semana.
Leia também:
- Lições Bíblicas de Jovens – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Lições Bíblicas de Adultos – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Lições Bíblicas Juvenis - – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Estudos Auxílios para professores da EBD – Acesse Aqui

COMENTÁRIO
Palavra introdutória
No começo da Grande Tribulação, os anjos de Deus assinalarão o remanescente fiel de Israel — um grupo formado por 144 mil pessoas, descendentes da linhagem natural de Abraão (Gn 12.2), sendo 12 mil de cada tribo (Ap 7.4).

Pela observação da cronologia bíblica (1 Ts 4.17; Ap 3.10), nesse período, a Igreja — linhagem espiritual (Gl 3.7,29) — já estará no céu para as bodas do Cordeiro e, logo a seguir, comparecerá diante do Tribunal de Cristo para receber recompensas e galardões (2 Co 5.10).

No panorama profético, os 144 mil aparecerão na terra, no começo da última semana de Daniel (Dn 9.24). Eles confrontarão a trindade satânica e o mundo, declarando as verdades do Reino (Ap 17.17).

1. IDENTIFICANDO OS 144 MIL
Diversas teorias e opiniões especulativas surgiram no decorrer da História, na tentativa de apontar quem serão os 144 mil, mencionados no Livro do Apocalipse; muitas delas contradizem o sentido correto da interpretação bíblica.

Como mencionado anteriormente, os 144 mil não são a Igreja. O texto bíblico declara apenas que eles são servos do nosso Deus que devem ser assinalados (Ap 7.3).

Alguns intérpretes das Escrituras entendem que estes poderão ser gentios (judeus espirituais), baseados no texto paulino que referencia Abraão como pai de todos (Rm 4.11). Os mais eruditos e fundamentalistas expositores das profecias bíblicas, no entanto, defendem o argumento de que os 144 mil serão todos judeus legítimos, procedentes das 12 tribos de Israel (Ap 7.4-8) — 12 mil pessoas de cada tribo, perfazendo um total de 144 mil indivíduos.

A melhor interpretação — feita por eruditos mestres bíblicos — assinala que os 144 mil são a semente da mulher vestida de sol (Ap 12.1), ou seja, Israel, que, no transcurso da história humana, foi perseguido, na intenção de impedir o nascimento do Messias (Ap 12.4).

1.1. Começou com os judeus, terminará com eles
Deus revelou-se a Abraão e lhe propôs uma aliança incondicional: ele seria o patriarca da nação de Israel, tanto física quanto espiritualmente.
 
A iniciativa de formar um povo, a partir do qual nos seria trazido o Salvador, foi de Deus, não de Abraão (Gn 12.3). Esta é a razão de Ele não invalidar, não alterar e não deixar de cumprir os termos estabelecidos no pacto abraâmico, que consistia em:

- formar um povo, uma nação, para um propósito especial;
- escolher um líder para este projeto: Abraão;
- mostrar a Abraão o lugar específico do projeto;
- ordenar que ele saísse de sua terra e de sua parentela;
- garantir abençoá-lo e engrandecer o seu nome;
- torná-lo uma bênção;
- agir com reciprocidade em relação àqueles que viessem a conviver com o patriarca — abençoar os que o abençoassem e amaldiçoar os que o amaldiçoassem;
- assegurar que Abraão seria uma fonte de bênção para todas as famílias de terra.

Quatrocentos e trinta anos depois, Deus chama e comissiona Moisés para libertar e conduzir o Seu povo ao cumprimento da promessa. Deus firma um pacto com os judeus (Israel), por intermédio de Moisés, mantendo os princípios da aliança abraâmica (Êx 19.5; Dt 7.6-9; 14.2).

A nação de Israel é o receptáculo da revelação divina e do que é necessário ser e fazer para recebê-la (Jo 4.22). Nos dias finais, os judeus (144 mil), outra vez, serão instrumentos poderosos para abençoar todas as famílias da terra.

2. ESCOLHIDOS POR DEUS PARA SEREM SELADOS
Deus escolheu 144 mil, dentre o remanescente fiel. Sua escolha está relacionada ao estilo de vida desses representantes escatológicos dos judeus.

