FECHAR<===

- Lições Bíblicas Juvenis – 4° Trimestre de 2017
-Tema do Trimestre: Igreja, o Corpo de Cristo
- Classe: de 15 a 17 anos – Juvenis
- Editora: CPAD
- Comentarista: Jamiel Lopes

LEITURA BÍBLICA DA SEMANA
Seg. Mc 16.15: Pregar o Evangelho é uma ordem
Ter. 2Tm 4.2: Pregue em todo tempo
Qua. Mt 28.18-20: Nossa missão
Qui. Mc 16.17,18: Os sinais te acompanharão
Sex. Hb 10.37, 1Pe 4.7: Resta-nos pouco tempo
Sáb. Lc 10.19: Cristo nos dá autoridade
OBJETIVOS
- Apresentar as estratégias usadas por Paulo para evangelizar os grandes centros;
- Encorajar a vencer os desafios da evangelização nos grandes centros e nas pequenas cidades;
- Discutir como utilizar os meios tecnológicos na evangelização.

REFLEXÃO
"[...] Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura." (Mc 16.15)
SINTETIZANDO
Fazer missões urbanas torna-se um desafio cada vez maior. Há poucas décadas os crentes iam às ruas, distribuíam folhetos, faziam cultos ao ar livre, sem grandes dificuldades. Contudo, com o aumento dos centros urbanos e da violência, as pessoas mudaram os seus hábitos, trancando-se em seus apartamentos e casas muradas. Assim, entre grades e desconfiança, inúmeros se fazem inacessíveis, requerendo da Igreja mudanças de estratégias de evangelismo e de meios para alcançar as almas que perecem.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Atos 16.9-15,40

9 E Paulo teve de noite uma visão, em que se apresentou um homem da Macedônia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedônia, e ajuda-nos.
10 E, logo depois desta visão, procuramos partir para a Macedônia, concluindo que o Senhor nos chamava para lhes anunciarmos o evangelho.
11 E, navegando de Trôade, fomos correndo em caminho direito para a Samotrácia e, no dia seguinte, para Neápolis;
12 E dali para Filipos, que é a primeira cidade desta parte da Macedônia, e é uma colônia; e estivemos alguns dias nesta cidade.
13 E no dia de sábado saímos fora das portas, para a beira do rio, onde se costumava fazer oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram.
14 E uma certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o SENHOR lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia.
15 E, depois que foi batizada, ela e a sua casa, nos rogou, dizendo: Se haveis julgado que eu seja fiel ao SENHOR, entrai em minha casa, e ficai ali. E nos constrangeu a isso.
40 E, saindo da prisão, entraram em casa de Lídia e, vendo os irmãos, os confortaram, e depois partiram.
INTRODUÇÃO
Viverem comunidade é uma realidade desde os primórdios da humanidade. Na Bíblia, por exemplo, a primeira menção de uma cidade encontra-se ainda em Génesis 4.17, referindo-se a cidade fundada por Caim, Com o passar do tempo muitas outras cidades foram surgindo, e com elas a complexidade da interação social e da chamada vida civilizada. A igreja de Cristo, hoje, precisa cumprir o seu papel na evangelização destes centros urbanos, a exemplo de Jesus - que ia pelas cidades e povoados, levando a mensagem de salvação (Mt 9.35).

A AULA VAI COMEÇAR!
Prezado professor, esta é uma aula muito especial, pois através dela e da sua vida seus alunos podem ser inspirados pelo Espírito Santo a romper grandes barreiras na evangelização. Escreva os nomes de todos os alunos em classe em pedaços de papel e coloque em uma cestinha. Peça para cada pessoa pegar um papel. Quando todos tiverem tirado, solicite que o primeiro não leia o nome da pessoa tirada, mas fale somente características positivas dela, em voz alta, até que a turma acerte de quem se trata. Quem for chamado, levanta-se e abrace o colega que o tirou, fazendo o mesmo e assim por diante. No final, frise o quanto é bom ser lembrado, percebido, ser alvo do carinho e atenção do outro. Diga que há uma multidão nos grandes centros urbanos, com pessoas se sentindo invisíveis, solitárias, precisando urgentemente ser Lembradas, ansiando por serem percebidas. Devemos levar o amor de Deus até elas.

