Subsídios Bíblicos para a Escola Dominical 👇👇

O que a Maçonaria Pensa Sobre Jesus?

Jesus foi um homem justo. Ele foi um dos “exemplares”, um dos grandes homens do passado, mas não foi divino e, certamente, não foi o único meio de redenção para a humanidade perdida. Ele está no mesmo nível de outros grandes homens do passado como, por exemplo, Aristóteles, Platão, Pitágoras e Maomé. A sua vida e lenda não foram diferentes das de Krishna, o deus hindu. Ele é o “filho de José”, e não o Filho de Deus.

(1) “Tampouco pode ele [o maçom cristão] objetar se outros veem [em Jesus] somente o Logos de Platão e a Palavra ou o Pensamento Proferido ou a primeira Emanação de Luz, ou o Pensamento Perfeito da Grande e Silenciosa Divindade não criada, adorada por todos e em quem todos creem” (Albert Pike, Morais and Dogma, 26° Grau, pág. 524).

VEJA: Os Graus "Cristãos" da MaçonariaClique Aqui
(2) “E o Sábio Intelecto Divino enviou professores aos homens... Enoque, e Noé, e Abraão, e Yesus, o filho de José, o Senhor, o Messias, e os seus apóstolos, e, depois deles, Maomé, filho de Ab-dula, com sua lei, que é a lei do Islã, e os discípulos da verdade seguiram a lei do Islã” (Albert Pike, Morais and Dogma, 25° Grau, pág. 34).
(3) “Em suas solicitações privadas, um homem pode pedir a Deus ou a Jeová, a Alá ou a Buda, a Maomé ou a Jesus; pode invocar o Deus de Israel ou a Primeira Grande Causa. Na Loja Maçônica, ele ouve os pedidos feitos ao Grande Arquiteto do Universo, encontrando a sua própria divindade sob aquele nome. Cem caminhos podem circular ao redor de uma montanha: no topo, todos se encontram” (Carl H. Claudy, Introduction to Freemasonry, pág. 38).

(4) “Percebeu-se que cada ato no drama da vida de Jesus e cada qualidade atribuída a Cristo serão encontrados na vida de Krishna [deus-Sol da índia]” (J. D. Buck, Mystic Masonry, págs. 119, 138).

(5) “Reunimo-nos no dia de hoje para celebrar a morte [de Jesus], não por ser inspirado ou divino, pois não nos cabe decidir isso” (Ritual da Quinta-feira de Endoenças, Ordem da Rosa Cruz).

RESPOSTA APOLOGÉTICA

Jesus Cristo é divino, eterno e a Segunda Pessoa da Trindade. Quando viveu na terra como homem, o Filho Unigênito do Pai foi Deus encarnado, verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem.
Ele foi e é o único meio de redenção para a humanidade caída. Qualquer pessoa que nega ou rejeita a Ele ou à sua posição proeminente como único Redentor também nega e separa-o de Deus Pai.

(1) “No princípio, era o Verbo [Jesus], e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele, estava a vida e a vida era a luz dos homens”(Jo 1.1-4).
(2) “Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão existisse, eu sou” (Jo 8.58).

(3) “E, agora, glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha [eu, Jesus] contigo antes que o mundo existisse” (Jo 17.5).

(4) “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo 14.6).

(5) “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome [exceto Jesus] há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (At 4.12).

(6) “Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 Jo 5.12).

(7) “Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? E o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho. Qualquer que nega o Filho também não tem o Pai; e aquele que confessa o Filho tem também o Pai” (1 Jo 2.22,23).

(8) “Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem” (1 Tm 2.5).

(9) “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.30).

(10) “[...] Quem me vê a mim vê o Pai [...]” (Jo 14.9).

Fonte: 33 Graus de Decepção. A maçonaria Exposta em sua Essência. 1ª edição/2018 - Editora CPAD.