FECHAR <----



Lições Bíblicas Jovens e Adultos 4° trimestre de 2019 – Central Gospel
Assunto: Corpo, alma e espírito: de onde eu vim; qual o meu propósito; para onde irei
Lição: Jovens e Adultos
Trimestre: 4° de 2019
Comentarista: Pr. Joá Caitano
Editora: Central Gospel

 
TEXTO BÍBLICO BÁSICO
Gênesis 2.7; Efésios 2.4-10

TEXTO ÁUREO
E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Tessalonicenses 5.23
APROFUNDE SEU CONHECIMENTO SOBRE O ASSUNTO:

SUBSÍDIOS PARA O ESTUDO DIÁRIO

2ª feira - Jeremias 1.4-10
Conhecidos, escolhidos e separados por Deus
3ª feira - Salmo 23.3
Deus refrigera a alma humana
4ª feira - 1 Pedro 1.22
Purificando a alma, obedecendo à verdade
5ª feira - Números 14.24
Um espírito diferente e especial
6ª feira - Marcos 14.38
O espírito sempre está pronto
Sábado - Hebreus 4.12
A Palavra de Deus na natureza humana

OBJETIVOS
Ao término do estudo bíblico, o aluno deverá ser capaz de:

• conhecer a natureza do homem e identificar a parte divina plenamente inserida na dimensão físico-biológica do ente humano;

• rejeitar, com firmeza, ofertas ou opções de natureza mundana que venham a influenciar, negativa mente, a natureza humana;

• desenvolver um caráter cristão equilibrado, que agrade a Deus, no qual o Senhor é glorificado no corpo, celebrado na alma e adorado no espírito.

ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS
Prezado professor, só há ensino quando existe aprendizagem (ou aprendizado). Não faz sentido dizer: "Estou ensinando, mas ninguém está aprendendo". A meta do ensino é que haja aprendizagem.

O ensinador deve desejar que os seus alunos aprendam.

Quando o aluno está disperso e sem atenção, aquele que está ministrando deve fazer algo no sentido de trazê-lo de volta. Continuar falando resultará em total desperdício de tempo e de esforços. Jesus, o Mestre por excelência, tinha interesse em que os Seus ouvintes estivessem sempre atentos e em atitude de reflexão, pois desejava que aprendessem o que Ele ensinava (Mt 9.13; Mc 13.20) (CHAVES, G. Central Gospel, 2012, p. 56).

Tenha esses conceitos em mente durante a ministração de sua aula.

COMENTÁRIO
Palavra introdutória


No pátio interior do templo de Apolo, em Delfos, na região central da Grécia, havia um oráculo que costumava repetir: "Conhece-te a ti mesmo". Essa expressão, que ficou associada ao filósofo Sócrates, constitui-se em um grande desafio para milhões de criaturas na busca pela verdade: Afinal, quem sou eu? Eis a grande questão.

Muitos anos antes de Sócrates, no deserto de Mídia, no monte Horebe, Moisés viu uma sarça queimando, mas que não se consumia — na ocasião, ele tinha 80 anos de idade. Lucas, o evangelista, dá-nos ciência que Moisés fora educado em toda a sabedoria dos egípcios e veio a ser poderoso em palavras e obras (At 7.22 NVI); entretanto, esse ex-príncipe também se viu diante do grande dilema humano, e perguntou ao Senhor: (...) Quem sou eu (...) (Êx 3.11)?

Somos obra de Deus; fomos criados com uma natureza tridimensional; portanto, somos plenamente capazes de cumprir o nosso propósito aqui na Terra: Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa,, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós que. em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia (1 Pe 2.9,10).

Nesta lição, analisaremos o que a antropologia antropo = homem + logia - estudo; judaico-cristã tem a dizer a respeito da natureza e da criação do homem (Ef 2.10).

1. CONCEITOS ACERCA DO HOMEM
Quanto à natureza humana, o hebraico usa basar para corpo; nephesh para alma, e ruach para espírito. Em grego, soma para corpo, psyché para alma, e pneuma para espírito.


Afinal, o homem é dotado de uma única natureza? Ele é só matéria, só espírito, ou só alma? No estudo acerca da natureza humana, encontramos três principais correntes de pensamento: o monismo, a dicotomia e a tricotomia. Vejamos a seguir.

