Lição 5 O Grande Erro da Humanidade (Adolescentes) - Subsídios Dominical🎓

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

Lição 5 O Grande Erro da Humanidade (Adolescentes)

Escola Dominical, Classe: Adolescentes – 1° trimestre de 2023 - CPAD

LEITURA BÍBLICA: Gênesis 3.1-15

A MENSAGEM

“Pois o salário do pecado é a morte, mas o presente gratuito de Deus é a vida eterna, que temos em união com Cristo Jesus, o nosso Senhor.” Romanos 6.23

Devocional

Segunda » Gn 2.17

Terça » Is 59.2

Quarta » At 2.38

Quinta » Rm 3.23

Sexta » 1 Jo 1.8,9

Sábado » 1 Jo 2.1,2

Objetivos

DESTACAR a origem do pecado;

APRESENTAR as consequências do pecado para toda a humanidade;

MOSTRAR a promessa divina de redenção dos homens.

Ei Professor!

Um dos pontos marcantes da pós-modernidade é a defesa da não existência de verdades absolutas. Em relação ao pecado, a implicação dessa ideia é ainda mais grave, visto que não poucas pessoas defendem que a ideia de pecado é relativa, negando, assim, o padrão bíblico para aferir o que é certo e o que é errado. Por isso, a presente aula é desafiadora. Pois cabe a você mostrar aos alunos que o pecado é real e que ele tem consequências terríveis para o homem. Mostre aos seus alunos que o pecado é algo grave e que, como cristãos, devemos nos afastar de práticas pecaminosas. Ore para que o Espírito Santo convença seus alunos do pecado, da justiça e do juízo.


Ponto de Partida

Você deve incentivar sempre a participação dos alunos em todas as aulas. Eles devem falar, expor suas ideias e fazer perguntas. Para iniciar a presente aula, solicite que dois ou três voluntários se apresentem para contar uma experiência que demonstre, desobediência, erro e consequência. Ao tratar dos fatos narrados pelos alunos, com o devido cuidado, mostre a toda classe que a desobediência vem acompanhada de consequências, algumas reversíveis e outras insuperáveis. Com essa abordagem, estimule aos alunos a entenderem o pecado de Adão e Eva, bem como os problemas que ele trouxe a toda humanidade. Ao final do tópico 3, celebre com a classe o fato de Deus ter enviado Jesus Cristo ao mundo para salvar-nos dos nossos pecados. 

Vamos Descobrir

O mundo nem sempre foi um ambiente perigoso, com pandemias, mortes, catástrofes e outros males. Antes do pecado, tudo era perfeito. Porém, Adão e Eva, representando toda a humanidade, resolveram desobedecer ao mandamento divino e assumir as consequências desse ato. Você sabe os detalhes dessa história, do maior erro da humanidade? Vamos aprender mais sobre o assunto nesta lição.


Hora de Aprender

I – A ORIGEM DO PECADO

O que é pecado? Basicamente, é desobediência à vontade divina (1 Jo 3.4), é errar o alvo proposto por Deus (Sl 25.7), é transgredir o mandamento perfeito do Senhor (Rm 3.23).


1. A ordem dada ao homem.

Ao plantar o jardim com diversidade de frutas para sustento dos humanos. Deus lhe disse que poderia comer de tudo, menos da árvore do conhecimento do bem e do mal (Gn 2.16,17). A ordem não era complexa; não foi difícil compreender, bastava não comer daquele fruto, somente isto, e o homem não teria problemas em sua vida perfeita no Éden. Por que Deus deu aquele mandamento a Adão? Deus só dá mandamentos que sejam possíveis de serem cumpridos. Assim, aquela árvore proibida era como um termômetro da obediência de Adão, não comer o fruto era uma declaração de amor ao Criador, uma manifestação de confiança em Sua bondade, pois os mandamentos do Senhor são perfeitos (Sl 119.96).


2. A desobediência no jardim.

No Éden, havia uma cobra. O Diabo usou a cobra. — É ele quem tenta todas as pessoas para caírem em pecado (Ap 12.9). A cobra iniciou um diálogo com Eva. A primeira estratégia foi questionar o conteúdo do mandamento do Criador. Então, a cobra perguntou se estavam proibidos de comer de todas as frutas do jardim. Eva disse que poderíamos comer todas, menos uma, a que daria conhecimento do bem e do mal, pois acabariam morrendo se o fizessem (Gn 3.1-3).


Em resposta, a cobra disse que era mentira, que não morrerão coisa nenhuma, mas se comessem o que aconteceria é que os olhos de Eva e Adão seriam abertos e eles seriam como Deus, conhecedores do bem e do mal(Gn 3.4,5). Eva não resistiu, viu que a fruta era bonita, desejável e que poderia dar a ela conhecimento, então, comeu; deu da fruta a Adão e este também comeu (Gn 3.6); Adão não foi enganado, o que torna seu erro mais grave. Assim, entrou o pecado no mundo. Após a desobediência, em lugar de conhecimento, Adão e Eva provaram pela primeira vez o medo (Gn 3.10).


