FECHAR <----

Subsídio bíblico para a Escola Dominical - classe dos Adultos. Subsídio para a Lição: 4 | Revista do 4° trimestre de 2019 | Fonte: E-book Subsídios EBD Vol. 18 | VEJA aqui OS NOVOS SUBSÍDIOS.

INTRODUÇÃO
A palavra degeneração significa Perda ou destruição das características originais, alteração para o pior e ação de decair. Em nosso estudo de hoje trataremos da degeneração da família de Eli (1 Sm 2.22-25; 3.10-14).

 QUEM ERA ELI?
Eli era descendente de Arão pela linhagem de Itamar, o quarto filho de Arão. Eli foi sumo sacerdote e juiz de Israel por 40 anos (1 Sm 4.18). Não foi fácil exercer a liderança naquele período. Israel não tinha governo centralizado, e cada um fazia o que parecia reto aos seus olhos (Jz 21.25), inclusive os filhos de Eli — Hofni e Fineias.
 
1. Eli como pai.
Eli não era um pai muito piedoso nem um grande líder espiritual, e seus filhos desprezaram suas admoestações. É triste quando um pai - especialmente aquele que também é líder espiritual - perde a influência sobre a própria família, restando-lhe apenas esperar a vinda do julgamento de Deus. Hofni e Fineias não tinham respeito algum pelo Senhor nem pela posição do pai como sumo sacerdote, de modo que só restava a Deus julgá-los e colocar em seu lugar servos que fossem fiéis.

2. O tipo de pai que não disciplina os filhos.
Tolerar o pecado e não tratar dele com severidade é o mesmo que tomar parte dessa transgressão. Como sumo sacerdote, Eli possuía a autoridade de disciplinar os filhos, mas se recusou a fazê-lo. "Não te tornes cúmplice de pecados de outrem" (1 Tm 5.22). Se Eli fosse um homem de Deus, preocupado com a glória de Deus, teria censurado os filhos e os chamado ao arrependimento, e caso se recusassem a mudar seus caminhos, teria colocado outros sacerdotes no lugar deles. Eli opunha-se verbalmente aos filhos (1 Sm 2.23), aflito diante de tudo quanto eles faziam; mas mostrava-se fraco demais para agir. Eli tinha avisado aos seus filhos sobre o julgamento de Deus (1 Sm 2.25), entretanto, jamais os advertira severamente pelos seus pecados (1 Sm 3.13). Ao negligenciar sua obrigação como pai, Eli estava, na verdade, favorecendo seus filhos em detrimento de Deus.

3. Eli honra mais os filhos Levianos do que ao Senhor.
Através do profeta o Senhor perguntou a Eli: Por que honras teus filhos mais do que a minha pessoa, permitindo-os engordar como glutões com as melhores partes de todas as ofertas feitas por Israel, o meu povo? (JKA).

OS DOIS FILHOS DE ELI
 A primeira coisa a ser dita sobre os dois filhos de Eli — Hofni, cujo nome quer dizer “pugilista”, e Fineias, que quer dizer “negro” — é que os dois são descritos como filhos de Belial (1 Sm 2.12).

1. A Degeneração dos dois filhos de Eli.
Hofni e Fineias não conheciam ao Senhor pessoalmente; antes, eram "filhos de Belial (1 Sm 2.12)", expressão hebraica para descrever pessoas desprezíveis que praticavam abertamente o mal (Dt 13.13; Jz 19.22; 1 Sm 25.25; Pv 16.27).

Hofni e Fineias fizeram do tabernáculo um bordel! O lugar foi transformado em um antro de práticas imorais, no qual homens e mulheres se atarefavam, desavergonhadamente, em práticas imorais. O sacerdócio e o culto haviam caído em total desgraça.

a) Os filhos de Eli tratavam as coisas de Deus com leviandade (1 Sm 2.13- 17).
O que os filhos de Eli estavam fazendo de errado? Eles estavam apanhando partes dos sacrifícios antes que estes fossem oferecidos a Deus no altar. Eles também estavam comendo carne antes da gordura ser queimada. Estas práticas eram contrárias às leis de Deus (Lv 3.3-5). Com efeito, os filhos de Eli tratavam as ofertas de Deus com desprezo. As ofertas eram feitas para mostrar honra e respeito a Deus, buscando o perdão dos pecados. Porém, através de sua irreverência, os filhos de Eli estavam pecando ao fazê-las.

Os filhos de Eli desonravam a Deus no cumprimento de suas obrigações sacerdotais com a irreverência e o desrespeito.

Assim como os filhos de Eli, existem alguns líderes religiosos que olham para a fé das pessoas comuns com desdém e tratam suas ofertas a Deus de forma casual ou até mesmo com desprezo. Deus julga com severidade aqueles que conduzem seu povo ao engano ou que desprezam aquilo que é dedicado a Ele (Nm 18.32).

b) Os filhos de Eli não respeitavam as mulheres.

