FECHAR <----


Assunto: Grandes temas do apocalipse – Uma perspectiva profética impressionante dos últimos tempos
Lição: Jovens e Adultos
Trimestre: 1° de 2018
Comentarista: Pr. Joá Caitano
Editora: Central Gospel
TEXTO BÍBLICO BÁSICO
Apocalipse 20.2-6
2 - Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos.
3 - E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que mais não engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo.
4 - E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.
5 - Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.
6 - Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.
Isaías 11.6-9
6 - E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão, e a nédia ovelha viverão juntos, e um menino pequeno os guiará.
7 - A vaca e a ursa pastarão juntas, e seus filhos juntos se deitarão; e o leão comerá palha como o boi.
8 - E brincará a criança de peito sobre a toca da áspide, e o já desmamado meterá a mão na cova do basilisco.
9 - Não se fará mal nem dano algum em todo o monte da minha santidade, porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar.
SUBSÍDIOS PARA O ESTUDO DIÁRIO
2ª feira – Isaías 32.14-20: O efeito da justiça será a paz
3ª feira – Ezequiel 47.1-12: O rio do Milênio produz vida e saúde
4ª feira – Joel 3.14-18: Uma fonte da casa do Senhor
5ª feira – Miqueias 4.2-7: De Sião sairá a Lei, e a Palavra do Senhor, de Jerusalém
6ª feira – Zacarias 6.12-15: Ele mesmo edificará o templo do Senhor
Sábado – Apocalipse 20.4: Reinaram com Cristo durante mil anos
TEXTO ÁUREO
E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia, um será o Senhor, e um será o seu nome. Zacarias 14.9
OBJETIVOS
Ao término do estudo bíblico, o aluno deverá:
- compreender as razões para a instauração do Milênio na terra;
- descrever as mudanças e/ou transformações feitas por
Deus no mundo na dispensação milenial;
- entender que todos aqueles que têm fome e sede de justiça serão plenamente satisfeitos na dispensação milenial, em razão das transformações que ocorrerão na Terra.
Novas Lições - Leia também:

- Lições Bíblicas de Jovens – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Lições Bíblicas de Adultos – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Lições Bíblicas Juvenis - – 1° Trimestre de 2018 – Acesse Aqui
- Estudos Auxílios para professores da EBD – Acesse Aqui


ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS
Esta lição trata de um tema difícil, por ser escatológico; porém, com estudo e dedicação, é possível que os conteúdos fiquem claros para o aluno, se você, professor, compreender o assunto em questão. Busque enfatizar o que está reservado para a Igreja gloriosa e triunfante nesta dispensação: a última, e aquela que antecede a criação de novos céus e terra (Ap 21.1).
 
Explique, sinteticamente, o significado da palavra dispensação, que quer dizer:  economia ou administração, ou seja, o modo como Deus trata a humanidade (Cl 1.25).
Aproveite para explicar quais são as dispensações bíblicas:
1- inocência (Gn 2.7);
2- consciência (Gn 3.24);
3- governo humano (Gn 9.1);
4- patriarcal ou familiar (Gn 12.1-3);
5- lei ou mosaica (Êx 19.8);
6- graça ou Igreja (Jo 1.17);
7- milênio ou reino (Ef 1.10; Ap 20.4).
Enfatize as bênçãos no Milênio e a participação da Igreja na teocracia divina.
COMENTÁRIO
Palavra introdutória
Desde a Queda, no Éden, os homens sonham com um tempo de paz, segurança e prosperidade, em que as ruas da cidade se encherão de meninos e meninas, que nelas brincarão (Zc 8.5), e em que todos poderão estar em perene comunhão com Deus, o eterno Criador (Tg 4.8).

A humanidade sonha com uma nova era, em que as notícias de roubos, sequestros, fome, pestes, crimes hediondos, revoluções sanguinárias e guerras destruidoras serão substituídas por manchetes de altos índices de abundância, crescimento, estabilidade e tranquilidade entre todos os povos da terra (Mq 4.3).

Com esperança, aguardamos o dia em que o trigo crescerá mais depressa do que poderá ser colhido, e as parreiras produzirão uvas mais depressa do que se poderá fazer vinho (Am 9.13 NTLH).

Esse tempo de cumprimento de promessas (Gn 12.1-3; 17.8; 2 Sm 7.12-16; Is 42.6), que desde o tempo antigo nunca houve, nem depois dele haverá pelos anos adiante, é maravilhosamente descrito na Bíblia como Milênio (Is 11.1-9).

O Livro do Apocalipse é uma das principais fontes de escatologia ou estudo do fim dos tempos, e sua escatologia é consistente com o resto do Novo Testamento. Cada cristão pode ter a certeza da vida após a morte. Os cristãos também podem ter a certeza de sua ressurreição pessoal e da recompensa por uma vida justa vivida na terra (VARUGHESE, A. Central Gospel, 2012, p. 481).

