FECHAR <----

 

- Lições Bíblicas Juvenis – 4° Trimestre de 2017
-Tema do Trimestre: Igreja, o Corpo de Cristo
- Classe: de 15 a 17 anos – Juvenis
- Editora: CPAD
- Comentarista: Jamiel Lopes
LEITURA BÍBLICA DA SEMANA
Seg. Mc 16.15-18: É uma ordem de Cristo
Ter. Ef 1.4-6: Criados para glorificar a Deus
Qua. Jo 4.23,24: Os verdadeiros adoradores
Qui. Mc 10.42-45; Jo 12.26: Chamados para servir
Sex. Ef 4.2-6; Fp 2.1,2: Vivendo em comunhão
Sáb. Jo 13.34;Ef 2.19: Igreja, uma família
OBJETIVOS
- Destacar a pregação do Evangelho como missão primordial, da Igreja;
- Salientar que a Igreja é uma comunidade de irmãos;
- Ratificar que a Igreja, Corpo de Cristo, é uma comunidade de adoradores.

REFLEXÃO
"E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai." (Cl 3.17)
SINTETIZANDO
A obra e o propósito da igreja aqui na Terra se resumem em três ações, a saber: adoração a Deus, a edificação mútua e a evangelização do mundo. No início do livro de Atos há uma boa sinopse que nos permite entender a definição do propósito da Igreja: "E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações... "Todos os Que criam estavam juntos e tinham tudo em comum... louvando a Deus e caindo na graça de todo o povo, E todos os dias acrescentava ,o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar" (At 2.42,44,47).

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Mateus 28.16-20
16 E os onze discípulos partiram para a Galileia, para o monte que Jesus lhes tinha designado.
17 E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram.
18 E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.
19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
20 Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.
Atos 2.42-47
42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
43 E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.
44 E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.
45 E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister.
46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,
47 Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.
CLIQUE E LEIA TAMBÉM:

Clique e acesse
INTRODUÇÃO
Assim como tudo o que Deus faz, a Igreja de Cristo foi criada com um propósito. De geração em geração a Igreja se manifesta em comunidades ordenadas unidas para a adoração, comunhão e serviço. Jesus Cristo é Senhor e Cabeça da Igreja e qualquer exercício de autoridade dela na Terra estão sob seu domínio e julgamento.
A AULA VAI COMEÇAR!
Querido professor, Leve os alunos a refletirem sobre suas ações e os propósitos de Deus para eles, enquanto Igreja. Para isso, promova a seguinte dinâmica: Acomode-os em círculo, entregue duas folhas de papel e um lápis para cada um. Peça-os que listem na primeira folha o que consideram o propósito de Deus para a Igreja. Quando terminarem, peça-os que na segunda folha escrevam as coisas que eles fizeram no último mês e que constam da primeira. Enfatize que eles são a Igreja e que nunca é tarde para começar a viver os propósitos do Senhor para nós. Nisso reside a verdadeira felicidade. Portanto, deixe que, abaixo dos itens listados no segundo papel, eles escrevam o que desejam fazer a partir de agora. Ore com a classe, apresentando a lista de cada aluno ao Senhor.

1. PREGAR O EVANGELHO: A MISSÃO BASILAR DA IGREJA
Pregar o Evangelho é ordem do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo: "Portanto, ide, ensinai to­das as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo" (Mt 28.19). Portanto, é obra e missão da Igreja ser zelosa no empe­nho de evangelizar o mundo.

1.1. Missão pri­mordial
A pregação do Evangelho é a "Grande Comissão", missão primordial da Igreja (Mt 38.19,20). Seu caráter transformador de vida deve ser refletido nos seus membros - que são a Igreja de Cristo individualmente - para proclamarem o Evangelho e serem luz para o mundo (Mt 5.14-16; Jo 14,12,13; At 1.8; 13.47).

