FECHAR <-----

Lição 10 - A Igreja e as Missões Transculturais

- Lições Bíblicas Juvenis – 4° Trimestre de 2017
-Tema do Trimestre: Igreja, o Corpo de Cristo
- Classe: de 15 a 17 anos – Juvenis
- Editora: CPAD
- Comentarista: Jamiel Lopes
LEITURA BÍBLICA DA SEMANA
Seg. Mt 28.18-20: A missão de evangelizar os povos
Ter. Rm 10.13-15: A visão do mundo perdido
Qua. Mc 6.34: Compaixão pelas almas
Qui. Rm 22: O Clamor do mundo
Sex. 1Co 9.16: Prontidão para pregar
Sáb. Mc 16.15,16: Obediência ao Ide
OBJETIVOS
- Apresentar Paulo e Barnabé como os primeiros missionários transculturais;
- Discutir sobre a vocação para missões transculturais;
- Conscientizar sobre os desafios das missões transculturais.

REFLEXÃO
"E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espirito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado." (At 13.2)
SINTETIZANDO
Missão transcultural é um movimento missionário que visa alcançar os povos além de sua fronteira linguística, geográfica e cultural. Na palavra, o prefixo "trans" significa "movimento para além de" e “cultura”é o conjunto dos hábitos sociais e religiosos que caracteriza uma sociedade. Por isso, este termo passou a ser utilizado pelos mlssiólogos para definir apenas os trabalhos evangelísticos que acontecem além das fronteiras da cultura e tradição do evangelizador.
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Atos 13.4-12
4 E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre.
5 E, chegados a Salamina, anunciavam a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus; e tinham também a João como cooperador.
6 E, havendo atravessado a ilha até Pafos, acharam um certo judeu mágico, falso profeta, chamado Barjesus,
7 O qual estava com o procônsul Sérgio Paulo, homem prudente. Este, chamando a si Barnabé e Saulo, procurava muito ouvir a palavra de Deus.
8 Mas resistia-lhes Elimas, o encantador ( porque assim se interpreta o seu nome ), procurando apartar da fé o procônsul.
9 Todavia Saulo, que também se chama Paulo, cheio do Espírito Santo, e fixando os olhos nele,
10 Disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor?
11 Eis aí, pois, agora contra ti a mão do Senhor, e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. E no mesmo instante a escuridão e as trevas caíram sobre ele e, andando à roda, buscava a quem o guiasse pela mão.
12 Então o procônsul, vendo o que havia acontecido, creu, maravilhado da doutrina do Senhor.
CLIQUE E LEIA TAMBÉM:
INTRODUÇÃO
Em alguns casos pode ocorrer missões transculturais sem sair da nação; a exemplo do Brasil, onde há algumas tribos indígenas, cujos dialetos nem possuem tradução das Sagradas Escrituras. Além disso, muitas têm costumes e crenças totalmente diferenciadas das de moradores dos centros urbanos. Assim sendo, missões transculturais se referem à cultura e não à nação, quando a cultura do enviado é diferente da de quem irá receber a mensagem do Evangelho.
A AULA VAI COMEÇAR!
Olá Professor! Estamos diante de mais uma oportunidade de ecoar o chamado do nosso Salvador, de ir por todo o mundo e pregar o Evangelho a toda criatura. Que o Espírito Santo lhe capacite e, através desta aula, levante dedicados missionários para a glória do nome de Jesus.

Sorteie um aluno dentre os presentes e entregue um embrulho (nele pode conter bombons, balas, chaveiro, um livro ou qualquer outra lembrança que seja do interesse de ambos os sexos). No embrulho deve conter a frase: "Passe esse presente a quem você ainda não teve a oportunidade de dizer o quanto é especial". O que receber o presente fará a mesma coisa, passando a outra pessoa e dizendo o porquê. Ninguém pode ser mencionado duas vezes. O último será aquele que levará o embrulho com o presente. No final reflita com a classe sobre a importância do desapego. Mostre que para obedecermos ao "Ide" de Jesus, temos que aprender a abrir mão das coisas perecíveis desta Terra, a fim de ganhar tesouros eternos no Céu.
 
