FECHAR


Subsídio Lição 13 - Quando Deus Restaura o Justo

Subsídio Bíblico para a Lição dos Adultos (CPAD). LIÇÃO 13 | 4° Trimestre de 2020 | Fonte: Revista Cristão Alerta


Vemos em Jó 42.10-17, que as provações de dele chegaram ao fim. Deus deu a Jó tudo em dobro (Jó 42.10,12). Quanto tempo durara a provação de Jó? Não sabemos ao certo, mas acredita-se que a tribulação de Jó pode haver se estendido por quase um ano.


1. A humilhação de Jó diante de Deus.

Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza” (Jó 42.6 – NAA).

a) Do que Jó se arrepende (Veja Jó 42.1-6)?

Do que Jó se arrepende? Ele se arrepende de sua falta de entendimento e suas queixas contra Deus, as quais quase o levaram ao orgulho e à crença de que Deus, em certo sentido, não era perfeitamente bom.

 

Jó, diante da revelação de Deus, humilhou-se arrependido. A palavra "arrependo", aqui, indica que Jó se considerou, bem como a sua retidão moral, como simples "pó e cinza", diante de um Deus santo (Is 6). Jó não negou  o  que afirmara da  sua  vida  de retidão e integridade moral, mas realmente reconheceu que é inadmissível o homem, finito que é, reclamar e queixar-se de Deus, e arrependeu-se disso (Gn 18.27).

 

F. B. Meyer assim comenta a experiência de Jó: “Em total submissão, Jó curvou-se diante de Deus, confessando sua ignorância e admitindo que tinha falado levianamente de coisas que não compreendia. Ele tinha replicado aos amigos que era tão bom quanto eles, mas agora confessava, que era o principal dos pecadores como depois iria fazer o apóstolo Paulo. Uma coisa é ouvir falar sobre Deus, outra é vê-lo e conhecê-lo de perto”.

 

2. Deus repreende e restaura os amigos de Jó (Jó 42.7-9).

 

O Senhor repreendeu Elifaz e seus dois amigos por deturparem o conhecimento de Deus e insistirem em que todo sofrimento é causado pelo pecado. Como observamos, isso não acontecera no caso de Jó. Em obediência a Deus, os três amigos trouxeram um sacrifício de sete novilhos e sete carneiros para oferecer em holocausto. Ao orar por seus amigos, Jó agiu como mediador entre eles e o Senhor. Deus aceitou a oração, e, dessa forma, Jó aplacou a ira divina contra seus amigos.

 

3. Deus restaura a saúde e os bens de Jó.

 

Vimos nos capítulos 1 e 2 de seu livro Jó perdendo tudo, agora vemos no capítulo 42.10-17, o Senhor restaurando tudo que seu servo fiel havia perdido.


Comentado acerca da restauração de Jó, o pastor Claudionor de Andrade, pontua alguns aspectos da restauração de Jó. Vejamos.

 

a) Restauração espiritual.

Humilha-se Jó, reconhecendo a sua pequenez: “Bem sei eu que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido. Quem é aquele, dizes tu, que sem conhecimento encobre o conselho?

 

Por isso, falei do que não entendia; coisas que para mim eram maravilhosíssimas, e que eu não compreendia. Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu ensina-me. Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te veem os meus olhos. Por isso, me abomino de me arrependo no pó e na cinza” (Jó 42.6).

 

b) Restauração material.

O Senhor acrescentou a Jó outro tanto em dobro a tudo quanto dantes possuía: “E, assim, abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; porque teve catorze mil ovelhas, e seis mil camelos, e mil juntas de bois, e mil jumentas” (Jó 42.12,13).

 

O comentarista Wiersbe faz o seguinte destaque acerca da restauração de Jó.

 

O Senhor, após repreender os amigos de Jó, devolveu a fortuna a Jó. Deus sabia que podia confiar em Jó com saúde e fortuna, pois ele era um servo humilde. Observe que, nos versículos 7-8, o Senhor refere-se quatro vezes a "meu servo Jó".

 

O Senhor deu a Jó o dobro do que ele tinha. Compare 1.3 com 42.12. O Senhor não deu a Jó 14 filhos e seis filhas (o dobro do que tinha antes, 1.2), porque os dez filhos que morreram ainda estavam vivos no céu. Jó não os perdera. Assim, o Senhor deu sete filhos e três filhas a Jó, e, no total, ele teve o dobro de filhos que tinha antes.

 

c) Restauração social de Jó.

Os que desprezaram a Jó, estando este na angústia, agora presenteiam-no como se fora ele um príncipe: “Então, vieram a ele todos os seus irmãos e todas as suas irmãs e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se -condoeram dele, e o consolaram de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e cada um, um pendente de ouro” (Jó 42.11).

Jó, agora, é exaltado diante de todos os seus amigos e parentes. Vêm estes e trazem-lhe suas dádivas. E, assim, pôde ele recompor o seu patrimônio e reconstruir a sua vida econômica. Deus jamais nos abandona. Aliás, usa Ele os que nos abandonaram, a fim de que nos acolham.

 

d) Restauração histórica de Jó.

O homem que fora tão caluniado por Satanás, tão incompreendido pela esposa e tão acusado pelos amigos, entra agora para uma exclusivíssima galeria; é posto entre os três mais piedosos homens de todos os tempos: “Ainda que Noé, Daniel e Jó estivessem no meio dela, vivo eu, diz o Senhor JEOVÁ, que nem filho nem filha eles livrariam, mas só livrariam a sua própria alma pela sua justiça” (Ez 14.20). Pode haver maior honra do que esta?


🛑 Obs. A continuação deste conteúdo está na Revista Cristão Alerta.

👉Clique Aqui