FECHAR <-----

A influência do meio na formação do caráter

Parte 1. Veja Aqui a parte 2 deste estudo.
Caráter é a índole que o homem adquire através do meio em que nasce e vive (meio familiar, social, religioso e escolar). Meio em que, num relacionamento favorável ou desfavorável, pode influenciar consideravelmente sua formação e determiná-lo). O caráter constitui o testemunho visível da estrutura de base da personalidade. O verdadeiro sinal exterior de riqueza ou pobreza estrutural.

1. O homem é influenciado pelo meio
Podemos observar essa influência desde a tentação e queda do homem no Jardim do Éden, quando a serpente (o Diabo) que estava no Jardim, com sua astúcia, enganou Eva e, consequentemente Adão, a fim de que desobedecessem a Deus e comessem do fruto da árvore proibida. "Disse a serpente: Deus sabe que no dia em que comerdes do fruto proibido se abrirão os vossos olhos e sereis como Ele, sabendo o bem e o mal. E ouviram a voz do Senhor Deus que passeava no Jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus", Gn 3.5 e 8.
Veja também:
·          A importância da Psicologia
·          Conhecendo nossa Personalidade

Antes do pecado, o homem, imagem e semelhança de Deus, tinha um caráter irrepreensível. Após o pecado de desobediência seu caráter ficou deformado. Daí, então, a imaginação do seu coração ficou má desde a sua meninice (Gn 8.21). Essa natureza adâmica tendente para iniquidade, vulnerável ao caráter repreensível, deixa o homem dependente da remissão dos pecados em Cristo Jesus nosso Senhor. É na conscientização de pecador e da necessidade de um Salvador, crendo em Jesus Cristo que o homem tem esta grande oportunidade de possuir seu caráter transformado pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo (Tt 3.5), pois é Ele que tem o poder de convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8).

2. Influência do meio familiar no caráter da criança

Deus tem se interessado desde o início da criação da família por sua preservação a fim de que o caráter do homem seja restaurado por sua Palavra. E, para ser mantida essa preservação, o Senhor encarregou os pais de ensinar suas crianças. Foi a partir do nascimento de uma criança chamada Enos que a família começou a invocar o nome do Senhor (Gn 4.26).

Numa forma de gratidão e obediência o patriarca Abraão era conhecido de Deus como preservador do caminho do Senhor à sua família (Gn 18.19). Neste relacionamento com Deus, nessa ligação, passou-se a crer que dependeriam do Senhor e que esses filhos seriam ensinados a servir, adorar, amar e obedecer ao nosso Senhor.

O Senhor se interessa pelos filhos para que sua Palavra não fique encoberta a eles e que a soberania de Deus e suas bênçãos sirvam-lhes de testemunho. "Não os encobriremos aos seus filhos, mostrando à geração futura os louvores do Senhor assim como sua força e as maravilhas que fez", SI 78.4.
O ensino da Palavra de Deus aos filhos desde sua idade mais tenra é a melhor forma para formação e preservação do caráter em Cristo Jesus nosso Senhor.

O caráter destrutivo iniciou-se através do pecado de desobediência. Entretanto, quando o homem começa a invocar o nome do Senhor e a adorá-lo, é a obediência que deverá ser estabelecida e, para que isso ocorra, é organizada a essência do caráter: o amor.

Disciplinar o filho implica em amá-lo. Os pais têm a responsabilidade vital de disciplinar seus filhos contribuindo assim para que eles cresçam em harmonia com a vontade de Deus e respeito para com os homens. O programa da disciplina na vida da criança é fundamental para a formação do caráter e deve começar antes de completar um ano. Disciplinar significa literalmente "tornar discípulo". Deste modo toda autêntica autoridade para disciplinar os filhos procede de Deus, sim, Ele próprio, disciplina seus filhos.

"E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos: "Filho meu não desprezes a correção do Senhor e não desmaies quando por ele fores repreendido", Hb 12.5.

Os pais devem castigar com amor e com propósito. O Senhor corrige por amor e com amor. "E, na verdade, toda correção, ao presente, não parecer ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela", Hb 12.11. Disciplinar os filhos não é puni-los impiedosamente, é corrigi-los. Ao praticar a correção os pais deverão usar de bom senso, ser moderados, disciplinando por amor e com amor e não com ira.


CURSOS BÍBLICOS PARA VOCÊ:


1) CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA Clique Aqui
2) CURSO MÉDIO EM TEOLOGIAClique Aqui
3) Curso de Secretariado para Igrejas Clique Aqui
4) Formação de Professores da Escola Dominical Clique Aqui
7) CURSO OBREIRO APROVADO - Clique Aqui
Matricule-se já ! 