Neste sentido, certo autor desta­ca o evangelismo como o propósito primordial da Igreja. Ele se refere à Grande Comissão como suporte bíblico para a função evangelística e inclui nessa missão a tarefa de implantação de novas igrejas, o discipulado dos novos crentes e edifi­cação do Corpo como um todo. Assim, por meio da evangeli­zação promove-se o estabelecimento do povo de Deus em uma comuni­dade de adoração e serviço.

1.2. Reconciliando pessoas com Deus
A Igreja tem participação na missão de Deus de reconciliar as pessoas com Ele, dando continu­ação à obra redentora de Jesus, Myer Pearlman (1997) disse algo impactante a esse respeito: "Cristo tornou acessível a salvação por provê-la, a Igreja deve torná-la real por proclamá-la". O propósito de difusão do Evangelho inclui também a edificação uns dos outros, pregando e ensinando a Palavra de Deus; crescendo e edificando-se mutuamente (Ef 4.11-16).
Os crentes salvos em Cristo devem realizar o trabalho evangelístico - isto é, serem testemunhas de Cristo - cientes de que a evangelização é também um ministério de misericórdia e amor ao próximo.
 
AÇAO TÓPICO l
Apresente a tríplice missão da Igreja, mostrando que a primordial é a pregação do Evangelho. Destaque que, através da pregação do Evangelho, participamos da missão de Deus de reconciliar as pessoas com Ele. E que, portanto, a evangelização além de obediência, é também um ato de misericórdia para com o próximo.

2. UMA COMUNIDADE DE ADORAÇÃO
A Igreja, enquanto Corpo de Cristo, é uma comunidade de adoradores. São pessoas de diferentes denominações, épocas e locais em todo o mundo.
É importante salientar que nesta comunidade cristã espiritual não se incluem sistemas religiosos vãos, mas apenas os verdadeiros crentes, nascidos de novo, que confiaram na obra redentora de Cristo; Aquele que viveu entre nós como Deus-homem, que morreu, ressuscitou dos mortos e subiu ao Céu, de onde intercede por nós à direita de Deus e para aonde prometeu nos preparar lugar.

2.1. A vocação da Igreja
A vocação da Igreja é adorar ao Senhor e glorificá-lo na Terra. Isto é feito através da obediência (2 Co 9.13); boas obras (Tg 2.18,26; Mt 5.16); sacrifícios de louvor (SI 22.23; 1471); cânticos (SI 100.2); consagração total (1Co 6.11,19,20); unidade espiritual (Jo17.22; 1Co 1.10) e os frutos que produzimos (Jo 15.8; Mt 7.17-20).

Somente a Deus pertence o louvor, a adoração e a glorificação (SI 86.9; Ap 5.13).

2.2. O propósito de adorar
O propósito essencial da Igreja é adorar a Deus (Jo 4.23; Ap 19.1-6), de diferentes maneiras, mas fazendo todas as coisas com este intuito d Co 10.31).

No Antigo Testamento, o Senhor ordenou aos israelitas que adorassem exclusivamente a Ele, proibindo a idolatria no meio de seu povo (2 Cr 7.19,20). Os Judeus tinham um sistema de adoração divinamente estabelecido. O povo se reunia fora do Tabernáculo (no pátio) ou mais tarde no Templo e nas Sinagogas.

No Novo Testamento, tendo Deus se revelado aos homens na pessoa de Jesus Cristo, Ele se propôs edificar a Igreja; uma comunidade nova e redimida, onde os cristãos são instruídos a se reunirem com o propósito de adorá-lo.

"Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação" (1Co 14.26). Refutamos também nas seguintes passagens: "Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns; antes, admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais quanto vedes que se vai aproximando aquele Dia" (Hb 10.25) e "Pelo que exortai-vos uns aos outros e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis" (1Ts 5.11).

2.3. Os verdadeiros adoradores
A Bíblia diz que o Altíssimo não habita em casas feitas por homens (At 7.48). Ele quer que os verdadeiros adoradores o honrem "em espírito e em verdade" (Jo 4.23,24).

