Featured

 


FECHAR<===


O versículo em apreço faz parte do contexto de Mt 19.16-22, que narra o encontro de um jovem rico que aproximou-se de Jesus, preocupado em saber sobre a garantia da vida eterna.

Jesus respondeu ao jovem que para alcançar a vida eterna ele teria que obedecer aos Dez Mandamentos de Deus. 

 
O jovem rico, por sua vez, respondeu que havia obedecido a todos os mandamentos. Todavia, Jesus observou que ainda restava alguma coisa para fazer, ou seja, ele deveria vender tudo o que tinha e distribuir o dinheiro aos pobres.   

Essa afirmação de Jesus foi suficiente para expor a fraqueza do jovem, unia vez , que o mesmo era rico demais.

O jovem, ouvindo esta palavra de Jesus, que a fim de atingir seu objetivo deveria vender suas propriedades e dar o dinheiro aos pobres, retirou-se triste.

A exigência de a pessoa livrar-se de todas as suas possessões não têm caráter universal, nem é condição essencial para a entrada no céu.

Jesus, excepcionalmente fez um teste de sua prontidão para colocar as prioridades de Deus em primeiro lugar, em sua própria vida.

Virando-se para seus discípulos, Jesus fez um resumo do incidente, asseverando que é difícil um rico entrar no reino dos céus. Na verdade, é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino dos céus.

Jesus estava lembrando que a dificuldade é ainda maior do que a de um camelo, o animal mais disforme e deselegante, experimentar tentar passar pelo olho de uma agulha.

O camelo no fundo da agulha

Essa expressão era uma hipérbole (figura de linguagem que consiste na expressão exagerada de uma ideia). Esse enunciado utilizado por Jesus era um provérbio que é encontrado no Talmude Babilônico (Beracot, folha 55.2). O provérbio original provavelmente dizia "elefante", em lugar de "camelo".

O camelo era o animal de maior porte na Palestina, e o fundo de uma agulha, o menor orifício de um objeto familiar.

A suposta referência a uma portinhola nas muralhas de Jerusalém, através da qual um camelo só podia entrar ajoelhando-se, não é muito provável, pois não existem provas de que um dia existiu ali uma porta chamada buraco de agulha.

Embora, em tempos modernos, nas cidades da Síria, as portinholas existentes em alguns muros sejam chamadas de olhos das agulhas, em contraste  com as portas maiores por ande passam as cargas, parece haver qualquer alusão a essas portinhas nas palavras de Jesus.

As pessoas de mentalidade materialista

A mensagem do texto é bem clara. As pessoas de mentalidade materialista que consomem a vida procurando bens materiais, só encontram satisfação nas riquezas ou na busca das mesmas. Somente em casos raríssimos é que chegam a importar-se com as questões espirituais para encontrar a vida Eterna.

A impossibilidade de um camelo passar pelo fundo de uma agulha representa o grau de dificuldade de uma pessoa rica entrar no Reino dos Céus, Jesus não estava dizendo que é impossível um rico entrar no Reino de Deus.

O grande tropeço é colocar as riquezas acima da responsabilidade que se tem perante Deus (Lc 18.26,27).
Ele estava dizendo é que a ambição avarenta pelas possessões é tão poderosa, que a pessoa rica é incapaz, por sua própria força, de quebrar-lhe as algemas. Entretanto, mesmo os ricos poderão entrar no Reino se Deus os conduzir. O que vale é a fé em Cristo, e não a força em si mesmo ou nas riquezas.


Por: PR. Wagner Tadeu dos Santos Gaby

Fonte: Jornal Mensageiro da Paz, março de 2006, pág.17
 
Top