Desde cedo a criança mostra atitudes rebeldes, isto prova a capacidade inata que ela possui em desobedecer, argumentar, discutir, chorar de raiva, bater o pé. Tudo para alcançar objetivos egoístas. Aqui entra a disciplina como elemento formador de bons hábitos, através, de "castigos administrativos" com sabedoria pelos pais (Pv 22.15; 19.18; 29.15 e Ef 6.4).

A punição deverá ser aplicada no momento certo em que foi praticada a desobediência. Não é recomendável fustigar a criança em presença de colegas ou visitas.
Se o Espírito Santo está no comando de sua família, você será orientado sobre como aplicar a disciplina. À medida que os pais estão aplicando a disciplina, estão construindo o caráter deles, tornando-os semelhantes a Cristo.

O exercício e o privilégio de poder disciplinar o filho é ser participante como cooperadores do Reino de Deus, coerdeiros da graça da vida. E, à medida que desenvolvem esta valiosa tarefa, terão também oportunidade de trabalhar os seus próprios sentimentos. Entretanto se não souberem, nem houver interesse para disciplinarem seus filhos; como implantarão neles o caráter que precisam?

Disciplinar o filho é investir em Deus. "Ensina a criança no caminho em que deve andar e ainda quando envelhecer não se desviará dele", Pv 22.6. Em contratempo, se usarem a vara desordenadamente, irão provocar à ira vossos filhos e o caráter será prejudicado (Ef 61.4).

Podemos observar que muitas vezes a criança ou o adolescente problema, trazido ao consultório psicológico é resultado da ausência dos pais e da falta de companheirismo. Pais ocupados que não têm tempo para os filhos e que, muitas vezes, são colocadas nas mãos de pessoas despreparadas, que deturpam a mente das crianças, ou as entregam nas mãos da "senhora mestra televisão", que com seu poder persuasivo pode controlar os sentimentos da criança, deixando-a à mercê de medos, fantasias, banalização do sexo, violência etc.

A índole dessas crianças, prejudicada, poderá desestruturar seu ego e desorganizar seu caráter.

Edifique um altar em sua casa, em seu apartamento, em seu casebre. Estabeleça nele um conserto com o Senhor para que sua família possa ter alimento espiritual constante e nunca venha desfalecer na caminhada para Canaã celestial! E, nessa adoração ao Senhor, possa louvar com seus lábios, com seu coração, com sua alma, com seu corpo. Que possam bendizer ao Senhor constantemente. "Bendize o minha alma ao Senhor, e tudo que há em mim bendiga o seu Santo Nome", SI 103.1. E que Cristo seja o interesse constante para perfeição de um caráter santo. Dê ênfase ao culto doméstico com sua família.

Não podemos passar muito tempo sem nos alimentar, porque logo nossas forças se acabarão. Nossas forças espirituais precisam ser renovadas pelo Espírito Santo no culto doméstico, com nossa família.

Onde está o interesse do primeiro lugar para o Senhor? Atualmente o homem tem pensado em produzir mais no trabalho material para ganhar mais e poder dar o melhor para sua família. Em acordar muito cedo para trabalhar, em vestir o melhor, atualizar-se em cursos etc.

E a formação do caráter cristão de seus filhos? Pais modernos vivem na correria da vida, para lá e para cá. Pouco tempo lhes sobra. "Mas buscai primeiro o reino de Deus e sua justiça e todas as coisas vos serão acrescentadas", Mt 6.33. O Senhor prometeu que estaria presente conosco todos os dias. O culto nos une em Cristo Jesus. Ele se encarregará de providenciar o futuro de cada um de nossos familiares dentro da sua vontade.

No culto doméstico, as arestas das indiferenças serão aplainadas, outros familiares poderão ser alcançados pelo Evangelho, Jesus poderá curar alguém enfermo, bem como batizar no Espírito Santo e muitos problemas poderão ser solucionados. "Habite ricamente em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente, em toda sabedoria, louvando a Deus, com salmos e hinos e cânticos espirituais, com gratidão em vossos corações", Cl 3.16.

Texto: Ediva Maria Daniel | Divulgação: Subsídios EBD
Auxílios para a Escola Dominical
Receba Lições, Artigos, Vídeos e Subsídios! É Grátis. Digite seu E-mail e em seguida abra o seu e-mail e clique em nosso link de confirmação: