FECHAR <----


Obs. Este artigo é UMA PARTE do subsídio para a lição bíblica da classe de Adultos. Para a continuação teste subsídio Clique Aqui

Introdução
Veremos o conceito geral de Ética e abordaremos detalhes sobre a Ética Cristã e destacaremos alguns princípios éticos para os servos de Jesus.
I – O CONCEITO GERAL DE ÉTICA
O filósofo e educador Cortella (1954-) apresenta uma definição para ética que em muito se assemelha com os textos bíblicos:
Ética é o conjunto de valores e princípios que usamos para responder a três grandes questões da vida:
1. quero?
2. devo? e
3. posso?
Nem tudo que eu quero eu posso; nem tudo que eu posso eu devo; e nem tudo que eu devo eu quero. Você tem paz de espírito quando aquilo que você quer é ao mesmo tempo o que você pode e o que você deve. (CORTELLA, 2014)

1. Ética como parte da filosofia
O filósofo Sócrates (450 a.C.) é considerado o pai da ética como um sistema filosófico. As primeiras escolas éticas se originaram dos discípulos dele.

O termo ética vem do grego, ethos, que significa costume, disposição, hábito. No latim, mos (moris) = vontade, costume, uso, regra. A ética é a conduta ideal do indivíduo.

A Ética é um dos seis sistemas tradicionais da Filosofia.
1. Ética: a conduta ideal do indivíduo
2. Política: a conduta ideal do estado
3. Lógica: o raciocínio que guia o pensamento
4. Gnosiologia: a teoria do conhecimento
5. Estética: a teoria das belas-artes
6. Metafísica: teorias sobre a verdadeira natureza da existência.
Os seis sistemas acima mencionados foram sistematizados por três antigos pensadores: Sócrates, Platão e Aristóteles.
Clique e acesse
a) Política — Este vocábulo vem do grego polis e significa “cidade”. A política procura determinar a conduta ideal do Estado, pelo que seria uma ética social. Ela procura definir quais são o caráter, a natureza e os alvos do governo. Trata-se do estudo do governo ideal.
b) Lógica — É um sistema que aborda os princípios do raciocínio, suas capacidades, seus erros e suas maneiras exatas de expressão. Trata-se de uma ciência normativa, que investiga os princípios do raciocínio válido e das inferências corretas quer seja partindo da lógica dedutiva quer seja da indutiva.
c) Gnosiologia — É a disciplina que estuda o conhecimento em sua natureza, origem, limites, possibilidades, métodos, objetos e objetivos.
d) Estética — É empregada para designar a filosofia das belas-artes: a música, a escultura e a pintura. Esse sistema procura definir qual seja o propósito ou ideal orientador das artes, apresentando descrições da atividade que apontam para certos alvos.
e) Metafísica — Refere-se a considerações e especulações concernentes a entidades, agências e causas não materiais. Abordam assuntos como Deus, a alma, o livre arbítrio, o destino, a liberdade, a imortalidade, o problema do mal etc.
f) Ética — É a investigação no campo da conduta ideal, bem como sobre as regras e teorias que a governam. A ética, o homem distanciado de Deus por sua incredulidade e seus pecados, a estuda, entende e até se propõe a observá-la, mas não consegue, por estar subjugado pelo seu eu, pelos vícios, pelo mundo, pelo pecado (Rm 2.15-19). Já os servos de Deus, pelo Espírito Santo que neles habita, triunfam sobre o pecado (Rm 8.2).

DETALHES SOBRE ÉTICA

Definições
Costume, disposição, hábito. Conjunto de princípios e valores nos quais a sociedade se pauta.

Alvo
O alvo da ética é a conduta ideal do homem, baseada no desenvolvimento de sua virtude especial. Virtude = função dentro da sociedade, para o bem do indivíduo e da sociedade.

3 Tipos de Ética
1) Ética absoluta;
2) Ética relativa; e
3) Ética de valores



A Contradição
As abordagens éticas humanas são todas contraditórias. Como seus autores, humanos e falhos.
As abordagens éticas conflitam entre si, deixando um rastro de dúvida e confusão em sua aplicação. Por isso, devemos ficar com a Palavra de Deus que não confunde o crente.
 
