FECHAR <----

Subsídio bíblico para a Lição dos Adultos (CPAD). Lição: 1 | 1° Trimestre de 2020 | Peça a Continuação deste Subsídio - Acesse Aqui!

Texto Áureo
Leitura Bíblica Indicada
A vós graça e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e da do Senhor Jesus Cristo (Ef 1.2).

Ef 1.1,2; At 19.1-7

Esta carta (aos Efésios) resume as boas-novas da graça de Deus, em Jesus Cristo, enfatizando que ela é para os gentios, tanto quanto para os judeus (Ef 1-3). A seguir, ela apresenta instruções específicas sobre como os crentes fiéis devem viver (Ef 4-6).

A MENSAGEM DA CARTA

1. Louvor pela Graça de Deus.

Talvez mais do que qualquer outro livro do Novo Testamento, a carta aos Efésios está repleta de gratidão pela graça salvadora que Deus exibiu aos que creem em Jesus Cristo. Somente pela graça de Deus, os cristãos são escolhidos, perdoados, chamados à sua família, feitos seus filhos; eles recebem as suas bênçãos eternas e o dom do seu Espírito Santo para marcá-los como pertencentes a Ele para sempre (Ef 1.3-14). A salvação nunca pode ser considerada como algo que é conquistado; ela é um presente (Ef 2.8-9). Como resultado, os cristãos sabem que devem louvar a Deus para sempre, pela sua maravilhosa graça (Ef 1.6,12,14). Eles não podem deixar de fazer isso, pois devem tudo a Ele.

2. A Natureza Condenada dos Seres Humanos.


A percepção da graça que permeia os três primeiros capítulos de Efésios é ainda maior pela ênfase contrastante de Paulo no pecado e no juízo de Deus por ele. O que é verdade a respeito dos seus leitores, é verdade a respeito de todos, uma vez que, por natureza, todos estão sob o juízo de Deus (veja Ef 2.1-3,12, uma das passagens mais fortes no Novo Testamento sobre como os seres humanos perdidos estão separados de Cristo).

Cada ser humano é culpado e condenado perante o juízo eterno de Deus, que não pode tolerar o pecado. Este conceito parece perturbadoramente rude e rígido para a mentalidade moderna; por trás dele, há uma visão do pecado humano e da total santidade de Deus, muito mais forte do que os ocidentais de hoje estão acostumados. Uma vez que, separados de Cristo, os seres humanos são, por natureza, impulsionados pelo pecado e sujeitos ao diabo, a evangelização é uma questão urgente no Novo Testamento (veja Mc 16.15-16; cp. Rm 9.1-3; 10.1).

3. A Unidade da Igreja.

Com sua ênfase no espantoso plano de Deus de incluir os gentios na sua família (veja Ef 2.11–3.6), Efésios nos lembra que as distinções étnicas não significam nada para Deus, e não deveriam significar nada para o povo de Deus (Gl 3.28). Como Deus uniu pessoas de todas as origens étnicas em sua igreja (veja Ef 2.14-17; 3.6), os cristãos devem responder acolhendo uns aos outros, em humildade, graça e amor, sem considerar as diferenças étnicas (veja Ef 4.1-6; Rm 15.5-7). Na igreja, a identidade de uma pessoa é definida apenas pela fé dessa pessoa em Cristo.

Usando linguagem elevada e figuras notáveis, o apóstolo diz que a Igreja completa Cristo, o qual completa todas as coisas do Universo inteiro (1.23). É por meio da Igreja que a humanidade e os poderes celestiais conhecem o plano secreto de Deus (3.10). Cristo, que tem autoridade sobre todas as coisas, foi dado por Deus à Igreja (1.22); e é por meio dela e por meio de Cristo Jesus que glória é dada a Deus (3.21).