1. PAULO E A EVANGELIZAÇÃO NOS GRANDES CENTROS
O apóstolo Paulo foi um dos maiores ícones da história do Cristianismo. Embora não tenha estado entre os doze apóstolos de Jesus, ao se converter, dedicou-se à evangelização em especial dos gentios.

1.1. A estratégia de Paulo
Uma importante estratégia usada pelo apóstolo Paulo na evangelização foi ir aonde o povo estava, ou seja, nas grandes cidades do seu tempo. As maiores ficavam junto às principais vias comerciais, marítimas ou terrestres. Boa parte eram cidades portuárias, localizadas no mar Mediterrâneo, Egeu e Adriático, por exemplo, Éfeso e Corinto. Outras cidades eram próximas de importantes vias terrestres, como é o caso de Filipos, colónia romana, que ficava junto à via Egnatia.

1.2. Paulo venceu as diferenças
Paulo soube se desvencilhar do preconceito judaico com os gentios e povos distintos. Ele não era mais apenas um religioso, seguidor de regras e ritos, como muitos crentes nominais hoje.

Antes do encontro com Cristo, Saulo era fariseu, membro da mais legalista de todas as seitas judaicas que havia em Jerusalém. Ele mesmo afirmou que se excedia aos demais, por tamanho rigor (Gl 1.13,14; Fp 3.6). Porém, ao encontrar-se com Jesus, no caminho de Damasco, tudo mudou na sua história. Paulo abandonou a sua concepção meramente religiosa e distante sobre Deus e a salvação por obras da lei, passando a dedicar-se à pregação da salvação pela graça de Cristo.

1.3. Exemplo para nós, comissionados
Assim como nós, Paulo foi chamado para pregar aos gentios (At 1347; 22.19-21; Rm 15.16) e ele agarrou esta missão com muito zelo e dedicação. Ele é um exemplo, tanto por seu esmero, como por suas estratégias inteligentes para alcançar pessoas de diferentes tradições, costumes e crenças (1Co 9.19-23).

Paulo sabia respeitar e usar a cultura alheia a favor da anunciação do Evangelho. Certa vez, ao pregar aos gregos, sobre o "Deus desconhecido", usou a citação de um filósofo chamado Cleantes, que vivera entre os anos de 301-232 a.C e era conterrâneo de seus ouvintes (At 17.28). Esta é uma estratégia poderosa, usar o que os ouvintes entendem, para lhes apresentar o que ainda desconhecem - o plano da salvação em Cristo. O apóstolo sabia utilizar o contexto para se aproximar e ganhar as pessoas para Jesus (1Co 9.20-23).
 
AÇAO TÓPICO l
Pergunte o que seus alunos acham das estratégias usadas por Paulo para evangelizar os grandes centros. E como eles as utilizariam, contextualizando-as com os dias atuais. Destaque que uma das mais importantes estratégias usadas por ele foi ir aonde o povo estava. Reforce que Paulo é um exemplo de missionário que deve ser seguido.

2. EVANGELIZAÇÃO NAS GRANDES CIDADES HOJE
Segundo a Organização das Nações Unidas, 90% da população mundial irá viver nos grandes centros até 2050', o que obrigará a Igreja a dar cada vez iras atenção às metrópoles.

2.1. O desafio na pós-modernidade
A nossa missão se torna mais desafiadora por vivermos em uma sociedade pós-moderna, caracterizada por seu antropocentrismo, relativismo, materialismo, secularismo e permissividade. Como alcançar os grandes centros urbanos com seus diferentes grupos e particularidades?

Reflitamos sobre o exemplo de Jesus. Ao convocar seus discípulos para obedecer à "Grande Comissão", Jesus explicitava que a mensagem deveria alcançar todos (At 1.8; Mc 16.15). Jesus veio buscar e salvar o que havia se perdido (Lc 19.10). Assim sendo, traçou estratégias de alcance das pessoas começando pelas cidades e aldeias (Mt 4.23; 9.35). A partir dai, deveriam alcançar os grandes centros e até mesmo os confins da terra (At 18; Ap 14.6). Devemos seguir o exemplo de Cristo buscando os pecadores em toda parte, quer nas cidades ou no interior, campos e lugares mais remotos.

