FECHAR <==

LIÇÕES BETEL - Lição 7: É fundamental cultivarmos uma vida de oração

ASSUNTO DA REVISTA: Triunfando sobre as batalhas e as adversidades da vida

Comentarista: Bispo Samuel Ferreira

Fonte: Revista Lição Bíblica Dominical – 3° trimestre de 2021 – Revista de Professor

VEJA TAMBÉM

🔥 Lições Bíblicas Adultos – Clique Aqui

🔥 Lições Bíblicas Jovens – Clique Aqui

🔥 Auxílios para Professores da Escola Dominical – Clique Aqui

📚 Curso de Formação de Professores da Escola Dominical  - Clique Aqui

📚 TEXTO ÁUREO

“Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.” Isaías 55.6

💡 VERDADE PRÁTICA

Todo aquele que serve e tem comunhão com Deus compreende a necessidade e a importância de uma vida de oração.

🎯 OBJETIVO da LIÇÃO

1. Ensinar a importância de uma vida de oração.

2. Mostrar o que acontece quando a Igreja ora.

3. Apresentar os resultados de uma vida de oração.

📖 TEXTO DE REFERÊNCIA

ATOS 12. 1-5,11

LEITURAS COMPLEMENTARES

SEGUNDA / Mc 11.24 Devemos orar com fé.

TERÇA / Rm 12.12 Devemos perseverar na oração.

QUARTA / Ef 6.18 Devemos orar em todo tempo.

QUINTA / 1Ts 5.17 Devemos orar sem cessar.

SEXTA / 1Tm 2.8 Devemos orar em todo lugar.

SÁBADO / Tg 5.16 Devemos orar uns pelos outros.

🔊 HINOS SUGERIDOS 🎵

296

432

577

🛐MOTIVOS DE ORAÇÃO

Ore pelos cristãos presos por causa de sua fé, a fim de que sejam tratados com justiça.

ESBOÇO DA LIÇÃO

Introdução

1– A importância da oração

2– O que acontece quando a Igreja ora?

3– Os resultados de uma vida de oração

Conclusão

INTRODUÇÃO

No enfrentamento das batalhas da vida é fundamental que o discípulo de Cristo procure cultivar uma vida de constante oração. Na presente lição veremos o exemplo da Igreja Primitiva, que tinha a oração como uma de suas mais relevantes características e os efeitos da oração na Igreja e na vida pessoal do cristão.

👍 PONTO DE PARTIDA

Devemos orar sem cessar.

1. A Importância da Oração

A oração é uma das armas espirituais importante, poderosa em Deus, para destruição das fortalezas do inimigo [2Co 10.4]. Para vencer as batalhas da vida, é necessário que ela seja uma prática constante e diária na vida do cristão.

 

1.1. No nosso cotidiano.

Por conta de uma vida muito corrida, infelizmente, temos a tendência de nos aproximarmos de Deus da mesma forma, correndo. Encontramos e temos tempo para tudo na vida. Não é pecado trabalhar, estudar, fazer atividades esportivas, namorar, casar, ter filhos, entre outros. No entanto, cometemos um grave erro quando, em meio a tudo isso, não encontramos um tempo de qualidade para uma vida de oração a Deus.

 

■ Subsídio do Professor

Todo aquele que deseja servir e ter comunhão com Deus deve compreender a necessidade e a importância de uma vida de oração. Orar é falar com Deus. Por toda a Bíblia temos exemplos extraordinários tanto acerca do que é a oração, quanto do que se pode alcançar através dela. Através das Sagradas Escrituras, somos estimulados a orar sem cessar, e a crer que a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos [Tg 5.16b].


1.2. Deus sempre está atento às nossas orações.

A narrativa de Lucas no capítulo 12 do livro de Atos nos mostra como o plano do rei Herodes foi inutilizado pela intervenção direta de Deus, uma prova de que Ele sempre está atento às orações do Seu povo. Embora Pedro estivesse sob a vigilância de quatro grupos de quatro soldados [At 12.4], Deus agiu em resposta às orações da Igreja, libertando Seu servo das cadeias.

 

Subsídio do Professor

Comentário Bíblico Moody: “Embora os crentes estivessem orando fervorosamente pela libertação de Pedro, ficaram admirados quando suas orações foram respondidas. Quando a criada que atendeu às batidas de Pedro, reconheceu a voz do apóstolo, correu de volta para avisar a igreja reunida, deixando Pedro em pé junto à porta trancada. Os crentes pensaram que Rode estivesse imaginando coisas ou que ela tivesse visto o anjo da guarda de Pedro [Mt 18.10; Hb 1.14]. Quando deixaram Pedro entrar, seus amigos começaram a lhe fazer perguntas excitadamente. Ele precisou lhes fazer sinal para silenciarem.”