1.  ENVIADOS ÀS NAÇÕES
Jesus determinou que o Evangelho fosse pregado na Judéia, Samaria e até os confins da Terra, (At 1.8), Após os discípulos serem revestidos de poder e capacitados pelo Espírito Santo, veio uma grande perseguição que os obrigou a se espalharem, pregando a Palavra de Deus aonde quer que fossem (At 8.1-4). Contudo, no início, ninguém tinha tido a visão de levar as Boas Novas às nações, além mar.

A Igreja Primitiva despertou para isto somente após a conversão de Cornélio, um homem de Cesaréia, centurião da corte chamada italiana, que mesmo sendo gentio, recebeu o batismo com o Espirito Santo ao ouvir Pedro falar sobre Jesus. Os que estavam com Pedro se maravilharam pelo fato de o dom do Espírito Santo também ser derramado sobre os gentios (At 10.45-48).

Certa vez, o apóstolo Pedro teve que se explicar à Igreja, pois alguns irmãos o haviam acusado de entrar na casa de incircuncisos e comer com eles. Pedro, no entanto contou a visão que teve em que o Senhor lhe falara para não considerar imundo aquilo que o próprio Cristo havia santificado. Em seguida, o apóstolo Pedro testemunhou sobre como o Espírito Santo descera sobre Cornélio e sua família. (At 11.1-18). Ao ouvirem eles estas coisas, "apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Na verdade, até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida" (v 18).

A igreja em Antioquia foi a primeira a realizar missões transculturais ao anunciar o Evangelho aos gentios (At 11.20). A população cosmopolita da cidade se refletia até mesmo na Liderança eclesiástica, que consistia em profetas e mestres que moravam na cidade, mas possuíam naturalidades diferentes (At 13.1). Estes líderes simbolizavam a diversidade étnica e cultural de Antioquia e da própria igreja.

Foi a igreja de Antioquia que enviou os primeiros missionários transculturais - Paulo e Barnabé. Em um momento, quando a igreja orava e jejuava, o Espírito Santo se manifestou dizendo: "Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado" (At 13.2).
Possivelmente antes mesmo deste episódio, Paulo e Barnabé já possuíam convicção do chamado de Deus, sendo isto testificado pelo Espírito Santo para toda a igreja. Em seguida, a igreja os enviou a missão, impondo as mãos sobre eles.

AÇÃO TÓPICO l
Apresente Saulo e Bamabé como os primeiros missionários transculturais. Fale sobre a resistência da Igreja Primitiva e que ninguém tinha tido a visão de levar as Boas Novas às nações além-mar. Porém, o plano de Deus é que o Evangelho cruze todas as fronteiras. Reforce que devemos ser gratos às missões transculturais, pois por meio delas, a Salvação chegou até cada um de nós, os gentios.

2. É A SUA VOCAÇÃO?
Clique e acesse
Ser vocacionado para missões transculturais é um dos pré-requisitos básicos para o êxito neste trabalho. Uma pessoa que não tem vocação está fadada ao fracasso. Mas como sabermos se temos ou não vocação? Isto torna-se evidente na manifestação de algumas competências necessárias para realização de tal obra. Analisemos algumas.
• Preparo intelectual: A evangelização, particularmente entre culturas diferentes, deve ser realizada por pessoas com preparo especial, que possuam conhecimento teológico, comunicação transcultural, técnicas pastorais, etc, Conhecer a cultura do povo o qual irá evangelizar é fundamental para o sucesso do missionário. Paulo escreveu a Timóteo: "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade" (2 Tm 2,15). Logo, podemos entender que existem aqueles que a manejam erroneamente.

• Consciência da responsabilidade: É importante que o missionário tenha consciência daquilo que o Senhor requer para tal obra; tenha conhecimento da realidade do trabalho que irá desenvolver e confirmação do Espírito Santo para seguir rumo a experiência prática. Isto significa ter sensibilidade à sua voz, intimidade com Ele para conhecer o propósito de Deus para sua vida; deixando de Lado os seus preconceitos e tradicionalismos, que podem prejudicar o desenvolvimento da obra.