1. TEMPO DE MILAGRES E TRANSFORMAÇÕES
Conforme destacado na Lição 2, entende-se por milagre a suspensão das leis naturais, para que as leis sobrenaturais interfiram no mundo físico. Isto significa que, diante da limitação humana, Deus intervém na linearidade presumível da Natureza, operando sinais e maravilhas (At 10.38; Hb 2.4).

Quando Jesus esteve entre os homens pela primeira vez, Seus milagres manifestaram a glória do Pai (Jo 9.3; 11.4; At 10.38); o mesmo ocorrerá na dispensação milenial (no Milênio).

Quando o Salvador comandar mil anos de paz, justiça e prosperidade, a humanidade testemunhará inúmeros milagres e profundas transformações para a glória de Deus (Is 65.17-25).
1.1. Milagres na Natureza
A Natureza será transformada pelo milagre da fertilidade; a Terra apresentará condições semelhantes às encontradas no Éden (Is 11.6-9): os lugares secos tornar-se-ão jardins verdejantes (Ez 34.26,27); a água será abundante (Is 30.25); a configuração geológica e hidrográfica do planeta será modificada (Is 2.2; Ez 47.8-12); a iluminação será suficiente (Is 30.26); e os frutos das árvores servirão de alimento, e suas folhas, de remédio (Ez 47.12).

1.1.1. Milagres no mundo animal
No Milênio, não haverá animais carnívoros, nem predadores, mas apenas herbívoros (Is 11.6-8). Como no princípio da Criação, as diferentes espécies coexistirão pacificamente.

1.2. Milagres nos corpos físicos
Não haverá deformidades físicas: os cegos terão os olhos abertos; os surdos ouvirão; os coxos saltarão; e o mudo poderá falar normalmente (Is 35.5,6; Zc 8.4).

Some-se a isto a longevidade dos indivíduos (Is 65.20-22): a sobrevida humana aumentará consideravelmente, ultrapassando com facilidade os cem anos de existência; a morte chegará depois de longa velhice, porque as doenças serão removidas (Is 33.24; Ez 34.16).

1.3. Milagres na vida material
Este será um tempo de grande prosperidade econômica (Am 9.13-15): as pessoas terão o suficiente para viver confortavelmente, sem qualquer prejuízo; não haverá necessidade ou necessitados (Is 65.21,22; Jl 2.21-27). Os homens serão fartos, porque o Rei atenderá pessoalmente aos Seus súditos (Ap 21.4).

1.4. Milagres na administração e governo
No Milênio, a forma de administração será teocrática (governo de Deus). Aquele que tem o principado sobre os seus ombros, o Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz (Is 9.6), não permitirá qualquer tipo de ditadura, opressão ou manipulação (Is 14.3-6; Zc 9.11,12).

Todos os povos desfrutarão de paz, segurança, justiça e compreensão (Is 11.13). Porém, apesar de tudo isso, como observou o Dr. René Pache: por mais belo que seja o Milênio, ele não será o céu (WILLMINGTON, H. L. Central Gospel, 2015, p. 572).
 
1.4.1. Milagres na vida militar
Os profetas veterotestamentários vaticinaram que a justiça divina reinaria sobre a terra, e, consequentemente, a paz (Mq 4.3; Os 2.18). A concórdia — individual e internacional — só será possível, porque os governos do mundo serão unificados em um único Reino: o de Cristo.

1.5. Milagres na vida espiritual
Um grande mover de Deus, o maior de todos os avivamentos, alcançará todo o mundo. O Espírito Santo será derramado abundantemente sobre os habitantes do reino milenar (Jl 2.28), especialmente sobre os judeus das casas de Davi e Israel (Ez 39.29; Zc 12.10).

Com a unificação do governo e a transformação militar, outro ponto importante será a unificação linguística nas relações interpessoais (Sf 3.19), o que possibilitará, acima de tudo, a adoração ao verdadeiro Deus e a Jesus Cristo, o Messias Regente (Is 66.17-23; Ml 1.11).

2. A CAPITAL DO MILÊNIO
O Milênio alcançará todos os povos, tribos e nações — desde os grandes centros até as áreas mais inóspitas do Globo. De Norte a Sul, de Leste a Oeste, todas as pessoas da terra serão abençoadas
pelo Todo-poderoso (Gn 28.13-17). Todavia, a despeito do alcance
universal deste evento escatológico, é preciso ressaltar que a capital do reino milenar será Jerusalém.

A terra dos profetas, a cidade escolhida, amada e protegida por Deus (Zc 2.5), a cidade histórica e sagrada, tanto para os cristãos, como para os judeus e muçulmanos — sem a presença abominável
do incircunciso e do impuro —, vestirá suas vestes santas, esplendorosas e intocadas, para ser coroada a capital do Milênio (Is 52.1,2).