Paulo usa três figuras para falar sobre a Igreja:


2.1.1. A Igreja é o corpo de Cristo (1.23; 2.16; 4.4,12; 5.23). Cristo é a cabeça do corpo; ele cuida do corpo (5.29-30) e faz com que o corpo cresça e se desenvolva (4.15-16).
Assim como a Igreja não existe sem Cristo, Cristo não existe sem a Igreja.

2.1.2. A Igreja é um edifício, o Templo de Deus, do qual Cristo é a pedra fundamental.
Ele mantém o edifício bem firme e faz com que cresça como um templo dedicado ao Senhor (2.20-21).
2.1.3. A Igreja é a esposa de Cristo.
Cristo tem autoridade sobre a Igreja; ele é o Salvador dela, ele ama a Igreja, deu a sua vida por ela e cuida dela (5.23-32).

4. Viver como Cristo.

Em Ef 4–6 (e Cl 3–4), Paulo nos fornece um belo retrato da vida cristã, como deveria ser vivida. Os fiéis devem se afastar da escuridão de suas vidas anteriores, e, cheios com o Espírito Santo, viver como novas pessoas da luz, buscando somente a “bondade, honestidade e verdade”. Eles devem expressar atitudes gentis, integridade, respeito, bondade e amor pelos outros.

Com relação a Deus, suas vidas devem ser cheias de pureza, louvor e ação de graças (veja Ef 4.17–5.20). Os cristãos devem se tornar como Cristo e refleti-lo em tudo o que disserem e fizerem (veja Ef 4.13,15; Rm 8.29). Em Cristo, eles foram criados para ser como Deus (veja Ef 4.24; 5.1-2).

5. Respeito e Amor no Lar.

Em Ef 5.21–6.9 (e Cl 3.18–4.1), Paulo enfatiza a importância de mostrar respeito e amor àqueles com quem você vive. Por um lado, as esposas têm que respeitar seus esposos, os filhos têm que honrar seus pais, e os servos têm que obedecer a seus senhores. Por outro lado, os esposos devem amar suas esposas, os pais devem disciplinar seus filhos gentilmente, e os senhores devem ser misericordiosos com seus servos. Os relacionamentos culturais tradicionais são mantidos e honrados, ao passo que as atitudes dos cristãos devem ser semelhantes às de Cristo.

6. Guerra Espiritual.

Ef 6.10-20 apresenta a narrativa do Novo Testamento sobre como os cristãos devem se proteger, em sua guerra contra o diabo. Nessa batalha espiritual, os cristãos não podem confiar em seus próprios recursos, mas devem usar as armas que o Senhor lhes dá. Significativamente, todas as armas descritas – exceto a espada – são armas defensivas. Aqui não há um retrato de cristãos atacando o diabo. Embora a oposição do diabo deva ser levada a sério, a visão que Paulo tem da vida cristã não se centra na batalha espiritual em um sentido agressivo ou ofensivo.

7. Características Especiais.

Há quatro características que predominam nesta epístola.
(1) A revelação da grande verdade teológica dos capítulos 1 - 3 é interrompida por duas grandiosas orações apostólicas. Na primeira, o apóstolo pede para os crentes sabedoria e revelação no conhecimento de Deus (1.15-23); na segunda, roga que possam conhecer o amor, o poder e a glória de Deus (3.14-21).

(2) “Em Cristo”, uma expressão paulina de peso (106 vezes nas epístolas de Paulo), sobressai grandemente em Efésios (cerca de 36 vezes). “Toda bênção espiritual” e todo assunto prático da vida relaciona-se com o estar “em Cristo”.

(3) Efésios salienta o propósito e alvo eterno de Deus para a igreja.

(4) Há um realce multifacetado do papel do Espírito Santo na vida cristã (1.13,14,17; 2.18; 3.5,16,20; 4.3,4,30; 5.18; 6.17,18).
👉ATENÇÃO!
Peça a Continuação deste Subsídio Clique Aqui!

Estudo Publicado em Subsídios EBD – Site de Auxílios Bíblicos e Teológicos para Professores e Alunos da Escola Dominical.

 
Top