2.2. Métodos e práticas
Evidentemente que com as mudanças de gerações e cultura, também precisamos mudar nossas estratégias, Num cenário altamente complexo e dominado por características nocivas da pós-modernidade, quais os métodos e práticas que podem contribuir para a pregação do Evangelho de forma eficaz?

2.3. Aproximação: Igreja e comunidade
A maioria das igrejas fica aberta ao público apenas três dias na semana, durante seus cultos. Isto significa que. das cento e sessenta e oito horas semanais, apenas seis, em média, são usadas para receber uma sociedade carente e sedenta de salvação. É necessário e urgente que assumamos o nosso papel como sal e Luz (Mt 5.13-16).

A Igreja pode e deve atrair sua vizinhança, realizando projetos sociais nas suas dependências. Taís como: Atendimento gratuito à comunidade por especialistas (dentistas, psicólogos, advogados, etc); oferecer cursos profissionalizantes e de idiomas; alfabetização de adultos; reforço escolar; ajuda humanitária em tragédias; promover reuniões sociais com palestras de conscientização nas áreas de interesse comunitário; feiras ou exposições na área da saúde, saneamento básico; homenagem aos profissionais em suas respectivas datas comemorativas (dia do gari, dia do professor, etc.); promoção de corridas e caminhadas em favor de uma causa específica e assim sucessivamente.

Não podemos esquecer-nos daquelas pessoas que moram no campo, interior ou local de difícil acesso, A igreja pode ir até elas com essas ações aqui citadas ou mesmo disponibilizar meios de transportes para buscá-las, por exemplo.

A verdade é que inúmeras outras coisas podem ser feitas para atrair pessoas a Cristo, mas sempre lembrando que o Evangelho genuíno não chega só em palavras, mas também em ações. Jesus pregou o Reino dos Céus sem ignorar os problemas das pessoas aqui na Terra; Ele as curou, alimentou, cuidou e nos ensinou a assim também proceder, como se a Ele mesmo o fizéssemos (Mt 25.34-40).
 
3- ESTRATÉGIAS ATUAIS
Você, adolescente, pode fazer muito pela evangelização usando recursos como as redes sociais, por exemplo. Usar a internet não é mais um luxo como foi nos anos 1990. Hoje é uma necessidade até mesmo académica e profissional. E porque não usá-la para a edificação espiritual?

Quando se fala em redes sociais um dos aspectos mais importantes é a quantidade de pessoas que faz parte dela. A possibilidade e número de pessoas conectadas umas às outras que podem conversar entre si são infinitos. Imagine isto como um instrumento de evangelização, quantas pessoas não podem ser alcançadas?

3.1. Enviando mensagens bíblicas
Mensagens bíblicas podem ser enviadas diariamente, reflexões devocionais, notícias sobre a obra missionária, vídeos com pregações, ilustrações com versículos bíblicos, etc.

3.2. Compartilhando música cristã
A música é uma excelente ferramenta para levara mensagem de esperança do Evangelho, Enquetes demonstram que jovens têm utilizado a plataforma YouTube, por exemplo, mais para ouvir músicas do que ver os próprios vídeos, Portanto, esta também é uma ótima estratégia para abençoar e ganhar almas para Cristo.

3.3. Sites ou grupo específico
Criar uma página, um blog, grupo no Facebook? ou em outras redes sociais, pode atrair muita gente. Não use isso para a sua glória, mas para a glória de Deus!

Providencie uma identidade visual interessante, poste fotos e vídeos com mensagens de vida, tudo na linguagem de vocês, mas com o conteúdo do Evangelho, Que tal criar um fórum para discutir assuntos específicos, sob a ótica dos valores bíblicos?

3.4. Outros meios
Existem muitas outras formas criativas de evangelizar: expor cartazes e faixas nos semáforos; apresentação musical, de esquete ou peças teatrais em Locais públicos, etc. Deus lhe deu habilidades. criatividade e dons espirituais para esta tão importante tarefa.
AÇÃO TÓPICO 3
Discuta com a classe como utilizar os meios tecnológicos na evangelização. Mostre que usar a internet não é mais um luxo como foi nos anos 1990, hoje é uma necessidade. Mas que deve ser utilizada também para cumprirmos a nossa missão principal. Questione a turma sobre o que eles acham que Pauto faria se vivesse nos dias de hoje, possuindo Internet.