2. A Ética Cristã

Definição
Ética Cristã é o conjunto de regras de conduta, para o cristão, tendo por fundamento a Palavra de Deus.


Objetivo
Indicar a conduta ideal para a retidão do comportamento cristão.


Fundamento
O fundamento moral da Ética Cristã são as Escrituras Sagradas.
Os princípios ético-cristãos que derivam das Escrituras são imutáveis e divinos.

Conceito Chave
“Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós...” (Mateus 7.12).
Referencial ético
O maior e melhor referencial ético que cristão tem é a Palavra de Deus. Para nós, crentes em Jesus, o certo e o errado devem ter como base a Bíblia Sagrada, a nossa “regra de fé e prática”.

II - TRÊS CATEGORIA GERAIS DE ÉTICA
Podemos dividir as teorias éticas em três categorias gerais: 1) ética absoluta; 2) ética relativa; e 3) ética de valores.

1. Ética Absoluta.
Esta teoria parte do pressuposto é que os princípios morais alicerçam-se sobre padrões imutáveis, que não se alteram em face de situações ou de indivíduos. Em outras palavras, o certo sempre será certo, por ser um princípio fixo.

A ética absoluta pode ser teísta. Isso significa que há um poder mais alto, e que é Deus quem estabelece as regras. Portanto, a ética torna-se parte do assunto geral da teologia. Esse aspecto da ética também pode ser racional.

2. A ética relativa.
A ética relativa, por sua vez, ocupa uma posição inteiramente contrária à da ética absoluta. Aquilo que é correto ou bom precisa ser comprovado como tal na experiência humana. Porém, a experiência humana pode mostrar que aquilo que é bom para uma pessoa pode não sê-lo para outra. Além disso, a experiência humana com frequência mostra que as normas éticas alteram-se com a passagem do tempo, de tal maneira que o que é bom hoje pode não ser bom amanhã.

A prova de que algo é bom precisa ser de natureza pragmática e empírica, e não de natureza racional e absoluta. A ética de situação é apenas outro nome para a ética relativa. Cada situação, que envolve pessoas e condições específicas, haverá de determinar o que é bom para aquela situação. Amanhã, porém, as pessoas e as condições poderão modificar-se, e as opiniões sobre o que é bom e o que é mau também terão de modificar-se. Cada indivíduo teria a sua própria ética. A ele cabe experimentar, ou seja, descobrir o que é melhor para ele. Mas, o que é melhor para ele, ele não deve impor a outros, que também estariam fazendo as suas próprias experiências. De acordo com essa norma, a ética torna-se subjetiva.

3. Ética de Valores.
Ela ocupa uma espécie de posição intermediária entre as duas ideias antes expostas. Existem certos valores constantes na vida, que precisam ser respeitados. Não podemos ficar mudando de um dia para outro, e de pessoa para pessoa, quanto a quais devem ser os princípios éticos que observamos. Antes, os valores são constantes. Não obstante, não são imutáveis. Os valores podem mudar e realmente mudam, embora as alterações ocorram lentamente, e não devido aos caprichos dos indivíduos. Por conseguinte, apesar da ética não envolver princípios absolutos, envolve princípios constantes.

4. Ética e Moral.
ÉTICA
MORAL
1. A ética trata a respeito das virtudes e dos valores que devemos cultivar ao longo da vida.
1. A moral trata-se das virtudes e valores propriamente ditos que constitui o espírito humano.
2. A ética diz respeito à consciência de obrigações morais.
2. A moral é o conjunto de regras e princípios instituídos na consciência da pessoa.
3. A ética nos conduz a caminhos que devemos percorrer para agirmos com correção nos problemas morais práticos.
3. A moral se manifesta na ação concreta de uma pessoa.


III - PRINCÍPIOS ÉTICOS DA BÍBLIA
 LEIA MAIS EM NOSSO E-book Subsídios EBDVol. 12 Acesse AQUI


IV - A ÉTICA CRISTÃ É PARA TODAS AS FAMÍLIAS
LEIA MAIS EM NOSSO E-book Subsídios EBDVol. 12 Acesse AQUI

 
Top