I- AUXÍLIO TEOLÓGICO

“Sobre o Pecado e Suas Consequências

Nomes. São dois os termos genéricos para ‘pecado’ Um deles aparece em hebraico no Antigo Testamento; é o substantivo chata, o pecado jaz à porta’ (Gn 4.7), cuja ideia básica é ‘errar o alvo’, do qual deriva o verbo: ‘todos atiravam com a funda uma pedra a um cabelo e não erravam’ (Jz 20.16); ‘E erra o alvo quem é precipitado’ (Pv 19.2 – TB).

O segundo termo é o seu correlato grego hamartia, que, embora sem conotação moral no grego clássico secular, aparece com tal sentido na Septuaginta e no Novo Testamento: ‘todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens’ (Mt 12.31).

 

O pecador erra o alvo ou o objetivo da vida que Deus coloca diante dele. Há ainda, inúmeras outras palavras que expressam o pecado, como transgressão, impiedade, maldade, perversidade, engano, sedução, iniquidade, injustiça e incredulidade.

 

Sua origem. O pecado já existia mesmo antes da criação de Adão e Eva. Originou-se no coração de um querubim ungido, que, juntamente com um grupo de anjos, rebelou-se contra Deus, razão pela qual os insurgentes foram expulsos do céu. O querubim ungido tornou-se Satanás, que quer dizer ‘inimigo’” (Declaração de Fé das Assembleias de Deus. Rio de Janeiro: CPAD, 2019, p. 98).

II- AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO

1. Consequências para o homem.

A recompensa do pecado foi a morte (Gn 2.17). A morte entrou no mundo mediante o pecado do ser humano e ela opera de três formas:


• Morte física (Mt 10.28; Jo 11.14): este mal que atinge a todos, crentes e ímpios, ricos e pobres, manifesta-se de diversas maneiras, seja na debilidade do corpo pelos muitos anos de vida, seja por acidentes, ou até mesmo em atos de violência;

 

• Morte espiritual: é a separação entre o homem e Deus, é a condição dos que estão separados por não terem confessado a Jesus como salvador (Jo 6.50-53; Rm 7.11);

 

• Morte eterna: as pessoas que morrerem sem Cristo, serão condenadas a um estado de separação eterna de Deus (Ap 20.12,14).

 

2. Consequências para a natureza.

A natureza também recebeu uma pena por ocasião do pecado, pois a partir da sentença divina a terra não daria mais seu fruto com facilidade, mas produziria matos e espinhos. Adão deveria trabalhar de forma dura para conseguir seu sustento (Gn 3.17,18). Houve desequilíbrio no produto da terra e na vida dos próprios animais, que também foram destinados a serem mortos para alimentação dos homens (Gn 9.3). Por isto, a natureza clama e geme pela restauração que virá da parte do Senhor (Rm 8.19-22), quando no futuro não haverá mais maldição (Ap 22.3).

 

II – AUXÍLIO TEOLÓGICO

“Sobre o Pecado e Suas Consequências

Consequências da Queda.

O relato bíblico revela que o senso de culpa foi instantâneo. Adão e Eva morreram espiritualmente no mesmo momento em que comeram o fruto proibido, pois a comunhão com Deus foi interrompida de imediato. Morte significa separação, e o pecado separou os seres humanos de Deus: ‘Mas as vossas iniquidades fazem divisão entre vás e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça’ (Is 59.2).

 

Os olhos do casal foram abertos, e logo ambos perceberam que estavam nus; tendo conhecido pessoalmente o mal, procuraram esconder-se da presença de Deus porque sentiram medo. O Juízo divino veio sobre a serpente, sobre a mulher e sobre o homem. Toda a raça humana e a própria natureza sofrem as consequências funestas do primeiro pecado humano seguido do justo juízo pronunciado por Deus, pois um Deus santo tinha de julgar a desobediência de suas criaturas. A corrupção total do gênero humano.

 

A Queda no Éden arruinou toda a humanidade tão profundamente que transmitiu a todos os seres humanos a tendência ou inclinação para o pecado. Não somente isso, contaminou toda a humanidade: ‘não há um justo quer’ (Rm 3.10); ‘todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus’ (Rm 3.23). A natureza moral foi corrompida, e o coração humano tornou-se enganoso e perverso” (Declaração de Fé das Assembleias de Deus. Rio de Janeiro: CPAD, 2019, p.100).