CARO PROFESSOR, seu amor pelas almas é contagiante. Se você o sente arder em seu coração, seus alunos poderão ser incendiados por ete. Conscientize a classe que Cristo deu à Igreja, isto é, a cada um de nós, a maior missão já confiada ao homem; proclamar a sua salvação. Enfatize a necessidade de estabelecermos métodos eficazes para alcançarmos a geração atual.

SUBSÍDIO
Somente a igreja que dispor de visão multiministerial, assim como a sabedoria de Deus é multiforme, terá condições de estar presente em todas as circunstancias que demandam sua ação na vida urbana. Em sã consciência, as reuniões tradicionais da semana, com seu inestimável valor, não são suficientes para confrontar a vida paradoxalmente opulenta e ao mesmo tempo degradante da urbanização.

Visão multiministerial significa diversidade de ministérios atuantes na igreja local para alcançar todos os segmentos sociais. Das crianças aos mais idosos, todos precisam estar mobilizados em todas as frentes — menores carentes, drogados, prostitutas, terceira idade, empresários, profissionais liberais, etc. — a fim de que se cumpra através da igreja o ministério da reconciliação (2 Co 5.18).

Cabe a igreja, portanto, entender que os fatos há pouco descritos são reflexos de ações demoníacas sobre as cidades, que se intensificarão cada vez mais à medida que se aproxima a volta de Cristo. Assim como Paulo buscou um lugar para a oração antes de enfrentar a batalha, a igreja só terá êxito em sua missiologia urbana repreendendo os espíritos que atuam no mundo invisível para então conquistar as cidades para Cristo. Esta é, também, uma igreja preparada para o desafio das missões transculturais" (GILBERTO, António, Teologia Sistemática Pentecostal Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p. 417).

PARA CONCLUIR
Cristo deu à Igreja, portanto a VOCÊ, a maior missão já confiada à humanidade: proclamara salvação para um mundo perdido. A população mundial além de crescer de maneira exponencial, está migrando cada vez mais para as já abarrotadas e caóticas metrópoles. Com isso, ganham ainda mais força as marcas características da pós-modernidade, que sim, trazem dificuldades para a Igreja, mas também muitas oportunidades. Assim como Paulo fez em sua época e por onde quer que esteve, nós também podemos utilizar todas elas a favor da proclamação do Evangelho. Jesus espera que cumpramos a nossa missão!
 
HORA DA REVISÃO
1. Por que hoje as missões urbanas tornam-se um grande desafio para a Igreja?
Porque com o aumento dos centros urbanos e da violência, as pessoas mudaram os seus hábitos, trancando-se e isolando-se, o que faz com que a Igreja necessite de novas estratégias na evangelização.

2. Qual a grande estratégia usada pelo apóstolo Paulo para evangelizar?
Uma importante estratégia usada por ele foi ir onde o povo estava, nas grandes cidades do seu tempo.

3. Como alcançar os grandes centros urbanos com seus grupos e suas particularidades?
A igreja pode atrair a comunidade realizando projetos sociais nas suas dependências, aproveitando esses momentos para evangelizar; assim como utilizar os meios de comunicação atuais, como a Internet.

4. Cite algumas ações que aproximam as pessoas de Cristo e de sua igreja.
Ações sociais, como: atendimento gratuito à comunidade com especialistas (psicólogos, advogados, dentistas, etc); cursos; alfabetização de adultos; ajuda humanitária em tragédias; feiras de saúde, etc.

5. Cite alguns métodos eficazes de evangelismo.
Enviar mensagens bíblicas nas redes sociais e WhatsApp, compartilhar vídeos de hinos evangélicos, criar uma página, blog, grupo no Facebook ou mesmo um canal no YouTube para evangelizar. etc.

Fonte: Lições Bíblicas Juvenis – 4° Trimestre de 2017 - CPAD/ Fonte: www.sub-ebd.blogspot.com

 
Top