FECHAR <----

 

Sociologicamente, as últimas gerações, têm sido classificadas em cinco grupos: Geração Baby Boomers, nascidos após a II Guerra Mundial; geração X, nascidos nas décadas de 1960 e 70; geração Y, formada por pessoas que nasceram entre os anos de 1980 e fins dos anos 90; geração Z, composta por àqueles que nasceram ao final da década de 1990 até o ano 2010 e por fim geração Alpha, representada por pessoas que nasceram após 2010.
Segundo o último censo do IBGE, existem no Brasil, mais de 8 milhões de adolescentes evangélicos. São meninos e meninas entre 10 e 19 anos, das gerações Y e Z, que declaram a sua fé em Jesus Cristo.
Eles vivem em uma sociedade que foi reformada, adaptada e solapada abruptamente nas últimas três décadas. Ávida mudou muito no Brasil. Podemos citar alguns fatores que os adolescentes da década de 70 e 80 possivelmente não tiveram contato e que hoje são populares entre meninos e meninas: Inovações tecnológicas - Especialmente o acesso à internet; Mercado de trabalho - Hoje, aos 16 anos, um adolescente pode compor o quadro de uma empresa e com isso, adquirir capacidade de consumo e certa autonomia financeira; Publicidade – Adolescentes são alvos constantes de campanhas publicitárias que estimulam o consumo descontrolado, isso é, desacompanhado; Sexualidade - O tema do momento! Há um intenso bombardeio sobre este tema que abarca sub-assuntos ainda mais fortes como a homossexualidade, a gravidez na adolescência, o aborto, doenças, traumas afetivos etc.

Além das mudanças estruturais da sociedade, a atual geração teen convive com constantes modificações. O corpo deles está mudando. A mente também. Os hábitos, o modo de relacionarem-se com os pais, as amizades, os interesses - enfim, tudo está se transformando, simultaneamente.

Eles possuem conflitos emocionais e psicológicos. E muitos não contam com um lar estável, ou seja, um lugar de segurança, uma pessoa de referencia para orientar, abrigar, acolher e repreender. E quando o quadro familiar é marcado por desintegração e instabilidade, estes adolescentes buscam amor, aceitação e proteção nas ruas, nas drogas, nos namoros e amizades e, especialmente, nas igrejas.

Daí a necessidade da equipe de liderança da igreja e de maneira especial os líderes e professores diretos dos adolescentes estarem preparados para acolher, ouvir, ensinar e fortalecer todos os adolescentes que chegam até ao culto ou classe de Escola Dominical.
O desafio não é apenas viver em sociedade, mas aprender a seguir a Cristo convivendo com uma sociedade que não o faz. Conhecer a Jesus, ler Sua Palavra, aprender Seu Evangelho é um fator determinante para um adolescente crescer tendo a capacidade de discernir e tomar boas decisões, para andarem em um caminho de vida e não de morte.


O desafio dos líderes e professores é ensina- os a escolher o caminho da santidade diante das opções do pecado. Ensiná-los a amar a justiça e misericórdia em um mundo de impiedade. Ensiná-los a retribuir o mal com bem, a dizer não a corrupção e seguir no caminho da retidão, a abandonar a mentira e viver na verdade. Enfim, o desafio não é isolar o adolescente do mundo, mas ensiná-los a ser luz e sal da terra. (Fonte: Ensinador Cristão – 71/Reverberação: Subsídios EBD)

 
Top