FECHAR <-----

Lição 1: Batalha Espiritual – A realidade não Pode Ser Subestimada (Subsídio)


Seja bem-vindo (a) ao subsídio bíblico para a classe de Adultos.
Lição: 1
Revista do 1° trimestre de 2019 – CPAD
Veja a continuação deste estudo em Nosso Subsídios EBD. Vol. 15 – Clique Aqui. 
INTRODUÇÃO
A presença e a influência do mal na vida da humanidade, desafiando o equilíbrio da criação, é suficiente para entendermos a sua realidade: estamos numa batalha espiritual. Estamos num campo de batalha espiritual contra as forças satânicas e precisamos de estratégia e adestramento para entrar em combate.

Os desafios das forças invisíveis dos espíritos imundos são imensos contra a humanidade e principalmente contra a Igreja de Jesus Cristo.

I – BATALHA ESPIRITUAL

1. O conceito de Batalha Espiritual
a) A batalha espiritual não é uma batalha natural entre a carne e o sangue. Não é uma batalha do homem contra o homem. Não é uma batalha visível. É um conflito invisível no mundo espiritual (Ef 6.12).

Uma vez que estamos lutando contra um adversário que não podemos ver, devemos confiar no Deus da Bíblia - não na nossa própria espiritualidade, sagacidade ou nossas estratégias de guerra - para alcançar a vitória (2 Co 5.7). Devemos manter nossa mente voltada para as coisas de Deus em vez de especular sobre o próximo movimento do diabo (Fp 4.8).

A guerra espiritual é “multidimensional”, o qual significa que é travada em diferentes dimensões. Vejamos.
1. Uma batalha social entre o crente e o mundo: João 15.18-27
2. Uma batalha pessoal entre a carne e o espírito: Gálatas 5.16-26
3. Uma batalha sobrenatural entre o crente e os poderes sobrenaturais malignos (Efésios 6.10-27).

b) Às vezes batalha espiritual é definida como o confronto invisível entre as forças der Deus e as forças do diabo, o reino de Deus versus o reino das trevas. Às vezes essa batalha provoca circunstâncias que podem ferir pessoas físicas, mental, emocional ou espiritualmente. No Novo Testamento, as forças das trevas sabiam que Paulo era servo de Deus e o atacaram (At 19.15; 2 Co 11.23-12.1-9). [1]

c) A batalha espiritual consiste na oposição dos cristãos às forças malignas pela pregação do evangelho, pela oração e pelo poder da Palavra de Deus. Essa peleja vai continuar até a vinda de Jesus.[2]

 
2. Crentes e não Crentes estão envolvidos na Batalha Espiritual
Toda pessoa viva está comprometida nesta guerra, quer se dê conta ou não. Não há campo neutro. Os nãos crentes estão sob o jugo do mal e têm sido levados pelas forças do inimigo. São vítimas da guerra. As hostes infernais dominam com muita facilidade as pessoas que não conhecem o evangelho. Nenhuma força humana é capaz de vencê-los. Jesus disse: “porque sem mim nada podereis fazer” (Jo 15.5).

Os crentes têm sido livrados do inimigo mediante Jesus Cristo e são vitoriosos, porém estão ainda comprometidos na guerra.

Nós (todos os crentes) combatemos contra as forças espirituais malignas. “Combater” implica contato pessoal próximo. Ninguém está isento desta batalha. Ninguém pode vê-a a distância. Você está no meio do conflito quer você reconheça ou não.

Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Efésios 6.12).

3. O Mundo Espiritual é real
De acordo com Efésios 6.10-17, existe um mundo espiritual e invisível habitado por seres malignos que conspiram contra Deus e contra os seres humanos. Paulo fala sobre a existência de um mundo espiritual da maldade sob o domínio do príncipe das trevas (Ef 2.2; 6.10-12).

O ensino apostólico nos exorta a combater essas forças demoníacas pelo poder que o Senhor Jesus conferiu aos crentes (Mc 16.17, 18; Lc 10.17-19) com oração e uma vida de santidade. Esse conjunto de fatores é chamado de batalha espiritual. Trata-se de uma realidade bíblica e manifestada na vida da Igreja ao longo dos séculos.

II – LIDANDO COM A BATALHA ESPIRITUAL
Quando uma pessoa nasce de novo, entra no reino do sobrenatural e espiritual e deve começar sua nova vida com o estudo da Bíblia. Assim, conhecerá seus ensinamentos e saberá como andar e como lidar com a batalha espiritual. Se ela não ficar vigilante e não combater os poderes satânicos será passível de ser derrotada pelos demônios.


Por outro lado, não haverá nada a temer se tiver uma vida cristã consciente da necessidade de leitura bíblica e oração diárias, e viver no Espírito de acordo com a luz recebida pela Palavra de Deus (Cl 2.6-8; G1 5.16-26; Rm 8.1-13; 1 Jo 1.7). Ela deve acordar toda manhã e orar, crendo com fé que Deus a ajudará durante o dia, meditar sempre nas Escrituras e recusar tudo o que venha a ser contrário à vontade de Deus, segundo os ensinamentos bíblicos.

1. Responsabilidade do cristão diante da Batalha Espiritual
1.1 Tome cuidado para não negligenciar o que trará esclarecimento sobre a batalha espiritual (SI 1.2-4; 2 Tm 2.15; 3.15-17).

1.2 Não se torne uma presa fácil às críticas dos outros nem aos cuidados prementes da vida que o mantêm ocupado, impedindo-o de empenhar-se na batalha e obter êxito (Lc 21.34-36; Ef 6.10-18).

1.3 Não se esqueça de que bastam as armas espirituais para lhe dar vitória sobre o pecado e Satanás (2 Co 10.4-7; Ef 6.10-18).

1.4 Não negligencie a oração e a leitura da Bíblia (Ef 6.18; 1 Tm 4.12-16).

1.5 Não se desanime quando parecer que você está perdendo a guerra (1 Tm 6.12; 2Tm 4.7; 1 Pe 1.7; 4.12; Tg 1.12).

1.6 Fique alerta e resista a Satanás (Tg 4.7; 1 Pe 5.8,9).

1.7 Não deixe de usar a autoridade de Cristo por meio de seu precioso sangue, de seu nome e do poder do Espírito Santo contra os poderes demoníacos (At 1.8; Jo 14.12-15; Mc 16.15-20).

1.8 Não deixe de realizar a vontade plena de Deus, de forma racional, à medida que tomar conhecimento dela. Ande na luz da Palavra de Deus (1 Jo 1.7).

VEJA A CONTINUAÇÃO DESTE ESTUDO AQUI



[1] OROPEZA, B. J.  99 Perguntas sobre, Anjos, Demônios e Batalha Espiritual. Mundo Cristão, 2000
[2] SOARES, Esequias/ SOARES, Daniele. Batalha Espiritual. O povo de Deus e a Guerra Contra as Potestades do Mal. 1ª edição de 2018 – CPAD