O apóstolo Paulo instrui os crentes como prestar a verdadeira adoração ao Senhor: "A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais; cantando ao Senhor com graça em vosso coração. E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai" (Cl 3.16,17).
 
AÇÃO TÓPICO 2
Enfatize que a Igreja, Corpo de Cristo, é uma comunidade de adoradores. Destaque que tendo Deus se revelado aos homens, na pessoa de Jesus Cristo, se propôs edificar a Igreja, uma comunidade nova e redimida, cuja vocação é adorar ao Senhor e glorificá-lo na Terra. Peça que seus alunos expliquem o que é adorar a Deus "em espírito e em verdade".

3. UMA COMUNIDADE DE EDIFICAÇÃO ENTRE OS IRMÃOS
A igreja local, onde as pessoas se reúnem para o culto a Deus, não se limita apenas a um edifício, mas a um Corpo que trabalha para edificação e o aperfeiçoamento dos seus membros (Rm 14.19; Ef 4.12,13).

3.1. Servindo ao Senhor
Fomos chamados para servir a Deus, para vivermos em comunhão com Ele por intermédio de Cristo. Porque para isto é que recebemos o revestimento do poder do Espírito, a saber, para pregarmos a sua Palavra. Somos filhos de Deus (Rm 8.16,17) e assim devemos nos portar, permitindo que nosso ca-ráter seja moldado à semelhança do de Cristo. Como verdadeiros servos do Senhor, dediquemos nossa vida ao ministério e a testemunhar de Jesus Cristo; para que assim possamos viver em comunhão (koinonia) com os irmãos.

3.2. Vivendo em comunhão
Cada crente é um oficial da Igreja; um voluntário a serviço do Mestre. Assim devemos estar comprometidos em atender às necessidades de nossos irmãos e irmãs em Cristo, visando a edificação do Corpo de Cristo (Ef 4.12,16). Cada um se preocupe não apenas com a promoção e crescimento individual, também com a comunhão, união entre os irmãos e com o crescimento da Igreja.
Agradamos a Deus quando oramos uns pelos outros e nos dedicamos a ajudar nossos irmãos a crescerem espiritualmente.
Que amemos uns aos outros com o amor de Cristo sempre nos esforçando para tratarmos uns aos outros com respeito.

3.3. Cuidando uns dos outros
A Igreja de Cristo é conhecida também como uma família. (Veja Efésios 2.19). Por isso não podemos viver isoladamente. É necessário cuidarmos uns dos outros com devoção, compaixão e com amor, assim como somos amados pelo Senhor (Cl 3.16,17; Tg 5.16).
Devemos assistir nossos irmãos tanto em suas necessidades espirituais, quanto em suas necessidades materiais: "Então, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé." (Gl 6.10).

Deixemos que o Espírito Santo de Deus nos capacite a propagar a verdadeira comunhão entre o povo de Deus, Visto que é Ele que nos aproxima uns dos outros a ponto de sentirmos compaixão, fazendo-nos alegrar com os que se alegram e chorar com os que choram (Rm 12.9-21).

AÇÃO TÓPICO 3
Pergunte à turma o que representa para eles a igreja local onde eles congregam. Diga que a igreja é uma comunidade de edificação entre irmãos. Mostre que fomos chamados para vivermos em comunhão com Cristo e uns com os outros, e que é desta forma que prestamos adoração e damos testemunho acerca de Jesus. Leia João 13.35. Enfatize que vivermos em comunhão uns com os outros é um dever, mas também um privilégio nosso.