• Preparo espiritual: Cuidar da vida espiritual é outro pré-requisito indispensável para o missionário. No exercício da obra missionária um servo do Senhor precisa ter uma vida dedicada à oração e leitura da Palavra. As próprias circunstâncias difíceis a serem enfrentadas irão requerer dele uma fé e procedimento exemplar. Precisa haver compromisso e dedicação suficientes para ganhar o respeito de cristãos e não-cristãos. Deus não exige que seus trabalhadores tenham grandes talentos, mas uma vida consagrada sim, esta é uma exigência (1Tm 4.12).

• Outras competências: O missionário também precisa possuir dons para comunicar sua fé. A comunicação da mensagem do Evangelho não pode ser apenas em palavras e ideias, mas com atitudes e experiências. Ele deve possuir aptidão para pregar a Palavra, não somente nas atividades da Igreja, mas também no dia a dia, no trabalho, lar, casamento, entre amigos, etc.

Dentre as diversas tarefas a serem realizadas no Reino de Deus, talvez não haja uma que exija maior paciência e persistência do que o trabalho missionário em campo pioneiro. Algumas sementes levam anos e anos para frutificar.

E por fim, ele deve ter amor pela obra e paixão pelas almas, sem isto é impossível tornar-se um missionário transcultural de verdade.

AÇAO TÓPICO 2
Discuta sobre a vocação para missões transculturais. Pergunte se algum deles sente o coração queimar ao falar deste assunto. Explique que ser vocacionado para missões transculturais é um dos pré-requisitos básicos para o sucesso deste tão difícil e honroso trabalho.

3. DESAFIOS DESTE CHAMADO
Realizar missões transculturais é um grande desafio para a Igreja na atualidade. Basta analisarmos que temos cerca de 7,2 bilhões de pessoas no mundo e quase 12.000 grupos étnicos. Além dos milhares de dialetos existentes ainda sem uma tradução da Bíblia, o que tem impedido a ação missionária em locais não-evangelizados e barreiras políticas e ideológicas.
A região menos evangelizada do mundo, por exemplo, a chamada 'Janela 10/40" (localização dos 62 países que formam no mapa um retângulo aos graus 10 e 40 acima da Linha do Equador) é onde as religiões muçulmana, hindu e budista fazem parte da constituição desses países e os cristãos, tidos como foras da Lei, são presos ou exterminados.

O choque cultural, falta de conhecimento e cosmovisão dos missionários também têm sido obstáculos a serem superados.

3.1. O que é Cosmovisão?
Cosmovisão é um termo usado para definir de forma singela a visão de mundo de cada grupo social ou indivíduo. Culturalmente, cada povo, ou mesmo cada pessoa tem uma maneira diferente de enxergar o mundo e se relacionar com ele. De acordo com nossa formação familiar, passamos a conhecer o mundo e atribuir valores a determinados gestos, hábitos, cheiros, sabores, comportamentos, expressões, etc. Assim, aprendemos a ver o mundo com as lentes que nos deram no contexto social em que estamos inseridos, Nosso comportamento e ações serão de acordo com as normas dele, Isto se classifica como "cosmovisão". O conhecimento da cosmovisão do povo que se procura alcançar é essencial por isso; para que não aconteça o choque cultural ou a falta de entendimento da mensagem apresentada.
Vejamos alguns exemplos práticos de choque cultural:

• Pontualidade: Se um brasileiro agenda um encontro de negócios às 9h e a pessoa chega às 10h, ele entenderia como atraso e descaso. Já para o árabe, no entanto, quem chega no horário é servo. Por isso, se ele for a uma reunião de negócios, só chegará entre 45 minutos à 1h15 depois do combinado, propositalmente.

• Cumprimento: Diferentes povos possuem maneiras diversas para se cumprimentar. Alguns com aperto de mãos, outros com abraços, outros com beijo (ósculo), alguns curvando-se, como é o caso do "ojigi" - cumprimento cultural no Japão, considerado uma demonstração de respeito tão importante que eles o fazem mesmo quando falam ao telefone.
A simples falta de conhecimento da forma de saudar alguém, em determinada cultura, pode causar constrangimentos ou até problemas sérios, caso considerem um desrespeito ou, dependendo do povo, até mesmo uma infração.

