Como a pessoa de Jesus Cristo é abordada na religião islâmica? - Subsídios Dominical

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

Novos Subsídios Bíblicos para as lições  O corpo de Cristo, 1° trimestre de 2024


Como a pessoa de Jesus Cristo é abordada na religião islâmica?

O Islamismo (cujo significado é “submissão a Alah”) foi fundado por Maomé em 622 d.C. Ele procurou fundamentá-lo incialmente na Bíblia, pois acreditava que assim conseguiria mais êxito na conquista de discípulos. 

Primeiro, se apresentou como o sexto dos profetas de Deus (Alah, em árabe) que teriam pregado o islamismo. Seriam eles Adão, Noé, Abraão, Moisés, Jesus e, então, Maomé. Os seguidores do islamismo consideram Jesus como um profeta de Alah. Eles dizem que Jesus pregou a doutrina muçulmana desde o berço e que as palavras que Ele proferiu, dizendo “Mas, quando vier aquele Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade” (Jo 16.13), se cumpriram em Maomé, que dizia: “Eu sou este espírito de verdade”. Após isso, Maomé começou a deturpar os textos bíblicos como bem queria. Ele negou a morte e ressurreição de Jesus, dizendo que esses dois acontecimentos foram inventados por Alah para enganar os judeus e romanos que queriam matá-lo. E como Alah teria feito isso? Teria feito o rosto de Judas parecer com o de Jesus e, assim, os romanos e judeus crucificaram Judas no lugar de Jesus.

APROFUNDE SEU CONHECIMENTO:
           ·       Nosso Pai celestial nos induz à tentação?
           ·        A Bíblia atesta a existência de unicórnios?

Alah era uma divindade adorada entre os árabes e era, na tradição árabe, pai das deusas Lat, Uzza e Manat. Maomé começou a pregar que Alah era o único Deus, indo contra a tradição árabe, por isso a sua doutrina não foi bem aceita. A saída foi dizer que havia recebido ordem de Alah para confiscar os bens dos que não aceitassem a sua doutrina. Assim, muitos começaram a segui-lo, ou com interesse no confisco de bens ou com medo de ter seus bens confiscados. Maomé Inventou textos em que os apóstolos de Jesus se diziam muçulmanos (termo que significa “o que se entrega de corpo e alma a Alah”). Afirmou também que Alah ajudou na propagação do cristianismo. Como explicar, então, que aqueles que propagaram o cristianismo pregaram doutrinas (segundo eles, ajudados por Alah) que o islamismo rejeita? Os apóstolos pregaram a morte e ressurreição de Jesus (1 Co 15). E complicado para o muçulmano sincero explicar porque eles rejeitam doutrinas que Alah teria ajudado a propagar. Se Jesus foi um profeta de Alah, como explicar a perseguição que os muçulmanos fazem aos cristãos, proibindo o culto nos países muçulmanos e condenando à morte os que o propagam, bem como muçulmanos que se convertem ao cristianismo?

Para Maomé a Bíblia só é boa quando concorda com o Alcorão. Porém, a morte de Jesus na cruz é a doutrina mais importante do cristianismo e quando os muçulmanos a rejeitam, se confirmam na condição de seita.

VEJA TAMBÉM:
·          As Maiores Religiões No Mundo

Por fim, devemos citar que os muçulmanos rejeitam até o Alcorão (a Bíblia deles) quando este vai de encontro aos seus interesses. Vejamos o caso da Terra Santa. Quando Maomé escreveu o Alcorão, não havia luta entre judeus e árabes pela Terra Santa, por isso ele escreveu que os judeus deveriam possuir a Terra Santa. Veja este texto do Alcorão: “Recorda-lhes de quando Moisés disse ao seu povo: O povo meu, lembrai-vos das mercês de Deus para convosco, quando fez surgir, dentre vós, profetas, e vos fez reis e vos concedeu o que não havia concedido a nenhum dos vosso contemporâneos. O povo meu, entrai na terra Sagrada que Deus vos assinalou, e não retrocedais, porque se retrocederdes, sereis desventurados”.

Artigo: Pr. Levi Matos Marins | Fonte: JMP – Abril de 2012 | Divulgação: Subsídios EBD


Post Bottom Ad