Assim como o Senhor escolheu, Ele dotou o homem de livre-arbítrio, dando-lhe condições de decidir-se por uma vida de santificação (1Ts 4.7). Em todo o texto bíblico, o próprio Deus alerta a humanidade sobre a importância de se fazer boas escolhas (Dt 30.19).
2.1. Os critérios da escolha divina
Deus escolheu a nação de Israel e declarou expressamente as razões de Sua escolha:
- amor — esta foi a razão primeira de sua eleição (Dt 7.8);
- lealdade — o Senhor cumpriria a promessa que fizera a Abraão (Dt 7.8); -
- propriedade particular — Deus escolheu Israel para ser Sua herança (Sl 33.12), Seu reino sacerdotal e Seu povo santo (Êx 19.6; Is 62.12);
- reinado eterno — Deus escolheu Davi para ser rei de Israel (1 Sm 16.1-13), e nele firmou o Seu trono por todas as gerações (Sl 89.3,4; Lc 1.32);
- santidade — Deus escolheu e escolhe os que têm um coração disposto a obedecer (At 13.22).

O Todo-poderoso Senhor não escolhe pela aparência externa, mas pelo coração (Mt 5.8). Os padrões divinos são imutáveis. Ele continua escolhendo servos e servas fiéis para a Sua obra (Jo 15.16).

2.2. Os 144 mil são selados
A Escritura revela-nos que Deus assinalou (marcou, selou) pessoas para propósitos especiais.

Vejamos:
1) no Livro do Êxodo, lemos que, nas casas dos israelitas, o selo da proteção estava sobre os umbrais das portas, e, com ele, a garantia de vida ao filho primogênito (Êx 12.7,13);

2) no Livro de Ezequiel, lemos que o sinal é a marca que garante proteção e preservação aos servos de Deus, a fim de que eles não sejam exterminados com os ímpios, por ocasião da manifestação de Seu julgamento (Ez 9.4-6);

3) no Livro do Apocalipse, lemos que Cristo foi selado pelo Pai com um nome misterioso (Ap 19.12);
4) no Evangelho de João, lemos que o Senhor Jesus foi selado para alimentar espiritualmente os Seus discípulos (Jo 6.27);

5) na Carta aos Efésios, lemos que a Igreja é selada para o dia
da redenção com o Espírito da promessa (Ef 1.13; 4.30).

2.3. Benefícios para os selados
Nos tempos do fim, os que forem selados receberão os privilégios
concedidos pelo Cordeiro, a fim de que a missão divina se cumpra.

Vejamos, portanto, na tabela a seguir, os benefícios que o selo do Senhor promoverá na vida dos 144 mil (Ap 7.4).

O SELO PROMOVE
Identificação
Enquanto os moradores da terra serão identificados na mão direita ou na testa pela marca da besta (Ap 13.16-18), os 144 mil serão identificados pelo selo de Deus colocado na testa (Ap 7.3,4).
Propriedade ou
pertencimento
O selo indicará que eles têm um dono a quem servem e obedecem.
Proteção
Nenhum deles morrerá, antes serão protegidos do Anticristo. Eles estarão
em lugar seguro: no monte Sião (Ap 14.1-5).
Segurança
Os selados por Deus estarão seguros de qualquer mal. Em suas testas estará estampado o nome do Deus Vivo (Ap 7.2-4; 14.2), indicando que Ele estará presente com os 144 mil.
Presença divina em todo o tempo
Mesmo quando atravessarem a mais intensa crise — que afetará todas as áreas e níveis da sociedade —, os 144 mil (escolhidos e selados) terão a presença do Senhor garantida (Gn 28.13-15; Mt 28.20b).

O SELO PROMOVE
3. O CARÁTER DOS 144 MIL
Clique e acesse
Na língua grega, a palavra caráter designa marca, imagem ou selo (incrustado em madeira, pedra ou metal).

Caráter é, sobretudo, a soma total dos valores e crenças de um indivíduo. Essa soma reflete-se em seu comportamento e em suas ações.