 

III – A PROMESSA DE SALVAÇÃO

1. Deus promete uma solução para o pecado Diante do pecado de Adão e Eva.

Deus afirmou que haveria inimizade entre a cobra e a mulher. Também disse que o descendente de Eva feriria a cabeça do animal mentiroso, bem como a cobra feriria o calcanhar do fruto do ventre da mulher (Gn 3.15). Esta promessa estava ligada ao envio de Cristo à terra, que é a solução para o pecado do homem (2 Co 5.19). Ela já anunciava o triunfo de Cristo, que ocorreu quando Ele morreu na cruz e ressuscitou.

 

No Antigo Testamento estão muitas outras promessas ligadas à vinda do Salvador. O Salmo 22.6-18 fala de seu sofrimento; Zacarias 12.10 fala dele sendo traspassado; Também foi dito que o Messias seria um profeta (Dt 18.15), sairia de Belém (Mq 5.2), uma pequena cidade de Israel, e nasceria de uma virgem (Is 7.14). Paulo, escrevendo aos gálatas (3.13), lembra do escrito de Moisés dizendo que maldito é o que for pendurado no madeiro (Dt 21.23). Assim, séculos antes de Roma adotar a prática da crucificação como de pena de morte, a Bíblia já informava a morte do Cristo por esse meio cruel.

 

2. O nascimento do Salvador.

Eva não contemplou o cumprimento da promessa do Salvador. Mas, à Maria, descendente de Eva, foi anunciado, por um anjo, que seria mãe do Salvador e que isso ocorreria de forma milagrosa, pelo poder do Espírito Santo (Lc 1.26-35); seu filho seria Filho do Altíssimo (Lc 1.32). Jesus, recém-nascido, quando foi levado templo, em Jerusalém, foi tomado nos braços por Simeão, que reconheceu pelo Espírito Santo ser o Cristo, o Salvador; na mesma cena, a profetisa Ana glorificou a Deus pelo Messias.— Cumprida estava a promessa do jardim. Deus enviou ao mundo uma solução para o pecado (Rm 5.17-19), de forma que todos os que creem em Jesus são salvos (Rm 10.9,10), são feitos filhos de Deus (Jo 1.12).

 

III- AUXÍLIO TEOLÓGICO

“Deus toma a iniciativa quando Ele envia Gabriel a uma cidade insignificante da Galileia (grande província no Norte da Palestina). Quando ele anuncia a Maria que ela dará à luz o Salvador do mundo, ela é uma virgem noiva. […] O anjo vem e saúda Maria dizendo que ela é ‘agraciada’. Então acrescenta: ‘O Senhor é contigo’ (Lc 1.28). Ela é pessoa de grande integridade – obediente (v. 38), crente (v. 45) e dedicada a seguir a Lei de Deus (Lc 2.22-51) […]. Lucas não dá indicação exata de quando Maria concebeu Jesus; esse nascimento milagroso não tem paralelo.

 

Pessoas como Abraão e Sara (Gn 18.10-19) e Zacarias e Isabel (Lc 1.7-25), que estavam em idade muito avançada para gerarem filhos, receberam filhos por Deus. O poder extraordinário de Deus superou a esterilidade e idade avançada desses casais. Mas o nascimento de Jesus não se ajusta a esse padrão. No seu caso, Deus não venceu a incapacidade dos pais terem filhos, mas a engravidou na ausência completa de um pai humano.

 

O nascimento de Cristo é um acontecimento dos últimos dias e introduz uma nova era que culminará no julgamento final e na salvação dos redimidos” (FRENCH, Arrington L., STRONSTAD, Roger (Eds). Comentário Bíblico Pentecostal: Novo Testamento. Vol. 1. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, pp. 322)

 

CONCLUSÃO

Adão e Eva pecaram contra Deus. Eles duvidaram em seus corações do bom mandamento divino e escolheram desobedecer a Deus. Assim, o pecado entrou no mundo, trazendo muitas consequências ruins para o homem e para natureza. Deus, porém, providenciou uma forma de o homem voltar a se relacionar com Ele ao enviar Jesus ao mundo. Cristo é o cumprimento da promessa do Éden. Ele é o Salvador!

 

Pense Nisso

Em algum momento da vida você já duvidou da boa vontade de Deus, sentindo-se tentado a pecar? Todas as vezes que o homem peca voluntariamente, ainda que não diga com os lábios, a sua ação está dizendo: “há coisas melhores que posso desfrutar e Deus está proibindo”. Esta voz não é a Deus, mas do inimigo, de Satanás. Não acredite na voz do inimigo, escute o Criador. Obedeça aos seus mandamentos e você viverá.

👇 VEJA TAMBÉM Lições 👇

👉 Novas lições da classe dos ADULTOS- Aqui

👉 Novas lições da classe dos JOVENSAqui

👉 Novas lições BETEL da classe dos ADULTOS - Aqui


Este E-book é uma verdadeira fonte informativa para os novos e os veteranos professores de Escola Bíblica.


Post Bottom Ad