SUBSÍDIO 1
Renovando e Alcançando Pessoas
Precisamos começar perguntando mais uma vez: Qual a nossa missão como igreja? A resposta está em reconhecer que somos o corpo de Cristo. Portanto, devíamos estar fazendo o que Ele fez na terra. A evangelização do mundo, portanto, tem de ser a missão, o objetivo norteador da Igreja, pois era a meta central de nosso Senhor — a única razão pela qual o Filho eterno, despojando-se de suas vestes de glória, assumiu nossa forma. Ele veio para 'buscar e salvar o que se havia perdido (Lc 19,10) — 'não veio para ser servido, mas para servir; e para dar a sua vida em resgate de muitos' (Mt 20.28).
Uma senhora, num grupo de turistas que visitava o Mosteiro de Westminster, pinçou exatamente o problema. Voltando-se para o guia, perguntou-lhe: 'Moço, moço! Pare um pouco essa conversa, e me responda: será que alguém foi salvo aqui por esses dias?'.
Um estranho silêncio recaiu sobre o grupo de turistas assustados e, quem sabe, já embaraçados. Salvo no Mosteiro de Westminster? Por que não? Não é essa a função da igreja? Uma igreja que esteja descobrindo o entusiasmo do avivamento saberá disso, e estará em atividade, procurando ganhar os perdidos, O avivamento e a evangelização, embora diferentes quanto à natureza, brotam da mesma fonte e fluem juntos. Uma igreja que não sai para o mundo anunciando as verdades do reino não reconheceria o avivamento, mesmo que este viesse". (COLEMAN, R Como avivar a sua igreja. 15.ed, Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 87-88.)

SUBSÍDIO 2
A adoração como um estilo de vida diário começa na mais simples e mais óbvia das condições. É algo que cada um de nós pode fazer, porém algo que muitos negligenciam. Se você quiser viver toda a sua vida na maravilha da adoração, deve começar corn seu tempo pessoal com Deus.

Talvez você esteja desapontado com o fato de ter sido lembrado de algo tão simples. Talvez você já tenha um tempo regular e compromissado para a adoração. Mas acredito que é impossível ser tudo o que Deus pretende para nós, se não estivermos dispostos a passar algum tempo para chegara conhecê-Lo pessoalmente.

Também creio que o melhor momento para a maioria das pessoas é conseguir ficar a sós com Deus é de manhã - este período pode determinar como será o restante do seu dia. Deus deseja que você seja um servo melhor e mais efetivo possível. Então Ele mostrará e lhe dirá coisas que farão a diferença em momentos de crise durante as próximas doze horas, mais ou menos. Depois de você conversar com o Senhor e caminhar com Ele durante as suas tarefas do dia, Ele o fortalecerá e o encorajará a fazer de cada momento do seu dia um ato de adoração". (JEREMIAM, David. O desejo do meu coração. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. p.56.)

CARO PROFESSOR questione a turma sobre qual é o tríplice propósito da Igreja. Mostre que todos eles são a Igreja, individualmente. Portanto, importantes e necessários no cumprimento do propósito de adorar ao Senhor - missão para com Deus; de evangelizar - missão para com o mundo; e de edificar os seus membros - missão para consigo mesma.

PARA CONCLUIR
A Igreja, quando adora ao Senhor, cumpre sua missão para com Deus; quando evangeliza, cumpre sua missão para com o mundo; e quando edifica os seus irmãos (seus membros), cumpre sua missão para consigo mesma. Cada um de nós, como Igreja de Cristo na Terra, devemos cumprir essa tríplice missão.
 
HORA DA REVISÃO
1. Qual missão da Igreja é tratada como a "Grande Comissão"?
A pregação do Evangelho.

2. Cite um texto bíblico que fale sobre a nossa responsabilidade de evangelizar o mundo.
Marcos 16.15,16 ou Mateus 28.18-20.

3. De acordo com o comentário da lição como era realizado o culto de adoração a Deus no Antigo Testamento?

O povo se reunia fora do Tabernáculo (no pátio] ou mais tarde no| Templo e nas Sinagogas.
4. Quem são os verdadeiros adoradores?
Aqueles que adoram ao Senhor em Espírito e em verdade (Jo 4.23,24).

5. Qual texto bíblico mostra que a Igreja é uma família?
Efésios 2.19.


Fonte: Lições Bíblicas Juvenis – 4° Trimestre de 2017 - CPAD/ Fonte: www.sub-ebd.blogspot.com

 
Top