O caráter de uma pessoa é infinitamente mais importante do que sua reputação, pois, enquanto a reputação está relacionada àquilo que se fala dessa pessoa, o caráter traduz o que ela, de fato, é. O caráter, portanto, precisa ser mais bem cuidado, protegido e guardado do que a mais valiosa joia existente no mundo.

Vejamos, nos tópicos subsequentes, o caráter desse remanescente de Israel.

3.1. Virgens (incontaminados)
Os 144 mil serão moral e espiritualmente puros — separados da corrupção da falsa religião dominante do Anticristo (Ap 14.4). Eles não aceitarão a sedução do homem do pecado (2 Ts 2.3), nem se submeterão ao sistema herético e imundo da grande prostituta, parceira aliada do Anticristo nos dias finais (Ap 17.1-3).

3.2. Persistentes
Os 144 mil estarão inteiramente dedicados ao serviço de Deus, mesmo durante os dias terríveis de trevas da Grande Tribulação. Eles seguirão o Cordeiro por onde Ele for (Ap 14.4), pois, nas trevas, os mandamentos divinos iluminarão o seu caminho (Sl 119.105).

3.3. Verdadeiros
Eles serão irrepreensíveis diante do trono de Deus, não haverá engano em seus lábios, pois estarão cheios do Espírito da Verdade (Jo 16.13). O remanescente de Israel proclamará a única verdade salvadora, levando a cabo a missão que lhe será entregue.

Observe as ações do Espírito, relacionadas aos 144 mil:
- Espírito da verdade, para esclarecer e santificar (Jo 14.17);
- Espírito de poder, para mover e operar (At 6.5,8);
- Espírito de amor, para integrar e intensificar (Cl 1.8);
- Espírito de vida, para reproduzir e frutificar (Gl 5.22,25);
- Espírito de liberdade, para acrescentar e purificar (Gl 5.13,16);
- Espírito de sabedoria, para habilitar e qualificar (Êx 28.3);
- Espírito de juízo e ânimo, para potencializar e testificar
(Mq 3.8).

144 mil (Ap 7.4) parece um número quantitativamente reduzido, se comparado à descrição de Apocalipse 7.9: uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas [...]. Entretanto, esses 144 mil têm uma missão específica dentro dos remanescentes de Israel, antes da conversão nacional (Rm 11.26).

Os 144 mil proclamarão a glória do Senhor entre as nações nos tempos do fim (Is 66.19). Nesta era, devemos pregar as boas-novas de salvação aos perdidos, até que o Senhor Jesus venha buscar Sua Igreja (Jo 20.21).

4. A TAREFA DOS 144 MIL
A tarefa prioritária dos 144 mil judeus durante a Grande Tribulação será, sem dúvida, a proclamação do evangelho do Reino de Deus.

O Senhor enviará, como Seu verdadeiro representante, um seleto e especial grupo, que testemunhará a todas as nações (Mt 24.14) e realizará uma grande colheita final (Ap 7.9,14; 12.10,11).

Na Tribulação, Deus não ficará sem o testemunho humano e celeste: juntamente com o sétimo anjo, os 144 mil anunciarão que os reinos da terra pertencem a Cristo e Ele reinará para todo o sempre (Ap 11.15).

CONCLUSÃO
Os 144 mil judeus que recebem o selo do Deus vivo exercerão seu ministério profético na fase mais intensa da Grande Tribulação; exatamente no olho do furacão, a saber: na terra de Israel.

Eles iniciam seu ministério no capítulo sete do Apocalipse e, depois, reaparecem no capítulo catorze com o Cordeiro, no céu, no monte Sião.

A profecia de João revela que junto do remanescente de Israel estará uma multidão incontável de salvos de todos os povos, fruto do grande trabalho missionário dos 144 mil. Glória a Deus!

ATIVIDADE PARA FIXAÇÃO
1. Quais são as características principais dos 144 mil do remanescente fiel de Deus e do Cordeiro?

R.: Eles são incontaminados (virgens); irrepreensíveis; e servem a Deus no período mais sombrio da História (Ap 14.3; 17.1-3) como proclamadores do evangelho do Reino (Mt 24.14).
 
Top