FECHAR <-----

Lidando com situações anormais durante a aula

Como o professor da ED deve agir numa situação em que, durante a exposição da aula, ocorrem situações com uma discussão, um debate, ou mesmo exaltação por parte da turma?
Em primeiro lugar, não necessariamente um debate é sinal de problema ou má condução da aula. Ele pode ser benéfico no desenvolvimento do senso crítico do aluno, ajudando-o a aprimorar sua capacidade de comunicação, desde que não haja exageros em quaisquer instâncias.
VEJA TAMBÉM:

SEIS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS QUE ATRAEM O INSUCESSO NUMA AULA
O professor deve ter em m ente que: desdém da parte dele em relação à capacidade e talento do aluno, ausência de autoridade, ensino ineficaz, nervosismo injustificável, desrespeito à autoridade por parte do aluno, e incapacidade, por parte do professor, de utilização do discente para pôr em prática o que foi ensinado são seis características básicas que atraem o insucesso numa aula.

É a mais alta responsabilidade do professor examinar cuidadosamente essas seis situações. Se qualquer uma delas prevalece, a turma, a aula, o rendimento, o andamento, a educação e o ensino definitivamente encontram-se na rota do fracasso bíblico-escolar.

O objetivo do ensino bíblico é levar o aluno a aprender, a apreender, a colocar em prática o que foi passado e ensinar, mais a frente, o que lhe foi ensinado.
As vezes, pode acontecer de a didática precisar de um método mais característico do debate, que é a articulação moderada de ideias.

Em todo caso, se houver maiores problemas, o professor deve ser sereno, circunspecto, imparcial e metódico por vocação. Ou seja, ciente de que, uma vez professor, deve-se procurar ter essas quatro características.

AS QUATRO CARACTERÍSTICAS DO PROFESSOR
Sendo sereno, é bem claro que ele não se irritará facilmente. Na verdade, o sereno é caracterizado por alguém que aprende a ser ausente de perturbações, manso e ordeiro, que denota paz e tranquilidade de espírito mesmo em situações adversas.

Se circunspecto, o professor encarará a situação prudente e cuidadosamente, analisando todos os aspectos porque se apresenta uma questão. Ele fará isso com tanto sucesso que será quase insondável em suas ações.

Se imparcial, será justo, e se for justo, não agirá com inconveniência, apontando todos os pontos positivos e negativos da situação em debate, priorizando a verdade da Palavra de Deus e do evangelho acima de tudo.

Se autocontrolado, ninguém tomará a sua frente, nem o confundirá com qualquer outro, tendo-o com o a autoridade máxima em sala de aula.
Interessante notar que essas quatro características estão presentes no melhor professor já existente: Jesus. Ele sim agia com serenidade, circunspecção, imparcialidade e autocontrole em todas as formas de em pregar seu ministério, fosse ensinando, curando ou libertando. Desde novo, Jesus agia com sabedoria (Lc 2.52) e mostrava autoridade em seus ensinamentos (M t 7.29).
Mesmo em momentos de debate, agia com cautela, porém firmeza.
Em momentos de tensão, era circunspecto (Jo 8.1-11), consultava seus arquivos mentais e sempre se destacava como alguém autocontrolado e justo em seus discursos. Nada escapava do seu controle e, mesmo em meio a calorosas e intensas discussões, Ele ensinava a todos que quisessem aprender e conhecer mais sobre o Reino de Deus. É assim que se ensina!


Fonte: Ensinador Cristão, n° 70 –CPAD/Reverberação: Subsídios EBD