1.1.  Monismo
Na contramão do que apregoam outras doutrinas, que admitem duas espécies de realidade (dualismo), ou várias (pluralismo), o monismo — enquanto sistema filosófico — defende a existência de apenas uma espécie de realidade: a matéria.

1.2.  Dicotomia

A expressão dicotomia indica uma divisão em duas partes (gr. dikhotomia — divisão em dois). Tal termo aplica-se à Teologia, baseando-se no conceito de que o homem possui duas partes fundamentais: o corpo e a alma. Para os dicotômicos, o ser humano é composto de duas substâncias — material e imaterial —; nesse sentido, não haveria distinção entre alma e espirito.

1.3.  Tricotomia

A expressão tricotomia indica uma divisão em três partes; cada qual com sua função específica. O termo também se aplica à Teologia para designar a interpretação de que o homem compõe-se de três partes distintas: o espírito, a alma e o corpo (1 Ts 5.23).

2. NATUREZA BIOLÓGICA: O CORPO

O corpo humano, tendo sido formado (no original hebraico, yatsar significa deu forma, modelou) do pó da terra, é físico e palpável.

A ciência concluiu que hão existe qualquer elemento químico que não possa ser encontrado no corpo humano; este é constituído organicamente de: 206 ossos, 650 músculos, 1.800Km de vasos sanguíneos e um coração que pulsa 4.200 vezes por dia.

Esses dados permitem-nos afirmar que o corpo humano é produto de uma perfeita criação!

2.1.  Casa terrestre versus edifício celeste

Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus (2 Co 5.1). Nesse texto, empregando figuras de conhecimento geral, o apóstolo Paulo doutrina a igreja com firmeza e convicção, mencionando os termos "casa” e "edifício" em referência ao corpo do homem e da mulher salvos em Cristo, nos estados presente e futuro. O Senhor Jesus ao ser interrogado pelos fariseus reafirma esta verdade bíblica; Vocês não leram que, no princípio, o Criador 'os fez homem e mulher (...) (Mt 19.4 NVI).

Vejamos, no quadro a seguir, algumas diferenças entre cosa terrestre e edifício celestes:

CASA TERRESTRE
edifício celeste
1 CORINTIOS 15.42-54
Condição presente do corpo nesta vida física, biológica e carnal.
Estado futuro do corpo no Céu, na dimensão espiritual, divina e sobrena­tural
Corpo animal, natural, carnal, físico, biológico.
Corpo espiritual, glorificado, celestial, eterno.
Morada limitada, provisória do corpo biológico na Terra.
Residência permanente, eterna do corpo ressurreto no Céu.
Tabernáculo frágil, mortal como um va­por que aparece e logo se desvanece.
Estrutura forte, poderosa, firmada e estabelecida na rocha permanente.
Corruptível, deteriorável, que desfigu­ra, degenera e acaba.
Incorruptível, indestrutível, inalterá­vel, duradouro e eterno.
Mortal, envelhece, declina, desfalece e perece.
Imortal, que não tem fim, nunca mor­re, perpétuo e etemo.

3. NATUREZA PSICOLÓGICA: ALMA

Após o homem ser modelado do pó da terra (Gn 2.7), a ação do Senhor prosseguiu na criação da alma e do espírito (1 Ts 5.23).
Na Bíblia, o termo alma é mencionado claramente como resultado do sopro de Deus no corpo do primeiro homem (Gn 2.7). A palavra alma, nos originais hebraicos (nephesh) e gregos (psyché ), ocorre mais que 800 vezes, indicando sua importância na estrutura humana.

3.1.  Definição de alma

O corpo e a alma existem em conjunto, e são indivisíveis (SI 31.9; Is 10.18). As principais características do homem estão na sua alma: ideais, pensamentos, amor etc.

A alma:
·      é a identidade do indivíduo;
·      é o princípio inteligente que anima o corpo;
·      utiliza-se dos órgãos e sentidos para comunicar-se com o mundo exterior;
·      é a sede da nossa personalidade;
·      é o resultado da criação imediata de Deus;
·      suspira pela proteção, comunhão e provisão do Senhor.

3.2.  As faculdades da alma

A Palavra de Deus aponta-nos a alma como sendo composta de três partes: emoção, vontade e razão. Observe:
A EMOÇÃO é a parte da alma onde se abrigam os sentimentos, como amor (1 Sm 18.1) e a angústia (1 Rs 1.29).
A VONTADE é a sede dos desejos da alma (Ec 6.2; Is 26.9).
A RAZÃO é também conhecida como mente ou intelecto.

