FECHAR <-----

O que é graça preveniente?

A graça preveniente é uma doutrina arminiana essencial, que os calvinistas também acreditam, mas os arminianos interpretam-na diferentemente. A graça preveniente é simplesmente a graça de Deus convincente, convidativa, iluminadora e capacitadora, que antecede a conversão e torna o arrependimento e a fé possíveis.

Os calvinistas interpretam-na como irresistível e eficaz; a pessoa na qual esta graça opera irá se arrepender e crer para salvação.
Os arminianos interpretam-na como resistível; as pessoas sempre são capazes de resistir à graça de Deus, conforme a Escritura nos adverte (At 7.51). Mas sem a graça preveniente elas inevitável e implacavelmente resistirão à vontade de Deus em virtude de sua escravidão ao pecado.

A graça preveniente, conforme o termo implica, é aquela graça que "antecede" ou prepara a alma para a entrada no estado inicial de salvação. É a graça preparatória do Espírito Santo exercida no homem abandonado em pecado. No que diz respeito à culpa, pode ser considerada misericórdia; em relação à impotência, é o poder capacitador. Pode ser definida, portanto, como a manifestação da influência divina que precede a vida regenerada plena.

A cooperação da graça preveniente
A graça preveniente não interfere na liberdade da vontade. Ela não verga a vontade ou torna certa a resposta da vontade. Apenas capacita a vontade a fazer a escolha livre quer seja para cooperar quer seja para resistir à graça.

A cooperação não contribui para a salvação, como se Deus fizesse uma parte e os humanos a outra. Antes, a cooperação com a graça na teologia arminiana é simplesmente a não resistência à graça. É simplesmente a decisão de permitir que a graça faça sua obra ao renunciar a todas as tentativas de autojustificação e autopurificação e admitindo que somente Cristo pode salvar. Todavia, Deus não toma esta decisão pelo indivíduo; é uma decisão que os indivíduos, sob o impulso da graça preveniente, devem tomar por si mesmos.

A SALVAÇÃO E A GRAÇA
O arminianismo defende que a salvação é inteiramente da graça - todo movimento da alma em direção a Deus é iniciado pela graça divina - mas os arminianos também reconhecem que a cooperação da vontade humana é indispensável, pois, em última instância, o agente livre decide se a graça proposta é aceita ou rejeitada.
Fonte: Teologia Arminiana - Mitos E Realidades, Roger-Olson
Adaptação de: JAS