Lição 8: Nossa Luta não é contra Carne e Sangue (Subsídio) - Subsídios Dominical

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

Novos Subsídios Bíblicos para as lições  O corpo de Cristo, 1° trimestre de 2024


Lição 8: Nossa Luta não é contra Carne e Sangue (Subsídio)

Seja bem-vindo (a) ao subsídio bíblico para a classe de Adultos.
Lição: 8
Revista do 1° trimestre de 2019 – CPAD
Veja a continuação deste estudo em Nosso “E-book Subsídios EBD”. Vol. 15 – Clique Aqui.
INTRODUÇÃO
Quem são os inimigos da Igreja de Jesus? Como eles estão organizados? Essas perguntas são respondidas da seguinte maneira. Efésios 6.12: “Porquanto, nossa luta não é contra seres Humanos...” (KJA).

O Apóstolo Paulo esclarece: “[...] contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais (Ef 6.12 – ACF)”.
                            
I – CONHECENDO O EXÉRCITO INIMIGO
O uso dos termos “principados”, “potestades”, “domínios” e “poderes” (Cl 1.16; Ef 6.12), servem para descrever a hierarquia no mundo espiritual de ambos os lados: o bom e o mau. Para bem compreender o significado mais específico das categorias hierárquicas apresentadas pela Palavra de Deus, o melhor caminho é apelar para os termos respectivos na língua original.

 
1. Príncipes das trevas

Príncipes - do hebraico “sar”, significa líder, comandante, que dita regras, que tem responsabilidade sobre os outros. Este é o termo que designa o príncipe da Pérsia (Dn 10.13).

O termo “príncipes” no grego bíblico é “Kosmokrátor. O uso plural revela que muitos desses dominadores ou príncipes estão sob comando de Satanás. O principal príncipe dos poderes das trevas é Satanás que detém o controle de todas as camadas sociais na rebelião mundial contra a autoridade do único e verdadeiro Deus (2 Co 4.4; Jo 12.3). Somente o supremo poder de Cristo, que venceu todas essas forças na cruz, pode nos dar a vitória plena e eterna (Cl 2.15).

O termo grego mais usado para “príncipe” é archon, que aparece 37 vezes no Novo Testamento, traduzido também como “governador” humano. É usado para se referir a Belzebu, “príncipe dos demônios” (Mt 12.24); para Satanás como “príncipe deste mundo” (Jo 12.31; 14.30; 16.11); e, ainda, ao “príncipe das potestades do ar” (Ef 2.2).

Há quem pense que “Belzebu” é um dos príncipes subordinados a Satanás (Mt 12.24,27). Já outros afirma que Belzebu é apenas um dos nomes do Diabo.

Não devemos jamais subestimar o poder do diabo. Não é por acaso que ele é comparado com um leão e com um dragão! O Livro de Jó mostra o que ele pode fazer com o corpo, o lar, as riquezas e os amigos de uma pessoa.


2. Principados
O Novo Testamento aplica o termo “principado”, do grego, arché. Na hierarquia do reino das trevas, os principados são os que ocupam posição mais elevada. O termo quer dizer “primeiro ou primeiros”. Esses seres têm um poder próprio e sabem governar, reger e, dado a isso, provavelmente, cobiçaram, juntamente com Lúcifer, um governo superior.
            
Por “principados” devem-se entender espíritos (anjos) que exercem autoridade sobre os outros que executam suas tarefas nas diferentes áreas de ação.

3. Potestades
Potestades e autoridades - do grego “exousia”. Seres que gozam do privilégio de tomar decisões. São a coroa de um exército.

Um exemplo é o anjo que Davi presenciou, disposto a castigar Israel (1 Cr 21.16). O fato de lermos: “Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos” (SI 91.11), não significa que os anjos estão esperando o tempo todo ordens de Deus para agir. Assim como os homens, eles são dotados de inteligência e de vontade. Claro que os anjos de Deus estão devidamente ajustados à Sua soberana vontade, para saberem o que fazer; porém, as categorias angelicais superiores parecem dispor de certa autonomia de ação.

4. Hostes espirituais da maldade

Hostes espirituais do mal – pode compreender todos os poderosos espíritos malignos, ou se referir às vastas hostes de demônios de categoria inferior que servem aos propósitos iníquos de Satanás para a destruição geral, e para manter os homens em escravidão. Esses demônios têm o poder de produzir possessão, assenhorando-se de vidas as quais possuem.

A organização hierárquica atua dentro de um princípio de autoridade indiscutível não apenas entre os anjos bons, mas também entre os decaídos[1].

5. Poderes - assim também alguns são chamados. A palavra grega para designá-los é “dynamis” (Ef 1.21; 2.2). Esses têm poder para realizar milagres e conceder riquezas, daí a razão de os que compõem o exército de Satanás também realizarem milagres.

Deus nos instrui sobre o inimigo não apenas em Efésios 6, mas ao longo de toda a Bíblia, de modo que não há motivos para sermos pegos de surpresa.

II – A CONDUTA DO SOLDADO NA BATALHA ESPIRITUAL

VEJA A CONTINUAÇÃO DESTE ESTUDO AQUI


[1] Decaídos - Os anjos foram criados perfeitos e sem pecado, e, como o homem, dotados de livre escolha. Sob a direção de Satanás, muitos pecaram e foram lançados fora do céu (João 8.44; 2 Pe 2.4; Jd 6).

Post Bottom Ad