  

1.3. Uma prática de vida.

A oração era uma prática diária da Igreja Primitiva [At 2.42]. Os discípulos conheciam a importância e o poder da oração [Lc 11.1; At 4.31]. Eles não só aprenderam a orar com Jesus [Lc 11.1-4], como também viram o Mestre em constante oração [Mt 14.23; Lc 6.12-13; 22.41-42]. O texto de Atos 12.5 nos ensina duas lições: devemos nos preocupar com o nosso próximo e devemos orar com fervor. Como resposta às orações da Igreja, Deus enviou um anjo até a prisão onde Pedro estava [At 12.7].

 

Subsídio do Professor

Comentário Bíblico Wiersbe: “Herodes prometeu matar Pedro após a cerimônia da Páscoa, que durava oito dias, para agradar aos judeus. Por segurança, ele designou quatro escoltas com quatro guardas cada para vigiar Pedro. Dois guardas ficavam dentro da cela, um de cada lado de Pedro, e os outros dois, na porta da cela. “Mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele” [At 12.5]. Como essas palavras trazem emoção ao crente! Os cristãos, quando Satanás faz o seu pior, podem se voltar a Deus em oração com a certeza de que Ele responderá.”

 

EU ENSINEI QUE

A oração é uma das armas espirituais importante, poderosa em Deus, para destruição das fortalezas do inimigo.

Subsídio do Professor

Jesus promete o Seu Espírito aos Seus discípulos [Lc 24:49]. No entanto, é interessante notar que existem dois relatos que, aparentemente, apresentam a doação do Espírito: João 20.22 e Atos 2.1-13. Segundo Goppelt, “a promessa do Espírito como na despedida do Cristo ressurreto através do seu sopro representa uma ação simbólica em que seus discípulos posteriormente receberão em Atos 2.4”. Por isso, a partir da descida do Espírito inicia a caminhada da Igreja.

 

2. O que Acontece quando a Igreja Ora?

Sem sombra de dúvidas, algo poderoso e maravilhoso acontece quando a Igreja ora. O capítulo 12 de Atos nos ensina lições preciosas acerca da relevância da oração coletiva.

 

2.1. Novos desafios.

O rei Herodes começou a perseguir os cristãos com prisões e maus-tratos. Vendo que sua atitude ganhava apoio dos judeus, ele intensificou sua maldade e matou Tiago ao fio da espada. Seu próximo alvo era Pedro. Enquanto Pedro estava no cárcere, a Igreja orou incessantemente a Deus por ele [At 12.5]. A prisão de Pedro foi uma oportunidade de a Igreja unir-se em oração. Muitas vezes não entendemos os propósitos de Deus nos momentos difíceis que vivenciamos, mas precisamos compreender que todas as coisas cooperam para o nosso bem.

 

Subsídio do Professor

O texto bíblico de Atos 2 nos mostra o resultado da oração na Igreja Primitiva. Comentário Bíblico Beacon: “Os resultados foram espantosos. Quase três mil almas (pessoas) somaram-se ao relativamente pequeno grupo de crentes que tinham sido cheios com o Espírito naquele mesmo dia. Era uma tremenda demonstração do poder do Espírito Santo. Estes novos convertidos perseveravam na doutrina (melhor “ensino”, didache) dos apóstolos, e na comunhão (koinonia). Isto é, havia uma unidade de fé e de espírito. O partir do pão provavelmente se refere a uma celebração frequente da Ceia do Senhor. As orações aconteciam tanto nas casas particulares quanto no Templo [cf. v. 46].”

 

2.2. Paz e descanso.

Como alguém que está prestes a morrer pode dormir sossegado? O que deu a Pedro tanta confiança e paz? Em primeiro lugar, havia muitos cristãos orando intercedendo por sua vida [At 12.12]. Em segundo lugar, o motivo dessa paz que Pedro sentia era a certeza de que Herodes não poderia matá-lo. Jesus lhe havia dito que viveria até uma idade avançada. Ele simplesmente se apropriou dessa promessa e descansou no Senhor. Ele não sabia quando ou de que maneira o livramento viria, mas descansava porque estava sob uma promessa [Jo 21.18-19].

 

Subsídio do Professor

Simon Kistemaker (Comentário do Novo Testamento – Atos Volume 1 – Editora Cultura Cristã) comenta sobre Atos 12.6: “Lucas não coloca a ênfase sobre Herodes Agripa, nem sobre os soldados, mas em Pedro. Ele retrata o prisioneiro dormindo profundamente entre dois guardas e pinta um quadro de completa confiança e fé em Deus: na véspera de seu julgamento e morte. Pedro dorme. O texto correlato do Antigo Testamento está registrado num dos salmos de Davi. Quando fugia de seu filho Absalão – Sl 3.5.”

 

2.3. O agir de Deus é libertador.

Pedro recebeu a visita de um anjo e coisas sobrenaturais começaram a acontecer diante de seus olhos. Ele viveu uma nova experiência e pensou que se tratava de uma visão [At 12.9]. O anjo trouxe luz e liberdade à cela da prisão [At 12.7]. Pedro estava algemado, preso entre dois soldados, mas o anjo lhe despertou, ordenou que se levantasse e logo as cadeias caíram de suas mãos automaticamente. Livre das algemas, ele vestiu-se e calçou-se para depois seguir os passos do anjo. Pedro passou por várias etapas até a libertação se dar por completo. Mas tudo começou com um toque especial em sua vida. Pedro teve de se levantar antes de caminhar. Para desfrutar do livramento foi necessário Pedro seguir as orientações do mensageiro do Senhor.