ACÃO TÓPICO 3
Indague à classe sobre os desafios das missões transculturais. Deixe que cada aluno fale qual seria o maior desafio, na sua visão pessoal. Explique sobre a cosmovisão. Destaque que o conhecimento da cosmovisão do povo que se procura alcançar é essencial, para minimizar o choque cultural e fazer o Evangelho melhor entendido.

SUBSIDIO
"Um obreiro transcultural dos Estados Unidos, enviado como missionário à América do Sul, percebeu horrorizado, depois de um longo período de muito trabalho e pouco fruto, que sua mensagem tinha muito de razão e pouco de revelação. Sua conclusão simples foi que sua denominação, que possuía mais de 40 por cento de todos os missionários evangélicos na América Latina e apenas cinco por cento dos crentes, estava ministrando mais humanismo que cristianismo. Porém, demasiada ênfase na cultura em prejuízo da ação do Espírito Santo, acabaram mais iluminados pela luz natural do que pela sobrenatural. E muita lógica humana e pouco fruto são características de cristãos ainda no Pátio" (ALMEIDA, Abraão. O Tabernáculo e a Igreja. Rio de Janeiro: CPAD, 1985. p. 159).

CARO PROFESSOR fale à sua turma que cerca de 3,1 bilhões de pessoas nos dias atuais nunca ouviram falar de Jesus Cristo, conforme pesquisa realizada por idónea organização cristã. Reforce que apenas no Brasil estão mais de 120 tribos indígenas necessitando de uma tradução da Bíblia. Há mais de 100 etnias - no nosso país - que não possuem presença missionária e, portanto, desconhecem a salvação em Cristo. Enfatize que esta é uma responsabilidade de cada um de nós; precisamos alcançar os perdidos, assim como um dia fomos alcançados. Ore em prol disto com seus alunos.

PARA CONCLUIR
Os missionários precisam ser cautelosos ao se inserirem em outra cultura, ao apresentarem uma nova visão. Antes, é importante tomar ciência do que na cultura local constitui-se infração, possíveis reações colaterais aos que passarem ao Evangelho, etc. Um comportamento cultural é parte de um sistema complexo, diretamente relacionado à própria existência e identidade do indivíduo. Entenda que, na conversão, há um momento em que o indivíduo não será nem o que era antes, e nem ainda o que deseja ser. Além disso, a mudança pode gerar dúvidas, incertezas, medos, crises de identidade, para qualquer ser humano. Ainda mais se o destoará de tudo que lhe é próximo e conhecido. Por tudo isso, qualquer mudança de costume em um povo distinto deve ser analisada uma a uma, com muita cautela; se é realmente necessária. Afim de não trazer efeitos danosos para o evangelizado e para a Obra de Deus.
 
HORA DA REVISÃO
1. O que significa o termo "transcultural"?
A palavra transcultural é formada peta junção do prefixo trans, "movimento para atém de" e a palavra cultura que é o conjunto dos hábitos sociais e religiosos de uma sociedade. Por isso, este termo passou a ser utilizado pelos missiólogos para definir os trabalhos evangelísticos que acontecem além das fronteiras culturais do evangelizador.

2. Pode ocorrer missões transculturais no mesmo país?
Justifique a sua resposta.
Sim. Porque missões transculturais se referem à cultura e não propriamente à nação. Ela pode ser realizada dentro do mesmo país, devido à  cultura de quem envia ser diferente  da de quem irá receber a mensagem. Como é o caso, por exemplo, do evangelismo de igrejas brasileiras entre as tribos indígenas do país.

3. Quem foram os primeiros missionários transculturais da história da Igreja Cristã?
Paulo e Barnabé.

4. Quais as competências necessárias para fazer missões transculturais?
Preparo intelectual, preparo espiritual, possuir dons para comunicar a fé em outra cultura, etc.

5. O que é "cosmovisão"?
E a, maneira diferente de enxergar o mundo e se relacionar com ele de cada povo ou indivíduo, que foi constituída de acordo com a formação familiar e todo o contexto social em que se está inserido.


Fonte: Lições Bíblicas Juvenis – 4° Trimestre de 2017 - CPAD/ Fonte: www.sub-ebd.blogspot.com