Podemos estar seguros de que a maioria das mulheres com quem Hofni e Fineias praticavam sexo não eram seduzidas e, sim, forçadas. Eles não apenas desrespeitavam os sacrifícios no altar, como também não tinham consideração alguma pelas mulheres que serviam à porta do tabernáculo (1 Sm 2.22; Êx 38.8). Em vez de promover o crescimento espiritual dessas mulheres, os dois irmãos tinham relações promíscuas com aquelas mulheres.

Não sabemos detalhes sobre essas mulheres, mas é possível que ajudassem a cuidar das crianças pequenas que vinham com os adultos adorar no templo ou, talvez, que estivessem a simplesmente para ficar próximas à presença do Senhor.

c) As práticas pecaminosas dos filhos de Eli em relação ao Povo.

Hofni e Fineias não somente pecavam, mas também levavam o povo de Deus a pecar. Por isso o pecado deles era tão grande. Ensinou Jesus: “Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar os homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus” (Mt 5.19).

Eles faziam outras pessoas pecar, devido ao seu mau exemplo e também a seus atos deliberados. “A imoralidade desavergonhada deles corrompia a vida religiosa interior do povo todo”.

AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO DOS FILHOS DE ELI (1 Sm 2.27-36)
A repreensão do Senhor a Eli foi tão severa quanto a brandura de sua repreensão aos filhos. Um homem de Deus, cujo nome não é citado, anunciou a extinção da casa [...] sacerdotal de Eli. No início de seu discurso, o profeta relembrou o chamado de Deus aos membros da família de Arão para serem seus sacerdotes e a provisão generosa de carne dos sacrifícios para seu sustento.

Em seguida, repreendeu Eli por permitir que o apetite de seus filhos tivesse precedência sobre o direito do Senhor (v. 29). A promessa divina anterior de perpetuidade do sacerdócio partia do pressuposto de que os sacerdotes seriam homens de caráter irrepreensível. Todavia, em razão da perversidade dos filhos de Eli e de sua casa, o Senhor não permitiria mais que servissem no sacerdócio.  Nenhum membro de sua família chegaria a uma idade avançada; o santuário em Siló entraria em declínio, e sua posteridade seria marcada por tristeza e vergonha. Além disso, Hofni e Fineias morreriam no mesmo dia, um sinal de que Deus executaria todos os juízos.

2. A sentença chegou para a casa de Eli.
A condenação da casa de Eli se cumpriu por meio dos seguintes acontecimentos:
·        Aimeleque e seus filhos (com exceção de Abiatar) foram assassinados por Saul (v. 31; 22.16-20).
·        Abiatar foi expulso do sacerdócio no reinado de Salomão (v. 32-33; 1 Rs 2.27). Para o cumprimento desta profecia veja 1 Rs 2.26-27. Este é o trecho em que Salomão retirou Abiatar de sua posição, colocando um ponto final à linhagem sacerdotal de Eli. Então Deus levantou Zadoque, um sacerdote sob Davi e, em seguida, um sumo sacerdote sob Salomão. E provável que a linhagem de Zadoque ainda tenha estado em vigor até o final dos dias de Esdras.
·        Hofni e Fineias morreram no mesmo dia (v. 34; 4.11). Esse Fineias foi morto, juntamente com seu irmão, pelos filisteus, quando estes capturaram a arca da aliança. (1 Sm 4.4,11,17,18).

Eli foi um fracasso total na liderança espiritual da sua família e, por conseguinte, de Israel.

a) Como pai, não instruiu seus filhos no caminho da justiça. Quando estes seduziam as mulheres que serviam à porta do Tabernáculo (1 Sm 2. 22), Eli não exercitou sua vontade, nem sua autoridade espiritual para afastá-los do ministério (1 Sm 3.13; Dt 21.18-21).

b) O fracasso de Eli, como pai e ministro do Senhor, resultou no seguinte:

O castigo divino sobre Eli, sobre seus filhos e sua família (1 Sm 2. 30-36; 4.17,18);
Relaxamento no respeito ao ministério (1 Sm 2. 17);
Relaxamento espiritual do povo de Deus (1 Sm 2. 22-24) e
O afastamento da glória de Deus, de Israel (1 Sm 4.21).

c) A Bíblia destaca a necessidade da santidade e do temor a Deus, como seu padrão para quem lida com o seu povo (1 Tm 3.1-10).

Qualquer pecado é errado, mas o pecado realizado de forma deliberada e enganosa é o pior tipo. Quando pecamos por ignorância, merecemos punição. Mas se pecamos intencionalmente, as consequências serão mais graves. Não ignore as advertências de Deus sobre o pecado. Abandone o pecado antes que ele se torne um modo de vida”.
Para continuar a leitura, Acesse Aqui

Auxílios complementares

1) VÍDEO AULA 4:

2) ÁUDIO LIÇÃO 4:
 
Top