3.3.  Como lidar com as emoções da alma

A palavra emoção tem origem no Latim (ex-movere) e significa mover para fora. As emoções exercem influência direta sobre os pensamentos e as ações do indivíduo (de forma negativa e/ou positiva); por esta razão, precisam ser controladas.

Deus registra nas páginas de Seu Livro como o ser humano deve proceder diante dos desafios emocionais para um viver saudável; observe:
ansiedade (1 Pe 1.3-5; 5.7); desânimo (1 Co 15.58); medo (SI 91); impaciência (Tg 5.7-11); ódio e ira (Pv 15.1); depressão (Is 61.1-4); frustração e engano (Jr 20.7-18); solidão (SI 42.5); inveja (Pv 23.17).

4. NATUREZA TEOLÓGICA: ESPÍRITO


O patriarca Jó (Jó 32.8) e o profeta Zacarias (Zc 12.1) referiram-se ao espírito como parte integrante da natureza humana. Vale ressaltar, no entanto, que o Espírito de Deus e o Espírito Santo que aparecem nos textos sagrados de ambos os Testamentos (Antigo e Novo), não devem ser confundidos com o espírito humano.

4.1.  Definição de espírito

A Bíblia indica Deus como a causa originadora e conservativa de todo o Universo.Tendo criado o ser humano à sua imagem e semelhança (Gn 1.26,27), pode-se dizer que o homem é um espírito, que possui uma alma e habita um corpo físico (Jo 4.24).

O espírito é a parte superior da natureza humana e a sede da inteligência. Por meio dele, conhecemos e raciocinamos; através dele, recebemos instrução de Deus e a comunicação da verdade e vontade divinas.
4.2.  Funções essenciais do espirito

4.2.1. Receber iluminação e revelações diretamente de Deus

A iluminação e as revelações divinas começam a ocorrer unicamente no espírito do homem. Ele é a lâmpada do Senhor; nele está o lugar mais profundo onde nenhuma ciência alcança; ali. Deus brilha a Sua luz e a essência da Sua glória e poder. É no espírito humano que Deus ilumina o caminho da vida e contempla o entendimento das revelações divinas (Pv 20.27).

4.2.2. Reverenciara Deus

Reverenciar é uma atitude de profundo respeito, submissão, amor e obediência ao Senhor. O espírito humano reverencia o Altíssimo por quem Ele é; por Sua santidade e presença constante (Ap 15.4).

4.2.3. Adorar a Deus

Adorar implica honrar a Deus com expressões de gratidão. Em outras palavras, significa dizer que, na adoração, o espírito humano reconhece, de forma grata, a sua origem e o propósito da sua existência. Os verdadeiros adoradores exercem em seu espírito a adoração autêntica que agrada ao Senhor (Jo 4.24).

4.2.4. Percepção espiritual

Parte da natureza divina foi soprada no homem, formando, assim, o seu espírito. A percepção espiritual é, portanto, um atributo do espírito regenerado por Deus.

O Senhor Jesus, no transcurso de Seu ministério terreno, esteve atento às percepções de Seu espírito (humano; conf. Mc 2.8); isto nos permite afirmar que a porção divina posta no homem — o espírito — não é insensível, fria ou destituída de emoções.

4.2.5. Refletir Deus

O apóstolo Paulo, em sua segunda carta aos irmãos de Corinto, disse: todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor (2 Co 3.18) Deus revela-se no espírito do homem, precisamente no lugar mais íntimo, santo e divino, onde a imagem do Senhor foi estabelecida.

CONCLUSÃO
A estrutura humana é demasiado complexa, se comparada à dos animais e à dos demais seres criados. Deste modo, ao fim desta lição, alguns pontos precisam ser destacados e por nos acolhidos, a saber:

NECESSITAMOS apresentar o nosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus (Rm 12.1,2);
AMAR a Deus de todo o nosso coração, alma e entendimento (Mt 22.37) E PURIFICAR-NOS de toda a impureza, da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus (2 Co 7.1).

ATIVIDADE PARA FIXAÇÃO
1. A Palavra de Deus aponta-nos a alma como sendo composta de três partes. Quais são elas?

R.: Emoção, vontade e razão.

VEJA TAMBÉM:

 
Top