A alegoria da entronização — [...] os ressurretos reinam com Cristo durante mil anos (Ap 20.6) e para todo sempre (Ap 22.5). Aqueles perseguidos por sua fé seriam confortados para compreenderem que seu breve sofrimento de dez dias (Ap 2.10) não pode ser comparado a sua exaltação por mil anos (ROTZ, C. Central Gospel, 2015, p. 336).


2.1. Seu valor histórico e religioso
A história da humanidade estaria incompleta sem a presença da cidade de Jerusalém em seus registros. Seus filhos formam o povo escolhido do Senhor e foram estabelecidos por Ele como cabeça das nações (Dt 28.10,13).

Todos os fatos, objetos e elementos relacionados a esse espaço geográfico singular são fonte inesgotável de estudo, pesquisa e comentário. Jerusalém, a terra santa, a cidade mais citada em todo texto bíblico (1 Sm 17.54; 2 Sm 5.7; 6.1-19; 24.25; 2 Cr 3.1; Lc 2.22; Mt 21; 23.37; 24), atrai os olhares do mundo para si, não apenas por seu valor histórico, mas, sobretudo, por sua importância religiosa.

2.2. Sua posição estratégica
Geograficamente, o Senhor estabeleceu a nação de Israel no centro do planeta. A partir de um simples olhar no mapa mundial, pode-se identificar a cidade de Jerusalém: ela está no coração dos povos. Deus cercou a cidade de altos montes protetores, tornando-a uma fortaleza natural (Sl 125.2).

2.3. Sua importância espiritual
O lugar mais sagrado do mundo, para o judeu, é Jerusalém. Durante o Milênio, a terra dos antigos profetas tornar-se-á a capital religiosa do mundo.

Após o Armagedom, a cidade e o templo dos judeus serão restaurados, e os povos do mundo inteiro subirão a Jerusalém, todos os anos, para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos (Zc 14.16).

Jerusalém será chamada de trono do Senhor (Jr 3.17): um lugar de bênçãos para as nações gentílicas (Zc 8.22) e de honra para os judeus (Zc 8.23).

3. PARTICIPANTES DO MILÊNIO
As profecias bíblicas fazem-nos saber que os santos glorificados e os sobreviventes da Grande Tribulação participarão da dispensação milenial. A Escritura também nos dá ciência de que nenhum incrédulo participará dessa dispensação (Jr 31.33,34; Ez 20.37; Jo 3.3).

Terá destaque, neste cenário, a nação de Israel, pela reedificação do tabernáculo de Davi (At 15.16), e pelo cumprimento literal da promessa que o Senhor fez a Abraão, o primeiro judeu:

Em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gn 12.1,2).

3.1. Os crentes glorificados
Participarão do Milênio todos os salvos — tanto do Antigo Testamento quanto do Novo Testamento — e os mártires de todas as eras — em especial os procedentes da Grande Tribulação —, com direitos a todas as bênçãos advindas dessa dispensação (Ap 20.4-6).

Seremos, segundo a Escritura, reis e sacerdotes (Ap 1.6,10; 11.15), e, por essa razão, reinaremos com Cristo sobre as nações (Ap 2.26-29).

3.2. Os sobreviventes da Grande Tribulação
Existirão outros tipos de corpos no Milênio, além dos glorificados (1 Co 15.51-53; Hb 11.35; Ap 20.5,6)?

Segundo Harold Willmington (2015, p. 572), a resposta é sim, e esses serão os corpos não glorificados dos que sobreviveram ao cataclismo da Grande Tribulação; dos crentes judeus (Mt 25.10); dos crentes gentios (Mt 25.34) e o dos filhos que nascerão durante o Milênio (Zc 8.5).

Muitos dos nascidos durante o Milênio (Zc 8.5) podem decidir desobedecer a Deus e a Cristo; isto explica a razão de o Messias reinar com vara de ferro (Zc 14.17-19; Ap 2.27; 12.5; 19.15) e o fato de haver uma rebelião final (a de Gogue e Magogue), quando Satanás for solto (Ap 20.7,8).

Muitos dos nascidos durante o Milênio (Zc 8.5) podem decidir desobedecer a Deus e a Cristo; isto explica a razão de o Messias reinar com vara de ferro (Zc 14.17-19; Ap 2.27; 12.5;19.15) e o fato de haver uma rebelião final (a de Gogue e Magogue), quando Satanás for solto (Ap 20.7,8).

CONCLUSÃO
Apesar de alguns segmentos teológicos atribuírem um sentido figurativo à duração deste evento, as profecias bíblicas indicam claramente que o Milênio será um período de mil anos literais — cada ano, com 365 dias.

No Milênio, Deus demonstrará, na terra, como será o céu. Jesus reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu Reino não terá fim (Lc 1.33).

ATIVIDADE PARA FIXAÇÃO
1. De acordo com a lição de hoje, responda: Em quais esferas acontecerão milagres e transformações, na dispensação milenial?

R.: Milagres na Natureza; nos corpos físicos; na vida material; na administração e governo; e na vida espiritual.

 
Top