 

Subsídio do Professor

Comentário Bíblico Wiersbe: “Não devemos nunca subestimar o poder de uma igreja que ora. Os crentes oraram de forma incessante [At 12.5], decisiva e corajosa. Deus honrou as orações deles e trouxe glória para si mesmo, apesar da descrença deles quando Pedro apareceu. Rode, a serva, respondeu pela fé quando ouviu baterem à porta, pois, pelo que ela sabia, podia ser um esquadrão de soldados de Herodes que viera prendê-los!”

EU ENSINEI QUE

O capítulo 12 de Atos nos ensina lições preciosas acerca da relevância da oração coletiva.

 

3. Os Resultados de uma Vida de Oração

A oração é imprescindível para a nossa vida espiritual. O chamado de Deus para que tenhamos uma vida de oração permanece de pé [2Cr 7.14; Jr 29.13-14; Lc 18.1].

 

3.1. Maior comunhão com Deus.

O apóstolo Pedro nada poderia fazer para se livrar daquela prisão. A única arma que a igreja possuía era a oração. Não há dúvidas de que a oração proporciona maior comunhão com Deus. Através da oração, somos fortalecidos em Deus e renovados. A oração ajuda a nos aproximarmos de Deus [Tg 4.8]. A Palavra de Deus nos garante que Deus não rejeita um coração quebrantado e contrito [Sl 51.17].


Subsídio do Professor

Comentando sobre Tiago 5.17, Hernandes Dias Lopes afirma: “Não podemos separar a Palavra de Deus da oração. Em Sua Palavra Deus nos dá as promessas pelas quais devemos orar. Elias orou com persistência. Muitas vezes, nós fracassamos na oração porque desistimos muito cedo, no limiar da bênção. Elias orou com intensidade. A palavra “instância” [Tg 5.17] significa que Elias orou de coração. Ele pôs o seu coração na oração. Devemos orar pela nação hoje, para que Deus traga convicção de pecado sobre o povo e um reavivamento para a Igreja.”

 

3.2. Direção do Espírito Santo.

Um dos resultados de uma constante vida de oração é a direção segura do Espírito Santo de Deus. É Ele quem guia as nossas vidas. É Ele quem ilumina, pela Palavra de Deus, os nossos passos [Sl 119.105]. Desde os primórdios, é o Espírito Santo quem orienta a Igreja de Cristo [At 13.1-4]. Como verdadeiros discípulos de Cristo, precisamos ter em mente que, ao orarmos, estaremos mais sensíveis à direção do Espírito Santo, pois isto nos traz segurança, esperança e consolo em todos os momentos.

 

Subsídio do Professor

Comentário Bíblico Beacon: “Pedro recebeu a ordem de vestir-se imediatamente e atar as suas sandálias [At 12.8]. Deus não faz por nós o que podemos fazer por nós mesmos. Em seguida, o anjo disse ao prisioneiro libertado para colocar nas costas a sua capa (manto exterior) e segui-lo. Pedro obedeceu, ainda confuso. Ele pensou que estivesse tendo uma visão [At 12.9]. Não parecia ser possível que isto pudesse ser verdade.”

 

3.3. Novas experiências com Deus.

Poucos homens passaram pelas experiências vividas pelo apóstolo Pedro. Ele andou sobre as águas; curou paralíticos; ressuscitou Dorcas, teve a visão da revelação da salvação dos gentios, e mesmo assim, quando o anjo lhe aparece na prisão, ele não conseguiu discernir se aquilo era real ou um sonho [Mt 14.29; At 3.6-8; 9.32-42; 10.10-16; 12.9]. Mesmo com tanta experiência, esse texto nos ensina que a cada dia novas experiências decorrentes de uma vida de oração podem nos surpreender.

 

Subsídio do Professor

Hernandes Dias Lopes: “Os crentes, embora sujeitos a fraquezas, podem ter vitória na oração. Elias era homem sujeito às mesmas fraquezas (teve medo, fugiu, sentiu depressão, pediu para morrer), mas era justo e a oração do justo pode muito em sua eficácia. O poder da oração é o maior poder no mundo. A história mostra o progresso da humanidade: poder do braço, poder do cavalo, poder da dinamite, poder da bomba atômica. Mas o maior poder é o poder de Deus que se manifesta através da oração dos justos.”

 

EU ENSINEI QUE

A oração é imprescindível para a nossa vida espiritual. O chamado de Deus para que tenhamos uma vida de oração permanece de pé.

CONCLUSÃO

Os discípulos nunca pediram para que Jesus os ensinasse a expulsar demônios, a fazer milagres, ou andar sobre as águas. Mas pediram a Jesus que os ensinasse a orar [Lc 11.1]. Eles certamente entenderam a importância de uma vida de oração.

Revista BETEL | 3° Trimestre De 2021 | Reverberação: Subsídios Dominical